segunda-feira, 5 de abril de 2010

APETITE SEXUAL

Sexo é bom, isso acho que todo mundo concorda. Sexo é muito melhor quando você está com a pessoa certa e no lugar certo. Até ai tudo bem, independente de gostos, estripulias (existe essa palavra?) entre quatro paredes e o que mais pintar na hora do "vamos ver", todo mundo tem a sua fórmula para ter a realização sexual.
Mas.. e sempre tem um mas... algumas pessoas gostam de inovar. Tem taras de todos os tipos, como aquelas pessoas que gostam de ter suas relações em locais nada convencionais. Ok, nada contra, confesso que um lugar diferente dá aquela apimentada, mas vamos com calma minha gente. Porque estou escrevendo sobre isso? Ah, ai chego no ponto. Fiquei completamente encabulado nesta tarde chuvosa de segunda-feira. Eis o que presenciei:
Estava em Guarulhos e fui almoçar no Carrefour que fica ao lado da faculdade, coisa que faço toda vez que vou pra lá. Pequei minha bandejinha, minha comida e me dirigi para uma mesa na praça de alimentação do local. Meu olhar foi fisgado por algo por um casal que namorava em uma mesa próxima a minha.
A menina tinha uns 17 anos, ruivinha, cheia de sardinhas e pele branquinha e avermelhada (muito bonitinha diga-se de passagem). O cara tinha uns 23 anos e era bem apessoado. Um casal bonito. Estavam sentados um ao lado do outro e trocavam apenas olhares e por vezes ele tocava o rosto dela e tentava dar um beijo. Logo de cara imaginei que eles nunca haviam se beijado porque ela relutava em deixar ele chegar com os lábios próximo aos dela.
Mas... olha o mas novamente no mesmo texto. Começaram umas carícias, ele roubou um beijo, depois começou a acariciar o corpo dela e a coisa foi esquentando. Na posição onde eu estava deu para perceber que ele começou a passar a mão em locais menos acessíveis e as pessoas começaram a reparar. Um grupo de pessoas que estava na mesa ao meu lado também estava comentando.
Os dois pareciam que estavam em uma ilha deserta. Logo ele colocou a mão por dentro da blusa dela e acariciou os seis dela. Nessa altura do campeonato minha comida estava esfriando e eles esquentando cada vez mais. Ela então brecou o rapaz, mas por pouco tempo, ele ajeitou ela na cadeira para que a mão dele pudesse alcançar locais mais remotos e por ai foi. O telefone dela tocou e então ela se levantou, olhou para o lado e viu que a praça de alimentação toda estava assistindo a cena.
Quem disse que eles se incomodaram, apenas pegaram um pouco mais leve. Beijos fogosos, mordidas no pescoço, a mão boba que não parava. Bom, o final dessa história eu não sei, tive que terminar minha comida e voltar para o meu trabalho. Mas das duas uma: ou o cara voltou pra casa morrendo de vontade ou a menina saiu grávida do restaurante.
Essa história me fez lembrar uma vez que estava com minha ex-namorada em um shopping e um casal ao lado estava se beijando de forma tão acalorada que o segurança teve que interromper os dois. O cara estava com o rosto todo borrado de batom, foi cômico.
Diante dessa longa história (que post gigante), lembrei de um texto que li sobre as pessoas que tem compulsão sexual. É um vício, precisa de tratamento e tem muita gente que nem percebe, mas isso afeta no dia a dia.
Sexo é bom, mas no refeitório na hora da refeição não pega bem!!!!
Abaixo um vídeo que fala mais sobre a compulsão sexual.

2 Comentários:

Fábio Diniz disse...

Realmente maravilhoso e super atual a temática de seu texto !!
Existe hora e lugar certos para tudo nesta vida e deve-se realmente levar isso em conta antes da execução de atos que podem vir a nos comprometer de alguma forma: asra tudo há o seu tempo e local apropriados !!
Parabéns, meu amigo, por mais uma belíssima temática !!
Forte abraço !!

Anônimo disse...

É bom ditância da salsaparrilha,essa substância faz a gente ter reações estimulantes parecidas,rss

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO