sábado, 28 de novembro de 2009

O FUTURO DA TELEVISÃO

Falar sobre o futuro é como jogar uma isca no oceano, não sabemos o que podemos pescar e até mesmo se vamos pescar. Tudo é muito indefinido e as marés podem mudar rapidamente o rumo das águas. Somos a isca e somos levados por essa maré. O destino infelizmente não temos como falar e o máximo que podemos é especular ou tentar leva-lo para uma direção mais provável, mas isso não é garantia de que vamos para lá.
Estou falando tudo isso para refletir um pouco sobre o futuro da televisão. Vivemos em um momento de grande transformação tecnológica e de mudanças a cada minuto. As mudanças não ocorrem só na parte técnica, nós pessoas estamos mudando, estamos "evoluindo" e começando a ter novos comportamentos. Junte tudo isso e podemos afirmar que a televisão como é feita hoje vai mudar, não será do jeito que está, mas é claro que não podemos afirmar também como ela será. Existem algumas pistas apenas.
Uma dessas pistas nitidamente nos diz que televisão e internet vão convergir. De que forma? Quando? São perguntas ainda sem respostas claras. As emissoras de televisão no mundo todo estão atentas ao movimento do telespectador, que cada vez mais busca na internet o seu entretenimento e a sua informação. Por isso como não perder audiência, faturamento e prestígio?
A resposta pode estar na própria internet e na evolução tecnológica. Mas principalmente como conseguir aliar os dois meios, sem que um prejudique o outro e mais, um conseguindo complementar o outro. Esse é o desafio que os profissionais que trabalham neste meio estão começando a enfrentar.
Antes de entrar no exemplo, quero lembrar que não sou puxa-saco e não preciso ficar elogiando esse ou aquele canal. Já escrevi bem e mal sobre todos.
Vamos lá, a RedeTV é a única TV 100% digital do Brasil, fez altos investimentos na sua nova sede e está estudando e pensando nesse futuro convergente das mídias. Há alguns meses vem experimentando e apostando em um projeto chamado Web Repórter. Um primeiro passo para tentar criar conteúdo de forma ágil, precisa e que consiga integrar televisão e internet.
Em um primeiro momento, alguns profissionais, comandados pelo experiente videojornalista Paulo Castilho, estão desenvolvendo os mais diferentes conteúdos para os programas da emissora e também para o portal.
Eu faço parte desse projeto tem 5 meses. Algumas coisas me fizeram aceitar participar desse embrião que vem ganhando cada vez mais espaço e tem se mostrado uma boa iniciativa. Quando o Paulo entrou em contato comigo pela primeira vez não tive a real idéia do que se tratava o projeto. Mas quando me reuni com ele lá na RedeTV fiquei impressionado com a perspectiva, com a tecnica mas principalmente com a empolgação e crença do Paulo (libriano igual a mim) no projeto.
Quando vi a câmera que utilizaria pela primeira vez fiquei impressionado e até certa forma descrente de que um aparelho tão pequeno, simples e leve poderia ter uma qualidade de imagem em alta definição. Entrei no projeto e estou testemunhando esse crescimento bem de perto. Já realizei muitas matérias para a emissora nesses 5 meses. Na última semana fui escalado, junta a web repórter Angélica para participar do desenvolvimento de um reality gravado por nós webs (e o resultado foi muito positivo, dando boa audiência na tv e também na internet).
Claro que ainda existe muita coisa que precisa ser estudada, pensada e discutida para aprimorar ainda mais o projeto. As limitações técnicas muitas vezes impedem que algo seja feito, por outras vezes, essa mobilidade facilita e nos dá vantagem em certos trabalhos. Como tudo nessa vida tem seu prós e contras.
Nesta semana boas notícias, além da gravação do reality, apontam para um segundo passo, ainda maior para esse projeto. A emissora quer mais webs, quer mais pessoas espalhadas por esse país mostrando os fatos, contando histórias e porque não dizer construindo uma nova história. Uma nova forma de fazer televisão.
A TV como está ai deve durar um bom tempo ainda, a TV digital ainda está engatinhando por aqui, a internet precisa chegar em mais lares e ter sua velocidade melhorada, mas com o que temos hoje já é possível ousar e arriscar.
Para quem tiver interesse em participar desse projeto mande o curriculo para webreporter.vagas@gmail.com
E isso ai, não faltam boas histórias para serem contadas nesse mundão afora. Só para ilustrar, abaixo uma foto de um encontro casual de parte da nossa equipe, da esquerda para a direita: Alethea (web), Carlos pé de milho (diretor do Manhã Maior), Márcio (web), Eu (mais conhecido como Antena), Paulo Castilho (diretor do web repórter), Felipe Jardim (produtor Manhã Maior), Angélica (web) e André (web).

7 Comentários:

LISON disse...

Saudações Natalinas!
Amigo Atenor,
Gostei muito de ler a sua leitura sobre as variáveis que devem acontecer com a televisão nos próximos anos. Embora seja um leigo, mas, consegui alcançar pontos importantíssimos.
Aguardemos!
Parabéns pela excelente matéria!
Parabéns pelo post!
Abraços,
LISON.

Rute disse...

Caro amigo virtual, uma grande mudança em relação à TV, está relacionada, obviamente, à TV Digital, na área da Educação.
Já fizemos experimentos, criando objetos de aprendizagem interativos e temos tido bons resultados.
É a Educação chegando em todos os lares brasileiros através da TV.
Mias uma vez digo-te q gosto da forma como escreves.
Um abraço
Rute

Fábio Siqueira disse...

Olá, Antenor! Trabalho na Edelman, Agência de Comunicacão Online da Samsung. Algumas evoluções tecnológias mostram que essa convergência que você comentou já acontece. TVs com acesso a internet e celulares com acesso ao sinal de TV Digital indicam que isso já está ocorrendo.

Antenor Thomé disse...

Tecnicamente isso já existe sim e até que faz um bom tempo. O problema não está no desenvolvimento tecnológico e sim no uso dessa tecnologia, essa é a maior barreira ou o maior gargalo.
Existem muitas coisas sendo desenvolvidas que nós nem imaginamos, a Samsumg provavelmente deve ter várias frentes de pesquisa sobre coisas que não fazemos idéia que possam um dia existir.
Mas a idéia é essa além dessa frente tecnológica, precisamos de pessoas em vários outros setores que estejam dispostas a sair da zona de conforto e colocar isso na prática. Se um não faz outros podem fazer...
Obrigado pelo comentário e nos coloque a par dos desenvolvimentos

Tatiana MK disse...

Oii
(de novo...quer dizer, depende da ordem em que vc está lendo meus "comments"...)
Nem acabou o ano e vc está com a corda toda para o ano de 2010,né?
Embora o perfil da minha área seja bem diferente da sua, achei muuuitoooo legal seu projeto (de unir pessoas de todas as partes...), então, recomendarei para as pessoas, tá?
PS: no meio de tanta gente, às vezes, conheço alguém da sua área e que nem imaginava, né?
Bjs
Tatiana

Paulo Castilho - Videorrepórter disse...

VIVA A REVOLUÇÃO!!!

Ana Beatriz Camargo disse...

E eu vou crescendo enquanto as mídias vão convergindo, que medo! O bom de ser uma nativa digital é a facilidade para aceitar certos conceitos digitais, certas tendência e ruim de não ser uma migrante digital é, talvez, não ter experimentado o tempo em que os trabalhos eram mais analógicos, mais manuais, mais intensos - o tempo da essência dos trabalhos - isso me deixa um pouco triste, não ter podido experimentar essa sensação, sei lá...

Mas enfim, vamos em frente. Seja o que Deus quiser, seja o que o telespectador quiser!

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO