terça-feira, 24 de março de 2009

PROFISSÃO: JORNALISTA

No dia primeiro de abril será julgado o recurso contra o diploma de jornalismo. Esse fato já se discute há muito tempo, lembro que estava na faculdade quando houve a suspensão da obrigatoriedade do diploma. Na época, em 2001, a juíza Carla Rister se baseou no artígo quinto, parágrafo nono da lei 972/69, editado no regime militar que diz: "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença".
Muito bem, depois de se discutir muito sobre o assunto a suspensão caiu. Hoje voltamos a discutir o assunto. Existem várias correntes, algumas defendem o diploma e outras não. Já ouvi vários argumentos, um deles diz que a pessoa deveria ser graduada em qualquer área e depois fazer uma especialização em jornalismo, para aprender as técnicas peculiares da profissão.
Há quem defenda que basta ter o diploma de qualquer profissão que o sujeito está apto a escrever, reportar, apresentar, ou seja, ser um jornalista.
Sou da corrente que defende o diploma, mas faço algumas ressalvas quanto a qualidade dos cursos oferecidos. Acho que falta conhecimento geral, falta estrutura intelectual para os jornalistas que estão se formando.
Por defender o diploma, defendo também uma fiscalização mais rigorosa dos cursos de jornalismo.

4 Comentários:

Silvio Crisóstomo disse...

Também defendo o diploma, para qualquer profissão.Quanto ao nivel intelectual dos futuros jornalista, o buraco é bem mais embaixo.Não depende somente do ambiente acadêmico, na minha opinião, mas da bagagem cultural que o aluno carrega. Quem não prática cultura e informação não enterder nada não!

Ana Magal disse...

Assim como vc meu caro amigo. Eu sou uma defensora fervorosa do diploma(vide meus posts no meu blog Profissão:Jornalista). Mas concordo com vc, por isso estive na última sexta na audiência pública onde as universidades e os alunos compareceram para cobrar fiscalização e melhores aplicações em nossos cursos de graduação de comunicação.

Sofro com as disciplinas soltas ou sem nexos. Muitas delas sem a mínima importância, outras que tem importância, com pouca carga horária. Outra defesa na audiência, foi a obrigatoriedade dos estágios. Pq só o curso de jornalismo não é exigido? Publicidade tem disciplina obrigatória pelo MEC de Estágio Ie II, mas Jornalismo.. Ah não precisa. Como poremos em prática o que aprendemos se não nos é cobrado com veemência?

Beijão!!!

Conceição Duarte disse...

Pois, é... A nós estumos, pagamos por isto, nos sacrificamos, dedicamos horas de estudo, relacionamentos, etc e ainda tem quem decida por nós, se somos ou não jornalistas. Há que se ter o mesmo peso e a mesma medida para tudo e para todos. Vamos então analisar e abrir consultório de psicologia e psiquiatria, damos receitas, vamos operar cérebros, e tanto mais, pois se valer a experiência, até bombeiro e policial sabe fazer um parto e pessoas como índios, e gente que trabalha e mora na roça, são experts em tanta coisa dentro da "medicina", portanto, acredito que este assunto seja velho para ser discutido. Vergonhoso.

Ana disse...

Defendo o diploma. Mas defendo também uma prova no término da faculdade, mais ou menos nos moldes da OAB. Já que não há fiscalização eficiente sobre a qualidade dos cursos de Jornalismo, pelo menos haveria uma triagem dos profissonais que têm acesso ao mercado de trabalho.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO