terça-feira, 13 de abril de 2010

MUNDO PEQUENO

Não dá pra fazer nada nesse mundo porque nada é tão longe que possa fugir do nosso olhar. O mundo é pequeno, essa frase sempre está na boca das pessoas quando algo inusitado, um encontro inesperado acontece.
Hoje me deparei duas vezes com essa situação. A primeira foi em Guarulhos, encontrei com o jornalista Figueiredo Jr., da Band, na sala de reunião da faculdade para qual presto serviço. Ele entrevistou o presidente da faculdade há algumas semanas e estava lá para estreitar relações. O Figueiredo é meu colega na pós-graduação e estamos no mesmo grupo.
É engraçado encontrar alguém que você conhece, mas em um lugar que você não imagina. Por uma fração de segundos algo parece não estar no lugar, como se as várias realidades, convívios se untassem em um só. Não sei se fui claro!! Costumamos separar as coisas: família, trabalho 1, trabalho 2, amigos de colégio e o que mais aparece por ai. Mas normalmente esse grupos não se encontram, não existe um ponto de intersecção além de você. Mas quando surge um outro ponto de intersecção, normalmente um lugar ou amigos em comum a estrutura fica modificada e nunca volta ao seu tamanho original.
Não bastasse esse encontro, no meio da tarde, tive outro no final do dia. Saindo da pós, já no corredor, cansado e louco pra chegar em casa, vejo encostado na parede e batendo papo com uma outra pessoa o melhor professor que tive na faculdade, Jorge Paulino.
O cara era fera e a matéria encantadora: História da Arte. Tenho até hoje as centenas de folhas de anotações de todos os detalhes sobre artistas, pinturas, esculturas e revelações sobre o fascinante mundo das artes.
Detalhes, tive essa matéria no ano 2000, meu primeiro ano de faculdade. A aula era simples mas extremamente interessante. Ele chagava, ficava uns 5 minutos arrumando os slides, apagava a luz e começava. Era uma manhã inteira de revelações, a cada vez que ele apertava o botão para a troca de slide e aquele estalado alto surgia o teto a parede branca e sem graça era decorada com DaVinci, Renoir, Michelangelo, Monet entre tantos outros. Quem passava pelos corredores da faculdade não podia imaginar que do outro lado da porta estava o Louvre, Masp, Tate entre tantos outros, até a Capela Sistina esteve lá.
Poxa, reencontrar esse professor me fez viajar 10 anos no tempo e lembrar de muitas coisas legais. E o mundo cada vez mais pequeno.

1 Comentário:

Jú Varella disse...

Não acredito?! Você encontrou o Jorge Paulino?! O melhor professor que eu tive na vida! Falo dele até hoje... Nunca amei tanto História da Arte como naquele primeiro ano! Ele nos fazia sair daquela sala e nos teletransportava pela História..rs... Muitas Saudades!!! Jú Varella

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO