terça-feira, 15 de setembro de 2009

APRENDENDO A ENXERGAR

O ser humano está muito mecanizado. Não por todos os aparatos e inovações que nos cercam. Digo que nós estamos mecanizados porque as nossas principais virtudes estão ligadas no automático que nem percebemos o mundo que está ao nosso lado.
Não é tão simples, é claro. Pense em quantas coisas você faz no dia que nem se deu conta. Dirigir, tomar banho, escovar os dentes, usar o computador, entre outras milhares de coisas estão completamente enraizadas na nossa rotina que nem precisamos pensar para realizar.
Desde pequenos somos condicionados a agir conforme mandam as regras, regras essas que parecem que já vem instaladas de fábrica em todos nós. Vamos para a escola, faculdade, cursos e para uma infinidade de lugares para aprendermos matemática, português, história e por ai vai... Mas existem coisas que estamos esquecendo de fazer ou então nem aprendemos ainda. Uma delas é enxergar... quantas e quantas vezes passamos por um lugar, olhamos para alguma coisa e não enxergamos o que está ali. A função automática dos olhos não deixa que fatos importantes, que imagens fundamentais sejam gravadas e interpretadas.
Muito engraçado quando nós passamos em um lugar centenas de vezes e em um belo dia enxergamos alguma coisa que sempre esteve ali e nunca notamos. Hoje aconteceu isso comigo... Enxerguei uma situação que durante anos nunca tinha visto e imaginado. É sempre bom aprender a enxergar, mesmo que a visão não nos agrade muito.

2 Comentários:

Alexandre disse...

Realmente nem sempre enxergamos o que está gritante na nossa frente!!!

Muito bom seu blog!! Voltarei mais vezes...

Um abraço

Alexandre/SP

O mundo de cada um disse...

Coma correria do dia-dia nossos olhos deixam de enxergar muitas coisas. Ou as vezes nós mesmos fechamos os olhos para aquilo que não nos agradam.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO