quarta-feira, 30 de junho de 2010

CASA COR 2010 - VIDEORREPORTAGEM

Depois de alguns testes com o vídeo, de muita dor de cabeça com a conexão eu enfim consegui fazer o que imaginava, o vídeo está em HD, portanto você pode ver a videorreportagem em alta definição, assim como a anterior na Sample Central.
Mesmo tendo gravado a matéria no final do mês passado, quando o evento foi aberto, a videorreportagem na Casa Cor 2010 é atual, já que o visitante pode conferir tudo de perto até o próximo dia 13 de julho.
Para quem não conhece, a Casa Cor é um evento tradicional que reúne as principais novidades e tendências em arquitetura, decoração e paisagismo. São mais de 50 ambientes que mostram de forma bem interessante como "morar bem".
Sinceramente eu viveria em qualquer um desses ambientes tranqüilamente. Tem pra todos os tipos e gostos, salas, cozinhas, banheiros, jardins e até para o gosto das crianças. Essa é a terceira vez que visito o evento, fui em outros anos, também gravar matérias, mas desta vez os organizadores se superaram. Veja na videorreportagem.

terça-feira, 29 de junho de 2010

TREM PARTINDO

Mesmo quando está nos nossos planos nunca é legal sair de um lugar, deixar um trabalho e se distanciar de amigos. Hoje encerrei mais um ciclo que só não foi completo por questões estruturais que vão além da nossa vã filosofia.
Há dois anos e meio estava em um projeto que me agradou muito logo de cara: montar uma tv web do zero. Quando falo do zero é do zero mesmo, sem equipamentos, sem área física, sem pessoas, apenas eu e mais um grande colega, o jornalista José Nello Marques.
Lembro quando ele me ligou falando do projeto e das possibilidades e idéias. Financeiramente era até inferior a uma outra proposta que eu havia recebido dias antes, mas gosto de desafios, gosto de ajudar a construir, ver todo o processo de criação, de mão na massa até aquilo que era só uma idéia ganha contornos visíveis e concretos.
Assim foi com a Torricelli, lá estávamos nos pensando em equipamentos, em equipe, em estrutura física. No começo foi complicado tirar do papel porque em televisão tudo é muito caro, mas aos pouquinhos foram surgindo algumas coisas até chegarmos ao ponto onde estávamos até hoje. Não foram avanços enormes, mas já dava para produzir pilotos, matérias experimentais e muitos testes.
Sofri um pouco porque é muito difícil fazer certas coisas sozinhos. As vezes fazia até mais do que o físico suportava, mas nunca desanimei e sempre achei ótimo poder acompanhar tão de perto a gestação da tv web.
Por uma decisão que vai além do trabalho e envolve muito mais a parte financeira hoje deixamos de fazer parte do grupo. Como disse no começo, eu já estava em um processo de mudança, mas mesmo assim vou ficar com saudades das boas risadas com a galera do marketing, o pessoal sempre prestativo do audiovisual, os professores, alunos e diretores da instituição. Boa sorte neste momento de turbulência.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE

No dia 19 de novembro estreia nos cinemas o penúltimo filme da saga do bruxo Harry Potter. Desta vez Harry e seus amigos devem procurar objetos encantados com magia negra que guardam parte da alma, as Horcruxes.
"Harry Potter e as relíquias da morte" será lançado em duas partes, a segunda ficará para o ano que vem. Para os fãs das aventuras do garoto na escola de bruxarias o fim está bem próximo e por isso muitos já estão começando a se despedir.
No começo eu não tinha gostado do filme, não li os livros, mas confesso que hoje gosto da história, acho que a autora inglesa fisgou um publico grande, exigente e que se apaixona de verdade pelas histórias.
Assisti alguns no cinema e outros só em casa, este pretendo ver no cinema, já que será lançado em 3D, artifício que deve trazer mais envolvimento para as histórias que sempre contaram com ótimos efeitos especiais.
Sem dúvida foi uma série de filmes muito bem sucedida, mesmo tento tantas sequências a história segurou o público, trouxe novos admiradores e nos permitiu ver a evolução dos atores que participam da trama.
É muito engraçado assistir ao primeiro filme e ver os atores Daniel Radcliffe, Rupert Grint e Emma Watson todos bem crianças e hoje já são adultos, cresceram com a história. Fico imaginando a cabeça deles já que Harry, Ron e Hermione fazem parte da vida deles nos últimos 10 anos. Aliás, como a atriz Emma Watson ficou bonita.
Segue o trailer do penúltimo filme, "Harry Potter e a relíquias da morte".

domingo, 27 de junho de 2010

GLOBAL E LOCAL

Moro em um bairro muito interessante de São Paulo que é o Bom Retiro, aqui há uma mistura muito intensa de pessoas de várias nacionalidades. As grandes colônias que estão aqui por exemplo são Coreanos, Judeus, Italianos, Gregos, Bolivianos, Armênios entre tantos outros.
Sempre tive um bom contato com todas essas pessoas, só no prédio onde moro tem pelo menos um morador de cada uma dessas nacionalidades. Uma coisa que sempre reparei foi na forma como essas pessoas, mesmo morando muito tempo longe dos seus países de origem, conseguem manter tradições e traços da cultura.
Há uma tendência do global sufocar as coisas regionais como algumas manifestações culturais. Sempre o que é "maior" ou mais evidente tem mais força, só que o regional, a cada dia que passa consegue fazer resistência quanto a essa investida do mundo globalizado, onde raízes parecem não ter muita importância, onde o planeta vira um enorme "não-lugar".
Nessa Copa do Mundo foi interessante ver a colônia sul-coreana reunida e realizando festas a cada jogo do país. Os paraguaios ostentam com orgulho a camisa do time e realizam encontros pelo bairro.
Tirando o fator Copa de campo também pude observar uma mudança na postura das pessoas. Há alguns anos a comunidade grega aqui do bairro organiza uma festa junina na rua de casa. Uma festa pequena, que ocupa apenas uma quadra e tem o que toda festa junina tem, mas com um forte enfoque para comidas e doces típicos da Grécia. A festa era freqüentada por um número razoável de pessoas, mas nada de muito especial.
Ontem levei um susto com um grande barulho na rua, saí na janela e me impressionei. A rua estava lotada e uma banda tocava músicas gregas. As pessoas dançavam felizes e empolgadas, em uma animação que fazia tempo que não via nessas festas.
A comunidade conseguiu relembrar suas raízes, manter laços que poderiam se perder com o tempo. Lá não tinham só gregos, até eu dei uma passadinha por lá e pude interagir com uma cultura diferente, alegre e interessante.
O Bom Retiro é um bairro peculiar, a globalização está evidente aqui, a cada esquina percebemos um pedaço do mundo, ao mesmo tempo não há lugar mais regionalizado, que preserva a cultura e mantém laços como aqui.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

SELEÇÃO BRASILEIRA E MICHAEL JACKSON

Hoje o Brasil parou pra ver o jogo contra a seleção de Portugal. Há 1 ano o mundo parava para saber sobre a morte do rei do pop Michael Jackson. Tecnicamente os dois temas não combinam, na prática também não.
Mas se cavarmos bastante vamos encontrar duas situações que mexeram bastante com as pessoas. A Copa do Mundo é um vício nacional, com a obrigação de vitória, com a paixão do brasileiro por futebol. Michael Jackson provavelmente não gostava de futebol, mas assim como a seleção brasileira, era capaz de deixar pessoas presas diante da televisão para acompanhar seus passos, mesmo que eles fossem para trás.
O Brasil não jogou bem hoje, fez um jogo burocrático, sem criatividade apenas fazendo a manutenção do resultado que trouxe o primeiro lugar no grupo. Michael Jackson provavelmente já teria completado sua turnê "This is it" e seria um cantor aposentado, vivendo apenas das suas rendas e tentando empurrar suas dívidas com a barriga, viveria burocraticamente também.
A seleção não é motivo para tristeza, pelo menos até segunda-feira e Michael deixou muitos fãs desolados pelo mundo. Tudo o que ele fez está ai, fazendo sucesso até hoje, sendo ouvido e assistido por milhões de pessoas e angariando muitos fãs mesmo depois de sua morte. A seleção também, independente do resultado sempre existirão os fãs das jogadas imortais de Pelé, Garrincha, Rivelino, Romário, Ronaldo e outros tantos craques que vestiram a camisa amarela. Mesmo depois de passados muitos anos, seleções que já não existem mais ainda fazem sucesso.
Nessa comparação descabida, Michael Jackson e a seleção tem muito em comum. Eles tem as pessoas, que independente do que aconteça vão sempre ter seus ídolos, momentos, músicas, imagens guardados na lembrança.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

SAMPLE CENTRAL - VIDEORREPORTAGEM

Eu gosto de novidades, de ver as boas ideias e principalmente poder experimentar coisas interessantes. Gosto também de compartilhar essas coisas que fico conhecendo.
Fui convidado para a pré-inauguração da Sample Central Brasil. Uma loja interessante onde você pode levar produtos para sua casa de graça. Isso mesmo, de graça...
Experiência é a palavra-chave desta novidade que chegou ao Brasil. A ideia surgiu na Austrália e foi implementada no Japão em 2007. O sucesso é absurdo e conquistou a industria e também os consumidores.
O que seria a Sample Central? Uma loja onde você encontra novidades do mercado, produtos interessantes e principalmente, pode interagir e levar para casa determinados produtos de graça.
Na pré-inauguração, os sócios do empreendimento falaram sobre os desafios, sobre a expectativa de trazer para São Paulo, e futuramente para outras capitais brasileiras, a Sample Cetral. Confesso que antes de conhecer profundamente fiquei com certa desconfiança do mecanismo de funcionamento de uma loja que oferece seus produtos de graça. Mas no fundo tudo é bem simples e lógico. A loja trabalha com o conceito de tryvertising (try - teste + advertising - publicidade) uma forma eficiente de tornar o produto conhecido.
A industria paga para ter suas novidades expostas e experimentadas pelos clientes e os clientes pagam com a sua opinião sobre determinados produtos. É uma troca muito valiosa para as empresas, já que elas recebem dados importantes e precisos sobre o seu produto.
Gostei bastante dessa novidade e recomendo que você faça sua visita lá. O primeiro passo é se cadastrar na loja e pagar a anuidade que é simbólica de 15 reais. Depois é só agendar a sua visita e experimentar. Para se cadastrar na Sample Central é só clicar aqui. Aproveitei e gravei uma videorreportagem lá na loja...
Um detalhes importante, este não é um post pago, estou dando a minha opinião sobre o que achei da loja e digo que é bem interessante.
Obs: Como bem atentou no comentário a leitora Tatii, os produtos maiores e eletrônicos por exemplo, são experimentados na própria loja para a avaliação do cliente. Valeu Tatii!!!


terça-feira, 22 de junho de 2010

CARTAS PARA JULIETA

No meio a tanta correria consegui dar uma passada no cinema. Precisava baixar o ritmo e assistir alguma coisa. Não sei porque resolvi assistir ao filme "Cartas para Julieta". Um romance leve, gostoso e bem relaxante.
Gosto de filmes que me distraem, que me fazem curtir a história de forma tranquila. Basicamente o filme conta a história de um casal que vai para Verona, na Itália passar uma lua de mel antecipada. Por lá eles pouco ficam juntos por causa da profissão do cara. A mocinha então acaba conhecendo mulheres que respondem as cartas escritas por centenas de mulheres no terraço da Julieta, sim essa Julieta do Romeu.
A mocinha então começa a ajudar as "correspondentes de Julieta" e encontra uma carta bem antiga e responde. A história se desenrola a partir dessa resposta que muda a vida de algumas pessoas. Digamos que é um filme bonitinho, simples, com belas paisagens italianas.
Em determinado momento se discute a questão do termo "e se?". Fiquei pensando nesse termo que normalmente usamos. E se eu fizesse isso? E se eu escrevesse aquilo? E se ela não tivesse me abandonado? E se eu fizer tal pergunta?
O temo chato, porque ele nos coloca no condicional, na condição de agir ou não e quais seriam as conseqüências. Tenho evitado usar esse termo porque ele sempre deixa a gente com aquela sensação do contrário, do oposto e nem sempre isso é bom. Vale a pena ver a história.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

UM POUCO DE BOBEIRA

Normalmente recebemos uma pilha de e-mails inúteis, propagandas, correntes e bobagens, mas recentemente notei que o número de coisas irrelevantes deram uma diminuída na minha caixa de e-mails. Isso é bom!!!
Não aguentava mais aquelas correntes das mais engenhosas, das mais criativas e das mais idiotas. Salve não sei quem, passe esta mensagem, não apague que você morrerá, envie para tantas pessoas que a pessoa amada irá aparecer e por aí vai. Tem outros e-mails, que apesar da inutilidade do assunto até divertem. Normalmente você já sabe o remetente da mensagem e abre pra ver qual a piada da vez ou as imagens divertidas.
Hoje recebi um desses e-mails, uma bobagem completa, mas para animar a segunda-feira vale até a postagem. Eu não tinha visto ainda, mas deve circular pela rede e pelos e-mails essa montagem feita com o ator Rowan Atkinson, o famoso Mr. Bean. Eu gosto do personagem, acho o ator muito bom e sempre me diverti com a série de poucos episódios e que foram repetidos exaustivamente em praticamente todos os canais de televisão.
É uma grande bobagem, mas colocaram o rosto do Mr. Bean no lugar de rostos de alguns famosos e personagens do cinema. Abaixo algumas dessas montagens.

Crepúsculo e Piratas do Caribe



Dilma e Serra


Bruce Lee e Chuck Norris

domingo, 20 de junho de 2010

O FOGO E A IMBECILIDADE

"Quem brinca com fogo faz xixi na cama" já diziam nossas mães e avós sempre que íamos fazer alguma coisa perigosa relacionada ao fogo. Elas sempre estiveram certas, brincar com fogo nunca dá coisa boa, não necessariamente o autor da brincadeira se urina nas calças durante o sono, mas certamente vai fazer uma grande bobagem e causar prejuízos e mortes.
Nesta madrugada, antes de ir dormir, comecei a ver uma mobilização no twitter com notícias sobre um grande incêndio no Morro dos Cabritos no Rio de Janeiro. Os grandes portais e nem a televisão noticiavam o fato, mas as redes sociais estavam mobilizadas com o incêndio de grandes proporções.
Logo começaram a surgir fotos de moradores, vídeos de vizinhos e uma imagem mais forte do que a outra. Jornalistas locais relatavam os acontecimentos e o perigo de tal acontecimento. Uma grande área estava sendo atingida e outros focos de incêndio foram surgindo. Houve até em determinado momento que cogitassem um ato premeditado.
Não, não era. Era algo muito mais simples e freqüente nesta época do ano: Balões. Sim, os famosos e problemáticos balões que todo ano acabam com a vegetação, destroem casas, matam pessoas e animais.
O balão é bonito, mas é inútil, não traz benefícios, apenas destruição. Tudo que sobre, desce. Tudo que tem fogo, queima. Mato e vegetação seca pega fogo, casas pegam fogo. Mas existem pessoas que insistem em se divertir com algo perigoso e que pode prejudicar muitas pessoas, incluindo eles mesmos. O balão não escolhe lugar para cair, não tem gps acoplado e um direcionador que diga para ele descer em um ponto neutro e que não cause prejuízos a ninguem. Os baloeiros clandestinos tem que entender que uma balão no ar é tão mortal quanto uma bala perdida, talvez até mais do que elas pois o número de vítimas pode ser maior com um único balão.
Neste incêndio ainda não há informações sobre vítimas. Mas todos são vítimas, a cidade perdeu uma área de proteção ambiental importante, animais morreram, então todos nós perdemos. Para ver como um pequeno balão pode ser destruidor, então veja o vídeo abaixo de um morador da região que gravou desde o início do incêndio até o morro todo ser tomado pelas chamas.

sábado, 19 de junho de 2010

JOSÉ SARAMAGO

Por falta de tempo não consegui escrever sobre a morte de José Saramago ontem. Mesmo assim vou escrever porque o tempo nessas horas não importa, a obra deixada por ele vai existir pra sempre e por isso falar sobre o autor é sempre um prazer.
Já citei Saramago algumas vezes em posts aqui do blog, os livros dele são marcantes e fortes. Seu estilo é inconfundível e polêmico. O ponto de vista do escritor desagradou muita gente, principalmente nas questões religiosas. Mas também despertou muito debate e colocou as questões humanas em cheque e análise.
Li vários livros dele, o primeiro foi justamente um dos mais polêmicos "O Evangélio Segundo Jesus Cristo". Foi para um trabalho na faculdade, lembro que no começo da leitura estranhei a forma de escrever do autor, tive dificuldade, mas depois que me adaptei ao estilo de Saramago me encantei.
O último que li foi "As intermitências da morte". Neste o escritor relata os reflexos da ausência da morte em uma cidade fictícia. Durante um período as pessoas não morriam, os doentes sofriam, as funerárias perderam a "matéria-prima" do seu negócio, hospitais lotados, o caos. Um retrato interessante sobre algo que muita gente quer evitar: a morte.
Estou com dois livros dele na fila de leitura, com o fato Saramago vai furar a fila e ficar na frente, será o próximo. Tenho certeza que Julio Verne, Dan Brown, Edney Silvestre, Chico Buarque, J.J. Benitez, Stephen King entre tantos outros que estão na fila não vão achar ruim.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

CURSO DE VIDEORREPORTAGEM NAS FÉRIAS

As férias, ah que período bom para relaxar, colocar assuntos pessoais em dia e fazer coisas que nem sempre temos tempo de fazer na loucura diária. Esse é um bom momento para se especializar, conhecer coisas novas, fazer um curso. Eu já aproveitei muito esses períodos para me aprimorar e acho extremamente importante para o crescimento profissional
Julho está chegando e desta vez, ao invés de me matricular em algum curso, eu mesmo irei promover um. Num convite das Faculdades Integradas Torricelli vou ministrar entre os dias 19 e 23 de julho um curso de extensão.
O assunto: videorreportagem. Hoje a facilidade em produzir e disponibilizar conteúdo é muito grande. Os equipamentos estão cada vez mais baratos, portáteis e com enorme qualidade. O momento é de se especializar, tentar descobrir como utilizar esses novos recursos em favor da boa produção de conteúdo, seja ele jornalístico ou de entretenimento.
Por isso, em cinco dias vou fazer uma apanhado da história, da produção e das tendências dessa forma de realização de conteúdo audiovisual que cresce muito principalmente na rede. Aqui fica o meu convite para que você jornalista, produtor de conteúdo, estudante ou simplesmente se interessa e gostaria de saber como utilizar essas ferramentas.
Lembrando que as Faculdades Integradas Torricelli ficam no centro de Guarulhos, fácil acesso pela via Dutra. São quatro dias de "aula" 19, 20, 21, e 23 de julho das 19h às 22h00. O preço é bem camarada e para se inscrever basta clicar aqui.
Outros cursos bem interessantes vão ocorrer em outras datas, como o de Locução e Produção de Áudio com o jornalista José Nello Marques e Marketing Pessoal com o professor Hélio Schiavone. Abaixo um vídeo gravado pelo jornalista José Nello Marques falando sobre os cursos.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

DIGITALIZANDO MOMENTOS

A foto é uma forma de congelar um determinado instante, de tentar eternizar um momento feliz, curioso ou importante. Sempre gostei de tirar fotos, tenho uma quantidade enorme de cds gravados com momentos familiares, com festas, com viagens e boas recordações.
Há algum tempo tinha aquele pensamento saudosista de abrir os muitos álbuns, ver velhas fotografias, algumas até amareladas pela ação do tempo. Ainda gosto da foto "na mão" de olhar, de ter o registro palpável , no display antigo da revelação.
Hoje é impossível não se render as máquinas digitais, aliás há um bom tempo já é assim. Aquelas velhas máquinas que usavam filmes, precisavam revelar, tinha um limite pequeno para os padrões de hoje de "poses" e o resultado sempre era uma surpresa. Antes demorava um tempo pra revelar, depois vieram as revelações em 1 hora, continuando na evolução em poucos minutos você saia da loja com as fotos prontas. Mas o digital é digital, o digital é instantâneo pra valer e ao mesmo tempo nem um pouco palpável.
No digital o limite de fotos é quase que insuperável, você tira o quanto quiser, apaga o que não gostar, a qualidade é ótima, a diversão garantida e o trabalho facilitado. Apesar da grande maioria dos fotógrafos profissionais gostarem do velho esquema, a tecnologia está facilitando e agilizando o trabalho.
Apesar de gostar de tirar fotos, sempre dei preferência aos equipamentos de gravação de vídeo. Câmeras, lentes, microfones e tal sempre estão na minha cesta de compras e me fazem torrar uma grana violenta de tempos em tempos. Eu tinha uma câmera digital que comprei há mais de 4 anos. Era boa, registrou momentos bem felizes da minha vida, certamente momentos que não vão sair nunca da minha lembranças e estão lá guardados em cds e pen drives.
Mas a máquina se foi há algum tempo, mais do que a máquina, o que proporcionava os bons momentos registrados por ela também se foi. Como disse anteriormente, resolvi investir em equipamentos de vídeo, mas hoje não resisti. Depois de passar um bom tempo utilizando câmera do celular e frisando imagens de vídeo, comprei uma outra câmera digital.
Fiquei feliz, adoro comprar equipamento eletrônicos e ela vai me ajudar muito aqui no blog, já que vou poder registrar alguns momentos sobre os quais gosto de escrever.

terça-feira, 15 de junho de 2010

AINDA NÃO VI

Não, este não é um texto sobre o jogo do Brasil ou sobre a Copa do Mundo. Em um dia de gente em casa, ruas vazias e todo mundo de olho na seleção fiquei pensando em muita coisa que queria ver e ainda não vi.
Cinema, lugares e até pessoas... Toda vez que abro meu armário e me deparo com a pilha de livros me esperando fico desesperado, sempre me lembro que gostaria de fazer tanta coisa e o tempo está passando e tudo está ficando para depois.
Queria muito ter assistido "Alice no país das Maravilhas" lá no IMAX, mas ainda não deu tempo, se ele estiver em cartaz semana que vem eu passo lá. Mas se eu for puxar na memória os filmes que queria ter visto no cinema e não deu ficaria louco. Muitos desses filmes não vi nem em DVD, nem na TV... quem sabe um dia...
E lugares então, todo mundo sonha em conhecer países, cidades, viajar e claro que eu também. Já fiz muitas viagens e já conheci muitos lugares, mas o que ainda quero ver está na lista de espera. O Egito está no topo da minha pirâmide (que trocadilho mais besta). Certamente é o primeiro lugar que eu vou por vontade própria.
Bom, são muitas coisas que quero ver, tenho certeza que muitas delas ainda terei oportunidade, outras vão passar e vão ficar na vontade.
Ah, só pra não passar em branco, ainda espero ver um jogo bom nessa Copa...

segunda-feira, 14 de junho de 2010

VUVUZELA NELES

Até que estou conseguindo acompanhar o jogos da Copa do Mundo entre uma gravação e outra, entre um compromisso e outro. Mas pra ser sincero, nada está me empolgando muito, os jogos estão bem chatinhos, poucos gols... Sinto que as equipes estão com medo de se arriscarem e perderem o jogo. Por isso todo mundo está tomando um cuidado extra.
Agora é a vez do Brasil... o adversário teoricamente é muito fraco e não deve oferecer trabalho, mas tendo em vista os jogos desta Copa começo a duvidar em um placar elástico da seleção brasileira. Acho que ganhamos, mas com placar modesto.
Tirando o lado da competição estou extremamente feliz com o show de imagens nas transmissões. Essa definitivamente é a Copa da alta definição, a Copa do super slow motion, a Copa da televisão. Fico babando aqui em casa vendo as imagens da África do Sul e isso não é mérito dessa ou daquela emissora, mesmo porque 95% do material vem da Fifa. Mesmo assim nossas emissoras tem desenvolvido um trabalho interessante, sem muita ousadia, mas interessante.
Não gosto muito dessas mesas redondas que debatem o nada e não chegam a lugar nenhum, mas as vezes até elas nos entretem e trazem alguma coisa sobre o Mundial. Nessa época é impossível fugir dos debates, das projeções, dos replays em exaustão. Mas tudo bem, nessa época dá pra tolerar e entrar no clima.
E a Vuvuzela? Puta negócio chato... No começo até que é legal, mas depois de 15 minutos de jogo parece que tem um enxame de abelhas africanas zumbindo dentro da televisão. São 90 minutos de vuvuzelas enlouquecidas tocando sem um respiro. Se pra quem assiste incomoda, imagino pra quem está lá. Mas novamente, como Copa é Copa, resolvi comprar umas buzinas aqui para a torcida. Já que você não pode contra as vuvuzelas junte-se a elas.

domingo, 13 de junho de 2010

CALA BOCA GALVÃO

Todo ano, toda Copa, toda final de campeonato ou corrida de Fórmula 1 acontece essa reclamação. Galvão Bueno vira alvo de críticas, xingamentos e de pedidos desesperados de exclusão do principal narrador esportivo da televisão brasileira.
Ele é sim o principal narrador da televisão, temos que concordar. Tem uma das vozes mais conhecidas do país, um estilo próprio e muito tempo de estrada. Isso fez com que ele, nos últimos tempos, pudesse escolher os eventos que irá narrar e só coloca sua voz no mais importante dentre as competições transmitidas pela Globo.
Não vou aqui defender o Galvão Bueno e muito menos ataca-lo, venho apenas tentar entender o que acontece com todos nós, que adoramos reclamar e ao mesmo tempo temos uma mania sádica e masoquista de continuar ligado em aquilo que não gostamos.
Vamos lá, desde o início da Copa está sempre no Trending Topics (as tags mais usadas no twitter) o #calabocagalvao ou seja, todos que de alguma forma se irritam, contestam a narração e as coisas ditas pelo narrador durante a transmissão e usam a tal tag.
Eu não gosto da narração do Galvão, assim como muita gente, mas se não gosto vejo em outro canal, mesmo porque tirando a Fórmula 1, a maioria dos jogos apresenta opções de transmissão em outros canais, tanto no cabo quanto na tv aberta.
Não adianta falar que a imagem é diferente, que isso, que aquilo. É tudo igual, a geração das imagens é a mesma, as câmeras também, o replays, os muitos ângulos, o placar, enfim, tudo é igual, só muda a narração. Se é isso que irrita tanta gente porque simplesmente não trocam de canal. Se o Galvão é o "que existe de pior narrando" o Luciano do Vale e outros tantos devem ser melhor então.
Mas não, assistem na Globo e ficam de minuto em minuto criticando o que o Galvão fala. Sei que é muita besteira que ele fala, mas talvez, se entendêssemos que se a narração do Galvão não der audiência, quem sabe um dia não tirem ele de lá? Mas assistindo na Globo e criticando o cara não vai adiantar nada e o Galvão vai ser um dos principais assuntos da Copa, bom pra ele.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

AÇÃO E REAÇÃO

"Toda ação provoca uma reação de igual intensidade, mesma direção e em sentido contrário". Essa é a terceira lei de Newton e me veio a cabeça logo depois que terminei de ler um e-mail no começo desta noite.
Na correria do dia a dia, no furacão de acontecimentos cotidianos não percebemos o quanto algo que fazemos pode voltar na mesma intensidade ou quanto algo que fazemos pode interferir diretamente na vida de outras pessoas.
Quando criei o blog, há pouco mais de um ano, me inspirei em algumas pessoas, na trajetória de sucesso de colegas que se empenham para conquistar objetivos interessantes. Fui colocando alguns temperos pessoais, fui aprendendo com os erros (e isso é um exercício diário), tento ousar na medida do possível e trazer um diferencial.
Acho que tem dado certo pelo feedback que recebo de muita gente, principalmente das pessoas que não conheço e que chegam ao Mural por diferente caminhos. Nos últimos meses tenho feito algumas palestras em faculdades e cursos falando da minha experiência aqui no blog, das minhas videorreportagens e do meu tempo de televisão. Mas sempre o assunto que mais chama atenção e desperta curiosidade e interesse é o blog.
Há algumas semanas estive falando para a turma de pós-graduação da Cásper Líbero, uma das maiores faculdades de jornalismo do Brasil. Faço pós lá também e o professor da matéria Mídia e Poder, Dimas Kunsh, sempre foi um incentivador deste canal de comunicação. Foi na aula dele que estive há algumas semanas.
Falei da minha experiência, contei minhas histórias, dificuldades, acertos e erros. Sempre tenho um retorno bem interessante depois desses encontros e até gerou um post recente. Mas hoje recebi um e-mail da Débora Nobre, que assistiu a palestra na aula do Dimas. Confesso que fiquei até emocionado e muito feliz com o relato dela e em saber que o pouco que pude falar lá inspirou, motivou e ajudou.
Ela e uma amiga, a Daniela Schmid, criaram um blog e estão levando a experiência adiante e com muita determinação. Para conhecer o blog das meninas basta clicar aqui.
Interessante isso, como uma atitude pode interferir e ajudar outras pessoas. Um simples gesto, na verdade eu não fiz nada, apenas relatei a minha experiência e essa ação gerou uma reação muito positiva na Débora.
Sabe aquela história de plantar o bem e colher o bem, acho que isso se aplica bem. Esse e-mail me fez ganhar o dia e injetou uma dose imensurável de ânimo pra tocar o barco em frente.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

ABERTURA DA COPA

A abertura oficial da Copa do Mundo 2010, na África do Sul, aconteceu na tarde desta quinta-feira. Não vi, pra falar que não vi nada acompanhei muito sem atenção alguns trechos, mas estava ocupado em outra tarefa e não pude analisar o show feito pelos sul-africanos. Mas se depender dos comentários que ouvi essa abertura não empolgou muito.
Muita gente me disse que foi chata, não teve inovação, faltou um "Q" a mais... Um show comum, com cantores se revezando no palco, fazendo suas respectivas apresentações e intercalado a isso mensagens e vídeos sobre o país e sobre o mundial...
Estamos acostumados a esperar aberturas de competições (principalmente Olimpíadas e Copa) com aquelas performances e surpresas. O último exemplo que tivemos de uma grande festa de abertura foi das Olimpíadas de Pequim e diga-se de passagem um dos shows mais emocionantes e sensacionais que vi.
Se não estou enganado, as festas de abertura de Copa do Mundo sempre aconteceram horas antes da partida inicial, não sei porque este ano fizeram um dia antes, acho que perde um pouco do charme, da sensação de abertura de um torneio esportivo.
Agora vou vasculhar na web e também nas reprises das emissoras que transmitem os compactos e as analises pra ter uma idéia mais completa do que aconteceu.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

FALHA NA CONEXÃO

Eu sou muito teimoso, quando coloco algo na cabeça é difícil me fazer mudar os planos e partir para uma outra alternativa, principalmente quando eu sei que o que estou fazendo é um passo adiante no que estou propondo.
Já gravei há duas semanas uma videorreportagem na Casa Cor, que venho promentendo há algum tempo disponibilizar aqui na sessão Antena no Ar. Muito bem, até ai tudo normal como sempre aconteceu... Gravei, baixei o material para o computador e ai um turbilhão de coisas aconteceram que me fizeram adiar a edição da tal matéria.
Na semana passada editei, fiz tudo do jeito que queria e resolvi então disponibilizar o material na melhor qualidade de resolução possível, ou seja em HD. Já gravo minhas videorreportagens em alta definição há um bom tempo, mas por questão de pressa e também por tentar entender melhor o HD fui disponibilizando o material sempre na resolução mais baixa possível. Com isso ganhava tempo na hora de jogar esse material no Youtube.
Mas eis que acordei um belo dia da semana passada e prometi que iria começar a usar o material na melhor qualidade possível, mesmo porque a matéria na Casa Cor tem muitos detalhes, imagens bonitas.. seria um disperdício esse material ficar numa resolução mais baixa.
Meu notebook é muito bom, mas já tem seu ano de uso e está começando a me dar sinais de cansaço, mesmo assim insisti e ele bravamente renderizou o material em HD, então veio a outra luta: jogar isso no Youtube.
Horas e mais horas do material subindo para a rede e na primeira tentativa ouve falha, mas foi um erro meu mesmo de uma resolução que esqueci de alterar. Eis que volto para a edição, corrijo meu erro e volto para jogar o material na web. Horas e mais horas do material sendo enviado e pronto, meu vídeo em HD estava no ar. Mas... e sempre tem um mas como digo habitualmente aqui, sei lá por qual motivo a partir de um momento houve um pequeno corte no audio e todo o vídeo ficou com delay, ou seja, sem sincronia entre áudio e vídeo.
Num primeiro momento achei que fosse um problema da minha edição, verifiquei, analisei e tudo estava correto, eis que foi uma falha do Youtube, ou então uma queda na conexão. Com toda calma que Deus me deu resolvi deixar pra enviar o material hoje. Tudo certo, vídeo com 90% enviado e... e... e... (desculpem esse desabafo) putaqueopariu... cai a conexão. Faltava pouco, quase nada e então vem aquela maldita frase. "Seu envio falhou devido a queda de conexão".
Mas eu sou teimoso e hoje a noite, assim que eu chegar em casa vou fazer mais uma tentativa. Caso dê certo muito bem, se não der, ai vou xingar bastante e depois baixar a resolução e não mandarei em HD.

terça-feira, 8 de junho de 2010

ENCONTROS E DESENCONTROS 2

O último texto falei sobre esses encontros e desencontros que são a tônica interessante de uma cidade grande como São Paulo. Obviamente, como tudo que escrevo aqui, tem uma razão de ser, algo no meu dia a dia me influenciou de tal forma para que eu viesse aqui debater, reproduzir, divagar, filosofar ou simplesmente relatar. Mas tudo teve um ponto inicial.
A internet é um mundo paralelo, virtual (o que não quer dizer que não seja real). Muitas coisas acontecem por aqui, muita gente passa diz oi e desaparece, outras que são do nosso dia a dia físico aproveitam para se soltar e tem aquelas amigos virtuais que convivemos muito mais do que pessoas da família, do trabalho e amigos...
Já tive o prazer de conhecer algumas dessas pessoas, como a Anna e o Jader de Minas Gerais, que estão a frente do Aprendiz o Blog e durante muito tempo comentamos o Aprendiz 6 e nos conhecemos ano passado na final do programa. Na mesma ocasião tive o prazer de conhecer a blogueira jornalista carioca Ana Magal, que também comentava o Aprendiz e me ajudou muito nos primeiros passos do Mural. É ótimo poder encontrar com essas pessoas que temos boa afinidade e criamos uma amizade bem interessante, apesar da distância.
Hoje foi o dia de conhecer uma pessoa adorável, que há algum tempo converso bastante aqui pela web. Ela já foi inspiração para post desse blog, como está sendo hoje também, e sempre tivemos altos papos pela madrugada. A Chris veio pra São Paulo para participar de um treinamento do trabalho dela.
Apesar dos desencontros de uma cidade como São Paulo, consegui encontrar pessoalmente com essa moça hiper simpática, bonita e super alto astral. Ela veio de Vitória e vai ficar pouco, só até esta quarta-feira, mas volta pra outro treinamento. Nas poucas horas que nos encontramos, na maluca e conhecida Rua 25 de Março, conversamos rapidamente e não pude deixar de leva-la pra experimentar o famoso lanche de mortadela do Mercadão.
Muito legal ter esse contato direto com pessoas que estão presentes na nossa vida quase que diariamente, mas sempre com o computador como intermediário. Hoje foi um dia de um encontro muito especial.

ENCONTROS E DESENCONTROS

Não sei se isso já é nome de filme, deve ser, não me recordo de cabeça, mas seria um belo título para uma história passada na cidade de São Paulo. Essa cidade mostro no tamanho, que se formos reparar bem acabamos nos assustando diante dessa magnitude.
Ao mesmo tempo que ela é gigante geograficamente que nos perdemos para onde direcionarmos nossos olhos. São muitas pessoas indo e voltando, muitas histórias tristes e alegres se cruzando que nem sempre damos conta de que o universo é muita maior do que o nosso próprio umbigo.
Ontem a noite fez muito frio em São Paulo, foi uma das noites mais frias do ano e caminhei pelas ruas quase de madrugada. A neblina começava a esconder alguns edifícios e deixava a cidade com um ar misterioso e único. Poucas pessoas se aventuravam a enfrentar o frio de uma cidade incrivelmente vazia.
Sai com um objetivo, ia encontrar uma amiga, mas como diz o título dessa postagem, houve um desencontro, tão comum e esperado quanto os muitos encontros que aqui acontecem também. São Paulo é assim, cheia de surpresas, imprevistos, predisposta ao acaso.
Não esqueci não da videorreportagem na Casa Cor, para os muitos que me perguntaram, mas estou tentando ousar e fazer alguns testes com o vídeo... se tudo der certo hoje mesmo estará por aqui.

domingo, 6 de junho de 2010

PARADA GAY 2010

Ia fazer uma videorreportagem na Parada Gay hoje, fui para lá gravar para a RedeTV e iria aproveitar para produzir material para cá também, mas a forte gripe me fez voltar mais cedo pra casa.
É um evento muito divertido, independente do seu gosto sexual. Aliás, para uma festa ser divertida não importa se você é homem ou mulher. Essa é a segunda vez que vou, fui em outra oportunidade com minha ex-namorada e nos divertimos bastante. Esse ano fui pela primeira vez cobrir o evento e confesso que foi uma missão complicada.
Complicada pelo número de pessoas envolvidas, o som alto de 17 trios-elétricos tornava impossível gravar qualquer tipo de entrevista e pelo tamanho do local fica inviável percorrer junto com a multidão e conseguir boas histórias.
Histórias como a da Dona Filomena, de 75 anos que assistia ao "desfile" de drags, travestis, trasformistas e de pessoas fantasiadas com muito bom humor. Ela se divertia com toda família e deixava bem claro que o preconceito passava longe dali.
Obviamente nem tudo são flores... Muitos menores de idade consumindo litros e mais litros de bebida alcoólica... digamos que a sexualidade, para algumas pessoas estava bem aflorada e quase era possível ver em alguns pontos da avenida cenas bem ousadas, muito além de beijos e abraços...
Não vi problemas com relação a segurança, muitos policiais estavam espalhados pelas ruas, mas o lixo foi um problema novamente. Não existiam lixeiras no caminho, exceto as lixeiras já existentes da avenida, mas nem todas elas estavam acessíveis ao público.
Mudando de assunto... inverti a ordem da promessa que fiz no post anterior... A videorreportagem na Casa Cor você confere nesta segunda-feira. Abaixo fotos que tirei lá na Parada Gay.







VÁCUO

Opa, quase 3 dias sem escrever por aqui. Coisa rara, mas tem seus motivos e nem foi o feriado.

Passei aqui rapidinho pra dizer que ainda hoje teremos videorreportagem na Casa Cor e a semana promete cheia de acontecimentos.
Vácuo é a ausência da matéria e realmente foi o que aconteceu aqui no blog nesses dias, ausência de matérias... Mas não é por falta de criatividade ou coisa do tipo, a produção está grande...
Logo mais eu volto com a videorreportagem... Antes tenho que gravar para a RedeTV na Parada Gay.
Até mais...

quinta-feira, 3 de junho de 2010

SER HUMANO X TECNOLOGIA

O título original desse post seria "Ser humano vs caixa eletrônico", mas resolvi deixar a questão mais ampla porque no modo geral o problema é muito além dos caixas eletrônicos.
Uma grande maioria das pessoas ainda não tem computador, tem contato mínimo ou nenhum com tecnologias simples, comuns em nosso dia a dia. Certa vez li que muitas gente, mas muita gente mesmo não sabe utilizar aparelhos domésticos um pouco mais sofisticados como o microondas ou até mesmo as televisões mais modernas.
Isso é um problema sério porque novas tecnologias, aparelhos e invenções chegam como uma tempestade a cada dia que passa e muita gente ainda enfrenta problemas básicos com coisas aparentemente simples.
Não precisa ir longe. Você sabe utilizar todas as funções do seu celular? Sabe o que sua TV de LCD é capaz de fazer? E o computador, sabe do que ele é capaz ou fica só no uso da internet e dos editores de texto? Eu confesso que a cada dia que passa vou descobrindo novas aplicações e enxergando coisas que eu não fazia idéia que existiam, mas elas sempre estiveram ali.
Mesmo sabendo que também tenho dificuldades com algumas tecnologias mais avançadas, fico impaciente quando vou ao banco e vejo como as pessoas demoram e não conseguem fazer operação nos caixas eletrônicos. É sempre a mesma coisa, a pessoa olha, fica pensando, não sabe direito o que vai fazer e ai o caixa volta para a tela inicial. Você fica na fila, olha, coça a cabeça e nada da pessoa se acertar com a máquina...
Já passei muito nervoso esperando a pessoa da frente se decidir. Muitas você percebe que são enroladas mesmo, não sabem nem o que querem, mas a maioria não entende a máquina, não sabe como se portar diante do aparelho.
já usei esses caixas de todos os bancos praticamente e a maioria é bem simples mesmo, não tem segredo, está tudo mastigado, mas quem disse que as pessoas entendem. Os bancos precisam se modernizar, não podem ficar com velhas tecnologias, ao mesmo tempo as pessoas precisam evoluir, mas existe um degrau muito grande entre a nossa evolução diante da tecnologia e a evolução da tecnologia diante de nós.
Só para ilustrar, olha que legal esse.. esse... nem sei como posso chamar isso. Banquinho motorizado? Moto e acento? Sei lá, mas é legal...

quarta-feira, 2 de junho de 2010

VÉSPERA

Em véspera de feriado tudo parece ficar em slow motion, mais devagar, com aquela preguiça antecipada. A véspera é sempre apetitosa porque vamos curtindo mentalmente aquilo que está para acontecer.
Uma vez um grande jornalista me disse que adorava curtir os dias que antecediam grandes entrevistas e fatos porque ele criava uma atmosfera mental muito peculiar e prazerosa, que nem sempre acabava se concretizando no momento da entrevista.
Tem aqueles que sofrem na véspera, bate aquela ansiedade, aquele medo, aquela insegurança do que está para acontecer. Estudantes ficam assim antes de provas, vestibulares, atores ficam antes da estreia e de subir no palco, jogadores também antes de cada partida... Nós jornalistas ficamos assim antes de cada cobertura, sempre bate aquele friozinho. Já até escrevi um post sobre esse frio na barriga antes de algumas coisas.
Mas o assunto é véspera. Os momentos que antecedem, aquele espaço de tempo mágico. Amanhã é feriado e todo mundo já fica pensando.. vou viajar, vou ficar em casa, quero sair com os amigos, vou fazer um churrasco, preciso descansar, preciso trabalhar... não importa o que vai acontecer, na véspera estamos lá pensando sobre o que vem a seguir.
Mas filosofando um pouco estamos sempre na véspera de alguma coisa... o hoje nada mais é do que a véspera do amanhã... E o amanhã, por mais que tentamos planejar é sempre uma surpresa. Faz um bom tempo que tenho desistido de planejar certas coisas, primeiro para não me frustrar e depois para lidar melhor com o acaso.
De uma forma geral vivemos em uma grande véspera neste momento: estamos com a Copa do Mundo quase começando e as eleições chegando... e que venha o feriado...

terça-feira, 1 de junho de 2010

QUEM SOMOS NÓS?

Ontem foi a última aula da matéria "Processos e produtos jornalísticos no ambiente digital" que estou fazendo na pós-graduação. Como encerramento do curso o professor Walter Lima exibiu o documentário "Quem somos nós?" de 2004.
Eu já tinha assistido esse documentário em 2006, mas na época não tinha o Mural do Antena para escrever sobre e por isso acabou ficando guardado para um outro momento e hoje é esse momento, já que as ideias voltaram a cabeça para fazer esse texto.
O documentário, cujo título em inglês é "What the bleep do we know?", foi lançado em 2004 e gerou muita polêmica. Polêmica porque ele discute questões muito complexas sobre a ciência, sobre a existência humana, sobre a realidade, religião, matafísica, pensamento mágico, psicologia, espiritualidade entre outras tantas questões que não tem respostas exatas e mexem com as crenças humanas.
Esse é um documentário que traz inumeras perguntas complexas e que nos fazem pensar sobre o nosso posicionamento diante do mundo, sobre a nossa existência. Claro que ele merece ser visto com olhares mais críticos porque muitas coisas são deixadas de lado, muitos conceitos são atropelados e existe um certo interesse de quem realizou esse documentário.
O documentário foi baseado nos ensinamentos da médium americana J.Z. Knight que afirma ter um canal de comunicação com a entidade RAMTHA, por isso algumas análises contidas no vídeo tem um objetivo específico e parcial. Mas de qualquer forma muitos ciêntistas conceituados colocam ali suas idéias sobre esses inúmeros assuntos e servem como base para pensarmos em tantas questões.
Quem somos nós? certamente é uma pergunta impossível de responder e que nos faz abrir um leque de centenas de outras perguntas. Com a velocidade que as coisas caminham talvez algumas respostas aparecem e outras fiquem mergulhadas para sempre no desconhecido.
Comecei esse texto falando da aula da pós e lá tivemos muitas discussões sobre o papel do jornalismo com as novas tecnologias, como o jornalista deve se posicionar diante dessa evolução tecnologia e principalmente do novo cenário, ainda em construção, para o exercício da nossa profissão. Quem somos nós jornalistas?
Abaixo a primera parte do filme...

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO