sexta-feira, 19 de novembro de 2010

IMAGINAÇÃO FÉRTIL

Acordo, ligo a televisão e enquanto vou ouvindo as notícias me preparo para sair e enfrentar mais um dia. Antes de fazer qualquer coisa da porta pra fora não posso deixar de tomar uma das pílulas, uma escolha diária entre a azul ou a vermelha.
Sempre escolho a vermelha e nada acontece de anormal, saio de casa, trabalho, encontro os amigos, tenho uma vida comum. Hoje decidi tomar a pílula azul, que não é viagra. Depois de engolir a pílula com um pouco de água sinto que algo estranho está acontecendo. Olho para a tv e vejo que as notícias são outras, um planeta de outra galáxia está perdido na Via Láctea, no universo paralelo uma guerra está sendo desencadeada.
Saio assustado e na rua vejo robôs circulando entre as pessoas, carros voadores passam em alta velocidade. Eu já estava envolvido em toda trama, sem saber para onde ir e sentindo que algo perigoso estava pra acontecer. Resolvo me esconder e num canto bem próximo vejo um garoto baixinho, assustado e com um brilhante e chamativo anel dourado pendurado no pescoço. Ele percebe que olhei para o anel e diz que devo me esconder pois as forças do mal estão em busca dos poderes do anel.
Antes mesmo que eu diga algo, aparece voando em sua vassoura um bruxo, com uma marca na testa, óculos arredondados e olhar inocente e puxa o pequeno jovem e o leva dali. Eu corro sem direção até que avisto uma grande nave no céu. Sem saber para onde ir fico paralisado com a presença de um homem alto, com respiração mecânica, fala metalizada e um capacete negro. Ele pergunta sobre o anel e eu não consigo falar nada.
Uma forte explosão me joga longe e fico desacordado. Ao abrir os olhos já não estou mais na cidade e acordo em uma ilha aparentemente deserta. Começo a escutar vozes e vejo um grupo de pessoas e um avião todo partido. O que eu fazia ali? Que lugar era aquele?
Outro barulho, agora mais longe, como um relógio começa a me incomodar. Ele vai ficando mais alto, mais alto até que fica insuportável. Desmaio e ao acordar vejo que estou na minha cama, o relógio marca ainda o início da manhã. Saio na janela e a vida continua, tudo normal, nada de carros voando, bruxos, anéis, mas na minha mesa estão lá, como em todos os dias as duas pílulas. Qual será que tomo?
Trabalho diariamente reportando a realidade, o mundo que pulsa freneticamente diante dos nossos olhos, mas também adoro uma ficção. O imaginário, o maravilhoso, o fantástico e incrível é muito bom e nos faz viajar sem sair do lugar.

1 Comentário:

Ana Beatriz Camargo disse...

A parte do "viagra" me fez rir, Antena! Kkkk... Adorei esse post. Agora eu é que tenho algo para te contar.

Bem que esse dia da pílula azul poderia ser aquele em que fomos informados de que Tiririca leu, Geisy lançou uma biografia e Sílvio Santos levou um calote. Depois dessas, menino bruxo em vassoura ficou fichinha para mim.
Rsrsrsrs.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO