domingo, 29 de janeiro de 2012

ADOLESCENTES ENLOUQUECIDOS

Eu não sou conservador, daqueles que acham que as pessoas não devam curtir a vida e a idade que estão. Cada época também tem suas características que fazem a juventude ter a sua marca, seus valores e tal. Porém acho também que tudo tem limite e em cada período havia uma galera que ultrapassava esses limites e chocava seus contemporâneos. 
Vamos lá, chega de rodeios e vou direto ao assunto. Fui fazer uma gravação em uma baladinha de adolescentes na tarde deste sábado. Tecnicamente a balada só iria me servir de cenário para a gravação. Enquanto aguardava fiquei reparando no movimento, nas pessoas que estavam lá e confesso, fiquei chocado. Nesse momento pensei se estava muito velho ou se realmente o que eu estava vendo era fruto da realidade da nossa adolescência atual.
A batida da música é alta e forte, o som grave faz o corpo vibrar e as luzes multicoloridas nos deixam ver apenas flashes de momentos. Estava na área vip aguardando e logo de cara vi uma menina de seus 16 anos atracada com um outro moleque impossível de dizer a idade já que os esteróides inflaram o cara feito uma bóia. Até aí normal, eles estão lá para paquerar, beijar, aproveitar. 
No local haviam alguns espaços para que os dançarinos/dançarinas fizessem algumas performances. As meninas resolveram subir e três delas, com micro vestidos, desciam até o chão mostrando para os moleques babando embaixo a calcinha e em um caso específico a falta dela. 
No mezanino as meninas também faziam a alegria da galera. Quase todas em vestidos curtos ou com saias apertadas chegavam próximas da grade e se abaixavam. Todos gritavam enlouquecidos. 
Não havia álcool. Não havia do lado de dentro. Quando estava chegando, em ruas próximas ao local vários grupinhos bebiam enlouquecidamente catuaba, jurupinga, vodka e cerveja. 
Resultado, não beberam na festa, mas entraram bêbados. Por isso seguranças tinham que ficar espertos com aqueles caras mais ousados que na frente de todos erguiam os vestidos das meninas e se aproveitavam da carne exposta. 
Quando sai alguns país aguardavam seus filhos com cara de ansiedade e preocupação. Não precisava estar lá dentro para ver que aquela galera entre 13 e 17 anos estava aprontando. Não dá pra generalizar, porém a grande maioria me deixou de boca aberta. 
Acho que estou velho.

2 Comentários:

Milla disse...

Você não esta velho, a melhor infância e adolescência foi a nossa mesmo...É tão triste pular etapas da vida! Eu curti minha infância e brinquei de barbie até meus 15 anos. O importante é curtir cada fase, sem dar um passo maior que a perna, num é mesmo?

Anônimo disse...

Eu acho esta geração "puramente sexual" rsrsrs...não quero generalizar, mas...

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO