sábado, 28 de fevereiro de 2009

O LEITOR

Tem alguns fatos na vida que marcam a gente. Estive na livraria Cultura do conjunto Nacional hoje e lembrei da história de uma pessoa.
Dagoberto, conhecido por todos como Dago, era uma pessoa simples. Não fez faculdade mas sempre teve vontade de aprender, tinha uma grande paixão: os livros. Sempre leu muito, mas muito mesmo. Não importava o assunto, o gênero, o autor, ele lia. Trabalhava bastante mas sempre encontrava um tempo para ler. Aos poucos foi montando sua biblioteca, que foi crescendo, crescendo... Entrei nesta biblioteca duas vezes. Tinha uns nove anos quando estive lá a primeira vez. Fiquei impressionado com aquele local. Tinha uma poltrona enorme e estantes repletas de livros por todos os lados.

Dago sempre adorou outros idiomas. Começou a aprender por conta própria inglês. Comprava livros, dicionários e começava a traduzi-los. O que era uma vontade se transformou em profissão. Sozinho, sem nunca ter frequentado uma escola ou ter morado fora do país, foi contratado por uma editora para traduzir títulos do inglês para o português. A vontade não parou por ai. Aprendeu espanhol, francês e estava iniciando seus estudos da língua japonesa, um desafio.
Mas essa vida prega algumas surpresas. Ele começou a ter problemas de saúde. Teve que amputar uma perna e dificilmente conseguia subir até o segundo andar da casa para ir até sua biblioteca. Depois um problema afetou sua visão e o impedia de ler. Foi um duro golpe para aquele homem que tinha nos livros a sua grande paixão.
Ele não conseguia mais subir para a biblioteca e não pode se despedir dos mais de 2.500 livros que guardava com carinho e orgulho de ter lido. Voltei lá no final do ano passado, ele já tinha morrido. As prateleiras não estavam mais cheias, restava menos da metade. Agradeço a Tia Elvira pelos 105 livros que hoje fazem parte da minha biblioteca.

2 Comentários:

Adilson disse...

Essa história me lembra algumas frases que já ouvi:
"A vida é o que acontece enquanto fazemos planos para o futuro"... "Quando a gente pensa que sabe todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas".
Acho que a vida de todos nós se parece, uns mais e outros menos, com a do Dago: Nascemos, crescemos, sonhamos, lutamos, realizamos sonhos mas, chega um momento em que nossa missão está cumprida e temos que partir. Quando pensamos que aprendemos tudo, temos que renascer e começar tudo novamente.

Susana disse...

Oi Antenor, já estou antenada no seu blog ok...
Muito bom compartilhar um pouco da sua sabedoria com as pessoas, e como bom jornalista você escreve muito bem, não sou tão assídua em blogs, mas vou tentar acompanhar o seu...
Muito bonita a história que contou aqui, mas eu prefiro pensar na parte boa da história, o quão ele foi feliz ao poder ler todos os livros, e quantas viagens ele deve ter feito na sua imaginação, e quanta força de vontade ele teve para conseguir o que conseguiu, mesmo que hoje resumido mas mesmo assim nos passando lições de vida... Eu gosto muito de provérbios e aqui cabe um... "Ninguém é tão pobre que nao tenha nada para dar, nem tão rico que não tenha nada para receber"... bem talvez eu tenha trocado alguma palavrinha mas você entendeu né... Beijos...

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO