terça-feira, 30 de novembro de 2010

COMENTAR É PRECISO...

Gostamos de emitir nossa opinião, gostamos de saber que aquilo que pensamos foi ventilado e que chegou até alguém. Normal de nós humanos e acho que esse é um dos pontos que faz as redes sociais terem grande sucesso. Posso ser ouvido, tenho o direito de opinar e minha voz pode fazer diferença. Basicamente é isso.
Na televisão somos telespectadores, passivos, não temos como chegar lá e dizer "Bonner, não gostei dessa matéria no JN", "Hebe, entrevista fulano de tal", "Ana Paula Padrão, faça uma matéria sobre esse assunto" e por ai vai. O canal de interação entre o telespectador e o emissor da mensagem não é imediato e direto.
Então vem a internet e proporciona uma interação enorme, com contato basicamente direto e pessoal. Uma nova forma de relacionamento entre o emissor e o receptor da mensagem. Isso trouxe grandes coisas, mas também algumas dores de cabeça.
Sempre gostei de comentar em blogs, antes mesmo de criar o meu. Acho que é importante para quem escreve saber a opinião de quem está lendo tal texto, vendo tal vídeo ou foto. Isso é um dos grandes baratos de "blogar". Quando criei o meu fiquei muito feliz com o primeiro comentário e vieram mais e mais e todos são sempre muito importantes e servem de termómetro para sabermos se estamos no caminho certo.
Lembro também que sempre me aconselharam a moderar os comentários para evitar dores de cabeça. Muitos colegas blogueiros me diziam sobre as pessoas que partem para agressão, falaram dos trolls, mas eu meio que ignorei. Nunca tive um grande problema, nada de comentários maldosos ou sem argumento válido, até que essa semana aconteceu um estresse.
Na verdade o estresse em si não foi o que mais me chamou atenção. Duas pessoas debateram de forma mais acalorada em um post recente. Até aí tudo bem, faltou um pouco de bom senso, mas não houve agressão ou baixo nível. Mesmo assim decidi moderar os comentários, evitar constrangimentos desnecessários e que bom que fiz isso, porque algumas pessoas aproveitaram a discussão e começaram a usar palavrões contra aqueles que estavam discutindo. Cortei o mal pela raiz e agora aprendi a lição.
Mas continuo ressaltando sempre a importância do comentário, seja ele aqui no post, por e-mail e até por outras redes sociais, como também é comum acontecer no twitter, facebook orkut... Depois desse fato comecei a entender porque muita gente tem vergonha de comentar, de expor sua opinião para os demais leitores. Também já debati muito sobre isso com outros colegas. Tem posts que não recebo nenhum comentário direto aqui no blog, mas chove e-mails e mensagens sobre tal texto, sempre achei curioso.
E assim vamos aprendendo, o mais importante é a troca de informação, de pontos de vista, para que o debate aconteça de forma democrática e assim novas ideias surjam para que todos tenham oportunidade de crescer. E o barco segue...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

DEMÔNIO

Domingo de muito calor, dia agradável aproveitei para ir ao cinema com uma amiga que não encontrava há alguns anos. Depois de devorarmos um Big X Picanha resolvemos assistir algo no cinema.
Os planos quase foram por água abaixo pois as sessões com horários mais próximos estavam todas lotadas. Eis que o atendente, muito simpático fez algumas indicações até que surgiu o filme "Demônio". Eu tinha visto o trailer e me pareceu interessante. Compramos nossos ingressos e aguardamos a sessão.
Estou fazendo toda essa introdução porque não tenho muito o que dizer sobre o longa. Não posso dizer que gostei porque esperava mais, também não posso dizer que não gostei porque não foi o pior filme que vi no ano.
Um filme que tem a intenção de assustar e não tem tantas cenas assim de terror. É bem feito, bem encaminhado, um roteiro meio batido, mas fica nisso. Não achei previsível o desfecho, mas acaba nem contando tanto esse detalhe, já que a promessa de sustos fica no trailer e do lado de fora da sala de cinema.
Demônio mesmo tá armado com fuzil até os dentes colocando terror nas cidades e principalmente nas favelas cariocas. De qualquer forma abaixo você acompanha o trailer do filme.

sábado, 27 de novembro de 2010

JORNALISMO DE GUERRA

Nos últimos dias estamos acompanhando maciçamente pela TV, rádio, jornais e revistas toda movimentação dos conflitos entre a polícia e os traficantes no Rio de Janeiro. Tirando de lado a questão em si, sobre a qual já escrevi um pouco na última postagem, resta fazer uma análise sobre o trabalho da imprensa diante desses fatos.
As emissoras de tv estão fazendo uma ampla cobertura, em grande parte ao vivo, dos tiroteios e invasões das tropas. Nossa imprensa, de um modo geral, não está acostumada a lidar com esse tipo de cobertura. Os jornalistas cariocas estão mais acostumados com esses fatos, mas o que está acontecendo é muito maior do que tudo que já ocorreu recentemente.
Jornalistas com coletes a prova de balas, capacetes, carros blindados, tudo é muito diferente da rotina habitual do nosso dia a dia. Estamos enfrentando dias de Haiti, Faixa de Gaza, Afeganistão, Iraque ou Coreia do Norte. Pode parecer exagero falando, mas para os colegas que estão correndo o risco de serem atingidos por tiros de fuzil não é. Aliás, já aconteceu com o o fotógrafo da Reuters.
A cobertura tem sido boa, matérias na medida certa em grande parte dos noticiários, com alguns exageros de sempre dos telejornais mais sensacionalistas, mas nada que seja pior do que a própria realidade dos fatos.
Os cinegrafistas tem feito um excelente trabalho pegando grandes imagens, flagrantes que assustam e podem ajudar a polícia a identificar criminosos e descobrir esconderijos. Por outro lado muito tem se reclamado do vazamento e divulgação de algumas ações que estão atrapalhando o fator surpresa da polícia. Na quinta-feira o BOPE reclamou publicamente das imagens dos helicópteros da Globo e da Record, que "ajudaram" os traficantes mostrando pelo alto como toda a invasão aconteceria.
Vale destacar o bom jornalismo que o SBT vem fazendo com matérias na medida certa, muita informação, imagens impressionantes e o competente trabalho de todos os jornalistas da equipe, mas com destaque para a repórter Monica Puga. Ela que venceu o Prêmio Esso de jornalismo em 2009 com uma reportagem em um tiroteio no Rio, desta vez tem feito a diferença nessa cobertura. Abaixo uma das matérias desses dias de conflito na cidade do Rio de Janeiro.
Foto: Reuters

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

NA LINHA DE TIRO

O Rio de Janeiro é uma cidade maravilhosa, deixando de lado o trocadilho por causa da famosa música. Não preciso ficar aqui enumerando as muitas coisas que tornam a cidade em um lugar mágico.
Mas o cariocas precisam de muita mágica para enfrentar esse problema grave do poder do crime organizado nas favelas. A geografia dá uma vantagem enorme para os traficantes montarem suas bases, observarem os movimentos e assim conseguirem tranquilamente comandar seus "impérios" e amedrontar toda uma população.
Em muitas conversas que tive com amigos jornalistas, policiais, especialistas em ações de invasão o que fica claro é a impotência diante do inimigo. Um inimigo que tem vantagens, se camufla na população, que consegue impor suas vontades pela força bélica e também pela força política.
O problema é tão grave que fica difícil dizer por onde se deve começar a resolver essa questão. A corrupção também é uma grande aliada desses criminosos que se valem de muitas forças para fazerem suas exigências, para ditarem as regras que querem seguir.
As cenas que assistimos pela televisão e muitos cariocas sentiram na pele são lamentáveis. Momentos de terror, de risco, de exposição da fragilidade aparente dos limites entre o certo e o errado, do bom e do mau.
Certamente vamos ver muito disso, seja no Rio, em São Paulo e em grandes capitais onde o crime sempre consegue se impor. O que faz as autoridades cariocas comemorarem o fato da ocupação do morro? A grande maioria dos traficantes foi para o "Alemão" e de lá continuarão os ataques.
É complicado dizer isso, mas esse é um tipo de problema que fica difícil imaginar uma solução. É um câncer que está em estágio avançado e a única forma de se livrar dele é morrendo.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

12 MESES PARA ENRIQUECER - VIDEORREPORTAGEM

Como escrevi na postagem anterior, na terça-feira aconteceram duas palestras bem legais na aula de Didática do Ensino Superior na pós graduação da Cásper Líbero. Escrevi sobre a palestra muito divertida da consultora de comunicação Bruna Gasgon, que falou sobre o medo de falar em público.
A outra palestra é o fruto dessa videorreportagem. O economista Marcos Silvestre, autor do livro "12 meses para enriquecer - o plano da virada", falou sobre como podemos utilizar melhor nosso dinheiro, onde erramos, como podemos investir e poupar para ter mais dinheiro acumulado e desta forma um poder de consumo maior e mais eficiente.
Marcos também é comentarista da rádio BandNews FM e conversou comigo depois da palestra e fez um resumo de como podemos lidar melhor com nosso dinheiro e também como aproveitar melhor o nosso salário, sem cair nas tentações, principalmente nesta época de fim de ano.
O livro do Marcos está na lista dos 10 mais vendidos da revista Veja. Abaixo o bate papo com o economista, vale a pena conferir.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

MEDO DE FALAR EM PÚBLICO

Nesta terça-feira tivemos na aula de pós-graduação dois palestrantes distintos falando sobre os trabalhos que realizam. Os dois são respeitados no ramo que atuam e falam sobre coisas interessantes.
A primeira palestra foi sobre "Como vencer o medo de falar em público", ministrada pela consultora de comunicação Bruna Gasgon. A palestra foi ótima, muito divertida e cheia de boas dicas para quem lida diariamente com muitas pessoas.
Enquanto ela falava fiquei recordando de vários momentos que passei e tive que enfrentar esse medo de me deparar com grandes plateias. Confesso que esse medo existe até hoje, mas sei lidar bem com ele, mas no começo era muito complicado.
Para se ter ideia eu tinha medo de fazer perguntas na sala de aula por vergonha de me expor, não gostava de chegar atrasado para não ter que interromper a aula e fazer com que todos me olhassem. Qualquer coisa que fosse me expor eu evitava ao máximo até que fui escalado a força para participar de uma peça de teatro. Isso foi em 1997, a peça era o "Auto da barca do inferno" e eu encarei, tremia feito vara verde antes de pisar no palco, não dormi direito nas noites que antecederam o espetáculo. Tinha medo de esquecer as falas, falar besteira e ser ridicularizado.
Depois que entrei em cena o medo deu lugar a uma sensação indescritível de bem estar e êxtase, me senti muito confortável e essa adrenalina me viciou. Participei de um monte de peças, enfrentei um público enorme em um festival. O frio na barriga nunca deixou de existir, nem o medo, mas é aquele medo controlado. Não fiz mais teatro, foram 3 anos de muitas peças e que sinto saudades imensa.
Mesmo assim continuei exercendo uma profissão onde falar com o público era inevitável. Cheguei na televisão, onde uma matéria poderia ser vista por milhões de pessoas. O frio na barriga é o mesmo antes de uma entrevista, antes de uma entrada ao vivo...
Desde o ano passado me deparei com uma situação nova, comecei a dar palestras em faculdades e tive que enfrentar essa nova situação que também me deixou muito inseguro e temeroso. Antes de cada palestra vem aquele frio na barriga porque queremos sempre fazer o melhor, agradar e conseguir passar aquilo que temos para falar de forma clara e interessante.
Resumindo, falar em público não e fácil, existem muitas técnicas que ajudam a encontrar os melhores caminhos para evitar gafes. Já li vários livros, entrevistei muitos profissionais da área e é sempre bom ouvir mais dicas para afastar o medo e lidar melhor com o público.
A outra palestra foi sobre economia, como enriquecer em pouco tempo. Muito legal, será o post de amanhã, que vem junto com uma entrevista exclusiva com o economista Marcos Silvestre.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

CASOS DE FAMÍLIA

Depois de um dia corrido de trabalho, várias gravações, separar material, responder e-mails e cabeça a mil tentando arrumar buracos na semana para fazer algumas coisas pessoais, sou surpreendido por problemas e tive que acionar a polícia.
Nada de grave, mas um problema familiar que precisou do apoio da PM. Tudo se resolveu com tranquilidade, mas é sempre muito ruim ter que recorrer a esse tipo de ajuda. Sobre o problema em outro momento falo por aqui, mas para evitar especulações foi apenas uma crise de estresse da minha irmã mais nova.
Passada a dor de cabeça fui até a delegacia para que a ocorrência fosse finalizada e sempre tem aquele chá de cadeira básico. Enquanto esperava percebi o quanto é fácil a vida de produtores de programas de televisão que tentam resolver problemas familiares. Durante o período que fiquei na delegacia me deparei com alguns casos interessantes que certamente dariam boa audiência.
O que mais me chamou atenção foi uma mulher que foi abrir um boletim de ocorrência contra o ex-namorado. Ela foi até a casa dele buscar alguns pertences pessoais e acabou apanhando. Ela me disse que não foi a primeira vez que ele resolveu agredi-la, mas que dessa vez ele não ia sair impune. O cara estava lá tranquilo, todo inflado se achando o gostosão. Rolou até um principio de barraco, mas resolvi não me intrometer, esse tipo de quebra pau eu passo para o Ratinho, Márcia ou Christina Rocha.
Como bom observador fiquei lá prestando atenção no movimento. Gente chegando algemada, mulher que teve o celular roubado, a briga de família, tem o policial mais simpático, tem aquele valentão, o cara fechada, o brincalhão. O movimento estava rolando solto no meio da noite de segunda-feira. É a vida maluca de uma cidade pulsante tudo pode acontecer a qualquer hora e em qualquer lugar.
Aproveito o post para elogiar o trabalho dos policiais que me atenderam e prestaram um serviço de alta qualidade, com precisão e que foi de grande utilidade.

domingo, 21 de novembro de 2010

SHOW DO PAUL MCCARTNEY

Nos últimos meses o único Paul que estava chamando atenção e ganhando atenção do público foi o povo Paul. O octópode acertou os resultados de muitos jogos da copa, ficou famoso, recebeu atenção do mundo inteiro e morreu.
Agora ele deixou espaço para que outro Paul voltasse a ser mais notícia do que ele. Paul McCartney está no Brasil e vai se apresentar nesta noite de domingo no estádio do Morumbi. Adoraria ir, mas pra ser bem sincero, aconteceram tantas coisas nestes últimos dois meses, a correria foi tão grande que só fui lembrar do show nesta semana por causa da chuva de notícias sobre o assunto.
São poucos os shows que gostaria de ir, alguns já consegui estar presente, outros ainda não. A vida é assim, se não agarramos a oportunidade na hora que ela aparece pode ser que seja tarde. Algumas dessas oportunidades vltam, outras não e assim vamos vivendo.
Me resta ver pela televisão, não é a mesma coisa, nem chega perto de ser, mas é melhor do que nada. Enquanto Paul não toca lá no palco fique com uma palhinha dele por aqui.

sábado, 20 de novembro de 2010

A TENTAÇÃO DA MAÇA

No Paraíso, não a estação de metrô e sim nosso planeta, em uma época bem distante, Deus foi bem claro com Adão e Eva sobre o tal fruto proibido. Nada de tocar nas suculentas, apetitosas e chamativas maças vermelhas, abundantes no Jardim do Éden. (Me desculpem por qualquer erro bíblico, mas religião não é meu forte).
Um serpente maliciosa ficou colocando caraminholas na cabeça do casal solitário até que eles não resistiram a tentação e tascaram o dente nas maças. Deus furioso com a desobediência baniu os únicos moradores do local e o resto da história se desenrolou até chegarmos a hoje.
Dizem que a história é cíclica e muitos fatos se repetem. Há uma maça, apetitosa, linda, que brilha e sempre me chamou a atenção. Antes o que era só uma admiração estética, agora é quase que uma necessidade primordial. Sim, eu preciso de um computador da Apple. Não é luxo, não é tentação de uma cobra qualquer.
O computador, que antes era apenas uma ferramenta para lazer e troca de informações, é hoje minha principal ferramenta de trabalho. Em algum momento na cadeia produtiva na realização do meu trabalho jornalístico me deparo com o computador, não há mais volta e nem como mudar isso.
Pesquisar, me localizar, entrar em contato, conhecer mais detalhes, escrever, guardar o material, editar, publicar, divulgar... O computador está lá, em alguns momentos você pode até tentar evitar o uso, mas em algum lugar ele será necessário.
Voltamos então a tentação da maça. No Paraíso ela era abundante, mas não era de graça, tinha seu preço e era bem caro, segundo a bíblia estamos pagando até hoje. A maça que preciso também tem seu preço e não é nada barato. Mas estou chegando em um momento que a tentação vai falar mais alto e vou pagar o preço da ousadia de ter essa maça.
Não aguento mais olhar pela janela, que normalmente trava para abrir e ver a maça pendurada na sua árvore, no jardim do paraíso, pedindo sedutoramente para ser consumida.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

IMAGINAÇÃO FÉRTIL

Acordo, ligo a televisão e enquanto vou ouvindo as notícias me preparo para sair e enfrentar mais um dia. Antes de fazer qualquer coisa da porta pra fora não posso deixar de tomar uma das pílulas, uma escolha diária entre a azul ou a vermelha.
Sempre escolho a vermelha e nada acontece de anormal, saio de casa, trabalho, encontro os amigos, tenho uma vida comum. Hoje decidi tomar a pílula azul, que não é viagra. Depois de engolir a pílula com um pouco de água sinto que algo estranho está acontecendo. Olho para a tv e vejo que as notícias são outras, um planeta de outra galáxia está perdido na Via Láctea, no universo paralelo uma guerra está sendo desencadeada.
Saio assustado e na rua vejo robôs circulando entre as pessoas, carros voadores passam em alta velocidade. Eu já estava envolvido em toda trama, sem saber para onde ir e sentindo que algo perigoso estava pra acontecer. Resolvo me esconder e num canto bem próximo vejo um garoto baixinho, assustado e com um brilhante e chamativo anel dourado pendurado no pescoço. Ele percebe que olhei para o anel e diz que devo me esconder pois as forças do mal estão em busca dos poderes do anel.
Antes mesmo que eu diga algo, aparece voando em sua vassoura um bruxo, com uma marca na testa, óculos arredondados e olhar inocente e puxa o pequeno jovem e o leva dali. Eu corro sem direção até que avisto uma grande nave no céu. Sem saber para onde ir fico paralisado com a presença de um homem alto, com respiração mecânica, fala metalizada e um capacete negro. Ele pergunta sobre o anel e eu não consigo falar nada.
Uma forte explosão me joga longe e fico desacordado. Ao abrir os olhos já não estou mais na cidade e acordo em uma ilha aparentemente deserta. Começo a escutar vozes e vejo um grupo de pessoas e um avião todo partido. O que eu fazia ali? Que lugar era aquele?
Outro barulho, agora mais longe, como um relógio começa a me incomodar. Ele vai ficando mais alto, mais alto até que fica insuportável. Desmaio e ao acordar vejo que estou na minha cama, o relógio marca ainda o início da manhã. Saio na janela e a vida continua, tudo normal, nada de carros voando, bruxos, anéis, mas na minha mesa estão lá, como em todos os dias as duas pílulas. Qual será que tomo?
Trabalho diariamente reportando a realidade, o mundo que pulsa freneticamente diante dos nossos olhos, mas também adoro uma ficção. O imaginário, o maravilhoso, o fantástico e incrível é muito bom e nos faz viajar sem sair do lugar.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

PONTO DE EQUILÍBRIO

Estou aprendendo algumas técnicas recentemente com as gravações semanais que tenho feito com o Prof. Nuno Cobra, que foi o preparador físico do Ayrton Senna. Uma dessas coisas é a importância de cuidar do nosso corpo e ao mesmo tempo da nossa mente.
Parece óbvio, mas se pararmos pra pensar quase nunca fazemos isso de verdade. Não adianta me falar que ao fazer academia você está agindo assim porque é mentira, ele prova que não é verdade. Mas isso é um assunto para outra postagem, se possível uma entrevista dele aqui para o Mural.
Voltando a linha do texto, aprendi com ele como é importante fazer novas conexões neurais, propor coisas diferentes para nosso cérebro, fazer com que ele tenha que encontrar novos caminhos para solucionar um "problema" que se coloca diante de nós. Isso pode acontecer involuntariamente, ou seja, os problemas surgem e temos que nos virar para resolver. Mas nós podemos exercitar nosso cérebro propondo tais barreiras para que ele transponha.
Uma dessas formas é a barra de equilíbrio, que hoje virou moda nas regiões litorâneas, principalmente no Rio de Janeiro, pessoas andarem em cordas ou cabos de aço. É um exercício ótimo porque para ficar ali se equilibrando durante alguns segundos temos que limpar nossa cabeça de todos os pensamentos, problemas, preocupações... Quando você termina de se equilibrar e volta a pensar nas coisas que esqueceu por aqueles segundos, tudo ganha uma nova perspectiva, o seu cérebro está limpo e pode então achar uma solução mais adequada ou rápida.
Mas olhando para a barra de equilíbrio também vemos o quanto é importante sermos pessoas equilibradas, com um eixo bem definido para que dificilmente algo nos tire do prumo. Me considero bem equilibrado, dificilmente algo me tira do sério, me faz perder o controle. As pessoas que me conhecem bem, trabalham e vivem comigo sabem disso.
Mesmo assim é bom exercitar isso para que esse estado de equilíbrio esteja sempre revigorado e atento para que nenhum problema me tire do sério.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

CONSTRUÇÃO A JATO

O sonho de quem vai construir uma casa ou fazer uma reforma é que ela cause o menor impacto possível, não faça muita sujeira e principalmente seja rápida. Se for tudo isso junto melhor. Só que então voce vai me dizer que isso é impossível.
Outros podem dizer que não é impossível, mas só acontece em programas de televisão como o Caldeirão do Huck, Domingo Legal e Programa do Gugu, que fazem reformas e construções em um tempo muito curto e o resultado final sempre é bem interessante.
Esses programas fazem milagres mesmo, são obras terminadas muito rapidamente e sempre ficam bem legais. Mas e se eu disser que o que esses programas fazem não chega nem perto do que foi feito na China?
Sim, lá do outro lado do planeta os caras fizeram algo que na minha cabeça era impossível. Os chineses ergueram um hotel de 15 andares em 48 horas. Isso mesmo,15 andarem em 48 horas. Depois em pouco mais de 40 horas finalizaram a obra com todos os detalhes de pintura e tal. Mas o prédio estava em pé, pronto para receber os detalhes em 48 horas.
Duvida? Então veja o vídeo abaixo.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

SENNA

Aproveitei o feriado para ir ao cinema, coisa que não faço há alguns meses. Entre as tantas boas opções resolvi escolher o documentário sobre Ayrton Senna. Estava empolgado para assistir desde quando fiquei sabendo que o filme estava em processo de finalização.
Não preciso dizer o quanto sou fã, assim como milhões de brasileiros. Assisto as corridas desde que me conheço por gente, vi momentos memoráveis do piloto, ultrapassagens tão vivas quanto importantes momentos da minha vida, e claro, no fatídico dia da morte acompanhei com angustia todos os momentos, desde a largada até a notícia dada por telefone em um plantão por Roberto Cabrini.
Ano passado fiz uma videorreportagem em uma exposição em homenagem ao piloto e tive o prazer de conversar com a irmã dele, Viviane Senna. Foi bem interessante.
Recentemente assuntos ligados ao tricampeão estão muito em pauta no meu dia-a-dia. Há alguns meses tenho feito semanalmente gravações com uma das pessoas que mais conviveram com Ayrton. O preparador físico do piloto, Prof. Nuno Cobra, sempre fala sobre Senna, me conta histórias de bastidores, fala sobre a preparação do atleta e escuto tudo com grande atenção.
Por tudo isso escolhi Senna para ver na telona e não me decepcionei. Que maravilhoso documentário, um trabalho difícil porém muito bem feito da equipe que juntou registros dos mais diferentes lugares, entrevistas, arquivo pessoal e montou de forma brilhante.
Senna narra sua própria tragetória, ele nos leva por todos os momentos de sua carreira, do começo promissor, dos títulos e talento, a rivalidade com Prost, a política da Fórmula 1, e sim, ele nos deixa aflitos diante da morte que inevitavelmente chegaria.
Um filme que sabemos o começo, o meio e principalmente o final, mesmo assim ou por isso, fica muito difícil de não se emocionar com a história do nosso herói, infelizmente uma história onde o final não é feliz. Abaixo o trailer.

domingo, 14 de novembro de 2010

NA GAVETA

Existe um termo no jornalismo, nem sei se é um termo oficial, mas que é habitualmente utilizado, que é matéria de gaveta. São aquelas reportagens não factuais, assuntos que não se esgotam ou ficam velhos.
Elas podem ser utilizadas em qualquer momento, normalmente não perdem a atualidade, mesmo sendo publicadas ou exibidas algum tempo depois de realizadas. Já fiz muitas matérias de gaveta, elas são importantes para te dar uma base de segurança caso algo aconteça, ou na verdade caso algo não aconteça. Sabe aquele dia chato, sem grandes fatos, sem nenhuma polêmica, acidente, crise econômica? Esse é o dia que a matéria de gaveta vai te salvar, ela já está lá pronta, editada, revisada e pedindo para ser exibida.
Muitas vezes fazemos matérias assim propositalmente, sabendo que ela é a primeira da lista para ser derrubada de uma edição para entrar algum fato mais importante, indo para a gaveta. Outras não, estamos certos da exibição, mas por inúmeros motivos ela caí. Então ela fica lá, esperando uma nova oportunidade, recebe uma requentada, uma novo ajuste, um outro personagem e lá está ela na lista novamente.
A gaveta é importante. Tenho 3 videorreportagens na minha gaveta, duas delas já editadas, outra esperando um olhar mais atento deste jornalista. Estou feliz com essa gaveta, vai ser importante nessa reta final de ano.
Na gaveta jornalística está tudo em ordem, agora a gaveta virtual está uma bagunça, tem coisa de mais aguardando um olhar atento e que não consegui fazer fluir esse ano. Vou tentar olhar para todas essas coisas, jogar algumas fora, desengavetar outras e tentar começar o próximo ano com o mínimo de coisas possível por lá.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

ONDE ESTÁ WALLY?

Estava procurando um livro no meu armário e encontrei no fundo, escondido entre tantos e tantos livros, uma coleção que adorava quando era mais novo. Trata-se dos livros "Onde está Wally?". Para quem não conhece, a coleção de 7 livros, não é nenhuma obra de literatura ou uma grande história, na verdade é um jogo criado pelo ilustrador britânico Martin Handford.
Ele criou o personagem Wally, conhecido nos Estados Unidos como Waldo, que é um viajante pelo tempo, espaço, pela história. Um homenzinho simpatico, com quem me identifiquei de cara quando criança pelos óculos e magreza.
Wally se "perde" nesses cenários, normalmente caóticos, repletos de pessoas, lugares confusos, cheios de ação. Nossa missão é encontrar Wally, o que não é nada fácil, principalmente nos últimos livros da série. A roupa dele não ajuda em nada nessa busca, uma blusa listrada em vermelho e branco, um gorro igual a blusa e uma calça azul. Como acessórios tem os óculos e uma bengala que normalmente ele perde em alguns cenários e também temos que achar. Com o lançamento de outros livros ele foi ganhando amigos e mais desafios.
Quando ganhei o primeiro livro estava no colegial, levei pra escola para mostrar aos colegas e um deles não só encontrou o Wally como fez questão de circular com caneta e estragar o livro e a brincadeira de todo mundo. Depois disso nunca mais levei nada pra escola.
Wally é uma boa lembrança de algumas coisas do passado... Por onde será que ele e sua turma andam?

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

O ET BILÚ

O ET Bilú foi muito comentado durante as últimas semanas, mas como estava na cobertura massiva do Salão do Automóvel e depois do Teleton, alguns assuntos foram passando. Mas gostaria de falar sobre essa história.
A primeira aparição do tal extraterrestre aconteceu no programa Conexão Repórter, do SBT. Uma reportagem comandada por Roberto Cabrini mostrou o Projeto Portal, uma associação de cientistas e pesquisadores que diz ter contatos com seres de outros planetas. Na reportagem o projeto divulgou um vídeo de uma suposta gravação de um desse seres.
Na mesma semana a Record, durante o Domingo Espetacular, mostrou uma reportagem muito semelhante e foi além, resolveu registrar também o tal alienigena. Virou assunto, virou piada, não exatamente a reportagem, mas toda essa história do tal ET.
Veio o CQC, na última segunda e foi até o Projeto, mostrou o local e fez uma gravação com o tal ET. Tudo muito engraçado!!! Essas histórias são um prato cheio para a mídia, tanto para os programas mais sérios, que tentam fazer investigações, colocar aquela pitada de dúvida sobre o assunto, como para os programas humorísticos, que ganham um balde de piadas praticamente prontas.
Tirando o lado da mídia, fico aqui imaginando o quanto sofrem pesquisadores, cientistas e ufólogos sérios que dedicam anos de pesquisa, empenho e depois de tudo, vem uma galera, cria uma história claramente falsa para atrair mídia e acaba desacreditando todo um grupo de pessoas.
O Urandir, cabeça desse projeto, já é um velho conhecido. Há alguns anos quando fiz uma matéria sobre mistérios e tal, ele sempre aparecia nas pesquisas como um ufólogo que tinha a capacidade de conversar com seres de outro planeta, ele até chegava a fazer um negócio maluco de "iluminar" pedras. Aparecia muito em programas de auditório como Ratinho e Gugu, foi destaque em programas jornalísticos como o Fantástico e tal. Depois acabaram provando que tudo não passava de truques e ele sumiu. Voltou agora, tentou mostrar a história do Bilú como algo sério, quando viu que não ia dar resolveu entrar na onda e resolveu rir da própria piada levando o CQC para conhecer o tal ET.
Algo semelhante ao que fez INRI Cristo, que aparecia na televisão de forma muito séria, se dizendo a encarnação de Jesus e dizia isso com muita convicção. Hoje Inri Cristo topa tudo para aparecer, faz externas até em parque Aquático com o Pânico.
O ET Bilú é mais uma dessas piadas, que nos faz rir, mas deve deixar muito ufólogo sério morrendo de raiva.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O MUNDO GIRA E EU TENTO ME MANTER EM PÉ...

Não gosto de títulos grandes para as postagens, gosto de ser objetivo, direto, curto e grosso (sem piadinhas infames). Mas a frase do título realmente expressa a maneira como estou me sentindo nessas últimas semanas.
Outubro passou voando, muito rápido que eu nem tive tempo e olhar no calendário e planejar. Mesmo meu aniversário, uma data que constumo olhar com mais atenção, passou feito manteiga. Mal consegui organizar uma comemoração. Tanto trabalho, tantas coisas pra fazer, produzir, gravar e editar que me senti em um universo paralelo, como em Fringe. Tinha um Antenor vivendo no automático aqui na Terra e outro, o Antena, correndo feito maratonista tentando abraçar o mundo com os pequenos braços.
Hoje os dois (Antenor e Antena) se encontraram novamente aqui na Terra e quase levei um tombo. Quanta coisa acontecendo e eu anestesiado por tanto trabalho. Pra ajudar a sair desse estado letárgico recebi uma proposta que me balançou, fiquei feliz, estou em um exercício interno de decisão. Nesta quarta-feira tem que sair fumaça branca da chaminé, assim como no Vaticano, e uma decisão será tomada pelos cardeais do meu cérebro, conhecidos também como neurônios. A decisão é deles, mas há uma forte pressão popular, também conhecida como intuição.
Saindo do pessoal, olhe para o mundo, nem precisa ir tão longe. Uma senhora publica um vídeo no youtube reclamando das bonificação da colheita feliz, um joguinho do orkut (trabalhar que é bom nada). Enquanto isso, nunca imaginei ler uma notícia de que Silvio Santos pediria dinheiro emprestado, quem tanto jogou para o auditório agora sai caçando nos patrimônios, incluindo sua empresa de coração, o SBT, para garantir um emprestimo de R$2, 5 bilhões para salvar o Banco Panamericano.
Enquanto a mulher reclama da colheita e o Silvio pede dinheiro ao invés e dar, vem Reinaldo Gianecchine e me grava um comercial do Shopping Pinto, só vendo o comercial para se ter ideia de como nem sempre as pessoas são bem assessoradas. Atenção ao slogan final do comercial "O que você mais gosta, no lugar que você sempre quis". Tão brincando né? hahahahah Esse vídeo até merece ficar aqui na home.
Por isso que digo, o mundo está girando tão rápido que fica difícil se equilibrar. Começo a acreditar em 2012...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

TELETON 2010 - VIDEORREPORTAGEM

Como vocês já puderam ver nas fotos estive esse ano gravando entrevistas nos bastidores do Teleton. Essa maratona televisiva que tem como missão arrecadar fundos para a AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiênte) já está na sua décima terceira edição.
Este ano foi uma maratona também para nós profissionais de imprensa, para se ter uma ideia fiquei no SBT quase que 24 horas, gravei 48 entrevistas, mais imagens de artístas que não falaram com os jornalistas, mais bate-papo com colegas de profissão, rever os amigos e por aí vai. É um trabalho muito cansativo, porém recompensador.
Não digo isso só pelas várias entrevistas exclusivas que consegui, ou pelo carinho de pessoas como a Lígia Mendes e Patrícia Salvador, ou pela atenção das amigas do SBT de Minas Gerais, o que faz bem mesmo é poder colaborar com meu trabalho para uma causa tão nobre.
Estou negociando em fazer uma videorreportagem na AACD para mostrar esse trabalho fantástico que eles realizam por lá, até para que tenhamos aqui o que de concreto acontece com tanto dinheiro arrecadado.
Nem todo mundo que entrevistei está na videorreportagem. Infelizmente o espaço é curto para tanta gente. Agradeço mais uma vez o SBT por ter dado todo apoio na cobertura. Desculpe a demora para postar, mas essa deu bastante trabalho pra editar e ainda continuamos com aquele problema de velocidade de conexão.
Aproveito para lembrar que o Mural está concorrendo no prêmio TopBlog, se puder votar é só clicar aqui ou na janela aqui no banner ao lado.
Fique com a videorreportagem...

MUITA CALMA NESSA HORA 2

A videorreportagem nos bastidores do teleton está pronta. Mas o Youtube está com aquela vontade absurda e minha conexão com aquela preguiça que só a Telefônica conhece.
Ainda nesta terça-feira vou postar a matéria com muitas entrevistas. Como diria Silvio Santos: Aguardemmmmmm!!

domingo, 7 de novembro de 2010

TELETON 2010 - FOTOS SÁBADO

Separando os vídeos para a edição da videorreportagem do Mural do Antena direto do Teleton 2010. Foram muitas entrevistas, grande parte delas com exclusividade aqui do blog que marcou forte presença e chamou atenção lá nos bastidores.
Enquanto não edito a videorreportagem fique com algumas fotos dos bastidores de algumas entrevistas que realizei nesta maratona televisiva que é também uma maratona para quem faz a cobertura jornalística. Foram muitas horas em pé aguardando os famosos para as entrevistas exclusivas, o que inviabilizou a postagem no twitter e aqui de detalhes minuto a minuto, mas o resultado vai ficar bem legal.


Dois amores: Lígia Mendes e Patrícia Salvador


As belas: Isabella Fiorentino e Eliana


Competentes Celso Zucatelli e Roberto Cabrini


Ratinho e Justus, que dupla...


O Raul perguntou... e Carlos Alberto de Nobrega


Régis Danese e César Filho


Wanessa e Luiz Ricardo (o Bozo!!)


Isabelle Drummond (que bunitinha) e banda CINE


Cris Poli (SuperNanny) e a Maisa


Lígia Mendes e o mexicano PeeWee


Yudi e a banda CapsLock


Patricia Salvador e Beto Marden

sábado, 6 de novembro de 2010

TELETON 2010

Neste ano estou novamente na corrente de solidariedade em prol a campanha Teleton 2010. O evento pretende arrecadar 20 milhões de reais para a construção de uma nova unidade da AACD (Associação de Assistência de à Criança Deficiente).
A causa é nobre, o dinheiro é realmente utilizado em benefício das crianças e faz bem poder ajudar o próximo. Além de doar, estou ajudando com meu trabalho e com esse espaço para que você possa conhecer melhor esse projeto e também fazer parte da corrente de colaboração.
Ano passado realizaei uma videorreportagem nos bastidores mostrando toda a movimentação que ocorria na sala vip. Para rever essa videorreportagem é só clicar aqui.
Enquanto não edito o material que vou gravar durante a maratona vou postar algumas fotos. Lembrando que para doar 5 reais basta ligar 05001234505, para mais detalhes entre no site www.teleton.org.br
Seguem algumas fotos dos bastidores desta sexta-feira no Teleton 2010.





sexta-feira, 5 de novembro de 2010

MUSAS DO SALÃO - VIDEORREPORTAGEM

Na última videorreportagem da série dirato do Salão do Automóvel os carros vão ficar de lado. Eles abrem espaço para elas, que em muitos casos chamam mais atenção do que as máquinas. As musas do salão são o destaque desta matéria.
Lindas, cheias de charme e sempre com um sorriso encantador não há marmanjo que não dê aquela espiada. E as cantas, sempre uma pior que a outra, mas elas ouvem com educação e seguram a pose.
Um trabalho que não é moleza, horas e mais horas em pé, na mesma posição e com aqueles saltos gigantes. Elas merecem uma videorreportagem só pra elas.
Dessa forma encerro também a cobertura deste Salão do Automóvel e já encaixo outro evento na sequência, nesta sexta e sábado estarei gravando no Teleton.
Fique então com as beldades do evento.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO