quarta-feira, 29 de setembro de 2010

FALHA NOSSA - TV FAIL

Fazer TV ao vivo é assim mesmo, uma hora ela pega você de calças curtas e apronta aquela surpresa pra deixar todo mundo perdido.
Claro que todos os cuidados são tomados para que nada saia errado, para que nenhum imprevisto surja e jogue toda uma transmissão no lixo. Em alguns casos joga mesmo e vemos isso com certa frequência nos telejornais espalhados por ai. Um link posicionado no local errado, as condições climáticas e as vezes uma desatenção de alguém da equipe pode causar momentos constrangedores e até engraçados.
Quando esse erro acontece na Globo parece que toma proporções maiores, isso por causa da própria postura da emissora que sempre defendeu o seu alto padrão de qualidade. Mas e quando esse erro acontece na Globo e durante um debate, aí a coisa complica.
Em um telejornal, o erro pode ser reparado de várias maneiras, já no debate o formato é completamente engessado e pode gerar reclamações de candidatos. Os ajustes devem ser feitos rapidamente sem poder deixar de lado as regras do encontro. Por isso, quando um debate é realizado acontecem muitos ensaios, testes para que tudo esteja afinado.
Certamente isso aconteceu na Globo, mas o áudio foi, mesmo assim, o grande vilão. Durante uma pergunta do candidato Alckmin simplesmente o som sumiu, entrou um ruído e ficou aquela situação constrangedora durante alguns segundos. A coisa foi tão séria que a emissora tirou momentaneamente o programa do ar e entrou um intervalo comercial. Na volta o mediador Chico Pinheiro se desculpou pelo "pequeno" problema e continuou o debate.
Essa saia justa me fez lembrar de um debate que realizamos no Canal Universitário com os candidatos a prefeitura de Santo André. O mediador era o jornalista José Nello Marques e eu ficava dentro do auditório para entrevistar as personalidades e autoridades presentes durante o intervalo, ao vivo, já que não tínhamos anunciantes e era necessário as paradas para troca de bloco.
Em um desses intervalos, enquanto eu estava no ar, ao vivo, vi de canto de olho o apresentador passando pelas cadeiras da plateia, ele fez um sinal para que eu enrolasse o máximo que pudesse. Continuei ali falando, entrevistei uma pessoa e fiquei enrolando. Fui avisado no ponto que o Zé Nello tinha ido ao banheiro, na hora bateu um desespero mas consegui enrolar durante o tempo necessário, não sei quanto tempo durou, mas me pareceu uma eternidade. No final tudo deu certo. Assim é fazer TV ao vivo.
Abaixo segue um vídeo com algumas gafes do jornalismo nosso de cada dia.

2 Comentários:

Ana Beatriz Camargo disse...

Nooooossa! Cada erro mais hilário que o outro. Vamos combinar, aquele da luz do estúdio cair na cabeça do cara foi bizarro, hein?! Socorro! Agora, em um jornalismo que tem figuras como Zileide Silva, nem precisamos de erros internacionais. Rsrsrsrs...

Antenor Thomé disse...

haha é verdade, fui gentil com meus colegas brasileiros!!! heheh

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO