quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

VOCÊ É UM STALKER?

Estava saindo da RedeTV! e ao meu lado no ônibus sentou uma moça que estava conversando com o namorado no celular. Foi impossível não escutar a conversa, já que além da choradeira, a moça também falava alto. Começo esse texto me declarando um stalker (de leve), no caso da moça do ônibus fui um stalker sem querer, mas há casos propositais.
O que é um stalker? O verbo stalk em inglês significa perseguir. O termo stalker seria algo como um perseguidor, um bisbilhoteiro, alguém que fuça na vida dos outros. Volto a fazer a pergunta do título do post. Você é um stalker?
Antigamente poderíamos comparar o stalker com aquela senhora que vive na janela de casa observando o movimento dos vizinhos, sempre está informada sobre o que acontece na redondeza.
Na internet a janela é outra e a facilidade para bisbilhotar a vida alheia é muito grande. Voltando a história da moça que chorava falando com o namorado pelo telefone, o motivo da briga era o Orkut. Ela reclamava que a ex-namorada dele viva entrando na página dela, outra acusação eram as fotos postadas por ele... A briga foi caminhando nesse sentido e eu pensando nas questões de privacidade.
Quem está na chuva é para se molhar. Na internet, assim como em nossas relações "presenciais", a culpa maior de ver sua intimidade revelada é da própria pessoa que se sente "invadida". Pense nas redes sociais, o quanto deixamos a mostra nossas ações, nossos desejos, nossas intimidades, o rastro que existe atrás de cada um é enorme. Claro que tem os bisbilhoteiros profissionais, que encontram formas e mais formas de burlarem senhas e bloqueios para infiltrarem o mais fundo possível na vida de alguém (o que eu acho um crime).
Mas quem aqui nunca foi olhar nas fotos de uma amigo? Foi tentar saber das amizades de um conhecido? Ou tem sempre a tentação de visitar a página da ex-namorada quando ela adiciona algo novo?
A maioria não pode reclamar. Sabe aquela história da modelo que sai de fio dental no Carnaval, mas reclama nas entrevistas que só mostram a bunda dela? Se ela não tivesse mostrado a bunda ninguém ia ver!!!

3 Comentários:

LETÍCIA CASTRO disse...

Eu sou stalker! Mas digo que é "jornalismo investigativo" (usa essa tb, Antena!). rs As tias da janelas eram o pior tipo de stalking e, como vc disse, a janela agora é outra, quem está na chuva é para se molhar! Ou "se queimar", como diria o Vicente Matheus. rs

Beijos procê!

Anônimo disse...

sou stalker obsessivo, observo vizinhos e ate o que o meu jardineiro faz, tudo escondido. adoro

Anônimo disse...

Ah! Stalker? Pra que trocar o termo Voyeur por stalker? Cansado já dessa necessidade de "ianquização" da nossa cultura. Eu adoro esse prazer de olhar além das aparências. Esse algo escondido com esse quê de investigativo é o que há! As velhinhas bisbilhoteiras em suas janelas já sabiam das coisas! Elas é que não são bobas nada! Adoro ficar em casa. Amo viver entre as minhas samambaias e orquídeas, e o Asdrúbal, o meu gato, fidelíssimo escudeiro nas horas tardias em que me entrego de corpo e alma à procura de alguém para observar. Um deleite. Um prazer quase orgástico, eu digo. Um abraço.
Lucrécia Borges, a corujinha da madrugada.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO