sexta-feira, 14 de agosto de 2009

UMA BATALHA TELEVISIVA

Bom, retardei o máximo que pude escrever sobre o assunto, porque ele é ardiloso e escorregadio, pode gerar inúmeras interpretações e mexe com algo que é muito complicado: religião.
Pra ver como a coisa está errada, não deveria ter que falar de religião em um post sobre televisão. As coisas não deveriam se misturar, mas vamos lá... Nem sei por onde começar (rs).
Essa história tá parecendo aquela coisa de "quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha?", "tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais?". Chega de enrolar, vamos aos fatos.
Vamos dividir em dois. Denúncias contra a Igreja Universal e a troca de farpas entre Globo e Record.
Existem várias denúncias contra os lídres da Igreja com relação a lavagem de dinheiro e uso indevido do dinheiro do dízimo de fiéis. A Igreja não paga impostos, em troca disso tem que utilizar todo o dinheiro arrecadado em benfeitorias nos templos e em obras beneficentes. A Universal tem vários templos espalhados pelo mundo e ajuda várias instituições de caridade.
Paralelo a isso a Igreja comprou vários veículos de comunicação e utilizou a Rede Record como uma Igreja eletrônica no começo da década de 90 até o início dos anos 2000. Vendo que TV também dá dinheiro começou a investir muita grana na emissora. Aí começam os problemas relacionados à televisão. De onde saiu tanto dinheiro? Televisão não se encaixa em obra de caridade e também não é templo da igreja. É notório que grande parte dos investimentos da emissora da Barra Funda vem da Igreja. Agora cabe à Justiça averiguar as acusações e punir os culpados (se houver).
Respingos na televisão (na verdade uma enxurrada):

Por ser um fato, varios veículos noticiaram a denúncia. Entre eles Folha de SP, Estadão, O Globo, além das Tvs Bandeirantes, SBT e Globo. Fora do Brasil o fato também ganhou notoriedade e foi noticiado pelos principais veículos de comunicação do mundo. Portanto, a Igreja me desculpe, mas não há perseguição, pode até ter acontecido alguns exageros, mas fato é fato.
A Globo, é claro, não deixou barato. Já que a Record vive provocando, conseguiu fazer algumas boas contratações da concorrente e ainda teve um crescimento interessante de audiência. Nesse ano a coisa não anda tão boa, mas fez pesados investimentos. Junte aos acontecimentos a guerra entre as duas emissoras por direitos esportivos.
Acabei de ler uma nota da Globo e sou obrigado a concordar. O tratamento dado a notícia contra a Universal foi proporcional a gravidade do fato. No caso das denúncias de lavagem de dinheiro da empresa Opportunity a Globo também deu grande duração nas matérias (12 minutos).
Mas acho sim que a Globo tem se aproveitado da situação. Mas quem vacilou foi a Record. As denúncias existem, a Record não pode negar.
Ai entra outro ponto que me deixou um pouco aborrecido. Ao invés de membros da Igreja utilizarem os seus veículos para mostrarem ao público e seus fiéis que as denúncias são falsas, resolveram apontar o canhão para a Globo (que não é santa, mas não está sendo acusada de lavagem de dinheiro). Com isso utilizaram seus jornalistas renomados e competentes como advogados de defesa, se esconderam atrás dos ataques e estão tentando desviar a atenção, tentando demonizar a Globo. Isso me incomoda muito. Me incomoda porque vejo jornalistas de ambos os canais utilizados como advogados de ataque e defesa enquanto os acusados não provam e nem dão explicações sobre o assunto.
Na madrugada de quarta para quinta feira, o programa da Igreja Universal dentro da grade da Record debatia o seguinte tema: "Globo afirma que membros e fiéis da igreja universal fazem parte de quadrilha". Olha só a inversão dos fatos. A Globo e nenhum outro veículo falou dos fiéis da Igreja e da religião evangélica, portanto acho uma falta de responsabilidade absurda dos bispos que fazem aquele programa em debater um assunto mentiroso e tendencioso. Poderiam debater as obras da Universal, as benfeitorias, mostrar para os fiéis a aplicação total do dinheiro entregue como dízimo.
Bom, devemos ficar com as antenas ligadas porque: 1- só a justiça pode condenar; 2- não acredite em tudo que é dito; 3- desconfie sempre; 4- que os culpados (se existirem) sejam punidos; 5- respeito a qualquer prática religiosa; 6- que isso não suje a carreira jornalística de muitos colegas competentes.

8 Comentários:

Bianca Mól disse...

Oi Anthenor! Tudo bom?

Primeiro eu quero te agradecer muito pelo comentário lá no política chique, fico muito feliz por ter meus textos lidos e com respostas tão positivas. :) vou te seguir aqui também! Aliás...168 seguidores? Genten..quero ser você quando eu crescer! ahahah

Mas então, vamos ao que interessa. Realmente, também achei um golpe sujo utilizar jornalistas como advogados das emissoras numa briga tão, a meu ver, infantil. Explico o pq do termo usado: sabemos que não há nada de 'inocente' - no sentido de infantilidade da palavra - nas acusações feitas contra a Igreja Universal e na disputa da Globo pela audiência, mas enqto uma se baseava em fatos, provas judiciais, a outra atacava, relembrando o "nefasto" passado ligado à ditadura dessa uma e blablablá. Uma desenterra um vídeo de dez anos atrás. Outra busca fiéis na porta dos templos (!) para confirmar o que é dito. Enfim, são argumentos que em nada se ligam, parece que é uma briga incoerente, só importando fazer acusações completamente desassociadas, provocações soltas que acabam por diminuir a importância dos outros fatos que tem acontecido no dia-a-dia.

A verdade é que eu não acredito plenamente na IURD, no Bispo Macedo ou em qualquer outra instituição que faz uso negativo de uma característica tão sensível do ser humano, a de crer em algo superior, divino..Ver que existe gente maquiavélica fazendouso de uma retórica, manipulando pessoas e tornando a sua fé uma fragilidade..É triste. Não caio também naquela de muitos ao xingar os fiéis da Universal de "idiotas", "burros" etc. Como qualquer outra religião, deve ser respeitada, mesmo discordando do que é feito. A meu ver, os que merecem tais xingamentos são esses pastores ou qqr outro manipulador que brincam com a crença dos outros. :/

É uma pena termos que ver essa baixaria na televisão também. Já não bastava no Senado? "O jatinho é meu!!" ahaha

Um beijo,
Bianca

Alvim Dias disse...

Antenor, excelente post!

Aliás, a excelência e pertinência de suas opiniões me chamam muito a atenção.

Adianto que sou Cristão, mas sem outra denominação.

A Rede Globo só fez divulgar a denúncia feita pelo ministério público, coisa que a Record não fez, pois dói em si própria, na IURD.

Evidentemente que teve uma "pimentinha a mais" por parte da Globo, pois a Record anda incomodando a emissora Carioca (vide "Fazenda", exclusividade nas olimpíadas, etc...).

Acho um completo absurdo a forma que a Record anda contra-atacando a Globo. Usando de fiéis, com suas histórias de vida e incentivando eles a não assistirem e incutindo neles um ódio besta a Globo.

Com esta atitude, para mim, deixaram de ser cristãos.

Meus parabéns pelo seu blog, faz parte de minhas leituras todos os dias!

Será muito bem-vindo no "Pimentas no Reino" também, quando puder apareça por lá: www.pimentasnoreino.com.br !

Bárbara disse...

Olá Antenor!!!
Achei excelente o post.
Fiquei indignada com o modo que a Rede Record encarou as denúncias da Rede Globo e ao, mesmo tempo, me entristeci muito por ver uma empresa que está em uma ascensão tão grande se utilizar de algo tão precioso, que é a fé, para "contra-atacar".
Parabéns pelo blog! Gostei muito!

Anônimo disse...

É isso ai Antena!!!! Não deixe passar nada...
A Igreja injeta dinheiro comprando os horarios a noite por milhões...
São picaretas e estão deixando a globo com medo por causa da audiencia...

Adorei o post... É isso ai garoto.

Antena ligada sempre.
Grande abraço
André Martins

Alexandre Forato disse...

acho que a record prefere atacar porque é mais simples. desviar os fatos do que realmente transparecer os fatos. essa já é a segunda briga da record com um veículo de comunicação e já tá bem parecido com a primeira, que foi contra Folha de SP.

O mundo de cada um disse...

Concordo plenamente com você. A Globo tenta se aproveitar ( e também magoada com perda de artistas e na audiência) e a Record antes de aproveitar para se defener refere acusar. É triste ver tantas coisas ruins na televisão, chega a baixaria que está se tornando o Senado.Aliás não é a primeira vez que a Record não notica acontecimentos negativos em que membros da Igreja se envolveram, o que já me faz descrer do jornalismo dessa emissora.

Ana Beatriz Camargo disse...

Well well... Dizem que nunca se deve discutir sobre religião e política; seria interessante agora acrescentar "sobre Globo e Record". Eu fico até sem fôlego depois de tantas farpas trocadas, tanta coisa fala, tanta insinuação feita e tantos fatos jogados para nós telespectadores.

Lendo agora as matérias dessa semana da Veja, para ter um embasamento melhor e mais consciente, pude perceber que a coisa é bem maior que pensávamos. Por mais que eu ame o Jornalismo, o trato com a notícia, por mais eu confie nos (tele)jornalistas e nas emissoras de tv (em parte, claro, porque tenho ciência de que há muita coisa escondida sob suas redações), sempre ouso desconfiar das informações que ouço. Gosto sempre de ler a mesma notícia em vários meios, para conseguir perceber como cada um trata aquele determinado acontecimento.

Nessa jornada rumo à informação completa e verídica, assisti muitas reportagens da Globo e da Record e posso dizer, assim como você já me disse, que a Record decepcionou não mencionando explicitamente as acusações que sofre. Simplesmente mencionar que a emissora confia na Justiça, se declara livre de atos ilícitos, mostrar as benfeitorias da Igreja e criticar a Globo não adianta.

Aí entra a questão da Record se dissociar da Igreja Universal e justamente baseada nisso, eu pergunto: se é uma emissora então tão livre e sem compromisso com a Igreja, por que não exerceu o papel de midia consciente e deu voz ao advogado da Universal para rebater as acusações? A Glogo o fez...

Se a Justiça conseguir provar que o dízimo ia para a conta de Edir Macedo e assim investido ilicitamente na Record, que os culpados sejam afastados e devidamente responsabilizados judicialmente, mas que a credibilidade dos PROFISSIONAIS daquela Casa não seja JAMAIS discutida. Se eles estão lá, com certeza não é porque compactuam com tais atos ilícitos e sim, porque a Rede Record de Televisão lhes proporcionou melhores condições de trabalho, o que sabemos que não é nada fácil de encontrar no mercado midiático de hoje, que buscando desesperadamente bons resultados, esquece do decorrer do processo e abandona esses profissionais ao acaso do trabalho.

Fernanda disse...

O problema neste caso é que "religião" tornou-se um segmento, e bem lucrativo por sinal.
O que estourou na mídia foi o escândalo da Universal (inadmissível) mas, em religiões afro-descendentes a realidade não é tão diferente (sem generalizar, obviamente). Tem Pai de Santo cobrando R$ 10 mil, para iniciar um adepto.
Procuro respeitar todas as religiões e doutrinas, e acho que buscar "Deus" é algo essencial para o equilíbrio humano.
Mas, não sei até que ponto se vincular a uma religião...é tão benéfico assim.
Aposto mais nas orações que, faço em casa mesmo, pois, não requer nenhum investimento financeiro. Tudo q preciso é apenas um pouco de fé!

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO