domingo, 18 de março de 2012

MINHA PRIMEIRA DSLR

O título do post é sim uma alusão ao bordão criado na década de 80 do "meu primeiro gradiente".  Sim, estou parecendo uma criança que acaba de ganhar algo muito desejado, só que no caso não ganhei, comprei mesmo, o que dá um gosto interessante também.
Bom, vamos lá para um histórico da minha paixão por equipamentos até chegarmos ao dia de hoje. Sempre fui apaixonado por tecnologia, por equipamentos, por máquinas ligadas ao exercício da minha profissão. Quando comecei efetivamente a trabalhar com televisão nunca deixei de fuçar, perguntar, querer entender como funcionavam todos aqueles botões, luzes, traquitanas que faziam essa fábrica de sonhos funcionar. 
Isso foi bom porque aprendi a utilizar esses equipamentos. Quando você domina a técnica fica muito mais difícil de ser passado para trás, de ser enganado ou de ficar refém de coisas que não entende. Fui ver que isso era verdade anos depois do meu início na TV quando estava fazendo um freela e o cinegrafista estava com preguiça, não queria fazer algo que pedi e veio colocar a culpa no equipamento. Prontamente mostrei que sabia como a máquina funcionava, o que ela conseguia e não conseguia fazer. Obviamente ele não gostou muito.
Esse conhecimento me ajudou quando me deparei com a videorreportagem. Foi uma coisa muito natural operar o equipamento e ao mesmo tempo fazer as entrevistas, apurar os fatos e tal. Claro que tive que passar por algumas adaptações, mas não houve um choque, um trauma ou um sofrimento. Simplesmente fui e comecei a fazer. 
Nos últimos anos a evolução dos equipamentos tem sido absurda. Coisas inteligentes, práticas e que misturam estilos aparecem a todo instante e nos fazem pirar em busca do equipamento ideal para produzirmos nossos conteúdos. Cada caso é um caso, cada profissional é um profissional e cada conteúdo é um conteúdo. As câmeras DSLR de uns tempos pra cá viraram as queridinhas dos produtores audiovisuais pela qualidade que ela oferece, pela textura, pelas opções interessantes, mesmo para quem produz vídeos, já que elas são câmeras fotográficas. 
Há um bom tempo estava na tentação. Na minha monografia realizada para a pós-graduação escrevo sobre a utilização dessas câmeras. Depois que tive contato com alguns modelos, com profissionais como a Carol Thomé, a tentação passou a virar uma obrigatoriedade. Agora virou realidade. Não comprei os modelos mais tops e tal (até porque são muuuiiiiiiito caros) mas comprei uma que vai me proporcionar dar os primeiros passos, aprender a utilizar e conhecer esse mundo das DSLRs. Espero com isso melhorar ainda mais a qualidade do trabalho que realizo.

2 Comentários:

Danny disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAAIiiii as queridinhas DSLR!!! Você vai adorar!! =)

Clinica Fluyr Saudável disse...

Meus Parabéns, sei bem o que é adquirir equipamentos relacionados ao nosso trabalho que queremos muito, beijos

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO