segunda-feira, 31 de maio de 2010

PSICOLOGIA DO ANTENA

Acho que se eu não fosse jornalista talvez eu fosse psicólogo, e não por opção minha, mas sim dos outros. Perdi a conta de quantas vezes fiquei aconselhando, analisando situações e ajudando pessoas. Claro que nem sempre os exemplos dados por mim eu acabo colocando em prática na minha vida, mas acho que na vida dos outros tem dado efeito.
Obviamente não vou citar nomes de pessoas e nem as situações que elas passaram porque estaria cometendo uma infração grave da profissão que não exerço, mas posso aqui dizer que muitas vezes são coisas simples, que um olhar de fora pode ajudar a iluminar os caminhos e fazer com que as pessoas tomem uma decisão correta.
Gosto de ajudar e nunca fiquei entediado com as histórias, que muitas vezes são longas, das pessoas que conversam e pedem um conselho. Acho que mais do que resolver a questão as pessoas querem mesmo que alguém escute o que elas tem a dizer.
Sei que muito do que digo normalmente não é colocado em prática, que cada um acaba agindo da maneira que a sua própria razão e emoção dizem, mas as palavras ajudam a diminuir o sofrimento, a aflição, a ansiedade e muitos outros sentimentos envolvidos nos casos.
Parando para pensar um pouco mais a profissão de jornalista é um pouco assim, nós perguntamos, argumentamos, questionamos mas no fundo ouvimos muito mais e tentamos extrair de tudo algo relevante, importante e que tenha sua serventia. Quando escuto esses amigos, não só os que costumo conviver, mas os virtuais também, estou praticando a arte da entrevista, a arte da argumentação e principalmente da interpretação dos fatos.
Acho que devo passar alguma confiança para essas pessoas para que elas se abram comigo, contem histórias intimas, falem de seus problemas com tranqüilidade e ainda esperem uma palavra de ajuda.
Curioso isso, semana passada aconteceram várias situações dessas. Pessoalmente, por telefone e até pela internet fui solicitado. Acho que vou ter que desistir do livro de ficção que estou escrevendo e entrar no milionário ramo dos livros de auto-ajuda. A psicologia do Antena (nem de brincadeira).

sábado, 29 de maio de 2010

SILÊNCIO

Estava na madrugada de ontem no meu quarto escrevendo, fazendo umas pesquisas e viajando um pouco na maionese e ouvi um barulho estranho vindo da cozinha, parecia um estalo bem baixinho e que se repetia, mas logo parava de ouvir quando começava a mexer em algo.
Sempre vem bobagem na cabeça, tem ladrão, é espírito, um bicho, um bicho estranho porque minha cachorra estava deitada na minha cama. Bom, levantei e fui até lá ver o que era o tal barulho, cheguei lá e não ouvi nada, fiquei parado e o barulho voltou. Era o ponteiro de segundos do relógio da parede. Voltei para o quarto e do nada comecei a pensar sobre ruídos, poluição sonora e som.
Engraçado como sons que sempre estão ali nós mal notamos por causa de outros ruídos que abafam esses sons menores. Comecei a reparar então em outros barulhos, uma torneira pingando, uma interferência na caixa de som da televisão e centenas de outras coisas que vão aparecendo. Como existem detalhes no dia a dia, como muitas coisas passam sem que tenhamos tempo de perceber.
Lembrei então de uma matéria que fiz há algum tempo sobre poluição sonora. Entrevistei uma fonoaudióloga que me emprestou um decibelímetro, aquele aparelhinho que "mede" os decibéis de um determinado lugar (pauta meio batida que qualquer televisão faz de tempos em tempos). Advinha para onde eu fui? Cabeceira da pista do aeroporto de Congonhas, exatamente naquele local onde o avião da TAM saiu da pista em julho de 2007.
O aparelho quase estourou, foi algo absurdo. Depois levei os dados coletados para a "fono" que esclareceu na entrevista os danos que a exposição diária com aquela quantidade de barulho pode causar na nossa audição.
Do jeito que vão as coisas, com a intensidade de ruídos que estamos em contato no dia a dia vamos ficar todos surdos, ai precisaremos criar novas formas de comunicação (nossa que viagem isso, tá parecendo ficção científica). Mas não sei porque essa viagem toda me fez lembrar do livro Ensaio sobre a Cegueira do José Saramago. Imagine algo parecido, mas ao invés de cegos todos ficassem surdos.
Nossa, o que um barulhinho diferente no meio da madrugada pode fazer... O mais engraçado é que lembrei de escrever sobre isso agora por causa de uma outra coisa completamente diferente que aconteceu agora e ia citar no texto, mas nem citei e nem fez falta no texto.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

TROCA DE EXPERIÊNCIA

Quando eu estava na faculdade uma das coisas que mais gostava era quando eu podia ter contato direto com profissionais experientes e que tinham sua relevância dentro do jornalismo. Posso citar aqui inúmeros momentos que ficaram marcados e foram muito importantes na minha formação.
Lembro de Caco Barcellos, Carlos Tramontina, Leão Serva, Antônio Fagundes, Rosana Hermann entre outros tantos profissionais que tive o prazer de ouvir e interagir. Tive uma certa vantagem em muitos desses casos, já que além de aluno também era do Canal Universitário e isso me fez ter um contato mais próximo ainda, podendo entrevistar essas pessoas logo no início da minha profissão.
Na época esse era o máximo de interatividade que eu poderia ter, os e-mails eram ainda uma coisa para poucos e divulga-los nem sempre era possível. No decorrer da minha profissão, no exercício dela continuei aprendendo muito e esse é um processo é infindável. Cada entrevista, cada conversa de corredor, cada história contada me ajudou a crescer profissionalmente. Posso incluir aqui nomes como José Nello Marques, Ana Paula Padrão, Edney Silvestre entre tantos outros também.
Nesta quinta-feira tive mais um dia de aprendizado. Fui convidado pela professora Renata Carraro para falar sobre minha experiência com blog, videorreportagem e sobre a profissão com os alunos das Faculdades Integradas Rio Branco. Foi uma noite bem gostosa e divertida (eu sempre caio no bom humor, não adianta).
Quando cheguei em casa fiquei pensando sobre como hoje as coisas são muito mais próximas, como essa troca de experiência é ainda mais proveitosa. São tantos mecanismos que facilitam a conversa e essa aproximação, que na minha opinião é fundamental. Isso é notável porque assim que entrei no meu e-mail já tinha uma mensagem de uma das alunas que estava na palestra. Os elos sendo criados, assim é a rede.
Quero aqui aproveitar para agradecer a professora Renata e aos alunos, que estão desenvolvendo um blog bem interessante e tenho certeza de que vão levar adiante. Para visitar o blog deles clique aqui.
Hoje estive do outro lado, do lado das pessoas que sempre admirei, mas confesso que me deu uma saudades de estar do outro lado, bons tempos de faculdade...

MUNDO BIZARRO

O mundo é uma caixinha de surpresas e nem sempre são surpresas agradáveis. Diariamente surgem centenas de notícias bizarras que acontecem por esse mundão a fora, em muitos casos as coisas nem chocam mais, mas tem outras que provocam indignação e muitas delas nos fazem dar muita risada.
Li hoje sobre o garoto de 2 anos, atentem a idade, 2 ANOS... na Indonésia que fuma cerca de 40 cigarros por dia. Como assim? O pior de tudo, ele foi introduzido ao hábito de dar as suas tragadas pelo próprio pai. Fico aqui imaginando o infeliz fazendo a pobre criança, que ainda não tem o poder de diferenciar o certo e o errado, o bom do ruim e fazer com que ele fume, e muito. Não dá pra acreditar, tem coisas que parecem obra de ficção das mais loucas possíveis. Pelo que li o tabagismo entre crianças naquele país é comum. Coitado do pulmão desse garoto, com 10 anos ele não vai mais conseguir respirar. E olha que o danado do moleque fuma igual a um adulto.


Continuando nesse mundo maluco e bizarro fico imaginando o porque as pessoas perdem o bom senso com qualquer coisa que possa trazer uma grande vantagem para elas, principalmente se essa vantagem tiver o nome de desconto, um grande desconto. Pois muito bem, uma rede de lojas na paraíba fez uma liquidação de eletrônicos. O resultado: 10 mil pessoas enlouquecidas e sedentas por produtos, sangue, destruição e sei lá o que mais.



Pra encerrar o post ia colocar outra notícia que vi hoje, mas mudei completamente de idéia ao ouvir uma entrevista neste exato momento. Enquanto escrevo este post minha TV está ligada no SBT, que exibe o SBT Repórter. O tema do programa é "Indústria Pornográfica", até ai tudo bem, mas me aparece um ator pornô gay, dizendo que entrou nesse mundo pra se sustentar e tal, aquela conversa de sempre. O detalhe é que ele é casado e foi opção da esposa que ele só fizesse filme pornô gay e sendo o passivo. Ela tem ciúmes dele com outra mulher e com um travesti. Sério, esse cara não precisa de inimigo nenhum na vida tendo uma mulher dessas.
Esse mundo está cada vez mais bizarro !!!!

quarta-feira, 26 de maio de 2010

PRODUZINDO

Como disse no último post estou encerrando um ciclo. Tecnicamente nada de concreto, com mudanças de trabalho ou de um começo de namoro ou de sei lá o que mais para ser um marco físico e palpável dessa mudança. Também não há uma data certa, hoje tudo mudou... não, não é assim.
Apesar dessa falta de marcos exatos sinto que esta mudança está acontecendo. Uma sensação boa que me deu um gás de ânimo fundamental para fazer as coisas acontecerem, ai sim de forma concreta. Digamos que neste momento estou em fase de fortificação das bases para poder colocar algo mais resistente sobre essa base.
Uma fase de produção literalmente. Estou produzindo algumas videorreportagens para o blog e também para a RedeTV bem legais. Aqui no blog voltarei com algumas dicas de museus e vou visitar algumas exposições diferentes.
Também vou abordar mais por aqui alguns assuntos ligados a tecnologia, que há algum tempo venho pesquisando, mas pela correria não estava conseguindo destrinchar para colocar aqui.
Outro fato interessante e que me animou muito é o curso de extensão que vou ministrar em julho. Estou aqui separando muitos materiais, coisas legais e preparando um curso bem agitado. O curso será sobre videorreportagem em Guarulhos. Mais detalhes é só clicar aqui.
Por essa e por outras é que estou animado, tem muita coisa que não posso falar ainda, mas estou sentindo que o novo ciclo já está começando. Estou em produção...

segunda-feira, 24 de maio de 2010

FIM DE UM CICLO

A vida é feita de ciclos e muitas vezes os finais desses períodos são necessários e importantes para que novas possibilidades apareçam. Sim leitor, vou voltar pela última vez ao assunto, sim a última vez que falo de LOST aqui.
Não vou falar exatamente sobre o que aconteceu no episódio final porque muita gente não viu, outras não assistiram a série toda e por isso não vão entender e também em respeito a aqueles que pretendem assistir a série um dia.
Confesso que fiquei bem emocionado com o desfecho da história, que eu suspeitava nas primeiras temporadas e que depois praticamente abandonei a teoria pelos fatos que aconteceram. Mas foi um final interessante, me surpreendeu, me emocionou e me fez refletir sobre várias coisas.
Me fez refletir sobre os ciclos que vou vivendo, sobre as ilhas que afundam na meu dia a dia, sobre as pessoas que aparecem e somem como num passe de mágica, outras que do nada ganham importância logo de cara e aquelas que mesmo optando por seguir um outro caminho ficam sempre guardadas no coração e nos fazem sentir saudades de períodos que provavelmente não voltaram mais. Bom, ainda aqui no mundo real não fazemos viagem no tempo.
Vamos em frente, a série acabou e foi muito interessante para pensarmos em questões humanas, em mitos e também na transformação da relação das pessoas com a produção audiovisual deste meio de década.
Sinto que um ciclo do meu atual momento também está acabando, no meu caso é só a chegada do final de uma temporada, mas como todo final de ciclo gera uma expectativa por como vai ser a transição e do que está por vir.
Mando uma abraço virtual aos atores, roteiristas e criadores dessa série que me fez ficar acordado para baixar os episódios, das conversas mais acaloradas sobre teorias, dos inúmeros sites lidos, enfim, por trazer um tempero interessante para a minha jornada.

domingo, 23 de maio de 2010

FIM DE LOST E PÂNICO EM 3D

Estou escrevendo este texto na base do sacrifício, cortei o dedo na hora do almoço fazendo o churrasco e agora fica difícil digitar porque arde a cada letra que escolho.
Mas acho que o sacrifício vale a pena pelos dois assuntos que vou falar merecem atenção e fazem parte do momento. Lost ( é claro) e a transmissão em 3D do Pânico.
Vou começar falando do Pânico. A RedeTV faz a primeira transmissão ao vivo da TV Aberta de um programa na televisão mundial. O Pânico foi o escolhido até por ser a maior audiência do canal. A experiência é nova e é mais um passo interessante na utilização das novas tecnologias. Uma pena que o Brasil demorou tanto para implementar a TV Digital e agora, com muito atraso, já estamos sendo bombardeados com novas opções. De qualquer forma é muito interessante ver esse momento que estamos passado, muita coisa acontecendo que nem damos conta de falar sobre tudo.
Nesta semana vou mostrar algumas coisas bem interessantes que chegam a assustar quando falamos de novidades, pesquisas e tecnologia.
O outro assunto posso analisar por duas perspectivas: a emocional e a racional. Lost é uma guerra entre essas duas perspectivas e não poderia ser diferente na hora de escrever esse texto. Lógico que para um fã da série como eu tudo pode ter uma cara diferente, mas tirando o gosto pela série de lado, sem dúvida, como disse o ator que faz o coreano Jin, a série é uma das principais realizações televisivas dos últimos anos.
Enquanto escrevo o texto o episódio final é exibido nos EUA. Só vou assistir amanhã cedo e vou evitar ler qualquer coisa que possa desvendar como termina a saga dos passageiros do voo 815 da Oceanic.
Como disse em um post anterior sobre a série, vai ficar um vazio por um tempo, já que estava acostumado a baixar episódios, discutir com amigos, fazer previsões e tal. Agora vou ter que achar uma outra série para ocupar o lugar, mas não vai ser fácil.

sábado, 22 de maio de 2010

A MORTE PEDE PASSAGEM

O assunto é um tanto quanto tétrico e mórbido, mas alguns assuntos, mesmo parecendo estranhos e incômodos devem ser abordados porque nesse mundo nem tudo são flores.
Essa semana terei novamente que fazer uma gravação da dissecação de um cadáver e realmente não é a coisa mais agradável do mundo. Trata-se de vídeos que estou fazendo para o curso de anatomia das Faculdades Integradas Torricelli. O trabalho é fácil, mas a visão não é agradável, mesmo porque estou fazendo tudo com uma super câmera em alta definição e os detalhes são extremamente nojentos.
Mas acho sempre interessante fazer esse trabalho porque me faz lembrar, toda vez que vejo aquele corpo retalhado na mesa, do quanto nós não somos nada e ao mesmo tempo a complexidade dessa máquina que é o nosso corpo e por isso devemos cuidar bem dele.
O assunto me fez lembrar de outras matérias e situações relacionadas a morte que já passei na minha carreira. Uma bem interessante foi na gravação da exposição Corpos Humanos em 2007. Muito interessante ver a nossa estrutura de uma forma natural e menos impactante. Foi uma bela reportagem. Uma boa notícia é que essa exposição está em cartaz novamente em São Paulo e vou fazer uma videorreportagem para o Mural do Antena lá.
Outro fato curioso e diferente que passei foi gravar uma reportagem sobre cemitérios. Fui até dois cemitérios bem diferentes. O primeiro foi o cemitério da Consolação que tem obras de arte, pessoas famosas e personagens da nossa história enterrados lá. O cemitério é tratado como atração turística e tem até guia com muitas histórias curiosas. Isso acontece muito fora do Brasil.
Já o outro cemitério onde fui gravar é completamente oposto ao da Consolação, fui até o cemitério da Vila Formosa, o maior da América Latina. Se na Consolação o clima era de museu, lá na Vila Formosa a morte rondava muito mais próxima e o clima não era nada agradável.
Foi uma reportagem bem difícil de conduzir, foi muito estranho gravar, mas o resultado final ficou interessante, lembro de ter recebido muitos elogios na época.
Que tema mais inoportuno para um sábado a noite...

quinta-feira, 20 de maio de 2010

EDUCAR 2010

Educação é um assunto que nunca fica velho, é importante, é necessário e temos sempre que discutir as novas idéias, ficar atentos as novidades e tentar perceber o que pode se tornar uma grande arma na luta por uma educação melhor.
Esse discurso todo é porque vou falar da EDUCAR 2010, evento que reuniu empresas ligadas ao setor e principalmente especialistas para debater assuntos pertinentes. O evento aconteceu na semana passada e só hoje tive uma brecha para falar sobre isso. Fui até o pavilhão amarelo do Expo Center Norte para conferir algumas dessas novidades e fiquei muito impressionado.
Cheguei aos "47 do segundo tempo" na última hora do último dia, mas mesmo assim pude presenciar coisas bem interessantes que futuramente vão ganhar posts específicos. Interatividade e tecnologia são temas fortes e cada vez mais importantes como aliados da educação.
Uma instituição oferece jogos educativos em telas de touch screen que proporcionam uma sensação interessante ao jogar. Confesso que fiquei com vontade de levar aquelas telas pra casa e jogar, mesmo sendo um simples jogo de memória.
Já em outro stand pude ver uma espécie de retro projetor, mas ao invés das antigas lâmpadas o aparelho tem um scanner que faz uma "varredura" da imagem e projeta em 3 dimensões na superfície escolhida. Muito legal e certamente de grande eficácia em sala de aula, ah se no meu tempo tivesse isso.
Por fim, entre outras muitas novidades, a sensação sem dúvida é o 3D. Uma empresa se especializou em produzir conteúdos exclusivos para fins educacionais em terceira dimensão e leva isso de maneira muito interessante para dentro da sala de aula. Repito que ficaria muito mais atento as aulas se pudesse ver tudo em 3D.
Resumindo, o setor educacional é outro que sente fortemente os avanços tecnológicos e isso certamente terá impacto positivo na maneira de educar, basta aplicar da maneira correta.
Abaixo algumas fotos do evento.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

LOST CHEGA AO FIM...

Tem muita gente que não gosta, acha maluquice, coisa de gente doida, uma história sem nexo, ou seja lá o que mais. Mas não se pode negar que Lost é uma das séries mais comentadas e com final aguardado dos últimos tempos.
Eu gostei desde a primeira temporada, achei que deram uma enrolada na quarta e que estão encerando de uma maneira honesta e coerente (mesmo dentro de algo sem coerência). Muita gente reclama dizendo que Lost não dá explicações racionais, que tudo é uma tremenda fantasia. E é mesmo, triste de alguém que assiste uma série de ficção esperando realidade.
Outro dia me falaram que era uma maluquisse o cara virar fumaça. Realmente é, mas no contexto da história não. Teríamos que questionar então o mundo da ficção de um modo geral. Então histórias de garotos bruxos que vooam nas suas vassouras, pessoas que entram em máquinas e vivem em outras realidades e uma infinidade de outras coisas podem? Calma, vamos relaxar e curtir um mundo diferente do nosso, mas que consegue atingir pontos das nossas fraquezas humanas com propriedade.
É assim que encaro Lost, uma viagem na maionese deliciosa e que não se trata apenas de uma ilha maluca cheia de gente estranha. Lost é uma série sobre pessoas, sobre suas fragilidades, seus medos...
Falta o último episódio e confesso que a série vai fazer falta no meu dia a dia, nas minhas suposições e no meu lazer. Quantas vezes discuti o que poderia acontecer com amigos, ex-namorada, família...
Todo final de alguma coisa é triste, mesmo sabendo que o fim é necessário em algum momento. Chegou o momento de Lost, domingo a série terá seu final. Muitos vão gostar outros vão odiar e eu vou sentir saudades.
Em clima de final esse vídeo é bem legal com o depoimento dos atores sobre a série, vale a pena ver.

terça-feira, 18 de maio de 2010

FILME INTERATIVO

A interatividade é uma das palavras mais fortes e importantes em qualquer ação que se pretenda fazer, principalmente quando falamos de veículos de comunicação, mídia e audiovisual. Não é a toa que uma das questões mais polêmicas na implementação da TV Digital tem sido como usar a tal interatividade.
Eu particularmente ouvi falar de interatividade em muitos veículos, na televisão, no rádio, a própria internet e suas ferramentas novas a cada dia que passa, mas nunca ouvi falar de interatividade no cinema.
O 3D tem sido a sensação nessa nova experiência de assistir um filme e sentir a história de forma mais próxima. Mas isso não é interatividade, o filme está lá, pronto, com começo, meio e fim definidos e você apenas recebe a história. Pois bem, eis que vejo um vídeo de uma nova experiência realizada: o cinema interativo.
Achei a idéia genial e que pode mudar a forma de ir ao cinema de muita gente, ao invés de ir pra ver, você vai para participar. Como assim?
Confesso que não encontrei muitas informações, mas só pelo vídeo já gostei de cara. Resumidamente a coisa funciona assim: você vai ao cinema e na bilheteria fornece o número do seu celular (acho que nestas sessões não devem aparecer os alertas de desliguem seu celular), no decorrer da história a protagonista do filme, no caso um filme de terror, liga para um número e alguém na platéia vai ver o seu próprio telefone tocar.
A protagonista do filme vai fazer as escolhas, ações ou o que tiver para fazer com base no comando da pessoa que recebeu a ligação. Isso é possível graças a um software que codifica os comandos da voz e passa as instruções para o filme. Então a protagonista vai fazer aquilo que o espectador orientou.
Seria uma espécie de "Você decide" só que ao invés de ligar para votar em um final, a atriz liga pra você e pede as dicas para um melhor desfecho da história. Muito bom!!!!! Abaixo o trailer dessa experiência, o primeiro filme interativo "13 street Last Call". Será que isso pega?

YOUTUBE 5 ANOS

Ele ainda é uma criança, mas uma criança que tem feito muito barulho, que mudou muitas cabeças, que fez gente começar a se coçar por aí... Sim o Youtube é um desses exemplos de grandes idéias que mexeram não só com a web, mas também com a forma de agir, pensar de muitas pessoas.
Era comum há não muito tempo você ouvir alguém dizendo. "Você está me gravando? Vai passar na Globo?". Hoje muita gente fala: "Vou gravar você e vou joga no Youtube."
O Youtube, como o próprio nome diz colocou eu, você, todos nós no foco da produção de conteúdo audiovisual, seja ele profissional ou amador. Sim, existe muitos vídeos profissionais produzidos exclusivamente para o youtube, sem contar também as muitas empresas, produtoras, tvs webs que utilizam o youtube não só como canal mas também como servidor de imagens. Eu também me encaixo na sessão dos profissionais que viram no youtube uma chance de produzir material de qualidade (que modesto) sem depender do broadcast.
Mas acho que são os amadores, as pessoas comuns, que transformam o cotidiano, o dia a dia em vídeos que muitas vezes viram hits e assuntos do momento. São dessas pessoas, de nós, de fora dos estúdios, das ilhas de edição, das grandes produções que surgem coisas muito criativas.
O blog Mural do Antena começou como um blog de textos e depois ganhou o upgrade com as videorreportagens, mas se não fosse o youtube talvez hoje não conseguiria de forma tão simples fazer esse trabalho e deixar disponível na rede para todo o mundo.
São cinco anos, mas até parece que ele sempre existiu, se tornou uma biblioteca de vídeos sensacional, conta com coisas raríssimas, tem muita coisa ruim também, como em todo lugar, mas não há como negar, mesmo com a criação de serviços semelhantes ao Youtube, ele é a expressão máxima do poder audiovisual de todos nós.
O aniversário foi ontem, mas ainda vale um parabéns Youtube.

domingo, 16 de maio de 2010

VIRADA CULTURAL 2010 - VIDEORREPORTAGEM

Neste final de semana aconteceu mais uma edição da Virada Cultural. A iniciativa, que começou em 2005, já faz parte do vasto calendário de eventos de São paulo. A cada ano que passa a organização vem corrigindo os erros, criando novas atrações e apostando mais no que vem dando certo.
Eu particularmente acho o evento fantástico, tanto é que está sendo copiado em várias outras capitais e no interior do estado. Não teria lugar melhor para um evento deste tipo como a capital paulista. São Paulo é a cara da diversidade e o evento pode ser resumido sim como uma mistura de tudo e de todos.
Andando pelas ruas, e isso é uma outra atração, você encontra gente de todos os tipos, de todas as tribos sentadas lado a lado, procurando suas atrações preferidas e acompanhando coisas que nem sempre estão acostumados a ver.
Para quem vive aqui sabe que passear pelas ruas sem carro é algo quase impossível mesmo aos finais de semana. Nos dias de Virada você pode observar a arquitetura dos prédios antigos da cidade, perceber detalhes que são apagados pela correria do dia a dia e ainda ter uma rápida sensação de tranqüilidade. Mas é rápida porque a cada nova rua que você entra tem um show diferente e a tranqüilidade dá espaço para música alta, gente gritando e muita festa.
Como vocês vão poder conferir na videorreportagem nem tudo são flores e existem muitos problemas que merecem atenção e devem ser corrigidos ou minimizados. O primeiro é com relação ao lixo, ano passado achei pior, mas mesmo com a melhora da coleta as ruas ainda estão imundas, com muitas garrafas e objetos jogados pelo chão. Vale também a conscientização das pessoas, amanhã a cidade volta ao normal e precisa ficar limpa.
Também percebi que há mais banheiros químicos, mas eles estão sempre em péssimo estado. Por isso as ruas, principalmente na região mais central, o cheiro de urina é desagradável e muito forte. Por fim a segurança merece destaque e as autoridades devem prestar mais atenção para a região da cracolandia. Confesso que senti medo ao passar por ali e ver cerca de 30 pessoas intimidando os turistas e freqüentadores da virada.
O evento está ficando cada vez maior e a prefeitura deve olhar com mais atenção para esses pontos mais problemáticos até para conseguir atrair mais turistas durante o evento. Na videorreportagem você vê um pouquinho do que encontrei durante está tarde na Virada Cultural.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

VIVER A VIDA

Hoje, vendo o final da novela "Viver a Vida", vi duas pessoas que fizeram parte da minha trajetória profissional. Uma delas de forma bem importante e outra de uma forma bem interessante.
Eu ainda era um adolescente, cheio de espinhas, óculos medonhos, cabelo estranho, magro, muito magro e repleto de sonhos, vontades, esperanças e utopias.
Fazia pouco mais de 2 meses de curso de jornalismo e estagiava na TV Uniban do Canal Universitário de São Paulo. O Canal tinha um programa muito bom que se chamava "Grandes Nomes do Século XX" que recebia nomes importantes de diversos segmentos. Essas pessoas contavam histórias da vida, momentos da carreira, era algo bem legal. Anos depois conduzi esse programa no mesmo canal, já com outro nome com a mudança de século, passou a chamar Vozes.
Mas voltando a data em questão, era julho de 2000, e eu precisava de um depoimento para um trabalho sobre telenovelas que fazia para a faculdade. Eis que foi dar entrevistas para o Grandes Nomes a atriz Lolita Rodrigues. Pedi para a produtora do programa se eu, um simples estagiário poderia falar 5 minutos com ela para pegar um depoimento para o trabalho.
Fui surpreendido não só com a autorização para falar com ela, como também com uma produção maior para meu simples depoimento. A estrutura da TV foi colocada a minha disposição, câmeras, microfones, cinegrafistas e estúdio. Para quem ia anotar em um bloco de papel o que a Lolita tinha a dizer sobre as telenovelas o lucro era total.
Luzes ligadas, câmera posicionada e eu me vi diante de uma estrutura que eu sempre amei, mas até então não tinha comandado. O nervosismo era evidente, mas quando falaram gravando tudo correu muito bem e natural. Lolita Rodrigues foi extremamente simpática e a entrevista teve 15 minutos, o momento está na foto ao lado. Foi um sucesso na apresentação do trabalho e naquele momento da entrevista ratifiquei a minha paixão por aquilo que havia escolhido estudar.
Tenho até hoje essa gravação, uma das poucas coisas que tenho dos tempos de CNU, participei de mais de 1400 programas e tudo está lá trancado nos arquivos da universidade, acumulando poeira, mas ai entramos em outro mérito.
Quem apareceu na novela também foi o maestro João Carlos Martins, outro craque naquilo que faz, e principalmente com uma história de vida emocionante. Meu encontro com João Carlos martins também foi nos tempos de Canal Universitário, mas já nos meus momentos finais por lá, no início de 2007. Era uma apresentação da orquestra Bachiana junto com a bateria da escola de samba Vai-Vai. A entrevista com ele foi rápida, mas muito interessante, mas a apresentação foi algo marcante e que certamente foi uma das coisas mais bonitas que já assisti até hoje. O vídeo abaixo foi neste dia, feito por uma outra TV, sei que é a mesma data porque no começo, bem de frente com o João Carlos Martins está o meu cinegrafista André Martins. Legal que encontrei esse vídeo.
Enfim, são momentos que recordei vendo o final de Viver a vida e parafraseando o título da novela, é bem isso mesmo, vamos vivendo e tendo outras experiências, novas histórias neste ciclo mágico da vida.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

VOTAÇÃO NO TOPBLOG

A votação já está rolando há alguns dias, mas a prioridade de algumas postagens e também a falta de tempo nessa semana só fizeram com que eu escrevesse sobre o Prêmio Top Blog hoje, mas antes tarde do que nunca.
Como alguns já perceberam pelo link ao lado e também sobre uma referência que fiz em um post anterior, estou mais uma vez concorrendo no prêmio Top Blog. A categoria é a mesma: Cultura. Não posso deixar de ficar feliz com a indicação e pela lembrança de muita gente para este blogueiro jornalista que vos escreve.
A votação no Top Blog é bem mais simples do que a votação para o The Bobs. Basta clicar aqui ou no banner aqui ao lado que você será levado a página do prêmio. Lá basta clicar no ícone "votar" que abrirá uma janela para você colocar seu nome e e-mail. Atenção, para o voto ser validado, você deverá clicar no link que será enviado para o endereço de e-mail que você forneceu.
Fica aqui o pedido então para que você vote no Mural. Ano passado foi muito bom ter ficado entre os 100 blogs mais votados na categoria. Muito obrigado sempre pela força que vocês sempre dão ao meu trabalho.
Por falar nisso, na noite desta quarta-feira estive na Faculdade Cásper Líbero (onde também faço pós) para conversar com os alunos da pós-graduação da disciplina Mídia e Poder, do professor Dimas Kunsch, que é um admirador do trabalho desenvolvido por aqui e também grande incentivador. Foi um papo bem interessante.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

TRABALHO SOBRE VIDEORREPORTAGEM

A videorreportagem vem ganhando destaque e provocando a curiosidade de muitas pessoas, isso é bom para tirar aquela imagem de trabalho amador, de vídeos com baixa qualidade e aquele mito de quem faz tudo sozinho não faz nada direito.
A prova de que esse é um caminho interessante para a produção de conteúdos para a televisão, seja ele no jornalismo ou no entretenimento, e para web que é um espaço aberto, barato e com possibilidades cada vez maiores, é a quantidade de pesquisas e pessoas interessadas no assunto.
Nesta terça-feira encontrei e dei uma entrevista para a Carina Itaborahy (a menina da foto), que faz uma monografia sobre a videorreportagem como conclusão de curso de jornalismo. Ela é carioca, estuda na UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro), trabalha na editoria de esportes da TV Brasil.
Foi um papo interessante e fiquei muito feliz de ver meu nome incluso em um trabalho que vai contar com depoimento de muitas feras da videorreportagem como o Paulo Castilho (Diário de um videorrepórter), Rodrigo Leitão (Band), Marcelo Guedes (RedeTV), entre outros nomes da videorreportagem.
Ela veio se aventurar aqui em São Paulo para encontrar com essas pessoas e conhecer mais sobre o trabalho nosso de cada dia. Foi legal conhecer a Carina, foi legal saber desse interesse dela e que o trabalho ajude a divulgar e a fortalecer ainda mais a videorreportagem.

Na foto eu, Carina Itaborahy e Paulo Castilho

terça-feira, 11 de maio de 2010

DUNGA E MAIS 23 ANÕES

Bom, o assunto é esse e não vou fugir dele desta vez. A escalação da Seleção Brasileira para a Copa do Mundo na África do Sul.
Não vou reproduzir a lista aqui porque todos os lugares já estão divulgando até com exagero todos os convocados. Tenho dois sentimentos quanto a convocação, o primeiro e mais emocional e de que o Dunga pisou na bola em alguns convocados.
Ele deveria levar outro goleiro, que jogue no Brasil, no caso o Vitor, no lugar do Doni que está na reserva e vem de lesão. Pra ser terceiro goleiro seria interessante prestigiar quem vem jogando bem por aqui.
Na zaga tudo certo, acho que ali não teríamos surpresa e nas laterais eu incluiria o Roberto Carlos, que começou o ano com atuações ruins no meu time, mas vem jogando um bolão. O meio de campo é bem estranho e acho que o Ronaldinho Gaúcho deveria ser escalado também, ele é um jogador temido e respeitado lá fora e isso faz a diferença em campo.
Foi surpresa Adriano não ser convocado, mas eu também não convocaria pelos problemas extra campo. O que uma seleção menos precisa é problema e o Adriano tem sido uma grande fonte deles. Mas eu não levaria o Grafite, me desculpem mas o que o Grafite tem feito, só o Dunga vê o cara jogar. Essa era uma vaguinha para o Neymar ou até para o Ganso.
Meu segundo sentimento, pelo lado mais racional, é de que o Dunga não errou. Concordando ou não com ele, ele agiu de maneira coerente, fez uma continuação do trabalho e não cedeu a forte e agressiva pressão de todos nós da imprensa e do povo, que muitas vezes é inflamado por nós da imprensa.
Agora nos resta esperar a Copa e torcer para que o time encaixe boas apresentações e que todos joguem o máximo possível. Não sei, mas acho que podemos sim trazer o hexa.

domingo, 9 de maio de 2010

O VAI E VEM DO IOIÔ

A nossa vida parece um ioiô, muitas coisas vão e vem conforme aplicamos a força correta, conforme agimos e reagimos. A idéia do ioiô é que ele desça e suba o maior número de vezes e se possível em meio a manobras radicais e diferentes.
Pensando sobre algumas coisas que estão acontecendo me veio imediatamente a imagem do brinquedo de infância. Porque é assim, em determinados momentos estamos de um jeito, então muda tudo e quando vemos muitas coisas voltam. Se forem coisas boas ótimo.
Me sinto jogando vários ioiôs ao mesmo tempo, alguns voltam sempre e outros demoram pra pegar o embalo e subir novamente para meu domínio. Tem aqueles ioiôs que gostaria tanto que voltassem e não voltam mais, se perdem nos barbantes da vida e encontram novos caminhos para se desenrolarem.
Estou em um momento muito interessante, com vontade de criar muitas coisas, com várias idéias brotando e com uma vontade ímpar de realizar. É o ioiô subindo novamente, já que estava um pouco desanimado recentemente.
Voltei a escrever meu livro que estava abandonado e pegando poeira nas pastas virtuais do meu computador. Estou também começando a pensar em alguns roteiros interessantes que pretendo executar em breve. Por falar nisso vou escrever um post em formato de roteiro, só estou esperando a história adequada para colocar em prática. Talvez hoje essa história aconteça, certamente este mês terei a inspiração que eu imagino para escrever isso (são duas inspirações).
Até o blog começa a ter uma repetição em seu ciclo, uma repetição que me agrada certamente. O Mural do Antena está concorrendo na categoria Cultura do TOP BLOG. Ano passado fiquei no Top 100, quem sabe esse ano o Mural não da mais um passo. Para votar clique aqui ou no banner aqui ao lado da postagem.
Hoje é um dia bem complexo, não vou expor as razões aqui porque elas envolvem outras pessoas, mesmo que indiretamente e que ainda nem existam. Percebo o quanto eu amadureci, o quanto eu tenho sido forte em assistir uma situação que eu tinha planejado para minha vida, mas não está acontecendo exatamente comigo. Mesmo assim, de cabeça erguida, o primeiro desejo que passa na minha cabeça é desejar total boa sorte, felicidade e tenha certeza que tudo vai dar certo, basta jogar o ioiô com jeito e com sabedoria que ele sempre há de voltar.

sábado, 8 de maio de 2010

LIP DUB

Lendo o blog da Rosana Hermann vi uma postagem sobre um vídeo que os alunos dela da FAAP encontraram no youtube. Assisti o vídeo fiquei impressionado com o trabalho feito por alunos da Universidade de Québec, no Canadá.
Trata-se de um Lip Dub. O que é isso? Confesso que até ver esse vídeo não fazia a menor idéia da existência disso, e olha que não é uma coisa assim tão nova. Lip Dub, de forma bem resumida, é um vídeo com a sincronização dos lábios com a música, uma dublagem mais elaborada. O primeiro Lip Dub foi realizado pelo fundador do Vimeo, Jakob Lodwick, em 2006.
Então fui a caça dos vídeos e encontrei vários. Tem brasileiros, franceses, americanos, normalmente feitos em universidades por alunos dos cursos de comunicação. Os brasileiros são interessantes, mas nenhum bate o canadense que você vê abaixo.
Porque gostei mais do canadense? O vídeo de Québec utilizou um recurso de gravação bem interessante que se chama "plano seqüência". Esse tipo de gravação consiste em fazer toda a captação das imagens, ou seja, todo o roteiro sem ter nenhum ponto de corte. Fazer um vídeo clipe, com centenas de participantes, em um local enorme, com muitas variáveis e sem ter nenhum corte é sensacional. Não há edição, apenas a sincronização da música com as pessoas.
Falando em especial desse vídeo canadense, outro ponto bem interessante é o roteiro, que é criativo, bem humorado e com a escolha certeira da música. Ficou ótimo mesmo.
Segue então o Lip Dub canadense todo feito em plano seqüência e que ficou sensacional e o outro vídeo é o making of que mostra todo o trabalho de realização desse lip dub...



sexta-feira, 7 de maio de 2010

CURTINHAS

Hoje vou escrever meu texto em pílulas. São coisas curtinhas, que até merecem um texto maior, mas se for escrever um texto grande para cada coisa os assuntos vão ficar velhos e outros assuntos nem merecem um grande texto.

Cinema:
-No post anterior já falei e mostrei o trailer do filme "A hora do pesadelo" que traz novamente a história do ícone do terror Freddy Krueger. Eu gosto dos filmes do Freddy, por isso a minha expectativa é boa, devo assistir nesse final de semana.
- Estreia hoje também o filme "Segurança Nacional", as críticas não foram tão boas para esse filme de ação brasileiro, mas acho que a tentativa de fazer algo diferente do que é feito nas novelas já é um grande passo. Fiz videorreportagem com o elenco, para ver clique aqui.

Televisão:
- Interessante a estreia do programa "A Liga" na Band. Tem tudo pra dar certo, foi bem de audiência. Promete.
- Hoje a Band estreia o novo programa do Marcelo Rezende, não sei, preciso ver pra tirar conclusões.
- Péssima idéia do SBT de mudar o horário do programa Conexão Repórter do Roberto Cabrini, o programa é bom, mas colocaram em um dia ruim.
- O programa Aprendiz 7 vai encontrando seu caminho, ainda não gosto de certas coisas mas já está bem melhor.

Esporte:
- Sem comentários sobre o Corinthians, o time jogou bem no primeiro tempo, mas fazer o que...
- GP da Espanha de Fórmula 1 esse final de semana, se não chover devemos ter uma corrida chata e com a RedBull no alto do pódio.

Antena:
- E eu estou aqui na expectativa para este mês de maio, que deve ser de mudanças e de fortes emoções. Semana que vem já sei que terei que colocar a cabeça em ordem. Tem coisa legal pra acontecer também, acho que até uma visita de longe deve aparecer por aqui!!!

É isso, curto e grosso hoje. Com esse sol lindo lá fora e sendo sexta-feira vamos encontrar os amigos e quem sabe comer uma asinha. Aliás, essas asinhas da foto serão tema dos próximos post aqui do Mural.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

A HORA DO PESADELO

Se eu fizesse parte do elenco ou fosse diretor do filme iam dizer que esse texto seria uma forma barata, sem criatividade e infantil de promover o filme, mas como não sou do elenco, não vou ganhar a grana da bilheteria e o fato realmente aconteceu, posso contar tranqüilo meu pesadelo, que chega a ter semelhança com os filmes do Freddy Krueger.
O pesadelo, que até foi divertido, teve mistura até de Lost. Vamos lá então. Estava em uma casa onde não conhecia ninguém, as pessoas estavam atordoadas, como se não entendessem o que se passava. Eram umas 15 pessoas e então começamos a nos questionar sobre o que tinha acontecido. Em um primeiro momento achei que todos estavam seqüestrados e que por algum motivo fomos dopados para não lembrarmos onde estávamos.
Resolvemos pedir ajuda e quando saímos da casa percebemos que não havia ninguém, era uma cidade fantasma. Como sair e voltar para nossas próprias casas? Fomos nos acostumando uns com os outros e o tempo passou, algo perto de um ano.
Então, uma moça descobriu um jeito de nos tirar de lá, não lembro direito como funcionava, mas teríamos que provocar raios durante uma tempestade. A tempestade veio, todos se reuniram em um espaço na frente da casa e então começamos a levar choques e sumir, as pessoas foram desaparecendo e eu também sumi. Apareci suado, caido no chão do meu quarto e com uma fraqueza que me impedia de me mover até a cama.
Eis que então o meu celular, querido e simpático tocou (isso não foi sonho) e fui tirado abruptamente dessa história doida. Fazia tempo que não sonhava assim, as vezes é engraçado, outras nem tanto, mas essa até que foi curiosa.
Por falar em curiosidade segue o trailer do filme "A Hora do Pesadelo", que estreia nos cinemas nesta sexta-feira.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

QUEM SABE UM DIA

Ontem escrevi um texto e não gostei, saiu meio travado, com uma construção de frases indiretas e confusas. Sei lá que raios me passou na cabeça e era para ser um texto simples, sobre um assunto banal e sem grande filosofia.
Então, como já fiz com outros tantos textos joguei em uma pasta de rascunhos e idéias que possivelmente podem voltar em um outro contexto ou cenário. São aqueles textos que nem sempre nos agradam, mas sabemos que um dia eles podem ser importantes.
Antes de dormir uma pessoa me perguntou via msn se não teria postagem nova no blog e disse que não porque o texto que eu havia escrito não tinha ficado legal. Então a pessoa me perguntou se eu publicaria aquele texto em um outro momento e então respondi: "quem sabe um dia".
Fiquei com essa frase na cabeça e publiquei no twitter a seguinte frase:" escrevi um texto e não vou publicar, não gostei... vai pra pasta!!! quem sabe um dia".
Esse negócio de quem sabe um dia está batendo na minha cabeça. Quantas coisas será que não deixamos em uma pasta para recuperarmos futuramente, mas inconscientemente sabemos que raramente vamos fazer isso.
Então acessei minha pasta virtual "quem sabe um dia" da minha vida. Nossa, quanta coisa que tem lá e eu me esqueci completamente ou então mudei meus conceitos, gostos, formas de pensar. Outras coisas ainda fazem parte dos meus sonhos, dos meus desejos e vontades.
Profissionalmente falando eu tinha tantos pensamentos quando comecei a fazer faculdade que hoje parecem grandes bobagens. Muitas coisas nem fazem mais sentido, outras não existem mais e tem aquelas, que por razões diversas, me fazem rir.
Quem sabe um dia, quando eu ler esse post eu vou pensar as mesmas coisas sobre meus sonhos, vontades e pensamentos que tenho hoje.
Lembrei de uma música, que também me faz lembrar de outras coisas e que tem um fundo de relação com essa filosofia de mesa de twitter.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

TROLOLO

Eu não tinha visto, mas fiquei sabendo que esse cara do Trololo é uma febre no Youtube com milhões de acessos e já com muitas imitações.
Vi pela primeira vez neste domingo de manhã quando ao acordar me deparo com um quadro do programa "Domingo Legal" exibindo o tal vídeo e também as tais imitações e paródias.
Isso é medonho, não só por ser bizarro e tal, mas esse cara que canta não parece um zumbi? Parece que está morto e ganha "vida" ao cantar essa musiquinha do demônio. Música do demônio porque igual ao Rebolation, Créu e outras mais fica grudada na cabeça até você não aguentar mais.
Esse cara, com essa maquilagem de velório e essa trilha sonora da Hora do Pesadelo certamente viraria um ótimo filme de terror. Em certos momentos, quando o trololo fica mais grave parece que ele vai sair da tela e te enforcar. O jeito que ele anda é uma mistura de Silvio Santos e um morto muito louco.
Agora tirando de lado tudo isso como a internet, como a rede é fantástica. Um negócio desses, sem a força das redes, sem a repercussão das pessoas que assistem nunca atravessaria o Atlântico e chegaria aqui no Brasil ou em outro lugar. A rede não tem fronteiras e por isso tudo circula com forte velocidade e pode chegar em qualquer lugar em apenas um click. Quantos "trololos" você já não viu na web? Esse é mais um até que venha outro e todos se esqueçam desse russo que me dá medo.

domingo, 2 de maio de 2010

CAMPEÕES

Final de mais um ano de Campeonatos Estaduais e aqui em São Paulo o time do Santos levou a taça. Tudo muito previsto até o jogo começar hoje, mas a equipe do Santo André deu muito trabalho, venceu o jogo e se não fosse um gol anulado de forma equivocada os meninos da vila não estariam comemorando esse Paulistão.
Mas o "se" não se aplica e não passa de suposição. Quantos títulos já foram ganhos com erros, gols irregulares e muito mais. Portanto, mesmo perdendo parabéns ao time santista que realmente deu show neste principio de ano.
Sou corinthiano e não tenho essas frescuras de elogiar rivais, isso é besteira. Esse time joga muito e apesar de acha-los um pouco enjoados e chatos, fizeram a diferença nesse campeonato. Diferença que meu time não tem conseguido mostrar e vem se arrastando em campo.
Quarta-feira será uma prova de fogo para um time que pretende ser campeão da Libertadores. Perder para o Flamengo vai por o time do Parque São Jorge em uma crise do tamanho das estrelas contratadas. Como bom torcedor acho que o Corinthians ganha do Flamengo, mas não vai ser nada fácil.
Que venha o jogo e parabéns aos campeões estaduais por todo país. Que meu time ganhe o jogo na Libertadores para que eu possa pensar tranqüilo na Copa do Mundo. Tranqüilo? Dunga, convoca o Ganso, o Neymar e para de ser ranzinza.

sábado, 1 de maio de 2010

DIA DO TRABALHO

Amo o que faço e por isso se eu precisasse trabalhar hoje o faria sem a menor sombra de dúvida. Quem escolhe a profissão de jornalista tem que saber que no pacote você certamente vai perder finais de semana, feriados e momentos de lazer.
Por outro lado você ganha muita coisa bacana, conhece gente legal, vai a lugares onde pouca gente vai, tem contato direto com os fatos e por ai vai, não vou ficar aqui fazendo listas, mesmo porque sou péssimo em fazer listas.
Neste dia do trabalho me sinto feliz pelas coisas que estou desenvolvendo e pelos projetos que estão para vingar. O resultado de tudo isso eu sei que vai ser mais trabalho, menos horas de sono, poucas folgas e diversão. Opa, diversão sim, porque uma das vantagens de amar aquilo que faz é se divertir trabalhando.
Hoje estou numa folga forçada devido ao problema estomacal relatado no post anterior, mas como todo bom jornalista, se o rádio tocar o telefone gritar dizendo que um bom fato está se desenrolando lá estarei eu com o estômago enjoado mas com a câmera na mão.
Toda vez que a loteria acumula e saem aqueles prêmios estratosféricos vem aquela frase de sempre: " se eu ganhar nunca mais vou trabalhar". Eu falo isso toda vez e no minuto seguinte paro para pensar e tenho certeza que é algo da boca pra fora. Se eu ganhar na loteria vou continuar fazendo aquilo que eu gosto.
Só para descontrair lembrei de uma frase de um grande filósofo da nossa televisão: " O trabalho não é difícil, o difícil e ter que trabalhar" Seu Madruga.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO