quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

QUE VENHA 2010!!!!

Este é o último post de 2009, ano de nascimento do blog Mural do Antena. Certamente esses 365 dias ficaram muito marcados na minha vida, um ano importante, de transformações e afirmações também.
Ele tinha tudo pra seguir um caminho mais calmo, sem grandes mudanças... Apenas a continuação de projetos e planos traçados em janeiro passado. Mas quase nada do que eu imaginei aconteceu e muita coisa me surpreendeu.
Não, não foi um bom ano no quesito amor. Fui surpreendido negativamente e coisas que aconteceram me deixaram extremamente magoado, triste e fechado. Tudo o que acontece serve para nos fazer crescer e também mostrar novos horizontes. Mesmo com toda dor que senti, não sinto nada de ruim, pelo contrário, agradeço a ela por toda felicidade que me proporcionou durante os quase 4 anos que ficamos juntos e claro desejo toda felicidade do mundo para a pessoa que me ajudou nos primeiros passos aqui do blog.
Se o amor não vai bem, não posso me queixar da vida profissional. Foram grandes conquistas e descobertas no decorrer de 2009, o que me ajudou a construir uma base sólida e promissora para 2010. Quero aqui mandar meu abraço para os amigos da Torricelli e da RedeTV!.
Neste ano que chega são muitas idéias, projetos e novidades que certamente vão agitar ainda mais minha vida profissional.
Paralelo a tudo isso está este canal direto e de grande importância que é o blog. Aqui no Mural do Antena pude falar sobre os mais variados temas, mostrar meu trabalho, compartilhar idéias... Também consegui, com sucesso, introduzir as videorreportagens e tudo isso tem dado um resultado sensacional.
Todos que fizeram parte desse ano são importantes e merecem destaque, mas serei obrigado a citar alguns nomes aqui para representar meus agradecimentos e amizade. Ana Beatriz Camargo por ser uma fiel leitora no blog e pelo talento que tem; Ana Magal carioca com alma paulista que conheci na final do Aprediz; Ana Paula Padrão dispensa apresentação mas deu uma grande força para o Mural; Chris Martins com quem conversei tanto nessas longas madrugadas; Guta Nascimento foi um prazer enorme conhecer (sou fã); Rosana Hermann que foi o ponta pé inicial das videorreportagens no blog; Dimas Kunsch professor da Cásper que é um grande incentivador do blog; Tereza Guimarães da TalkShow que sempre acreditou no Mural; Paulo Castilho um amigão libriano sonhador; Zé Nello grande amigo; Marcelle Bernardo amigona fanfarrona; e Você que está lendo esse texto, sem você esse blog não teria a menor graça.

Muito obrigado a todos...

Feliz 2010!!!!!!!

Antenor Thomé

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

DORAMA

Moro em um bairro que tem uma mistura de pessoas das mais diferentes nacionalidades, o Bom Retiro. Por aqui você encontra com facilidade judeus, coreanos, bolivianos, gregos, italianos e muito mais...
Sempre olhei com certa curiosidade para certas locadoras de filmes coreanos. Por lá só sucessos do Oriente, muitos cartazes pendurados trazem os mocinhos magros e com olhar teatral e mocinhas com um semblante triste e apaixonado.
Não sou fã, na verdade sou um grande ignorante sobre a produção televisiva e cinematográfica dos orientais. Mas uma fato me chamou a atenção e me fez pesquisar sobre algo que eu nunca tinha ouvido antes: o DORAMA.
Minha tia/prima Susana, leitora fiel aqui do blog, comentou na festa de Natal sobre este "gênero" da televisão japonesa, coreana e chinesa. Não é uma novela, não é um filme e se assemelha muito aos famosos seriados americanos que estamos acostumados a assistir por aqui.
Não encontrei muitas explicações sobre o nome e gostei mais da definição de uma fã do dorama que é a minha tia. Dorama na verdade é drama, mas com o sotaque japonês acabou ficando dorama (dorama né? rs).
Pesquisei bastante na internet, assisti alguns episódios e fiquei impressionado com várias coisas. Em primeiro lugar a quantidade de fãs dessas "séries". Existem muitos blogs, sites, fóruns sobre as histórias contadas por lá. Outro aspecto interessante é a qualidade das produções, assisti muitos episódios de diferentes histórias e eles são muito bem feitos. Por falar em histórias, elas normalmente são dramáticas, mas encontrei doramas de terror, sobrenaturais, humor...
Em um mundo conectado, muitos brasileiros se emocionam com histórias contadas bem longe daqui... Pra matar a curiosidade segue trecho de um dorama.

domingo, 27 de dezembro de 2009

ATIVIDADE PARANORMAL

Queria ter visto esse filme no cinema, mas as facilidades do mundo digital fizeram a preguiça falar mais alto e o filme veio até minha casa. Gosto de filmes de torror, ficção científica, coisas estranhas e histórias fantásticas. No caso "Atividade Paranormal" se encaixa na primeira opção.
Confesso que me incomoda um pouco essa coisa da câmera "caseira", no estilo "Bruxa de Blair", mas a sensação que o filme pretende passar realmente fica mais evidente com essa forma de gravar.
Sabe o que mais me deixa intrigado quando um filme desses está circulando? Muitas pessoas realmente acreditam que a tal história que está sendo apresentada é real. Claro que tem todo o apelo de edição ao agradecer os familiares pelas imagens, de mostrar fotos do casal no final, isso faz parte do cenário sombrio e assustador que é fundamental pra te deixar ainda mais temeroso e com a emoção a flor da pele. Feito isso qualquer barulhinho diferente já te faz grudar na cadeira.
Mais do que o filme, neste caso, o assunto me chama atenção. Acreditar ou não acreditar que tais fatos possa acontecer. Isso é uma discussão para um post futuro, mas fica aqui a dica sobre o filme. Para quem gosta de um filme com cara de vídeo caseiro e com momentos de susto é uma boa pedida.
Nesta segunda-feira parto para assistir AVATAR, desta vez no cinema no IMAX. Falo sobre minhas impressões ainda esta semana, antes de 2010.
Segue trailer do filme "Atividade Paranormal"

sábado, 26 de dezembro de 2009

CONTAGEM REGRESSIVA

Agora, mais do que nunca, como diria Fausto Silva, o ano está na sua reta final. Uma semana para deixarmos 2009 como mais uma ano no passado e mergulharmos de vez em 2010.
O Natal passou como uma flecha, nem sei se foi só uma impressão minha, mas parece que o dia 25 foi atropelado pela velocidade do tempo, que agora parte com tudo pra cima do dia 31. Tudo está acontecendo muito rápido, só me deixa um tanto quanto temeroso.
Não tenho medo do futuro e o que ele pode nos trazer, de certa forma até aguardo curioso as surpresas que ainda vamos ter nessa caminhada sem rumo e sem certezas. O meu maior medo é dessa velocidade exagerada, medo de que não seja capaz de perceber o que de legal, interessante, belo e importante passe pelo caminho.
Fiquei pensando nesse ano e na quantidade de coisas que aconteceram. Da alegria a tristeza tudo foi muito intenso, mas ao mesmo tempo efêmero, fugaz... Como seu eu tentasse segurar na mão um punhado de areia, mas ela encontrasse espaço para fugir entre os dedos e se perder no vazio.
Nessa madrugada passou um filme bonito, "Anjo de Vidro", mostra a história de algumas pessoas na noite de Natal. Uma dessas histórias é a de um cara que tenta se internar no hospital só porque ele passou a melhor noite de Natal internado quando tinha 14 anos. Ele se machuca de proposito, mas quando chega lá, o hospital está um "inferno" e ele não compreende a razão daquele momento do passado não se repetir mais. Até que ele vê uma criança sendo atendida pelo médico e feliz da vida.
Percepção é a palavra certa, como vamos recebendo as informações, a forma de processar mudou. Por isso a semana de Natal era muito mais interessante quando eu era criança. Tudo passava lentamente, cada detalhe era especial.
Agora a percepção mudou, essa semana do Natal passou sem ao menos que eu percebesse, a noite de Natal foi igual a qualquer outra, apenas com uma comida diferente e programas mais chatos do que o habitual na TV.
Tenho certeza que daqui há um ano vou escrever sobre a velocidade que 2010 passou e assim, cada vez mais rápido, a sensação do tempo vai acelerando e nós temos que ficar de olhos bem abertos para não perder nada de especial.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

ENTÃO É NATAL - VIDEORREPORTAGEM

Pois é... depois de muita correria, trabalho, novidades e um ano cheio de movimentações chegou o Natal.
O Natal serve de válvula de escape e respiro. Quando achamos que não vamos mais aguentar chega esse período ideal para recarregar as baterias, comer muito, curtir amigos e família e começar a pensar no ano seguinte.
Claro que tem toda questão religiosa envolvida, mas infelizmente a data é completamente comercial, são poucos que realmente se lembram dos motivos que nos fazem parar neste dia 25. Mas não quero entrar agora nessa polêmica religiosa.
Espero que as pessoas aproveitem essa data para se tornarem melhores, pensarem no próximo e desta forma ajudar a mudar um pouco esse caos diário que estamos imersos. São pequenas atitudes que podem fazer o dia-a-dia muito melhor.
Aproveitando essa data também fui gravar a última videorreportagem do ano. Fiz uma matéria sobre a decoração natalina em alguns pontos da cidade. Na verdade não é bem uma matéria, está mais para uma breve crônica de uma cidade que deixou de lado o cinza para ganhar novas cores e luzes.
Espero que você que me acompanhou durante todo esse ano, o primeiro do Mural do Antena, continue prestigiando, participando e me ajudando com essa ferramenta interessante de comunicação.
Obrigado pela atenção e carinho de sempre
Tenha um ótimo Natal!!!!!!!!!!

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

CREATIVE COMMONS

O tema é polêmico, mas deve ser analisado com mente aberta e principalmente com o pensamento voltado para as novas mídias e para um futuro nem tão distante.
Eu sou a favor do conteúdo colaborativo e não acho ruim que alguém use um vídeo que eu fiz ou reproduza parte ou até completamente um texto que escrevi, desde que dê o crédito. Sou contra o plágio, isso sim.
Já aconteceu comigo e com muita gente na rede de encontrar coisas feitas por você espalhadas por ai sem a menor menção de quem pensou, escreveu, gravou, editou tal trabalho. Isso sim é chato.
O Creative Commons é uma ONG americana que é "voltada a expandir a quantidade de obras criativas disponíveis, através de suas licenças que permitem a cópia e compartilhamento com menos restrições que o tradicional todos os direitos reservados" (Wikipedia).
A discussão é pertinente e deve ser levada a sério. Vou deixar minha opinião. Sou a favor do conteúdo aberto e deixo claro que os textos e videorreportagens realizadas por mim aqui no Mural do Antena estão disponíveis para uso, desde que seja dado o devido crédito.
Ontem, o Fernando Anitelli do Teatro Mágico, um grupo que está muito ligado nessas questões da internet, divulgou um vídeo que está no youtube muito interessante sobre o Creative Commons.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

AGUARDE NA FILA

Hoje pela manhã fui ao banco fazer alguns depósitos, pagar algumas contas e chorar diante do extrato. Passei em três bancos e fiquei impressionado com a impaciência das pessoas e também com a falta de habilidade para lidar com o caixa eletrônico.
A minha primeira observação sobe a impaciência das pessoas pode ser notada em qualquer lugar, o meu exemplo é bancário porque foi lá que presenciei duas cenas interessantes. A primeira cena aconteceu no banco Santander.
Uma mulher tentava entrar no banco e as maldita porta giratória travava a todo momento. Ela carregava uma bolsa enorme e ainda vários pacotes de compras. Detalhe, esse banco fica próximo a rua José Paulino, um grande centro de lojas de roupas. O segurança disse para a moça que ela "portava" algo metálico. Ela negou, tirou chaves e celular da bolsa, depois o guarda-chuva, depois uma bolsa de moedas e assim foi tirando uma infinidade de coisas daquela bolsa. Cada tentativa de entrar a porta apitava e impedia a passagem da mulher.
Então, uma outra mulher que estava esperando para passar, começou a brigar com a moça que não conseguia passar, virou um barraco, só faltou a Márcia Goldschmidt. Quase sobrou tapa para o segurança.
Fiz o depósito e deixei o barraco para trás. Parti então para o Bradesco e a situação era ainda mais caótica. Filas intermináveis para usar o caixa eletrônico. Foi então que tive outra constatação: as pessoas ainda não sabem lidar com aparelhos eletrônicos.
Que desespero ver pessoas que não entendem o que os caixas eletrônicos pedem. Então começa aquela coisa infernal de apenas um atendente tentando ajudar o mundo. "Moço, onde eu faço o depósito"; "Eu não sei usar, me ajuda"; "O que é conta corrente?"; "Esse aqui não é o Itaú?". Essas perguntas foram algumas que ouvi na fila.
Tirando de lado essas questões, fiquei impressionado também com a quantidade de gente nas ruas comprando. Essa época é normal, você vai me indagar. Claro que é, mas isso mostra que o brasileiro está colocando a mão no bolso e gastando, mesmo não conseguindo entrar no banco por causa da porta ou então não entendendo a linguagem dos caixas eletrônicos. Desta forma, impaciente, brigando e enfrentando enormes filas no mais pleno espírito de Natal.

domingo, 20 de dezembro de 2009

O DIA QUE EU IA MORRER

Essa noite tive um sonho que em um primeiro momento parecia ruim, mas depois se tornou algo cômico. Sonhei que tinha morrido, na verdade sonhei que tinham me desenganado.
No sonho eu tinha comido uma coxinha de frango e passei mal, então fui em um grande hospital para verificar o que estava acontecendo. O médico me examinou e veio com o diagnóstico: eu ia morrer.
Achei estranho e minha mãe ficou desesperada. Quanto tempo eu teria? O que estava acontecendo comigo? As respostas foram mais taxativas e desesperadoras. Eu tinha uma doença avançada e teria apenas mais dois dias de vida.
Então começei a ficar maluco, queria ver as pessoas, me despedir. Eu estava bem, fisicamente apenas sentia uma mal estar de ter comido algo que não me caiu bem. A família foi avisada, amigos vieram me ver e liguei pra muita gente.
Começei a me preocupar com o blog e chamei uma amiga para continuar escrevendo. Essa amiga então começou a divulgar no twitter minha morte que se aproximava. Começaram a chegar mensagens, e-mails, pedidos de despedida. Foi um inferno.
Chegou então o fatídico dia. Fui para o hospital, não queria sentir dor e lá encontrei o médico. Ele olhou para minha cara, deu risada e disse: "Amigo, você não tem nada, só fiz isso para você parar de comer besteira." Bom, não vou reproduzir aqui os palavrões que "educadamente" falei para ele.
O que você faria se tivesse apenas dois dias de vida?

sábado, 19 de dezembro de 2009

É FESTA!!!!

Essa sexta-feira foi o dia das festas de confraternização das empresas. Por onde você passava pela cidade via um bar, restaurante, padaria e até mesmo dentro das próprias empresas lotadas de pessoas trocando seus presentes de amigo secreto, contando histórias engraçadas que aconteceram durante o ano, falando mal da roupa do chefe e deixando de lado, mesmo que por algumas horas, os problemas do dia-a-dia.
Ontem participei de duas grandes festas. A primeira foi do meu mais recente trabalho, a festa da RedeTV. É muito legal participar de um projeto pioneiro, que ainda está encontrando brechas e diferentes caminhos dentro de um mundo tão complexo que é a televisão.
Dificuldades existem, mas elas são fundamentais para que possamos usar a criatividade, inteligência e percepção para driblar eventuais problemas. O mais importante de tudo é que o projeto está funcionando e tem potencial para muito mais.
Ontem, durante essa primeira festa conversamos muito sobre tecnologia, investimentos e futuro. A RedeTV soube se preparar para essa era digital e está muito antenada nos passos que tem que dar nesses próximos anos que serão fundamentais para talvez definirmos um novo formato de convergência entre as mais diferentes mídias.
Foi ótimo encontrar por lá alguns parceiros desse projeto e também alguns amigos que trabalham em TV e por essa correria louca da vida não via há algum tempo. Mas esse foi só o começo do dia. No meio da tarde fomos para uma padaria na região da Paulista pra desejar uma boa viagem ao Paulo Castilho, que neste momento deve estar na praia lendo seus livros sobre videojornalismo e tomando uma água de coco em Fortaleza.
Incansável e muito animado fui para a festa da Torricelli em Guarulhos, para quem não sabe estamos montando uma TV e rádio web por lá, tenho grandes amigos lá também, não poderia deixar de comparecer.
Foi muito bom, esse ano merece algumas comemorações. Brindar novos trabalhos, novos amigos e novas perspectivas... É FESTA

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

AVATAR

Nem mesmo estreou e o filme já virou sensação e é aguardado por muitos. Eu sou um desses que está na expectativa para ver essa ousada produção cinematográfica. Além do roteiro, estou ancioso mesmo para ver o resultado na telona, de preferência IMAX, das inovações tecnológicas que AVATAR promete.
Já li e vi tantas coisas sobre esse filme que estou até impressionado, desde as técnicas de filmagem até as cifras gastas para levar ao cinema essa grande revolução tecnológica. Os números ainda estão desencontrados, mas os valores são realmente de outro dimensão, mais de US$ 400 milhões de dólares, o mais caro da história do cinema.
James Cameron é o diretor do filme e promete os efeitos especiais mais impressionantes dos últimos tempos. Técnicas como motion capture, 3D estereoscópico e cenários virtuais beirando a realidade estão entre as atrações tecnológicas utilizadas nas filmagens.
Apesar de toda carga e importância tecnológica, AVATAR também vai trazer o coração do cinema, o tradicional, o que sempre encantou nessa indústria mágica. Além de uma história que promete ser interessante, o filme vai debater uma questão interessante e que está nas machetes dos noticiários: a ganância do homem contra a harmonia da natureza.
Agora para falar mais sobre o filme só assistindo mesmo, a estreia será nesta sexta-feira dia 18 de dezembro. Veja o trailer:

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

VIDA INTELIGENTE FORA DA TERRA

Hoje, não me perguntem o motivo, lembrei de uma reportagem especial que fiz há alguns anos. Um assunto que sempre me chamou a atenção pelo mar de dúvidas, controvérsias, debates, fraudes e muita loucura. Existe vida inteligente fora do nosso planeta?
A reportagem especial terminava justamente com essa pergunta. Ao mesmo tempo que a pergunta é o ponto de partida, depois de meses de entrevistas, análises, conversas, vídeos, livros voltamos a estaca zero e a pergunta, é claro, ficou sem resposta.
Eu gosto muito do tema, existe muito preconceito, e com razão, por causa das inúmeras fraudes já produzidas pelo homem, mas certamente é algo que fascina e nos faz pensar sobre a nossa insignificância diante do universo.
O fio condutor da reportagem foi tentar encontrar na história elementos que nos indicassem a visita ou presença de "alienígenas" aqui no planeta Terra. Depois de uma extensa pesquisa vimos que alguns desenhos rupestres continham elementos estranhos para a realidade de uma época remota. Há também algumas pinturas religiosas com a inclusão de naves e seres diferentes de nós humanos. Entrevistei um historiador que deu um panorama sobre essas crenças antigas que continham elementos de "ficção científica".
O próximo passo foi conversar com um ufólogo. Falei com dois porque um deles não passava a menor credibilidade, mesmo trazendo alguns dados interessantes, mas impossíveis de serem checados.
Pessoas que foram abduzidas se recusaram a falar diante das câmeras, mas afirmaram com veemência a ocorrência de tais fatos. Algumas comprovando com radiografias a introdução de implantes feitos pelos extraterrestres. Foi nesse momento que encontrei um hipnologo que fazia regressão nessas pessoas para tentar entender os momentos de "missing time" como eles chamam os períodos de abdução. Confesso que para alguém que gosta de boas histórias, como eu, tem casos bem curiosos.
Na matéria abordei também a famosa história dos Círculos Ingleses, aquelas marcas perfeitas, com desenhos geométricos feitos em plantações na Inglaterra. Tive até que ler um livro para entender melhor o fenômeno, que para muitos é fraude, mas que ninguém consegue reproduzir.
Já me alonguei demais nessa viagem, mas quando o tema é complexo, louco e sem respostas é impossível conter a vontade de escrever.
Para ilustrar a reportagem que fiz na TV usei cenas de vários filmes que falam sobre o assunto, além de imagens "reais" de supostas aparições de discos voadores e ETs. Mas na minha opinião um filme é imbatível quando falamos em seres de outro planeta. Um clássico de 1977 dirigido pelo Steven Spielberg que é o "Contatos Imediatos de Terceiro Grau".

domingo, 13 de dezembro de 2009

THE BOBs AWARDS 2010

O ano não poderia se encaminhar para o fim sem mais uma boa notícia. Falando especificamente do blog ainda não me acostumei em receber elogios, reconhecimento e indicações. A primeira grande surpresa aconteceu por conta do crescimento do número de acessos, com relação ao início das atividades do Mural do Antena em 26 de fevereiro deste ano.
Depois fui me surpreendendo a cada dia quando ia conversando com algumas pessoas que já conheciam o blog, de amigos até grandes ícones do jornalismo. Começei então a investir nas videorreportagens que a cada dia foram ganhando mais espectadores. Assim o blog foi caminhando e tomando proporções que eu não imaginava assim que iniciei as atividades. Há alguns meses o blog foi indicado para concorrer na categoria cultura no prêmio TOP BLOG, ficamos no TOP 100, o que me deixou muito feliz.
Hoje escrevo novamente para compartilhar com você minha alegria com mais uma indicação. Desta vez é para o maior prêmio de toda blogosfera, o The Bobs Awards (Best of the Blogs), organizado pelo Deutsche Welle da Alemanha.
Fiquei sabendo da indicação pela minha amiga, blogueira carioca Ana Magal, que também concorre com o seu Profissão Jornalista. Ela me indicou por lá, depois recebi vários e-mails e vi que fui indicado por várias pessoas não só do Brasil. Não preciso dizer que fiquei muito feliz.
A premiação tem várias categorias, eu vi que fui indicado para várias, mas acho que o Mural se encaixa melhor nas categorias: Melhor Weblog, Melhor Videoblog e Melhor Weblog em Português. Nesse primeiro momento você pode clicar aqui e sugerir o blog (na parte inferior da tela tem as categorias, é só assinalar e indicar). Depois um juri especializado irá eleger os melhores blogs e também terá uma grande votação aberta.
Fico contente com a sua visita sempre por aqui e se quiser colaborar com um voto fico ainda mais agradecido. Em fevereiro vou fazer uma grande festa para comemorar o primeiro aniversário do Mural.
Lembrando, para indicar o Mural do Antena clique aqui.
Valeu!!!!!

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

CIRCO DE SOLEI BRASILEIRO

Recebi um e-mail hoje com um vídeo curioso, engraçado e ao mesmo tempo que me fez refletir sobre algumas coisas. O título original do vídeo é: Circo de Solei Baiano. Mas alterei esse título aqui no post por achar um pouco preconceituoso e tamém por não te rinformações sobre o local de onde vieram as imagens.
Pode ser de qualquer lugar aquela cena, até mesmo de fora do Brasil, mas que ela é curiosa e interessante é. O cidadão consegue empilhar muitos tijolos na cabeça, com uma facilidade ímpar e com uma habilidade de fazer inveja a muito artista de qualquer circo espalhado pelo mundo.
Além de equilibrar os tijolos, ele ainda anda com extrema calma em um barco, que por si só já se movimenta, depois passa por uma estreita ponte até acabar o vídeo. Sensacional.
Fiquei aqui pensando na quantidade de pessoas talentosas, que fazem coisas incríveis e que não tem oportunidade, não tem espaço, não tem como mostrar o que sabem fazer. Um cara desses certamente ganharia muito dinheiro, prêmios e destaque na mídia.
Por outro lado nós também vemos que para conseguir o sustento da família as pessoas criam artifícios, formas e técnicas das mais inusitadas.
Sobreviver é uma arte. Veja no vídeo

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

PREPARANDO O FÍGADO

Essa época do ano é gostosa, as pessoas gostam de comemorar, fazer amigos secretos, festas, despedidas, confraternização e o que pintar na cabeça pra reunir a galera para beber e dar boas risadas.
Desde a semana passada estou enfrentando uma maratona de comemorações. Realmente tenho muito o que comemorar, mas mais do que isso, todos querem comemorar e você acaba entrando em uma festa sem fim.
Ontem foi o último dia de aula da matéria de Cibercultura e comunicação em rede lá da pós. Tive um compromisso antes e achei que não iria participar, mas o compromisso se resolveu rapidamente e parti para a Paulista. Foi bem legal conversar com a turma que se via apenas uma vez por semana e em especial bater um papo com o Sérgio Amadeu, o professor que é um mestre no assunto.
Amanhã tem amigo secreto, sábado pizza com amigos do tempo do colégio, domingo um possível churrasco do Paulo Castilho e por ai vai. Dessa forma vou ter que blindar o fígado porque é impossível não "confraternizar" com o pessoal e tomar umas cervejas.
Não sou de beber muito, principalmente quando estou no meio de trabalhos importantes, mas agora dá pra se divertir mais e comemorar esse ano que está terminando e teve um saldo muito positivo.
Estou até pensando em fazer uma comemoração pelo blog, chamar o pessoal que lê, comenta, questiona e apoia muito esse trabalho que foi uma das minhas grandes surpresas esse ano. Vou pensar direitinho e se rolar você já está convidado.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

CAOS EM SÃO PAULO - VIDEORREPORTAGEM

Chuva. Muita chuva.
A cidade de São Paulo mais uma vez parou. Não que tenha sido diferente de qualquer outra chuva, basta ameaçar que a cidade trava. Mas hoje foi algo fora do normal, o rio transbordou, as marginais pararam e o paulistano ficou completamente perdido diante de total desordem.
Sair para trabalhar já se desenhava uma missão impossível logo no principio da manhã. Quem foi não conseguiu chegar no destino, quem não foi se deu bem e evitou horas e mais horas de dor de cabeça.
Sai para gravar com a RedeTV, no primeiro momento fui para as ras próximas a minha casa no bairro do Bom Retiro. Fazia um bom tempo que as ruas daqui não alagavam, mas hoje várias delas sumiram. Diante da impossibilidade de locomoção, fizemos o uso de motoboy para tentar chegar em alguns locais. A escolha foi certeira.
Consegui chegar nos principais pontos de alagamento e registrei boas imagens para o jornalismo da emissora. Algumas dessas imagens você também confere aqui no blog e tem uma idéia (se não for de SP) da loucura que essa cidade viveu nesta terça-feira. O de capacete sou eu mesmo, foi meio difícil me enquadrar e me equilibrar na moto, mas o que vale é a informação.
Veja na videorreportagem.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

COMO NÃO USAR A INTERNET

Gafes acontecem com todo mundo, em muitos momentos somos colocados em situações constrangedoras e nem sempre a saída que escolhemos é a melhor. Mas é claro que se precaver, tomar alguns cuidados pode nos livrar de muitos problemas, principalmente quando trabalhamos em veículos como a televisão e o rádio.
Vi no blog da Rosana Hermann a gafe de radialistas com um assunto nada engraçado, a morte de uma pessoa, mais precisamente a morte do locutor Lombardi. Tudo aconteceu pela total falta de noção e atenção de um dos radialistas que usou a internet como a principal fonte de informação, mas não prestou atenção naquilo que pesquisou. A bobagem foi ao ar e está no vídeo logo no fim do texto.
Fiquei pensando sobre esse uso desenfreado da internet como única e totalmente crível fonte de informação. Não é de hoje que trabalhos acadêmicos, pesquisas, busca por informação tem se concentrado na rede. A internet é uma fonte sensacional para que isso ocorra, mas a internet oferece também muitas armadilhas.
O caso dos radialistas não é o primeiro e muito menos será o último. Nas redações a comodidade e rapidez que a internet traz tem feito muito jornalista esquecer de usar o telefone ou ir em busca das informações no "calor dos fatos". O mundo está ali, diante dele, de graça e repleto de facilidades. Claro que a internet pode e deve ser usada como fonte de pesquisa e auxilio, mas não pode ser a única, e se for, que no mínimo seja checada.
Lembrei de um fato real que aconteceu na sala onde minha irmã estudava. Ela fazia curso de fisioterapia em uma faculdade que está bem famosa recentemente e a professora pediu um trabalho sobre TVP (Trombose Venosa Profunda). Todos os alunos entregaram e quando a professora foi devolver o trabalho chamou a atenção de um aluno que usou a internet de forma errada. Quis ser esperto mas se deu mal, ele entregou um trabalho sobre TVP (Teorias de Vidas Passadas). O cidadão não teve o trabalho de ler o que ele copiou.
O que me preocupa é que isso não é uma exceção , tem acontecido com mais freqüência. Plágios, gafes, equivocos e muita dor de cabeça para quem acredita em tudo o que está na internet ou para quem não sabe fazer o bom uso do mar de informações que está na rede.

domingo, 6 de dezembro de 2009

SEJAM FELIZES PARA SEMPRE

Ontem, na festa de confraternização da TalkShow! Idiomas e também comemoração de aniversário da minha amiga Tereza, fiquei sabendo de uma notícia que muito me alegrou.
Eu, naturalmente, torço para que as pessoas que conheço e principalmente das que sou amigo. Conheci a Tereza em 2005 quando estudava em uma escola de inglês que chamava-se British and American. Lá fiquei amigo de muitas pessoas, me apaixonei e vivi momentos bem interessantes que foram responsáveis por uma guinada importante da minha carreira. Muitas coisas aconteceram comigo em 2005, foi um ano bem interessante.
A Tereza era professora lá, mas eu fiz poucas aulas com ela, mais precisamente duas aulas. Logo ficamos amigos e ela acompanhou muitas coisas que foram acontecendo comigo e com a minha ex-namorada. Ela foi uma grande incentivadora quando criei esse espaço dedicado para meu trabalho, exposição de textos e hoje é além de amiga uma parceira profissional.
Ontem ela me chamou para ser padrinho no casamento dela no ano que vem (meu Deus, esse ano já acabou). Fiquei muito feliz porque percebi que ela também está feliz e isso é fundamental para que qualquer coisa que nós queiramos fazer dêem certo. Com o casamento então isso é primordial.
Então fiquei pensando sobre o casamento. Já fui mais entusiasta quando pensava em casamentos, mas sei que estou "infectado" pelo momento que vivo e vivi nesses últimos meses. De qualquer forma acho muito legal quando as pessoas casam, é um momento de transformação, de realizações e tudo mais.
O casamento é muito além do ato religioso, tanto é que ele é celebrado nas mais diferentes religiões. Casar com alguém é um compromisso com você mesmo, com o outro e com o que você deseja para o futuro de ambos e de quem pode vir com essa união: filhos.
Recentemente fiquei sabendo de muitos casamentos, fui em alguns e sempre fico pensando nessas transformações. Bom, um dia vai acontecer comigo (será?) e ai sim vou poder escrever com propriedade sobre o assunto. Enquanto isso não acontece vou dando meus palpites.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

O VIDEOGAME BRASILEIRO

Hoje fui surpreendido com duas notícias relacionadas ao mundo dos games. Já escrevi sobre videogames aqui no blog e até fiz uma videorreportagem em uma exposição que ocorreu no Itaú Cultural, a GamePlay.
Gosto do assunto, mais do que gostar do assunto gosto de jogar, algo que me acompanha desde que eu ganhei meu primeiro videogame, um atari (e nem me lembro da forma como ganhei) e depois veio o Mega Drive até chegar hoje ao PlayStation que muitas vezes me ajuda a distrair e aliviar o estresse.
Li que nessa quinta-feira, 3 de dezembro, o PlayStation completou 15 anos. Caramba, não imaginava que esse video game tinha tanto tempo já. Sabia da "revolução" que ele trouxe e da nova forma de pensar os jogos. Nada de cartuchos e de uma definição e "jogabilidade" reduzidas. Com o playstation os jogos ganharam 3 dimensões, os cartuchos ficaram para o passado e derame spaço ao CD e os jogos ficaram bem mais interessantes. Não que eu despreze o Sonic, PitFul, RiverRaid, Enduro entre tantos outros.
A outra notícia também me pegou de surpresa. O Brasil vai lançar um videogame concorrente para o PlayStation e seus similares. Trata-se do Zeebo, uma plataforma lançada pela TecToy e que tem algumas características interessantes, mas como não poderia deixar de ser, vem recebendo muitas críticas dos apaixonados pelos jogos.
Ele tem algumas características interessantes: não precisa de CDs, DVDs ou cartuchos, vai trazer alguns jogos na memória... e só! eu acho, não tenho muitos detalhes ainda sobre esse novo vídeo game.
Acho muito interessante o Brasil entrar nessa área, já que por aqui temos grandes profissionais e que não falta mão de obra e inteligência para conseguir criar, não só as plataformas, como também ótimos jogos. Basta incentivo para que boas surpresas apareçam por ai.
Abaixo um vídeo feito pelo UOL sobre esse novo videogame brasileiro.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

É COM VOCÊ LOMBARDI

Bom, seria inevitável escrever sobre o assunto. Lombardi é uma figura (mesmo que a imagem dele raramente fosse divulgada em algum lugar) que faz parte da história da nossa televisão.
Conheci o Lombardi em 2003 na praça de alimentação do SBT, alias muita gente conheceu ele dessa forma.
Sempre muito simpático e sorridente ele passeava pelos corredores do Complexo Anhanguera de forma muito simples. Tirava fotos, falava os números da Tena Sena e repetia centenas de vezes os bordões utilizados nesses 40 anos ao lado de Silvio Santos.
Na ocasião que conheci o Lombardi, tive uma conversa rápida enquanto fazia um lanche, no momento também estava na praça de alimentação o apresentador Luiz Ricardo, que para quem não sabe deu vida ao personagem Bozo por muitos anos. O locutor estava aguardando o início de uma gravação e trocou algumas palavras comigo.
Alguns anos depois o reencontrei no mesmo lugar, tinha ido fazer uma visita ao SBT e ele estava lá novamente. Foi muito engraçado ouvir uma das vozes mais famosas do país falando "Olá Antena", ele lembrou de mim por causa do apelido e ainda disse que alguém que trabalhava em televisão não poderia ter um apelido melhor.
Nunca mais o reencontrei, mas de certa forma ele sempre esteve muito presente na vida de milhões de pessoas, seja com sua locução ou pelas centenas de pessoas que sempre o imitaram por ai.
Resta saber agora como vão "substituir" essa voz que não tem comparação. Como o SBT vai divulgar os resultados da Tele Sena, os comerciais do Baú e as inúmeras outras locuções que o Lombardi fazia na emissora?
A televisão perdeu uma figura lendária hoje. O SBT perdeu um funcionário que realmente vestia a camisa da empresa. Silvio Santos perdeu um grande amigo.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

CAFÉ? NÃO, OBRIGADO

Café!!!! Quem não gosta de uma xícara quando acorda, um cafezinho depois do almoço, na hora do intervalo e nas rodas de conversa? Daquele cafezinho saboroso, passado na hora e que exala aquele perfume hipnotizante? Eu não gosto.
Não me perguntem o motivo, razão ou circunstância. Simplesmente não tenho esse hábito e nem essa paixão pelo café. Não sou daqueles que quando fuma precisa de um café, mesmo porque também não fumo.
Sou chato? Nem um pouco, eu acho. Até faço piada das muitas situações que acontecem. Tomar café é mais do que apenas tomar café, em muitas ocasiões e lugares é um "ritual", um momento de comunhão entre as pessoas. Sempre acontece uma situação muito engraçada, sempre alguém me chama para tomar café e eu aceito. Mas não estou aceitando o café em si, mas estou aceitando o convite para um momento de relaxamento, de bate-papo e até para uma conversa mais particular. Sempre vejo a cara de frustração das pessoas quando chegamos no local do cafezinho e eu digo que não tomo café.
Esse é um momento que me sinto um alienígena. Um ser não pertencente a este planeta e que não sabe dos prazeres que essa vida cafeeira pode me oferecer. As pessoas fazem uma cara, seguida da pergunta: "como assim, você não toma café?". Não. E sempre vem outra pergunta na seqüência: "se você não toma café, toma o que?". Nessas horas dá vontade de imitar o famoso personagem Saraiva, brilhantemente interpretado pelo ator Francisco Milani. O que eu tomo já que não tomo café? Tomo ácido, com pouco açúcar.
Quem me conhece até brinca e fala em tom irônico sobre ir tomar um cafezinho... Mas tirando as brincadeiras eu não tenho nada contra café. Acho o cheiro do café uma delícia, sério mesmo. O cheiro é muito bom e o gosto também, mas não sei porque não consigo tomar café, são raras as vezes que tomo um gole. Engraçado isso, não acho ruim, o cheiro é maravilhoso mas não tomo e pronto.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

DINHEIRO NA MÃO É VENDAVAL

Sempre fui de ficar fazendo contas, economias e previsões financeiras com tudo o que ganho. Mas não sou um afixionado por dinheiro e coisas assim. Claro que quero ter uma boa remuneração pelo que faço e poder usar o dinheiro principalmente para viajar e aprimorar meus conhecimentos, nisso incluo também viajar.
Já deixei de ganhar muito dinheiro fazendo "caridade" para amigos, favores e coisas assim. Não sei explorar as pessoas mas muitas vezes conseguem me explorar. O meu ponto fraco muitas vezes é amar aquilo que faço, tenho tesão em fazer entrevistas, em gravar coisas novas, histórias diferentes e continuar fazendo essa fabrica maluca de sonhos e realidade que é a televisão (agora também a internet, vide post anterior).
Mas voltando a falar de dinheiro, sempre poupei, investi e tentei fazer o dinheiro render mais para que eu possa aproveitar a vida e as coisas boas que ela oferece. Recentemente uso meu dinheiro para investir no meu aprimoramento profissional, um exemplo é a pós-graduação.
Muitas pessoas que vivem comigo falam que eu sou um pouco "mão de vaca", que não gosto de gastar meu dinheiro e que deveria pensar mais no agora do que no amanhã.
Não consigo pensar bem dessa forma, mas também não me acho "mão de vaca". Muitas vezes já me vi ajudando pessoas, fazendo algumas coisas loucas e comprando bobagens. Neste final de semana perdi uma aposta para meu irmão mais novo e levei ele até o shopping para comer um lanche. Quando estávamos saindo de lá passei por uma loja e resolvi entrar para ver umas roupas.
Resolvi chutar o pau da barraca e praticamente renovei meu guarda-roupas. Gastei uma grana lascada na loja, comprei de tudo, camisetas novas, calças e fui enchendo a sacola. Com certeza não é algo que faço toda hora, mas foi de certa forma prazeroso ver o dinheiro que suei pra conquistar sendo empregado em algo útil.
Só tinha uma situação que me fazia gastar dinheiro com gosto e sem pensar nas quantias. Mas o mundo dá voltas e hoje essa situação não existe mais, então os presentes de Natal deste ano já tem dono e foram comprados no último sábado.

sábado, 28 de novembro de 2009

O FUTURO DA TELEVISÃO

Falar sobre o futuro é como jogar uma isca no oceano, não sabemos o que podemos pescar e até mesmo se vamos pescar. Tudo é muito indefinido e as marés podem mudar rapidamente o rumo das águas. Somos a isca e somos levados por essa maré. O destino infelizmente não temos como falar e o máximo que podemos é especular ou tentar leva-lo para uma direção mais provável, mas isso não é garantia de que vamos para lá.
Estou falando tudo isso para refletir um pouco sobre o futuro da televisão. Vivemos em um momento de grande transformação tecnológica e de mudanças a cada minuto. As mudanças não ocorrem só na parte técnica, nós pessoas estamos mudando, estamos "evoluindo" e começando a ter novos comportamentos. Junte tudo isso e podemos afirmar que a televisão como é feita hoje vai mudar, não será do jeito que está, mas é claro que não podemos afirmar também como ela será. Existem algumas pistas apenas.
Uma dessas pistas nitidamente nos diz que televisão e internet vão convergir. De que forma? Quando? São perguntas ainda sem respostas claras. As emissoras de televisão no mundo todo estão atentas ao movimento do telespectador, que cada vez mais busca na internet o seu entretenimento e a sua informação. Por isso como não perder audiência, faturamento e prestígio?
A resposta pode estar na própria internet e na evolução tecnológica. Mas principalmente como conseguir aliar os dois meios, sem que um prejudique o outro e mais, um conseguindo complementar o outro. Esse é o desafio que os profissionais que trabalham neste meio estão começando a enfrentar.
Antes de entrar no exemplo, quero lembrar que não sou puxa-saco e não preciso ficar elogiando esse ou aquele canal. Já escrevi bem e mal sobre todos.
Vamos lá, a RedeTV é a única TV 100% digital do Brasil, fez altos investimentos na sua nova sede e está estudando e pensando nesse futuro convergente das mídias. Há alguns meses vem experimentando e apostando em um projeto chamado Web Repórter. Um primeiro passo para tentar criar conteúdo de forma ágil, precisa e que consiga integrar televisão e internet.
Em um primeiro momento, alguns profissionais, comandados pelo experiente videojornalista Paulo Castilho, estão desenvolvendo os mais diferentes conteúdos para os programas da emissora e também para o portal.
Eu faço parte desse projeto tem 5 meses. Algumas coisas me fizeram aceitar participar desse embrião que vem ganhando cada vez mais espaço e tem se mostrado uma boa iniciativa. Quando o Paulo entrou em contato comigo pela primeira vez não tive a real idéia do que se tratava o projeto. Mas quando me reuni com ele lá na RedeTV fiquei impressionado com a perspectiva, com a tecnica mas principalmente com a empolgação e crença do Paulo (libriano igual a mim) no projeto.
Quando vi a câmera que utilizaria pela primeira vez fiquei impressionado e até certa forma descrente de que um aparelho tão pequeno, simples e leve poderia ter uma qualidade de imagem em alta definição. Entrei no projeto e estou testemunhando esse crescimento bem de perto. Já realizei muitas matérias para a emissora nesses 5 meses. Na última semana fui escalado, junta a web repórter Angélica para participar do desenvolvimento de um reality gravado por nós webs (e o resultado foi muito positivo, dando boa audiência na tv e também na internet).
Claro que ainda existe muita coisa que precisa ser estudada, pensada e discutida para aprimorar ainda mais o projeto. As limitações técnicas muitas vezes impedem que algo seja feito, por outras vezes, essa mobilidade facilita e nos dá vantagem em certos trabalhos. Como tudo nessa vida tem seu prós e contras.
Nesta semana boas notícias, além da gravação do reality, apontam para um segundo passo, ainda maior para esse projeto. A emissora quer mais webs, quer mais pessoas espalhadas por esse país mostrando os fatos, contando histórias e porque não dizer construindo uma nova história. Uma nova forma de fazer televisão.
A TV como está ai deve durar um bom tempo ainda, a TV digital ainda está engatinhando por aqui, a internet precisa chegar em mais lares e ter sua velocidade melhorada, mas com o que temos hoje já é possível ousar e arriscar.
Para quem tiver interesse em participar desse projeto mande o curriculo para webreporter.vagas@gmail.com
E isso ai, não faltam boas histórias para serem contadas nesse mundão afora. Só para ilustrar, abaixo uma foto de um encontro casual de parte da nossa equipe, da esquerda para a direita: Alethea (web), Carlos pé de milho (diretor do Manhã Maior), Márcio (web), Eu (mais conhecido como Antena), Paulo Castilho (diretor do web repórter), Felipe Jardim (produtor Manhã Maior), Angélica (web) e André (web).

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

MANIA DE DIETA

Estou gravando para a RedeTV! um quadro que está mostrando a luta de quem quer emagrecer. A personagem da matéria é a ex-BBB Ana Carolina. Estamos mostrando todos os passos e alternativas que uma pessoa pode ter para tentar reduzir os quilos indesejados, principalmente nesta época do ano, onde as pessoas gostam de mostrar o físico nas praias e piscinas. Para ver a primeira parte da matéria clique aqui.
Gravando essa matéria, ouvindo a opinião dos especialistas fiquei pensando sobre o assunto. Muitas pessoas tema necessidade de emagrecer por uma questão de saúde, os quilos a mais podem levar uma pessoa a ter sérios problemas e ainda morrer. Outras buscam perder peso por uma questão estética, para melhorar o visual e ficar mais "bonita" diante dos olhos de uma sociedade que ainda tem certos padrões e é cruel com quem está fora dele.
Tem aqueles que também não estão "nem ai" com o peso e com a estética e aproveitam tudo o que podem. Conheci um cara que era muito gordo, precisava perder peso. Ele não queria saber de academia, de médicos e regimes, para ele a alegria e felicidade estava dentro de uma churrascaria.
Quando falamos de estética começamos a pensar em alguns exageros realizados, principalmente por mulheres, na busca do corpo perfeito. São inúmeras dietas milagrosas espalhadas por ai, sem contar os remédios "eficazes" e as "máquinas" e aparelhos que prometem a boa forma e a perda de peso quase que instantânea. Olha que não citei algo que se tornou febre e ainda tem feito a alegria de muitos médicos: as cirurgias.
Manias ou não, por prazer ou por necessidade a obesidade é um dos problemas da modernidade. As pessoas ficaram mais preguiçosas, sedentárias, tudo tem facilidade. O controle remoto da tv, os aparelhos que fazem tudo, o trabalho na frente do computador e por ai vai...
Eu senti os efeitos da modernidade na pele, ou melhor, na balança. Em 2005 pesava míseros 59 quilos, eu era muito magro mesmo, o pessoal até tirava saro e tudo mais. Fui engordando, engordando e hoje estou com 76, mas já tive picos de 82. Nunca me desesperei, mas fiquei incomodado por causa de roupas e a preocupação com a saúde.
E você, já se preocupou com a balança? Fez alguma dieta mirabolante? Comente...

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

OLHOS VERDES

O apelido Antena não é só por causa do meu nome, sempre estou ligado em tudo que está a minha volta. Não importa o que eu esteja fazendo, por maior concentração que eu esteja empenhando em determinado acontecimento dificilmente alguma passa sem que eu perceba ao meu redor.
Isso me ajuda em muitas coisas, principalmente quando estou realizando uma entrevista. A entrevista é um momento muito delicado e ao mesmo tempo gostoso quando você está realizando uma reportagem ou um programa de televisão.
Prestar atenção no que o entrevistado diz é fundamental para que você consiga arrancar tudo o que precisa para um bom resultado. Ao mesmo tempo você tem que ficar atento as reações da pessoa que está sendo entrevistada, no que acontece ao redor e também na pate técnica, câmera, áudio, luz... Sempre consegui ficar ligado em tudo, perceber um sinal para estender o papo, entender o que o diretor no ponto eletrônico grita e ainda sim não perder o rumo da conversa e por ai vai.
Falei tudo isso só para ilustrar que eu sou muito atento, ou Antenado, como queiram. Mas hoje realmente me assustei... Nunca tinha desligado do mundo de uma forma tão intensa e louca (e antes que pensem, não, eu não uso drogas). Vou resumir meu dia até chegar ao ponto da distração total.
Acordei bem cedo para gravar um material em DVD que tinha que mandar pra RedeTV, depois escrevi uns relatórios e estudei o roteiro que iria gravar em um shopping. O motorista da emissora passou aqui, me pegou e fui para a locação da matéria. Gravamos até o meio da tarde e ainda pintou uma outra pauta para fazer no mesmo lugar. Correria total e o sol queimando minha careca que avança em passos largos (acho que isso também é culpa do Aquecimento Global, já que tudo é culpa dele...). Fui para RedeTV, não fiquei muito tempo por lá, o suficiente para me animar com boas notícias.
Quando olhei para o céu percebi que uma forte chuva estava a caminho, portanto correria para chegar no trem, para depois pegar o metrô e ai sim chegar na aula da pós-graduação. Foi quando cheguei na estação Barra Funda do metrô que me distraí completamente. Eu tinha que ir para Paulista, portanto pegar no sentido Jabaquara, mas fui para o Tucuruvi, sentido minha casa no centro.
O que me distraiu? Descendo a escada rolante ao meu lado estava uma das meninas mais bonitas que eu já vi. Um vestido comportado (nada de Geyse) mas revelador, um sandália que deixava os pés delicados a mostra, olhos grandes e verdes, um cabelo encaracolado cor de mel, lábios carnudos... linda pra valer.
O besta aqui ficou babando, sei lá se é a carência ou simplesmente por ser um admirador da beleza feminina fui desligando do mundo. Neste momento perdi o controle das minhas ações, e como se estivesse hipnotizado, fui sendo conduzido por ela até embarcar no metrô errado.
Quando cheguei na estação que seria a da minha casa percebi que estava indo no sentido contrario, desci correndo e quase não me "despedi" da moça que me desconcentrou. Só de tempo de um último olhar, que para minha sorte encontrou com o olhar dela e me obrigou a escrever esse texto.
Antes que pensem, não estou apaixonado, não tentei nada com a menina... Simplesmente fui fisgado pela beleza e isso deixou meu dia mais alegre, é sempre bom quando algo nos encanta...

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

PERSONA NON GRATA? MAHMOUD AHMADINEJAD

Crédito Foto: Sérgio Lima/ Folha Imagem
Diga com quem andas que direi quem és. Frase feita, lugar comum e tudo isso que vocês está pensando
mesmo. Eu não estava com a menor vontade de falar sobre o assunto, mesmo porque é algo que eu precisaria me aprofundar muito porque a questão é polêmica e complexa.
Então vamos ao assunto: Mahmoud Ahmadinejad. Você sabe quem é essa figura? Resumindo, se você encontrar com ele na rua pode
parecer uma pessoa comum, meio sem graça, um pouco mirrado e que parece não fazer mal a ninguém.
Na pratica ele parece ser bem diferente, presidente do Irã antiga Pérsia, um país de grande importância para a história da humanidade. O sr. Mahmoud Ahmadinejad, nome difícil de escrever e pessoa difícil de lidar, tem uma história política conturbada, assim como a história da sua recente administração do Irã.
Ahmadinejad é ultraconservador, extremamente religioso e é muito popular no país graças aos programas de desenvolvimento econômico e de valorização da cultura local. Até ai tudo bem.
É claro que tem um "mas"...
O presidente iraniano é alvo de centenas de denúncias de violações contra os curdos. Causou uma verdadeira rechaça da comunidade internacional ao duvidar das reais proporções do Holocausto contra os judeus. Tem posição firme e violenta contra Israel e o que mais amedronta o mundo todo: está a frente de uma forte e arquitetada política energética para o desenvolvimento de energia nuclear.
Todos tem direito a desenvolver novas fontes e formas de energia, mas o que se contesta é para qual uso será destinada. Apesar de Mahmoud Ahmadinejad jurar que é para fins pacíficos, todos ficam com os dois pés atrás quando se fala sobre o assunto.
Este cidadão polêmico, cheio de coisas obscuras no passado e principalmente no presente está no Brasil. Sou a favor do nosso país manter relações cordiais e políticas com todos os países, mas tem certos presidentes e políticos (não estou falando das pessoas que moram nos países e sim nos representantes, que nem sempre realmente representam as pessoas que por lá vivem) que causam certa repulsa e vontade de não ficar perto.
Sabe quando você conhece uma pessoa, sabe da má índole dela e ninguém gosta de ficar perto e fazer coisas juntas. Esse é o caso do Ahmadinejad, ele é presidente de um país importante no cenário mundial, mas é o típico sujeito que ninguém quer manter por perto, pelo menos publicamente.
Acho que o diálogo deve ser mantido, mas tapinha nas costas, reuniões e convites de visitas pra lá e pra cá não pega muito bem. Principalmente quando a filosofia do visitante incomoda muitos que vivem por aqui. Já que ele veio, que vá logo.
E você, o que acha da visita do presidente iraniano ao Brasil?

domingo, 22 de novembro de 2009

O IBOPE SUMIU

Domingo é dia de macarronada, dia de aproveitar o resto de final de semana para recarregar as baterias antes de iniciar mais uma semana. Domingo também é dia que muita gente fica na frente da tv acompanhando seus programas preferidos, sejam eles jornalisticos, de auditório, esportivos ou filmes.
É no domingo que ocorre também as mais tradicionais e disputadas guerras de audiência da televisão. A cada momento os números mostram o embate entre as emissoras para ver quem consegue conquistar o maior número de telespectadores possíveis e sair vencedor dessa batalha dominical.
Essa batalha fica mais "emocionante" porque a maioria das programas está ao vivo e baseiam suas estratégias nos números fornecidos em real time pelo Ibope. Neste domigno (22/11) a guerra estava bastante equilibrada, a Globo liderava por volta das 20h com uma vantagem confortável para o SBT que estava em segundo lugar com o Programa Silvio Santos e em terceiro vinha Gugu na Record.
Depois das 21 horas o Ibope começou a apresentar um delay para repassar os dados para as emissoras e depois das 21h30 o sistema caiu. As emissoras começavam a fazer no horário de maior disputa um vôo cego. Nada de números e de "dicas" para acomodar melhor suas atrações e tentar levar vantagem frente ao concorrente.
Nessas horas acontece de tudo, tem gente que acha legal ficar sem os números e ver a guerra sem a intervenção do Ibope, outros ficam desesperados torcendo para que o apagão termine logo e consigam saber o que o público está preferindo naquele momento e é claro que não podem faltar aqueles que desconfiem desses apagões e coloquem em dúvida a medição.
A dúvida sempre vai existir, ainda mais neste momento que a Globo vem sofrendo com a audiência do Fantástico. Vamos esperar agora a segunda-feira para ouvir o Ibope e também para ver o placar deste fim de domingo sem os números de audiência.

sábado, 21 de novembro de 2009

A KOMBI BRANCA

Estava na casa de amigos no feriado quando me deparei com um vídeo cômico. Eu já tinha ouvido falar na tal "Kombi Branca", mas não tive coragem de assistir tal coisa. Mas não teve jeito, quando vimos a risada correu solta.
Depois, parando para pensar, vi o quanto a rede é capaz de criar produtos altamente acessados e famosos sem depender da grande mídia, ou melhor, da velha mídia.
Bom, os exemplos pipocam a cada semana de sucessos da web que ganham as ruas, os comentários em bares e rodas de amigos, viram objetos de estudo e invariavelmente vão parar na tela da TV. Vira um circulo vicioso, explode na rede, fica famoso nas ruas e cai na TV para o último suspiro e momento de fama. Reparem que a TV, em muitos casos recentes, não foi o veículo responsável por tornar certas pessoas ou assuntos conhecidos. A TV tem se aproveitado do sucesso que tais fatos obtem na rede para pegar a onda de popularidade e atrair audiência nas pautas intermináveis e repetitivas sobre tais assuntos. Assim as pessoas enjoam e esquecem daquilo que foi amplamente discutido durante alguns dias até que outro vídeo ou fato apareça e faça o mesmo caminho novamente.
Só para citar casos recentes que viraram febre na rede e foram "adotados" pelas mídias tradicionais: Sthefany e seu Cross Fox, Pedro devolve meu chip e a Geyse e seu vestido curto na Uniban.
Ainda não vi esse clipe da Kombi Branca na TV, mas certamente já está na boca de muita gente e sendo muito acessado no youtube. Esse vídeo, a exemplo da Sthefany também, nos faz pensar em outra coisa. As facilidades que a tecnologia tem trazido para os cidadão comuns. Quem quisesse produzir um vídeo clipe, mesmo que muito tosco teria que gastar um bom dinheiro para gravar, editar e principalmente para divulgar. Hoje, qualquer câmera caseira tem uma boa qualidade de imagem, qualquer computador já vem com programas de edição que conseguem fazer o básico e para divulgar é só jogar no youtube que todos nós na rede seremos responsáveis por espalhar seu vídeo e torna-lo sucesso ou não, independente da qualidade do trabalho realizado.
Para quem ainda não viu: a Kombi Branca (reparem na animação da tiazinha, na kombi amassada, na estrada interditada, enfim, reparem em tudo).

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

DELETE

O calor está fritando meu cérebro. Tentei escrever vários textos hoje e nada. Começei a escrever sobre o feriado e não gostei, depois escrevi sobre o encontro dos web repórteres da RedeTV que aconteceu ontem mas também não ficou legal.
Apaguei tudo, uma borracha virtual fez com que dois textos quase prontos virassem poeira espacial, lixo cibernético num piscar de olhos. Imagine ficar escrevendo tudo a mão e tendo que apagar, corrigir, passar "branquinho" e se não gostar tem que amassar o papel e jogar no lixo. Logo me veio a cabeça aquela cena clássica de escritores com uma montanha de papel amassado envolta da mesa. Essa é mais uma coisa que praticamente morreu com a tecnologia. Não os escritores, é claro, esses até aumentaram, mas as montanhas de papel amassado.
Ficou tão mais fácil desistir de um texto, de um raciocínio, de uma idéia. No mundo digital basta deletar para acabar com tudo. No analógico, papel e caneta, tenho mais dó de me livrar de um texto. Fico olhando, tento remendar e salvar aquilo que já comecei. Por aqui não tenho dó, é delete e pronto, se ele ficou salvo em algum lugar só voltarei a olhar depois de um bom tempo.
É o caso do livro que estou escrevendo, tive que dar um tempo nele porque algumas coisas estavam me afastando do rumo original da história. Apaguei o que estava ruim e em breve voltarei a me dedicar a ele.
Só pra misturar os assuntos e fazer o registro morreu a lenda da dublagem brasileira Herbert Richers. Sem dúvida é uma das frases mais famosas da televisão, quem não se lembra: "Versão brasileira, Herbert Richers.
Vou parar por aqui, antes que eu não goste mais do rumo do texto e resolva deletar.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

ESQUECERAM DO FILHO

Nas histórias do cinema tudo tem solução fácil, com ajuda do acaso e da sorte. No filme "Esqueceram de mim" uma mãe e toda família esquecem o filho em casa depois de partirem para uma viagem. Não bastasse a irresponsabilidade da primeira vez, isso ocorre várias vezes pois o filme fez sucesso e ganhou várias seqüências. Tudo é divertido e tem final feliz, mas a vida real é bem diferente, não tem nada de engraçado, na verdade é bem trágico.
Tem certas notícias que nos deixam revoltados e chocados. Já repararam que é só fazer calor para surgirem várias notícias de morte de crianças que ficam presas e esquecidas dentro dos carros dos pais?
Nesta quarta-feira aconteceu mais uma vez. Sempre que vejo me pergunto como alguém, um pai ou uma mãe que tem filhos pequenos, crianças que não andam, são completamente dependentes conseguem esquece-las dentro do carro.
No caso desta quarta a mãe disse que trocou a rotina e ao invés de levar o neném para a creche primeiro resolveu levar o outro filho para a escola e que depois se esqueceu, foi até o trabalho, entrou, ficou lá por 5 horas e só na hora do almoço, com um calor superior a 30 graus, viu que o filho tinha fritado dentro do automóvel, é revoltante.
Fiquei então pensando na loucura da correria que as pessoas estão imersas, mas mesmo assim isso não justifica tamanha falta de maternidade. Olha, não querendo criticar, mas nem o caso de uma mãe de primeira viagem, que não sabe como é ter um filho e tal...
Por outro lado, não tenho também como não imaginar o sentimento de culpa que vai permanecer na cabeça dessa mãe pelo resto da vida. Ao mesmo tempo que me revolto fico com dó, porque obviamente ela não fez por querer, mas mesmo assim foi uma falha fatal, com conseqüências trágicas.
Acho que uma notícia dessa deve servir de alerta para todos nós... Devemos tirar um pouco o pé do freio e começarmos a prestar mais atenção ao que está em nosso redor, nas coisas simples, no habitual, no óbvio e no comum.
Só para completar o dia com notícias chocantes, um pai joga o filho do terraço do prédio e depois se joga também. Esse infeliz poderia ter pulado sozinho. Pelo que li tudo foi por amor, o cara não se conformava com o fim do relacionamento... AMOR????
PS. Obviamente eu sinto pelas famílias e no caso desse texto também por essa mãe que esqueceu o filho no caro, apesar da falha, como disse antes, a pior coisa vai ser conviver com essa culpa.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

ESMERALDA

Eu tinha um outro texto em mente para essa noite, até vinha pensando nele quando retornava de Guarulhos, mas ao chegar em casa minha mãe me contou uma coisa que me fez voltar no tempo.
Quando era criança e até o começo da minha adolescência minha avó tinha um apartamento na cidade de Santos, mais precisamente no bairro do José Menino.
Era uma delícia quando chegava as férias, o apartamento era bem próximo da praia e a diversão era garantida. Lembro de grandes amigos que fiz por lá...
Nós ficávamos no quarto andar, apartamento 43. Corria pela escada logo quando chegava para encontrar com os amigos, contar como tinha sido o ano e para preparar as brincadeiras que seriam exaustivamente realizadas durante o período de férias.
Minha família tinha muita amizade com alguns vizinhos. Virava uma festa quando chegávamos lá, apareciam vizinhos de vários andares para saber das notícias, mostrar como os filhos tinham crescido e para matar a saudades de um bom papo a beira de uma grande janela que tinha na sala.
A vizinha do lado, do apartamento 44 nem sempre era a primeira a aparecer, ela vivia pela rua e dificilmente estava em casa. Esmeralda o nome dela. Quando ela chegava a primeira coisa que ela procurava era eu, que carinhosamente me chamava de "Tenorzinho". Iamos muito na casa dela, era só abrir a porta e andar poucos passos, mas parecia um outro mundo. Ela tinha um papagaio, não me lembro o nome, mas ele fazia um barulho infernal e cobria a cabeça com as asas quando um tia ia conosco para a praia. Ele não gostava dela porque ela falava muito, se até o papagaio ficava louco, imagine nós.
O barulho do mar, o cheiro do apartamento, a saudades dos amigos, as brincadeiras no prédio, as guerras de bexigas d'água, os bailes de carnaval e o abraço carinhoso da Esmeralda assim que me encontrava por lá, vieram instantaneamente na minha cabeça assim que minha mãe me contou que ela morreu.
Infelizmente nós perdemos contato com a maioria das pessoas de lá e a filha dela ligou aqui em casa hoje, depois de procurar por 4 anos nosso telefone (nem todo mundo está conectado), para dar a notícia. A notícia chegou tarde, mas a lembrança é eterna.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

EU ESTOU ON LINE

Não foi o apagão que me fez escrever esse texto, mas quando ele aconteceu me fez pensar muito nesse tema: O quanto temos necessidade de estarmos conectados. Parece brincadeira, mas há alguns anos muitas das preocupações que temos hoje não existiam, o que veio para simplificar e ajudar acaba nos deixando ainda mais neuróticos e sem tempo.
Vamos lá, lembro que a primeira vez que me conectei na internet foi em 1998. O computador dentro de casa era algo estranho, um ser alienígena que não combinava com o ambiente. Eu estava conectado a AOL e tinha aquele comunicador igual ao MSN. Era legal, falava com muita gente do Rio de Janeiro.
Paralelamente veio o ICQ e depois migrei para o UOL. O ICQ era muito bom, aquele barulhinho chato começava a fazer parte do dia a dia e muitas vezes sentia falta dele. Mas no meu caso a internet não estava ligada a trabalho e profissão. Era muito mais um meio de distração e curiosidade. Recebia poucos e-mails, conversava com algumas pessoas e fazia pesquisas para trabalho de escola. Quando entrei na faculdade e comecei a trabalhar e a internet ainda não tinha "importância". Lembro que as salas de multimídia não eram muito utilizadas e tinha muita gente que lá era um lugar que tinha computador, televisão e videocassete, isso mesmo, videocassete.
Bom, pulando no tempo não preciso nem dizer o quanto tudo mudou, hoje é dificil imaginar o dia sem estar conectado, nosso trabalho (o de muita gente) é facilitado pela web e tenho certeza que muita gente trava se não tiver acesso.
A maneira de se relacionar com as pessoas e com as máquinas mudou. Hoje é preciso ser multimídia, é preciso conhecer programas, tecnologias, novidades para se manter informado e atualizado. Ao mesmo tempo ficamos reféns de aparelhos, de sistemas, ficamos presos na teia, na grande rede de uma aranha que não sabemos onde está.
Hoje, quando me conecto à internet tenho que abrir inúmeras páginas. E-mail pessoal, e-mail do trabalho, meu blog, twitter, orkut, facebook e msn. Isso pra dizer o básico, porque em cada um desses itens existem outros semelhantes, complementares, concorrentes... Assim vamos ficando cada vez mais amarrados. Coloque como agravante que para se conectar não é mais necessário estar em uma mesa e usando um desktop. Hoje a conecção está no trabalho, em casa, no shopping, no celular, na faculdade, está no ar, no planeta todo.
Não me lembro agora de quem é essa frase, mas ouvi na aula da pós, tanto dita pelo professor Dimas Kunsh como pelo professor Sérgio Amadeu, se alguém souber pode escrever no comentário. A frase diz muito do momento em que vivemos " A tecnologia que nos liberta é a mesma que nos aprisiona".

A FAZENDA - REALITY 24 HORAS DE PLANTÃO

Não sou preconceituoso quanto a formatos televisivos. Trabalho em televisão e sei o trabalho e a capacidade dos profissionais que estão por trás de programas de todos os tipos.
Lembro de uma pessoa que conheci, era um excelente produtor e tinha grande experiência e tinha trabalhado em formatos de grande sucesso. Na época que conheci essa pessoa, ele trabalhava gravando um programa que passava na madrugada e tinha conteúdo erótico. Lembro que ele me disse que fazia da mesma forma como se estivesse trabalhando em uma novela ou em um telejornal.
Hoje começou a "Fazenda". Não tenho nada contra esses formatos, aliás gosto muito de realitys. Tem uma hora que eles ficam massantes, chatos e arrastados e uma mudança é necessária. Acho a Fazenda um bom formato, algo de sucesso como Big Brother e Casa dos Artistas. Apenas acho que não deixaram o formato descansar o suficiente. Essa segunda edição começa muito próxima da primeira.
Até entendo a razão que levou a Record a antecipar os planos e adiantar a realização do programa ainda antes do final do ano. A guerra pela audiência está cada dia mais apertada e isso é muito bom para todos. Bom para quem trabalha e bom para quem assiste. A concorrência e a opção é sempre boa para quem sabe usar o controle remoto.
Confesso que não assisti a estreia do programa com tanta atenção, mas pelo que pude ver e pelo que ouvi de muitos companheiros de profissão, a Record conseguiu corrigir alguns erros da estreia da primeira edição, ponto para Record, repetir erros seria muito ruim. Vi também que a audiência foi muito boa. Na prévia ficou em primeiro lugar vencendo o Fantástico, Pânico e Silvio Santos.
Bom, voltando a falar sobre o formato, esse não é o que mais me agrada quando penso em reality, mas sem dúvida é o de maior repercussão, lucro e audiência. Foi assim no SBT, é assim na Globo e tem mostrado que será também na Record. Mas algo me incomodou hoje.
Assim que terminou a edição do programa na Record, foi anunciado pelo Brito Jr. que mais detalhes e cenas ao vivo do local seriam exibidos na Record News. Foi então que veio o susto: Record News?
Calma Record, certamente o reality vai turbinar a audiência do canal, mas tentar alavancar a audiência da Record News com o programa é um golpe baixo em toda filosofia de trabalho desenvolvida para este outro canal.
A record News é uma emissora jornalística, que tem no slogan "jornalismo 24 horas de plantão". Usar este espaço para mostrar cenas da fazenda gera um conflito. Por enquanto será em apenas um horário (o nobre) que será exibido o programa na Record News, mas tenho certeza que se a audiência corresponder, vários boletins, chamadas e plantões vão povoar toda a programação do canal. Espero que não, não é legal misturar as bolas. Pode ser que num primeiro momento até tenha um bom resultado de audiência, mas depois que acabar o programa vocês podem perder os temporários da fazenda e os fixos do jornalismo.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO