domingo, 31 de outubro de 2010

DILMA PRESIDENTE

PLANTÃO do Mural do Antena. Uma pausa nas videorreportagens direto do Salão do Automóvel. para um momento importante para o país.
O Brasil já decidiu quem vai comandar o país pelos próximos 4 anos. Dilma Rousseff será a primeira presidente mulher da história deste país.
Muito foi dito, essa campanha foi muito pobre, esperava ouvir mais propostas concretas de todos os lados. As urnas foram soberanas e ela levou a melhor, o que era até previsto, principalmente pela força do presidente Lula.
Neste momento nem estou apto a fazer uma análise mais profunda, tenho minhas ideias, acreditava na Marina Silva como uma opção melhor.
Nós brasileiros temos agora que ajudar o governo, nos unirmos para dar apoio a presidente para que ela nos comande para um futuro melhor, com menos desigualdade, menos corrupção e mais oportunidades.
Que a oposição seja consciente e alerta para que problemas não aconteçam. Nosso papel é fiscalizar sempre (não sou oposição) sou brasileiro, jornalista e quero que meu país avance e por isso torço para que Dilma seja uma boa presidente. Torcer contra é atirar no pé!

sábado, 30 de outubro de 2010

CARROS HÍBRIDOS E ELÉTRICOS - VIDEORREPORTAGEM

Na segunda videorreportagem da série no Salão do Automóvel 2010 você vai conhecer os carros híbridos e elétricos.
Com a preocupação cada vez mais forte em buscar energias limpas e preservar o meio ambiente, as montadoras apostaram em pesquisas e trazem diversas opções de caros que podem andar com motores tanto movidos a gasolina quanto a eletricidade.
Há alguns modelos até que são apenas movidos a eletricidade, mas ainda estão longe de circular pelas ruas brasileiras.
Veja os detalhes e conheça esses modelos na videorreportagem.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

SALÃO DO AUTOMÓVEL 2010 - VIDEORREPORTAGEM

Na primeira videorreportagem da série no Salão do Automóvel você vai acompanhar um panorama geral do evento. Curiosidades, carros que chamam a atenção, os muitos shows que acontecem durante o dia.
O gargalo tecnológico impediu uma postagem mais rápida da videorreportagem, que está pronta desde a última madrugada, mas está valendo, serão várias reportagens especiais, uma por dia, com algum foco diferente das inúmeras coisas que acontecem por lá.
Antens do vídeo um agradecimento para meu irmão Diego Thomé que quebrou um galho lá no primeiro dia e também para a Michelle Fernandez que deu uma luz com a trilha sonora.
Sem mais delongas fique com a matéria realiza no primeiro dia de Salão do Automóvel.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

SALÃO INTERNACIONAL DO AUTOMÓVEL - FOTOS

Nesse primeiro dia de Salão do Automóvel fui reconhecer o terreno e gravar algumas coisa pra RedeTV. Claro que eu gravei muita coisa aqui pra Mural, muita coisa mesmo. Fiz alguma entrevistas, fotos, vídeos, contatos para nos próximos dias conseguir fazer um trabalho mais organizado.
Como o espaço é grande, são muitos detalhes e para onde você olha tem uma coisa interessante pra mostrar, em determinado momento você se sente perdido fazendo gravações. Tinha uma hora que eu não sabia mais se tinha gravado isso ou aquilo, mas foi bom esse primeiro dia, amanhã irei roteirizado, com uma lista de coisas prioritárias e assim vou dinamizar o tempo. Hoje parecia cachorro louco.
Nesse fim de noite e começo de madrugada vou editar a primeira videorreportagem aqui para o blog. Pelo que percebi acho que teremos umas seis matérias exclusivas pra cá, o que é muito bom. Enquanto isso fique com algumas fotos de hoje.





terça-feira, 26 de outubro de 2010

EM ALTA VELOCIDADE

No final desta semana e pela próxima vou postar várias videorreportagens aqui no blog. Tenho duas já gravadas, uma sobre a Bienal e a outra sobre uma exposição no Itaú Cultural, e pretendo postar no final de semana. Mas antes delas vou colocar por aqui tudo o que rola no Salão do Automóvel.
Credenciei o Mural do Antena e ao invés de produzir uma única e grande videorreportagem lá no evento, vou fazer diferente, segmentar por assuntos. Ainda não defini bem os temas, vou fazer isso na quarta-feira, primeiro dia de Salão.
Mas minha ideia e fazer uma geral, sobre o salão em si, mas depois fazer uma por dia sobre os vários aspectos envolvidos. Carros de luxo, protótipos, de corrida, grana, personalidades, mulheres, apaixonados e por aí vai. Vou tentar colocar uma por dia aqui, mas não deixarei de escrever sobre outros assuntos, portanto atividade intensa a partir de quarta. A data é oportuna já que na próxima semana acontece o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 e o automobilismo estará em evidência.
Além disso, nos dias 5 e 6 de Novembro, vou cobrir aqui para o blog mais uma edição do Teleton. Vou para o SBT mostrar os bastidores dessa maratona televisiva que visa arrecadar fundos para a AACD.
No meio de toda essa programação de gravações aqui para o blog ainda segue a todo vapor as gravações para a RedeTV e para os freelas que estão surgindo. Fim de ano corrido e muito interessante, cheio de coisas legais pra gravar e trazer para você que acompanha o Mural.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

AS COREANAS - PADDOCK GIRLS

Na madrugada deste sábado para domingo acompanhei o GP de Fórmula 1 que pela primeira vez correu na Coreia do Sul. Muita confusão por causa das obras inacabadas do circuito e na hora da corrida a chuva resolveu castigar a organização da corrida e velocidade pra valer só depois das 5 da manhã.
Enquanto isso a transmissão tentava nos deixar acordados mostrando algumas curiosidades, conversa entre os pilotos até que surgiram na tela as Paddock Girls, aquelas modelos que seguram as bandeiras e placas com nomes dos pilotos no grid de largada. Até ai tudo normal, todas as corridas tem isso e sempre são mulheres lindíssimas.
Mas me chamou atenção a beleza das sul-coreanas. Cada um tem um gosto, algo que lhe agrade mais. Tem quem goste das loiras, morenas, negras, ruivas, asiáticas, magras, gordas, altas, baixas e por aí vai. Confesso que as orientais não estavam na minha lista de mulheres que venero, conheço japonesas lindas, mas mesmo assim não faziam parte de meu circulo de preferências estéticas (claro que só estou falando de aparências aqui, não me refiro a relacionamentos ou envolvimentos mais profundos, esse tipo de coisa ultrapassa o julgamento estético).
Como dizia, conheço japonesas bonitas, mas nunca tive contato com coreanas que me chamassem atenção e olha que posso falar sobre isso muito bem já que moro no Bom Retiro, o maior reduto da colônia coreana em São Paulo.
Essas modelos coreanas são lindas, sensuais, fiquei babando com a beleza delas, com a postura elegante e sexy ao mesmo tempo. Claro que o modelo de roupa utilizado por elas era bem provocante e é assim em todos os GPs.
Só pra constar o piloto da Ferrari, Fernando Alonso, deu uma puta sorte e venceu a prova. Vettel teve o motor do seu RedBull estourado e Webber rodou sozinho e ficou pela lama. Agora o espanhol da Ferrari assume a ponta do campeonato faltando apenas duas provas para o término do campeonato. A próxima prova será aqui no Brasil e espero que as nossas paddock girls façam bonito também. Abaixo você vai ver algumas dessas paddock girls que fizeram bonito, já que a chuva atrapalhou um pouco a prova e no meio de tanta lama o sorriso dessas coreanas iluminou a madrugada.





domingo, 24 de outubro de 2010

A SOLIDÃO

São Paulo é uma cidade com números incríveis, tudo o que acontece aqui tem proporções gigantescas. Uma cidade apaixonante, cheia de problemas mas com um ritmo alucinante, que não para de pulsar nunca.
Uma cidade assim, com milhões de habitantes, centenas de atrações todos os dias, as mais diferentes possibilidades de entretenimento, é capaz de ser um território vazio e isolado pra muita gente.
Viver aqui não é fácil e muita gente enfrenta tudo isso de forma solitária. Ser sozinho é muito mais complexo do que não ter amigos, famílias, namorada, colegas de trabalho. A solidão não está na presença, ou ausência, física de pessoas. A solidão está dentro da cabeça, no interior de cada mente e de cada pensamento.
Comemorei meu aniversário em um bar nesta sexta-feira e desde quando chegamos lá observamos uma senhora, de aproximadamente 60 anos, ela estava sozinha no bar. O local estava cheio e não tinha locais para sentar, estava difícil até para achar um balcão para apoiar a cerveja. A senhora pediu uma Caca-Cola Light e pegou dois copos, um com gelo e outro sem nada.
Percebemos que ela estava completamente deslocada por ali, não era um local onde pessoas da idade dela costumam ir (não que haja uma regra para isso), ainda mais sozinha. Ela ficou muito tempo andando, perdida, até encontrar um cantinho para apoiar sua bolsa vermelha e poder beber seu refrigerante.
Nós perdemos ela de vista, até que momentos mais tarde ela reaparece, com o copo e a bolsa na mão procurando um outro lugar pra ficar. Encontrou um banco vazio, sentou e por lá ficou o resto da noite, sozinha olhando para o vazio como se tentasse se convencer de que não estava sozinha, já que estava cercada de muitas pessoas.
Se sentir sozinho é muito ruim e é ainda mais frustrante quando você se sente sozinho mesmo rodeado por muitas pessoas.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

BOLA DE PAPEL

Sim, este é um post político, não vou falar deste ou daquele candidato, não vou fazer juizo de valores, analisar história de cada um deles, mas por não aguentar mais esse processo eleitoral preciso escrever alguma coisa sobre isso.
Pra que existe debate, horário político, passeata e demais manifestações eleitorais? Na teoria tudo serve para que as ideias, propostas e planos sejam mostrados para os eleitores e, tendo como base tais propostas, cada um de nós possa fazer sua escolha. Tudo é bonito na teoria porque na prática nada disso existe, só teatro e bobagem.
Desafio aqui que me digam quais foram as propostas reais, com bases sólidas e discursos coerentes feitos nesta campanha. Discutiu-se muito sobre coisas que não são atribuições de um presidente, como o aborto, mas as questões econômicas, a saúde, educação, violência quase nunca foram citadas.
É privatização pra lá, é denuncia pra cá e propostas para melhorar o país nada. Perde-se um tempo absurdo tentando descobrir se foi uma bola de papel ou uma outra coisa que acertou o Serra, de outro lado ficam tentando achar quem jogou a bexiga d'água na Dilma. Já estou até vendo o próximo debate, só enrolação e acusação.
O que me deixa bem irritado é saber que os dois tem telhado de vidro, tão fácil de quebrar com uma bolinha de papel, tão firme quanto uma bexiga d'água.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

VAMOS COMEMORAR!!!!

O aniversário chegou, e como tudo nessa vida corrida de ultimamente, vai chegar e passar tão rápido que nem vamos perceber. Me perguntaram há alguns dias se ia fazer alguma festa, comemorar em algum lugar e disse que ainda tinha bastante tempo pra pensar no assunto. Quando fui ver já estava na semana do aniversário e corri pra pensar em algo.
Calhou do meu aniversário cair em uma semana onde estou me lascando pra fazer um monte de coisas. Editando, gravando, correndo, planejando, escrevendo que mal estou conseguindo dormir e relaxar.
Não vou ficar escrevendo aqueles textos de lembranças e nada mais. Claro que quando chega uma data dessas a nossa cabeça normalmente faz aquelas viajens nostálgicas por alguns dos anos mais felizes que tivemos, dos momentos interessantes que passamos e por aí vai. Fiz essa viagem, mas hoje estou muito mais pensando no futuro do que lembrando do passado. Estou tentando me imaginar daqui 1 ano, 10 anos, 30 anos.
De que maneira o Antena aqui estará trasmitindo? O que e para quem estarei transmitindo? Esse espaço de comunicação continuará assim? Bom, muita coisa maluca pra poder pensar, viajar, sonhar daqui pra frente.
Em meio a tanta correria, trabalho e cansaço há sim de onde tirar forças sobrenaturais e fazer uma comemoração. Vou abrir aqui pra você que visita o Mural, pois você faz parte dassa história. Estarei nesta sexta-feira (dia 22), a partir das 22 horas, no O'Malleys Pub. Vamos comemorar!!!
Nesse dia 21 de outubro, último dia de libra, estou completando 28 anos. Agradeço a todos que ajudaram a construir quem sou hoje.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

ARTE DE CORTAR

Uma das coisas mais complexas em uma reportagem é a edição. Não só por tratar da junção do que foi gravado, com o que foi apurado e ainda tentando fazer algo criativo e que dê o devido destaque para a notícia ou para aquilo que se propõe o vídeo.
Quando comecei a trabalhar com televisão a edição "não-linear" feita nos computadores era quase que ficção. Apesar de existirem experiências a edição feita dessa forma ainda estava longe de ser realidade no Brasil. Tudo era feito nas ilhas enormes, cheias de monitores, vts, máquinas com botões iluminados e coloridos. Lembro que a primeira vez que entrei em uma ilha de edição fiquei besta de tantos detalhes que existiam.
Fui aprendendo só com a observação, já que naquela época, a edição era um trabalho apenas para os editores. Eles se entendiam com todos aqueles botões, faziam tudo tão rápido que era quase impossível entender o que era apertado para cortar, o que era girado para acelerar ou retroceder a imagem. Foi em uma ilha de corte seco (que não tem tantos detalhes e serve para edições mais simples) que comecei a fuçar e tentar entender como tudo era feito e consegui.
A edição de imagens nunca foi meu forte, gostava de mexer no conteúdo, editar os textos, escolher os melhores takes, decupar (basicamente saber o que tem em cada gravação e anotar os tempos) o material, depois disso montar o esqueleto da reportagem ou programa e mandar isso tudo roteirizado para a edição de imagens.
A tecnologia avançou mais rápido do que imaginávamos e então os primeiros computadores de edição não linear foram chegando na emissora. No começo eles eram odiados porque travavam, davam pau, sumiam com arquivos e a maioria ainda preferia editar na boa e velha ilha (ainda tem os que prefiram).
Os avanços não apraram por aí e o que era feito em grandes espaços, dependendo de várias máquinas e pessoas, hoje pode ser feito em qualquer computador vendido nas Casas Bahia. Os programas para editar praticamente vem nos pacotes básicos ou então são encontrados facilmente para vender. As câmeras baratearam, gravam em memória e não dependem mais de fitas. O profisisonal que antes era segmentado hoje tem que se virar com tudo.
Ainda apanho um pouco pra editar, mas com o tempo vou aprendendo mais. Mas o mais difícil da edição não é a parte técnica e sim saber o que serve e o que não serve, saber qual a melhor forma de montar uma matéria, o que deve vir primeiro, de que forma dá mais impacto. Como muitos dizem: "a edição é a arte do desapego". Com tantas coisas legais gravadas, grande parte delas vai para o lixo virtual e não é fácil se desfazer.
Mas assim como na vida temos que nos desapegar de algumas coisas e dessa forma vamos editando nosso caminho.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

E VAMOS REMANDO...

Estou em uma fase onde não consigo fazer muitos planos, tenho minhas metas, mas nem sempre consigo trilhar com calma e antecedência os caminhos para atingir as metas.
Lógico que é muito difícil as coisas sairem exatamente iguais como planejamos, existem muitas variáveis e elas nos colocam diante de novas escolhas, caminhos alternativos e muitas vezes até a repensar nas metas.
Muita coisa mudou na minha vida nos últimos dois anos, tinha muitos planos para realizar que tiveram que ser completamente alterados. Estava idealizando minha vida com uma linha de pensamento que foi cortada com uma tesoura bem afiada. Tive então que ir buscando os pedaços e durante um tempo fui navegando conforme a correnteza, meio sem saber para onde estava indo.
Nessa correnteza acabei aprendendo muita coisa, entre elas que sabia muito bem remar.
Quando retomei o controle do meu barco vi que estava em um novo lugar, com novas perspectivas e um mar aberto de oportunidades. Ao invés de tentar voltar e remar contra a maré, aproveitei o curso das águas e ganhei velocidade nesse oceano.
Por isso tive que parar para pensar nas minhas crenças, nas coisas que queria fazer, no que eu teria que abandonar para seguir esse caminho. Foi difícil me desfazer de algumas coisas que pareciam ser bem óbvias na minha cabeça, mas vendo com outros olhos era tudo muito frágil.
Sinto falta de muitas coisas, algumas delas são impossíveis de esquecer, acho que fazem parte do meu material genético, outras vão deixar saudades, mas estou sempre ansioso pelas novas possibilidades que possam aparecer depois de cada remada, mesmo sem ainda saber direito para onde vou.
Texto meio introspectivo já que estou na semana do meu aniversário. Acho que vai ser um pouco assim essa semana. Por falar em aniversário vou postar aqui até amanhã sobre a festa que vai rolar e certamente você que é leitor do Mural está convidado.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

PRIMEIROS SOCORROS

Se algum parente seu passar mal, tiver algum problema na sua frente você sabe como socorrer essa pessoa? Muito bem, se a resposta for não, não fique envergonhado. Grande parte das pessoas não faz ideia dos procedimentos de socorro básicos e que podem salvar muitas vidas. Eu era uma delas.
Resolvi escrever sobre o assunto depois que gravei um webcast, que ainda estou editando, sobre os procedimentos que devem ser seguidos quando uma pessoa sofre uma parada cardíaca. São poucos passos, mas que devem ser seguidos a risca para que a pessoa com problemas tenha uma chance maior de sobreviver até a chegada do socorro especializado profissional.
Imagine estar em um lugar, como um supermercado por exemplo, e a pessoa que está ao seu lado comprando uma cerveja cai no chão sem nenhum sinal de movimento e respiração. A primeira coisa a fazer é chamar essa pessoa, verificar se ela está desacordada. Logo em seguida peça auxilio para as pessoas ao seu redor e peça para que elas chamem o SAMU ligando para 192.
Feito isso outros passos devem ser seguidos, como checar a respiração e depois fazer a massagem cardíaca ou técnica de compressão torácica. Não vou entrar em detalhes aqui, mesmo tendo aprendido, não é assim que se passa esse tipo de informação, já que ela é muito mais visual, você precisa ver e fazer para aprender. Mas em breve postarei aqui o vídeo da campanha que gravei e vocês poderão ter mais detalhes.
O mais importante de tudo é se interessar em aprender esse tipo de coisa, que é muito útil e pode fazer a diferença na vida de muitas pessoas. É importante também ver que as empresas estão treinando seus funcionarios para prestar esse tipo de ajuda, tornando assim, a empresa ou comercio muito mais seguros para quem está frequentando. Mas atenção, nunca tente bancar o salvador da pátria, o super herói se você não está seguro de todos os passos e se sabe realiza-los bem. Caso não esteja a melhor coisa a fazer é chamar ajuda.

sábado, 16 de outubro de 2010

E O PRÊMIO VAI PARA...

Já devia ter escrito sobre isso quando recebi a notícia, mas essa semana, mesmo sendo curta ou então por ter sido curta, foi muito corrida e me deixou sem ar. Apareceram tantos compromissos, gravações, reuniões e outras coisas mais que tive que deixar de lado algumas coisas.
Agora estou colocando as coisas no trilho novamente e por isso estou aqui para agradecer a você que votou no Mural do Antena para o prêmio TopBlog. Novamente os votos me levaram para a "final" e estou entre os 100 blogs mais votados na categoria Cultura, assim como aconteceu ano passado.
Sinceramente estou extremamente feliz com isso, mas a luta não para por aí. Nesta fase final os votos foram zerados e uma nova votação será realizada para escolher os 3 principais blogs em cada categoria. Além disso, um juri de especialistas irá eleger também 3 blogs em cada categoria para receber o prêmio.
Portanto, conto com vocês novamente nesta fase final. O seu voto será muito importante para que eu consiga entrar no Top3. Se você votou na primeira fase e quer continuar me apoiando vote novamente, como disse, os votos foram zerados e uma nova votação se inicia. Caso você não tenha votado está aí uma nova oportunidade para prestigiar o trabalho deste humilde operário da palavra e da imagem.
Conto com seu voto, a fase final de votação vai até o dia 10 de novembro e na mesma semana sairá o resultado. Para votar é só clicar aqui ou no banner do lado direito aqui no blog.
Mais uma vez uito obrigado e espero sua colaboração...

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

AMOR ANALGÉSICO

O amor sem dúvida é um sentimento mágico, que faz incontáveis coisas com a gente e na maioria das vezes nem percebemos. Amar nos deixa em outra sintonia, nos coloca num astral superior e isso nos condiciona a realizar mais e melhor, seja pessoalmente ou profissionalmente.
Muita gente diz que o amor nos deixa um tanto quanto anestesiados. Agora isso foi comprovado cientificamente, amar cria uma certa resistência as dores. Claro que se eu quebrar a perna na lua de mel indo pra cama com a Anne Hathaway vai doer pra caramba e não há paixão e amor que vá fazer isso doer menos. Aliás, nesse caso acho que até iria doer mais pela circunstância.
Mas nem precisava de pesquisa pra se chegar a essa conclusão. O amor é o principal remédio para, principalmente, as dores da alma (nossa que auto ajuda isso). Se você quiser aliviar a dor física tem mesmo que ter aquele amor ardente, apaixonado, aquela coisa assim como eu e a Anne Hathaway na lua de mel antes da perna quebrar.
Agora falando sério, o nosso cérebro é incrível e cheio de labirintos, que são arduamente descobertos e que vão nos desvendando lentamente esses misterios. Basicamente os cientistas da Universidade de Stanford na Califórnia, descobriram que ao ver a imagem da pessoa amada, as pessoas pesquisadas tinham uma percepção muito reduzida do estímulo de dor.
Bom saber, vale sempre exercitar o amor de todas as formas e claro que uma boa paixão sempre faz bem. No momento preciso ficar atento para não me machucar, porque esse analgésico está em falta na minha prateleira.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

AGENDANDO O PASSADO

A cada dia que passa tenho a sensação ainda maior de que o mundo está girando mais rápido e eu não estou tendo fôlego para acompanhar essa aceleração bruta do tempo.
Óbvio que o tempo sempre foi o mesmo, nós é que aceleramos e colocamos a culpa nele. Arrumamos mais coisas do que podemos fazer, queremos abraçar o mundo e mal conseguimos dar a volta no quarteirão. Sempre queremos mais, queremos ler mais, ter mais, comprar mais, escrever mais e esquecemos que existem limites que são rígidos.
Cada um faz o seu tempo, mas é difícil dialogar com ele para encontrar um denominador comum e conseguir realizar tudo o que planejamos. Uma coisa que não utilizo faz algum tempo é agenda física. Aquela com os números todos enfileirados, com espaços enormes para anotar suas tarefas diárias, compromissos, planos. Desisti!! Eu nunca anotava nada nela, não por falta do que ter o fazer, mas por sempre me organizar muito bem e não depender dela para isso (estranho, já que ela seria uma forma de organização, mas utilizo outras formas).
Comecei a largar a agenda porque ela também me trazia uma sensação de passado, coisa velha. Muitas vezes anotava meus compromissos nela depois que eles aconteciam, portanto eu agendava o passado. Me sentia no filme "De volta para o futuro" porque enquanto anotava lá parecia que estava planejando algo que já tinha acontecido. Complexo, coisa de cabeça de gente meio maluca.
A tecnologia também é culpada por nos sentirmos tão acelerados e sem tempo. Não há mais limites entre o profissional e o pessoal, o que é do escritório e o que é de casa. E-mails, celulares e outras centenas de formas de nos comunicarmos apagaram essa fronteira. Na hora do trabalho tem gente papeando no facebook com amigos distantes, em casa, antes de dormir, você recebe uma ligação de um colega lembrando sobre a reunião e os papéis que não pode esquecer e por ai vai. Abrir o computador em casa, depois do trabalho é pedir para continuar trabalhando. Quem não resiste em abrir aquele e-mail do chefe e então se depara com aquele problema pra resolver. Dormir que nada, você vai, responde e tenta resolver. Com a grande maioria é assim.
Dessa forma vamos esmagando cada vez mais o relógio e então escrevemos no blog para sentir um rápido alívio porque tivemos um tempinho para desabafar.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

OPERAÇÃO DE RESGATE

O resgate dos mineiros soterrados no Chile começou com sucesso nessa madrugada. A mega operação para retirar as 33 pessoas que ficaram presas a mais de 700 metros de profundidade é complexa e requer muito cuidado para não causar um desastre ainda maior.
Foram 69 dias de aflição tanto para quem estava lá embaixo quanto para os familiares e pessoas envolvidas no resgate. Pouco depois da meia-noite o mineiro Florencio Ávalos entrou para a história sendo o primeiro a sair da terra.
A cápsula usada para transportar os soterrados até a superfície levou cerca de 20 minutos para fazer o percurso com Florencio. Na boca do buraco estavam aguardando ansiosos os familiares do trabalhador com o filho muito emocionado. Também estavam lá o presidente chileno e autoridades locais, sem contar a transmissão ao vivo para diversos países gerada pela TVN e acompanhada também por centenas de jornalistas de todo o mundo.
Por falar em transmissão, achei muito curioso o fato de colocarem uma câmera transmitindo ao vivo do local onde estão os mineiros. Cada vez mais estamos querendo presenciar a notícia com os seus diversos pontos de vista e a tecnologia tem ajudado bastante nesse quesito. Antigamente só teríamos a imagem da saída do túnel perfurado e algumas fotos do lugar onde as pessoas ficaram confinadas, mas agora é tudo ao vivo, com vários ângulos, várias perspectivas para a história ser narrada. Isso vem ganhando força desde o 11 de setembro e de lá pra cá são inúmeros fatos que mostram a nossa ansiedade em ver tudo. Até o vazamento de petróleo no fundo do oceano foi monitorado por câmeras e transmitido para o mundo.
Voltando ao resgate, é bom saber que tudo está correndo bem e as pessoas serão salvas. Os chilenos e o boliviano que por lá estiveram esse tempo todo vão ganhar alguns "presentes" e certamente já são celebridades no Chile.
Mais um fato que vivenciamos, vai tomar espaço nos noticiários por algum tempo e cairá no esquecimento. Qual será a próxima grande notícia?
*Foto: Martin Bernetti/AFP

terça-feira, 12 de outubro de 2010

LEMBRANÇAS DE CRIANÇA

O dia das crianças sempre foi uma data que gostei muito, ela era o primeiro sinal de que meu aniversário estava próximo e mesmo com essa diferença de 9 dias eu ganhava presente nas duas datas.
Antes de dormir fiquei lembrando de quando era criança, das coisas que gostava, que fazia, dos poucos amigos que tinha por causa da minha timidez e dos sonhos que cultivava naquela época, alguns deles já realizados, outros abortados e alguns em curso.
Eu era um viciado em vídeo game, tinha centenas de jogos, primeiro do atari e depois do mega drive. Adorava aquele vídeo game, tanto que tenho guardado até hoje. O gosto pelos games continua, só que os avanços tiraram um pouco daquela coisa artesanal, simples porém gostosa, dos joguinhos com pouca resolução mas que eram sensacionais.
Na escola eu era meio afastado dos demais, era considerado nerd mesmo não sendo aquele aluno das melhores notas no começo, depois resolvi vestir a camisa e estudar pra valer, já que não adiantaria nada lutar contra a fama porque era nerd pela aparência. Menino magro, de óculos grandes e feio, esta aí o estereótipo ideal para ser alvo dos sarros da galera. Portanto resolvi entrar no personagem e evitei assim um grande sofrimento que estava por vir, sendo assim esqueceram de mim.
Nessa época e no começo da adolescência vamos criando algumas paixões. No começo são as professoras, depois as meninas mais velhas dos últimos anos, aliás sempre nutri uma paixão platônica por uma delas que era linda, lembro do nome e tudo, uma das lembranças mais nítidas dessa época de escola é a menina andando pelo pátio, ajeitando os longos cabelos e ela sempre olhava pra mim e me mandava um tchau, um oi ou um sorriso. Parecia que ela sabia o quanto eu admirava, era uma beleza clássica, sensual e indescritível.
Hoje é o dia da criança e por alguns instantes voltei no tempo e vivi em pensamento alguns desses momentos, como era bom...

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

ALÉM DA IMAGINAÇÃO

Eu tenho a imaginação muito fértil, já me vi pensando em coisas malucas, em fórmulas mirabolantes, em projetos faraônicos, em coisas extraordinárias. Não foram poucas as vezes que estive em conversas longas sobre ocultismo, mistérios, teorias da conspiração e principalmente em vida inteligente fora da Terra.
O desconhecido, o que foge a nossa compreensão sempre me chamou muito a atenção, muito pelo fato de ser um terreno inexplorado do ponto de vista de provas e isso é sensacional para exercitar a inteligencia e botar a cabeça para criar coisas.
O Egito, por exemplo, é um lugar que tenho que visitar. Sou apaixonado pela cultura egípcia, pela simbologia existente, pela aura misteriosa e por todas as histórias, verdadeiras ou não, que surgem da terra dos Faraós. Não é a toa que o livro que estou escrevendo (está meio parado ultimamente) tem muito dessa base e percorre os labirintos imaginários dessas lendas.
Além do Egito, o Universo é algo que me encanta e sempre me faz viajar dentro dos meus pensamentos. O Universo traz infinitas possibilidades pela falta de fronteiras existentes, a única barreira que existe é a nossa própria incapacidade e inferioridade diante de tanta imensidão. Por isso histórias de viagens para outros planetas, de aparições extraterrestres, de vida em outras galáxias, de inteligencia superior sempre me fazem parar e prestar atenção.
Bobagem, verdade, mentira, alucinação não me importa, isso não quer dizer que eu acredite nas muitas maluquices que são ditas por aí, mas eu me interesso por elas. O meu interesse vem da curiosidade de alguém que gosta de contar histórias, sejam elas reais ou não.
Existem muitas histórias boas por aí e outras mais vão surgir, até que a verdade apareça e então nós iremos buscar outras coisas inexplicáveis para continuar criando, inventando, apostando, temendo, porque isso faz parte da nossa natureza, nós humanos somos um mistério, um mistério que ainda está além da nossa imaginação.

sábado, 9 de outubro de 2010

JORNALISTAS E ASSESSORES: AMOR E ÓDIO

O assessor de imprensa é uma função muito importante, seja assessorando pessoas, empresas ou eventos. O profissional, normalmente um jornalista, é o elo entre os veículos de comunicação com quem quer divulgar alguma coisa. Mas a relação entre os jornalistas de "redação" e os assessores nem sempre é fácil.
Como sou um cara calmo dificilmente arrumo confusão, mas tem alguns assessores que nos tiram do sério. A maioria faz sempre um bom trabalho, te apoia no que é necessário, facilita o acesso as informações e fontes e te dá uma base legal para trabalhar. Mas sempre tem aqueles que parecem mais seguranças, fazem tudo para te atrapalhar, evitam te colocar em contato com quem você precisa, não dão informações e sempre criam problemas. Como disse não é regra, mas tem bastante.
Estou falando sobre isso porque passei por duas situações distintas. Ontem fui gravar em um evento de bebidas aqui em São Paulo e a assessoria foi precisa e me deu o apoio que precisava, de forma ágil, sem complicações e a matéria foi realizada tranquilamente.
Já na semana passada senti na pele o "preconceito" que existe com a produção de conteúdos para blogs. Esse é um ponto que as assessorias devem ter mais atenção, já que estou ali também para produzir conteúdo e que será visto por muita gente.
Como vocês estão acostumados costumo fazer as videorreportagens aqui para o blog e tento sempre seguir o caminho habitual que qualquer veículo de comunicação percorre. Ligar para assessorias, marcar horário, pedir fontes e apoio para a gravação, mas nem sempre temos isso. Em muitos casos os pedidos para gravação nem são respondidos, em outros são negados pela sempre falta de espaço na agenda. Quando sou autorizado a gravar espero receber um tratamento igual ao de qualquer jornalista, seja da Globo, da Folha, enfim, quero receber as informações, ter meu caminho facilitado, dentro do evento.
Bom, estou acostumado a ser largado e com um sonoro "se vira". Fica implícito um discurso do tipo "se contente em ter entrado". Nesses casos não consigo realiza tudo o que planejei, a pauta fica 'quebrada" e o que poderia ficar muito legal acaba ficando frio e sem graça.
Como disse antes isso não acontece com a maioria, tenho grandes amigos assessores e outros tantos que sempre foram de grande ajuda. Uma pena que nem sempre esses bons estão nos bons eventos e o material não fica redondo.
Vale o alerta, o mundo dos blogs, o conteúdo feito por videojornalistas e gente que tem o seu próprio canal de divulgação está aí, crescendo, com números bem interessantes de acesso e que em muitos casos pode trazer um resultado melhor do que só uma notinha na Rede Globo.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

O RECONHECIMENTO

Quando criei este blog há 1 ano e 8 meses não imaginava que ele seria responsável pelas grandes alegrias que teria. Ele é o responsável por tirar grandes sorrisos e de me dar ânimo para seguir em diante, mesmo quando as barreiras crescem na nossa cara. O blog é mais do que um canal de comunicação, ele virou uma extensão do meu dia.
Hoje foi mais um dia de grande alegria, já que mais uma vez este blog ficou no Top100 do concurso TopBlog, na categoria cultura. Isso quer dizer muito porque vem coroar um trabalho que não é fácil, mas é muito prazeroso. Ficar entre os 100 blogs mais votados é incrível pela infinidade de blogs bons que estão por aí.
Agora vem uma outra fase: a final. Onde os votos serão zerados e uma nova votação popular será feita. Além do voto dos internautas, agora entramos também para a análise de um júri de especialistas, que vão escolher também os três blogs mais significativos de cada categoria. Vou contar com o seu voto novamente e assim que a votação for aberta farei o meu apelo para os votos se repitam e que outros venham me escolher também.
Só tenho palavras de agradecimento para expressar minha alegria por hoje e por todos os dias com o grande número de acessos, com os comentários sempre pertinentes, com os e-mails amigos e com essa companhia agradável de todos os dias. Muito obrigado!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

JOGO DE PALAVRAS

Trabalhar com as palavras não é nada fácil, elas são ricas, elas são amplas e ao mesmo tempo perigosas. Basta mudar um verbo, alterar o artigo, puxar um sinônimo para que tudo ganhe novos significados.
O objeto pode ser indireto, o sujeito oculto, podemos estar no plural, com acento e sem ponto final. A palavra é aberta e reveladora, nos coloca de frente com o desconhecido e serve para desbravarmos o mundo como se ela fosse uma foice que corta o que vem pela frente sem dó e a menor piedade.
Sem a palavra não há a ironia, não há a mentira e nem a verdade para desmenti-la. O que seriamos de nós sem ela? A palavra é viva e por isso preenche os nossos vazios. Ela é instrumento, é começo, meio e fim.
Na última terça-feira fizemos um exercício muito interessante na pós-graduação. A professora nos deu um texto para ler e depois pediu que cada um grifasse palavras que mais chamavam atenção ou despertassem algo em nós. Até então foi fácil, texto lido, palavras escolhidas e uma lista feita.
Depois veio o desafio. Em grupo teríamos que juntar as palavras que cada pessoa escolheu e escrever um texto, sobre qualquer assunto, utilizando todas aquelas palavras. Individualmente talvez não fosse um exercício tão complexo, mas em grupo realmente é um desafio, já que cada um tem uma ideia, um estilo, pensamentos diferentes e por aí vai.
Achei muito interessante o resultado final de todos os grupos. Na grande maioria as palavras escolhidas foram as mesmas por todos os grupos, mas a diversidade de caminhos foi incrível. O nosso grupo teve uma mescla de filosofia e uma busca por explicar o desconhecido, outro grupo escreveu um epitáfio muito bonito, com outros colegas surgiu a literatura e também a crítica social. O resultado foi realmente inspirador.
As palavras agiram naquele momento, cada uma ativou algo inesperado e tocou de forma única em cada um. Isso acontece sempre e quase nunca percebemos. Seja em um texto, com uma música, com um vídeo, com uma história. As palavras sempre estão lá nos fazendo sentir, amar, escolher, ou seja, elas dão sentido para a vida.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

KARMA POP - VIDEORREPORTAGEM

Na videorreportagem do Mural do Antena você acompanha o que rolou na festa de lançamento do livro Karma Pop, do jornalista Arthur Veríssimo. São fotos reunidas nas 17 viagens que o jornalista fez para a Índia, retratando a cultura, a espiritualidade e os costumes daquele povo que é peculiar e muito rico.
Arthur é um especialista no assunto e o livro é de muito bom gosto, com fotos ricas e cheias de revelações. Parabéns ao Arthur pelo trabalho e aproveito para agradecer também o videorrepórter Marcelo Guedes, que cedeu gentilmente algumas fotos da última viagem que os dois fizeram para o país.
Fique então com essa viagem pela rica e fascinante Índia.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O GARGALO TECNOLÓGICO

Fazer algo para a internet tem que ser dinâmico, rápido, porque ao mesmo tudo por aqui é efêmero e fugaz. O ontem praticamente não interessa, só pra pesquisa, o que vale na web é o agora, o ao vivo, o fato no momento em que ele acontece.
Quando faço uma videorreportagem tento editar e disponibilizar aqui no blog o mais rápido possível, o que nem sempre é fácil. Estou passando por isso neste momento, fiz uma videorreportagem quinta-feira e outra na sexta. Gostaria de postar o mais rápido possível, mas ai vem o gargalo tecnológico que eu enfrento.
O primeiro gargalo é material, já que o meu notebook está pedindo água de tanto que tenho utilizado para editar, reproduzir, além das demais tarefas que ele foi criado para fazer. Em alguns casos é um sofrimento editar os videos que você assiste aqui, o programa trava, o computador não responde e tenho que fazer tudo de modo bem lento e com uma paciência de Jó. Uma matéria que demoraria 1 hora para editar acaba levando até dias para ser concluida.
Então esse problema do computador é agravado com o problema de agenda. Quando tenho tempo o computador não ajuda e por outras vezes nem sempre estou disponível para dedicar horas para editar (o que muitas vezes me custa algumas madrugadas).
Quando consigo concluir o trabalho vem mais um problema, a conexão da internet. São várias as tentativas para que o vídeo suba para o youtube com a máxima qualidade possível. A banda larga não é tão larga, o acesso é instável e por diversas vezes tenho que começar tudo do zero.
Estou enfrentando esse problema agora enquanto escrevo esse texto, tenho uma videorreportagem pronta, interessante, mas estou lutando para tentar subir o vídeo. Espero conseguir até o início dessa madrugada, para que eu possa compartilhar do conteúdo que gravei.
Agora tenho que dar um passo importante, preciso de um upgrade técnico e um suporte mais profisisonal. Vou ter que comprar um computador melhor para agilizar esse lado e certamente vou apertar o speedy na banda nada larga deles e trocar de fornecedor de internet. Meu maior medo é trocar seis por meia dúzia.

domingo, 3 de outubro de 2010

ELEIÇÕES 2010

Confesso que fiquei irritado quando fui convocado para trabalhar como mesário nessas eleições, até virou texto aqui do blog, principalmente porque tinha feito planos profissionais para essas datas. Estava completamente desanimado para trabalhar, apenas com a perspectiva de escrever algo para o blog. A Guta Nascimento me abriu os olhos para um outro lado dessa história, justamente olhar o outro lado, daqueles que assim como eu estão lá ajudando na realização do pleito.
Vou dizer que gostei muito porque com a pequena amostra de possibilidades que vi diante de mim, pude fazer uma projeção sobre vários aspectos que envolvem o processo eleitoral, principalmente o que motiva pessoas a votar nesse ou naquele candidato. Foi quase que uma pesquisa do Instituto DatAntena e percebi o quanto nosso país é atrasado politicamente.
Estava em uma zona eleitoral de classe média, de muitas misturas e com grandes revelações. A primeira coisa que ficou visível é que não adianta falar, não adianta divulgar, as pessoas não prestam atenção no que se orienta. Poucos levam a cola, muitos nem sabiam em quem votar e alguns nem sabiam quais os cargos estavam em disputa.
Ficou claro também que o comercial na TV avisando sobre o documento com foto ser obrigatório e o título não ser necessário foi executado de forma equivocada, como bem escreveu a RosanaHermann no Querido Leitor. A maioria levou só o título para votar e sempre argumentava dizendo que era isso que a propaganda dizia.
No mais tudo correu tranquilamente e achei a experiência interessante. Tem gente que se dedica de corpo e alma para executar com precisão todo o roteiro eleitoral, outros, assim como eu estava até ontem, mostravam a indignação de ter que ficar lá em pleno domingo. Eu mudei de ideia e achei muito proveitoso o momento.
Votei na Marina para presidente, na verdade nenhum dos candidatos me empolgou ou me fez achar que pudessem mudar o país e melhorar as condições desse povo, vamos ver o que acontece.
Mas fico pensando quando e como será possível mudar esse país, enquanto há políticos desonestos, fichas-sujas e eleitores que acreditam que pior não pode ficar ou votem no primeiro número que encontram pela frente, como presenciei um casal que ia para a votação e pegou um papel no chão e disse: "já encontrei meu candidato para deputado estadual".
Mais uma vez chegamos na hora e mudar, mas pelo que vi tudo vai continuar na mesma trilha que sempre seguimos.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

ASSIM CAMINHA O ENSINO SUPERIOR

Eu sempre critiquei algumas instituições de ensino superior aqui no Brasil por não tratar a educação conforme ela merece e sim como apenas mais um negócio lucrativo, e muito lucrativo. Os exemplos de absurdos, estão aí aos montes e em todos os cursos.
Ontem fiquei sabendo de um fato e hoje tive como comprovar, in loco, o quanto é importante uma faculdade que saiba direcionar o aluno para a melhor forma de exercer a profissão. Eu ainda sou a favor do diploma, mas depois dos fatos que presenciei e fiquei sabendo fica claro o porque o diploma de jornalismo ficou tão banalizado e ridicularizado.
Eu concordo que o jornalismo é uma profissão onde estão misturados talento nato, estudo, dedicação e principalmente a prática. Colocar a mão na massa sempre foi a melhor forma de aprender a cozinhar, ter o contato com os ingredientes, errar na mistura, queimar a massa até achar o ponto certo para o bom prato. No jornalismo é assim também, mas a faculdade é importante para dar uma base teórica concreta e também ensinar os primeiros passos da prática. Vamos ao problema...
Uma instituição de ensino superior (que não vou citar o nome) tem lá o seu curso de jornalismo. Ótimo, mais pessoas em sala de aula se esforçando para elevar o seu intelecto, então chega a hora da aula de telejornalismo. Telejornalismo tem a sua teoria, mas é uma matéria extremamente prática, de colocar a mão na massa, assim como radiojornalismo, fotografia e por aí vai.
Voltando ao exemplo de cozinhar, o que se espera é que a pessoa que vai te ensinar a cozinhar seja um cozinheiro ou pelo menos cozinhe muito bem, mas imagine se esse seu professor nunca cozinhou um miojo na vida, como ele pode te ensinar?
Essa é uma situação que acontece muito pelas salas de aula de todo Brasil. Uma faculdade escolhe um professor de telejornalismo que nunca pisou em uma emissora de televisão, produtora de vídeo ou algo similar. Como assim? Essa é uma matéria que a vivência do professor é fundamental para a linha de ensino a seguir. Como ele pode ensinar a produzir uma reportagem se ele nunca fez? Como ele ensinar a escrever um texto para tv se ele nunca escreveu? Assim não tem como. É o mesmo que você dizer que melancia é uma delícia sem nunca ter provado a fruta ou então dizer que sexo é bom sendo virgem.
Aproveitando minha ira, ontem estive no lançamento do livro Karma Pop, do jornalista Arthur Verissimo e sempre vejo o quanto a experiência, a prática e também algumas horas de sala de aula ajudam a enfrentar certas situações. A arte da paciência, o tom para a entrevista, quem se deve entrevistar e outras tantas coisas. Aproveito também para olhar o que os outros estão fazendo e vi uma cena constrangedora.
Uma colega, visivelmente inexperiente (o que não é nenhum demérito), mas quando você não tem a experiência você tem que se apegar em outros fatores, como conhecer bem a pauta, o entrevistado e saber o que perguntar. A pessoa chega na frente do entrevistado e lê uma pergunta que está escrita no caderninho. O entrevistado responde e a pessoa não prestou a menor atenção no que ele disse, ficam aqueles segundos de silêncio até ela recorrer ao caderninho novamente e ler a próxima pergunta. Outra gafe, o conteúdo da segunda pergunta já havia sido respondido na primeira resposta e ai a entrevista acabou, sem a jornalista saber mais o que perguntar.
Entendo o nervosismo, entendo o estresse, mas isso vai além dessas coisas, se você se propõe a fazer algo, faça aquilo com propriedade. Estude, se prepare o máximo possível, mas certamente esse erro não foi só dela, quem sabe ela não teve um professor que nunca fez uma entrevista na vida. Já vimos que isso não é nada incomum.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO