quinta-feira, 26 de novembro de 2009

OLHOS VERDES

O apelido Antena não é só por causa do meu nome, sempre estou ligado em tudo que está a minha volta. Não importa o que eu esteja fazendo, por maior concentração que eu esteja empenhando em determinado acontecimento dificilmente alguma passa sem que eu perceba ao meu redor.
Isso me ajuda em muitas coisas, principalmente quando estou realizando uma entrevista. A entrevista é um momento muito delicado e ao mesmo tempo gostoso quando você está realizando uma reportagem ou um programa de televisão.
Prestar atenção no que o entrevistado diz é fundamental para que você consiga arrancar tudo o que precisa para um bom resultado. Ao mesmo tempo você tem que ficar atento as reações da pessoa que está sendo entrevistada, no que acontece ao redor e também na pate técnica, câmera, áudio, luz... Sempre consegui ficar ligado em tudo, perceber um sinal para estender o papo, entender o que o diretor no ponto eletrônico grita e ainda sim não perder o rumo da conversa e por ai vai.
Falei tudo isso só para ilustrar que eu sou muito atento, ou Antenado, como queiram. Mas hoje realmente me assustei... Nunca tinha desligado do mundo de uma forma tão intensa e louca (e antes que pensem, não, eu não uso drogas). Vou resumir meu dia até chegar ao ponto da distração total.
Acordei bem cedo para gravar um material em DVD que tinha que mandar pra RedeTV, depois escrevi uns relatórios e estudei o roteiro que iria gravar em um shopping. O motorista da emissora passou aqui, me pegou e fui para a locação da matéria. Gravamos até o meio da tarde e ainda pintou uma outra pauta para fazer no mesmo lugar. Correria total e o sol queimando minha careca que avança em passos largos (acho que isso também é culpa do Aquecimento Global, já que tudo é culpa dele...). Fui para RedeTV, não fiquei muito tempo por lá, o suficiente para me animar com boas notícias.
Quando olhei para o céu percebi que uma forte chuva estava a caminho, portanto correria para chegar no trem, para depois pegar o metrô e ai sim chegar na aula da pós-graduação. Foi quando cheguei na estação Barra Funda do metrô que me distraí completamente. Eu tinha que ir para Paulista, portanto pegar no sentido Jabaquara, mas fui para o Tucuruvi, sentido minha casa no centro.
O que me distraiu? Descendo a escada rolante ao meu lado estava uma das meninas mais bonitas que eu já vi. Um vestido comportado (nada de Geyse) mas revelador, um sandália que deixava os pés delicados a mostra, olhos grandes e verdes, um cabelo encaracolado cor de mel, lábios carnudos... linda pra valer.
O besta aqui ficou babando, sei lá se é a carência ou simplesmente por ser um admirador da beleza feminina fui desligando do mundo. Neste momento perdi o controle das minhas ações, e como se estivesse hipnotizado, fui sendo conduzido por ela até embarcar no metrô errado.
Quando cheguei na estação que seria a da minha casa percebi que estava indo no sentido contrario, desci correndo e quase não me "despedi" da moça que me desconcentrou. Só de tempo de um último olhar, que para minha sorte encontrou com o olhar dela e me obrigou a escrever esse texto.
Antes que pensem, não estou apaixonado, não tentei nada com a menina... Simplesmente fui fisgado pela beleza e isso deixou meu dia mais alegre, é sempre bom quando algo nos encanta...

1 Comentário:

Dri Viaro disse...

rsrsrs é amigo olhar por lado as vezes deixa a pessoa enfeitiçada...e pegar o metro errado hehe
eu trabalho ao lado da Rede TV :)
bjs

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO