quinta-feira, 31 de maio de 2012

O CIGARRO E A IMBECILIDADE HUMANA

Opa, fazia tempo que não escrevia para a série "imbecilidade humana". Quando acordei e vi muitos comentários sobre hoje ser o Dia Mundial sem Tabaco logo pensei nessa sessão para escrever.
Eu odeio cigarro e acho a coisa mais imbecil do mundo. Me desculpe quem fuma (minha mãe e irmãos fumam e digo isso para eles). Eu entendo que é algo que vicia, que tem um prazer embutido no ato de fumar e tal. 
O que eu não entendo é como alguém tem coragem de enfiar um negócio recheado de veneno, que fede pra caramba, é praticamente um suicídio e ainda é feio (não acho nem um pouco charmoso ver alguém fumando).
Eu sempre tive pavor de cigarro e acho que por castigo tem muitos que fumam aqui. Eu não sou daqueles chatos que fica no pé, porém não fume no meu quarto e nem fique jogando fumaça para o meu lado. 
É uma pena que o vício fale muito mais alto e grande parte das pessoas não consiga parar. Conheço muita gente que fuma e não suporta mais fumar, mas não consegue largar. 
Certa vez vi uma pessoa fazer um teste que mostra o quanto o cigarro é nojento. Ele pegou um maço inteiro e jogou dentro de uma bacia com água e esfarelou tudo. Depois de algumas horas, aquela água preta fedia tanto e o cheiro no ambiente era terrível. 
Eu nunca coloquei um cigarro na boca, nem cheguei perto disso e muita gente me falava que eu era bobo, que eu tinha que provar, que isso, que aquilo. Minha resposta sempre foi a mesma, eu não preciso provar um cigarro para ter certeza de que aquilo é muito ruim. 
Você que fuma não se ofenda, porém no fundo você sabe que fumar não é legal. 

terça-feira, 29 de maio de 2012

MISTÉRIOS DA HUMANIDADE

Tem muitas coisas nesse planeta que são incríveis. São mistérios, coisas onde as explicações esbarram no sobrenatural, no inusitado, no obscuro... isso quando as explicações existem... 
Pirâmides, civilizações extintas, cidades submersas, mundos subterrâneos, alienígenas e por aí vai. Confesso que eu sou apaixonado por essas coisas um tanto quanto surreal. Adoro uma ficção científica, mas quando é na vida real que nos deparamos com isso fica tudo muito mais legal. 
Uma das coisas que pretendo fazer enquanto ainda caminhar sobre a superfície deste planeta (as vezes nem tanto na superfície já que ando muito de metrô - nossa que momento Zorra Total foi esse?) é visitar alguns lugares que considero mágicos. Egito é um deles, Machu Picchu é outro e a Ilha de Páscoa também faz parte do roteiro.
É sobre a Ilha que vou me deter mais profundamente. Estava lendo sobre aquelas famosas cabeças gigantes que tanto atraem turistas para o local. As estátuas, conhecidas como "Moai" encantam quem as conhece. Como foram feitas? Quem as carregou para lá? O que significam? 
O que se sabe é que elas foram construídas por habitantes da ilha entre 1250 e 1500 A.D. e até hoje já foram encontradas 887 dessas cabeças. 
Muita gente pensava que as estátuas eram apenas cabeças ali como se estivessem observando. mas as escavações mostram que elas são maiores, tem corpo, muitas vezes escondidos pela terra, como se tivessem sido espetadas por lá. 
Essas coisas são incríveis...


segunda-feira, 28 de maio de 2012

MUNDO ANIMAL

A calopsita...
Gostar de bichos virou moda, no mundo das redes sociais há quem levante bandeiras e mais bandeiras em prol dos bichinhos indefesos, bonitinhos e que em muitos casos sofrem agressões terríveis.
Sempre tive pena de ter bichos em casa, mas faz alguns bons anos que tenho uma cadela aqui que faz parte da família. Muitas vezes tem até mais privilégios do que muitos aqui dentro.
Eu sempre tive vontade de ter outros bichos, até mesmo outro cachorro. Mas por uma enormidade de poréns sempre fui adiando isso. Eu sempre achava que o máximo que ia rolar aqui em casa seria mais um cachorro. Mas a Pity, minha cadela, não é muito de fazer amizades com os outros da mesma espécie. 
Já tive peixe também, adoro aquários, acho que dá uma tranquilizada no ambiente. Mas se é pra ter um aquário que seja um bem bonito e com peixes grandes e movimentados. Então fomos a uma loja especializada em bichos com a ideia de comprar um aquário, voltei com uma calopsita. 
Essa figura que ilustra o post é a nova integrante da casa e já chegou causando. Bichinho manso, esperto, carinhoso e que não quer sair do meu ombro. Se deu bem e encantou todo mundo aqui em casa. A vendedora do pet shop até ficou emocionada quando disse que íamos comprar, ela disse que essa era a mais mansa que eles já tiveram na loja. E realmente é bem mansinha...
Não bastasse isso minha irmã resolveu radicalizar e no domingo comprou uma chinchila. Agora minha casa está prestas a virar um mini zoo. Vou cobrar ingresso dos amigos que vierem aqui hahahaha
Quem está adorando tudo isso é meu sobrinho, nem sabe para qual bicho olhar.

A chinchila

A Pity, veterana na família...

sexta-feira, 25 de maio de 2012

IMPROVÁVEL

Tem muita coisa nessa vida que é improvável. Não temos a segurança, a clareza do que é ou pode acontecer. Simplesmente surge a situação e temos que lidar com ela meio que no improviso, meio que as cegas.
Com relacionamentos, seja de ele ordem amorosa ou profissional, nem se fale. É uma estrada que vamos percorrendo sem saber onde ela vai dar. Queremos que ela nos leve para um destino, mas nem sempre temos esse destino claro na cabeça ou quando temos nem sempre sabemos qual é a estrada certa a seguir.
Um outro problema é que essa estrada não está pronta, vamos construindo na medida que progredimos e por isso as chances de fazer uma tremenda bobagem é grande. 
Enfim, são coisas inerentes da vida de todos nós. Alguns lidam melhor com esse improviso todo, outros se assustam, voltam, tentam percorrer outro caminho e tal.
E assim vamos acertando, errando e principalmente improvisando. O mais importante de tudo é fazer com que as pessoas que você ama se mantenham na sua estrada também...
Sei que você deve ter entrado no texto pensando: "Ah que sacanagem, colocou o título por causa do espetáculo dos Barbixas só pra ter mais acessos". 
Ha... Não é pegadinha do Mallandro. Escrevi justamente porque ontem estive lá no TUCA com a minha amiga Milla Linhares para ver a sessão de improviso. isso me fez pensar sobre o post escrito. Primeira vez que fui ver in loco a apresentação e gostei bastante, vale a pena. 

Foto tirada no show ontem que contou com Marco Luque .

quinta-feira, 24 de maio de 2012

EU SINTO FALTA : COLÉGIO (2)

Fachada do colégio.
Fonte: www.passeiopaulistano.com
No segundo post da série "Eu sinto falta" vou falar de duas coisas ao mesmo tempo que são representadas em uma só. Sinto falta da época da escola. 
Não de todas as épocas, não de todas as pessoas e não de tudo o que aconteceu. A mescla de momentos ruins e momentos bons é o que me faz recordar de forma tão intensa de lá.
Estudei no Colégio de Santa Inês no bairro do Bom Retiro. Uma escola tradicional, religiosa, com educação muito forte. O momento nostalgia aconteceu nessa semana, quando estive no colégio para gravar entrevista com uma das professoras que tive nos meus últimos anos por lá. Irmã Edméa, uma freira que me deu aula de Latim, Literatura e outras matérias também. 
Andar pelos corredores, ouvir o barulho dos alunos praticando esportes no pátio, reencontrar professores, entrar nas salas de aula... Passei 13 anos da minha vida ali, um filme longo passou pela minha cabeça. 
Mas quando entrei pelos fundos do teatro, na cochia e depois entrei no palco foi um momento cinematográfico. A porta estava aberta, as luzes da plateia acesas e uma solitária faxineira fazia a limpeza das cadeiras. 
olhei ao redor e tudo estava exatamente igual de quando pisei pela última vez lá na formatura. As luzes, o som, as cortinas... nada mudou... Lembrei dos momentos inenarráveis que passei ali. Foram peças como "Auto da barca do inferno", "Hamlet", "Morte e Vida Severina", "Grease" e "O Bem Amado". Momentos em que era possível deixar de lado o Antenor e viver outras histórias até então mais interessantes...
Vale ressaltar que hoje é 24 de maio. Quem estudou lá sabe o quanto essa data é importante. O dia de Nossa Senhora Auxiliadora, comemorado com uma coroação pomposa da grande imagem da Santa que fica em ponto estratégico no pátio da escola. Eu tive o privilégio, na minha época de ter sido um dos alunos que fez a coroação da santa...

Na capela do Colégio com a irmã Edméa e a Milla Linhares
para gravação da entrevista.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

EFEITO ESPONJA

Nós somos como esponjas, todo mundo é. Vamos absorvendo coisas, vamos inchando com uma infinidade de situações que vão ocorrendo no nosso caminhar. É natural, é importante e é uma das formas de crescermos em todos os sentidos.
Somos quase que mergulhados num oceano de acontecimentos e vamos capturando tudo o que é possível.  Conhecimento é uma dessas coisas, é sempre bom ser mergulhado nessa infinidade de conhecimento e tentar capturar o máximo. 
Assim são com todas as coisas. Há momentos que preferimos ficar um pouco no seco, meio que no sol para tentar coletar tudo o que pegamos e assim dar mais espaço para um novo mergulho. 
Mas quando mergulhamos nas coisas, nas histórias, nos acontecimentos, como que por osmose também vamos captando coisas que não são legais ou que ocupam um espaço que poderia ser melhor aproveitado. 
Esse excesso de coisas precisa ser expulso.. Seja apertando a esponja ou seja na hora de secar um pouco no sol. Mas nem sempre é fácil nos livrar delas e sempre corremos o risco de nesse processo de expulsar tais coisas acabarmos nos livrando de outras importantes.
Quando se aperta a esponja ela não seleciona muito o que vai ser escoado. Simplesmente ela joga tudo para fora. Existem pessoas que fazem muito bem isso. Sabem se livrar do excesso sem precisar de ajuda ou sem ter muito sofrimento. Outras precisam de uma mão externa para que no aperto tudo o que não interessa vá embora.
Existem as esponjas das esponjas. Aquelas que ajudam as outras nesse processo de limpeza. Porém ao fazer isso elas absorvem as impurezas alheia e nem sempre conseguem se livrar delas. Elas também precisam desse momento porque podem explodir. 

terça-feira, 22 de maio de 2012

BRIGA ENTRE BARBIES

Anzhelika Kenova briga para ser
a cópia perfeita da boneca
Escrevendo o título do post pensei o quanto surreal é essa história. Mas acho mesmo que nosso mundo é surreal por completo. As vezes vivemos histórias que nem mesmo a mais criativa cabeça pode imaginar.. mas isso é assunto para outra hora, voltemos as Barbies..
Duas russas estão guerreando na web pelo direito de ser a sósia mais parecida com a boneca feminina. Elas fazem de tudo para ficar igual. Imitam figurinos, fazem as mesmas poses e em alguns momentos parecem até que são de plástico. 
Realmente deu a louca nas russas. A primeira que surgiu foi a Valeria Lukyanova e bombou na web com suas fotos. Chamou atenção da mídia e todo mundo ficou falando sobre ela. Nesta semana a Anzhelika Kenova (santo Deus como se fala o nome dessa moça) surgiu dizendo que a outra era uma cópia barata e que ela sim era o verdadeiro clone da Barbie.
Confesso que achei a primeira muito mais parecida com a boneca.. a menina parece um robô... Já a segunda que surgiu tem uma linha mais teatral e pelas fotos é mais sexy. 
Esse mundo não é surreal???? Abaixo algumas fotos das duas que estão brigando...



Primeiro a que surgiu antes, a Valeria Lukyanova:



Agora a Anzhelika Kenova:



segunda-feira, 21 de maio de 2012

CALL PARADE

Bom, nesse mundo de jogadas de marketing e de ações para serem ecoadas muitas coisas (acho que quase tudo) é feito para chamar a atenção e no fundo divulgar a marca envolvida em tal fato. A ação que vou falar neste post não foge disso, porém o lado artístico da coisa é bem interessante e vale ser dito. 
A Call Parade é uma ação da Vivo (ex-Telefônica) que pretende transformar os famosos orelhões (cabines telefônicas) em obras de arte. Alguns artistas foram responsáveis por estilizar os orelhões e a partir de ontem estão expostos em pontos estratégicos da cidade. 
Alguns ficaram muito bonitos e interessantes. Achava que essa ideia poderia ser espalhada por toda cidade e ainda mantida sem período específico. Já que a ideia é alertar para a preservação dos telefones públicos que fiquem assim pra sempre, já que são bem mais bonitos do que aquele verde limão ou qualquer outra cor que possam colocar ali. 
Se eu conseguir nos próximos dias tento fazer uma videorreportagem sobre o assunto.Abaixo alguns exemplos de como ficarão os telefones.








sábado, 19 de maio de 2012

APOSTANDO NO NOVO

Coisas curiosas sempre acontecem. Nesta sexta-feira não poderia ser diferente. Estive na Faculdade Cásper Libero para um bate-papo com os alunos da pós-graduação que estão cursando a matéria do Prof. Pedro Ortiz. 
Pedro que foi meu professor e orientador da monografia que escrevi para concluir minha pós. Antes da palestra passei na sala do coordenador, o Prof. Dimas Kunsch, para falar um oi e saber como andavam as coisas.
Logo de cara ele me indagou sobre o mestrado. Queria saber o porque eu não enfrentava mais essa etapa acadêmica. Confesso que é um assunto que penso bastante, mas a desculpa para não fazer é a mais óbvia porém verdadeira: o tempo. 
Apesar de verdadeira o tempo sempre é culpado. Então ele falou que eu tinha que enfrentar o tempo e tal. O que também é verdade. Eu tenho feito tanta coisa, entrado em tantas ideias e topado tantos desafios que o mestrado até não seria uma ideia impossível. 
Fiz a palestra e foi muito legal. O bate papo foi bem produtivo e rendeu muita discussão relevante sobre a prática da profissão, sobre a rotina do videorrepórter, sobre o blog, novas formas de gravar e tal. Uma das coisas que sempre digo é que sempre é possível fazer. Mal sabia que ao ir embora eu mesmo provaria isso.
Fiz uma reunião nesta madrugada e fechei a direção e gravação de um videoclipe para um jovem talento do rap. A gravação ocorre nesse sábado mesmo durante uma festa que será realizada. 
Quando a gente acha que já fez de tudo sempre aparece algo novo e eu adoro apostar nessas coisas que surgem... 

quinta-feira, 17 de maio de 2012

AMPLIANDO O ESPAÇO

Quando as coisas começam a crescer há a necessidade de ampliar os horizontes, de ganhar mais espaço para as novidades que estão chegando.
Isso se dá tanto no aspecto físico quanto no mental. Aliás acho sempre que a ampliação do espaço mental vem sempre primeiro. São novas ideias, novos planos, novas vontades de fazer coisas que nem sempre cabem na caixinha habitual em que vivemos ou trabalhamos. 
Acontece constantemente comigo. Quando falo em ampliar fisicamente não é necessariamente uma construção ou a busca de um espaço maior, mas sim a incorporação de novas ferramentas, de novos recursos. No último ano fiz um upgrade profissional nunca visto antes na história desse jornalista. 
Essas aquisições (câmeras, computadores, acessórios) e parcerias fizeram com que meu espaço físico de trabalho fosse aumentado, me proporcionando assim melhorar minha performance e colocar em prática alguns sonhos e projetos. 
No que diz respeito a parcerias tenho algumas. A mais recente é quase que uma junção de ideias com minha amiga Milla Linhares. Já outras são parcerias de gravação, como a que faço com a Clínica Fluyr Saudável. Quando os parceiros crescem nós também crescemos.
Foi o que vi acontecer na semana passada com o coquetel de ampliação da estrutura física da clínica. Fiz o registro desse momento e você confere no videocast abaixo.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

CIRURGIA ENDOVASCULAR

Dr. nestor Kisilevzki realiza procedimento no
Hospital CECMI
Uma das coisas que mais gosto na minha profissão é esse mergulho no desconhecido que fazemos diariamente. Sempre quando surge uma pauta, quando acontece um fato ou uma entrevista é marcada somos colocados diante do novo.
Por mais que a gente conheça determinado assunto sempre estamos indo para colher informações e consequentemente aprender. Nesses meus anos de profissão já falei sobre uma infinidade de assuntos e sei que existe outra infinidade para ser explorada. 
Uma das áreas que mais tenho feito descobertas é na saúde. Antes não era muito minha praia, mas nos últimos anos, realizando videocasts para hospitais e clínicas tenho conhecido e presenciado muita coisa legal. Uma delas é a que você acompanha no vídeo abaixo. Trata-se de um procedimento muito interessante que se utiliza de muita tecnologia para que os resultados sejam muito satisfatórios, os riscos menores e a recuperação mais rápida. 
Este videocast foi realizado para o Hospital CECMI que é especializado em cirurgias minimamente invasivas. 

segunda-feira, 14 de maio de 2012

RECICLANDO IDEIAS

Eu nunca tive problema para ter ideias, sempre vão surgindo coisas na cabeça, algumas muito interessantes e outras nem tanto, algumas executáveis e outras pura fantasia. O interessante é não jogar nenhuma delas no lixo, a menos que ela seja uma porcaria mesmo (o que acontece também).
O melhor a fazer é guardar, deixar lá descansando em algum canto esquecido. Muito tempo depois elas podem fazer sentido, serem possíveis de executar ou ainda com alguns ajustes virar algo bem interessante. Isso está acontecendo comigo recentemente.
Teve uma época na minha vida profissional que eu tinha boas ideias mas quase nunca eram possíveis de serem executadas por inúmeros motivos. O principal deles era o custo e também a dependência de outras pessoas ou das empresas que trabalhava. 
Me recordo uma ocasião que em uma conversa a discussão girava em torno de quando seria possível produzir coisas de qualidade com um valor relativamente mais baixo e com equipamentos de ponta. Cada vez mais isso tem sido possível...
Por isso tirei muitas das ideias da gaveta e estou reciclando, readaptando e a partir delas tendo outros caminhos também. Hoje é possível fazer muitas coisas que eram praticamente inviáveis para um simples jornalista que gosta de por a mão na massa. Sozinho ou com a parceria certa vamos tornando possível o que no passado era impossível...

domingo, 13 de maio de 2012

HEROÍNAS

Mãe e filha durante palestra na clínica.
Não vou cair muito no lugar comum da história do Dia da Mães. Sim, todos nós sabemos da importância da figura materna, de todos os laços que envolvem e também sabemos que por mais que tentem vender a data como algo de massa, cada um tem sua relação de afeto e carinho de forma imensurável com sua progenitora.
Mas veio a calhar nesta data uma edição de um videocast que realizei semana passada para a clínica Fluyr Saudável. O vídeo se trata de uma palestra que ocorreu nas dependências da clínica e que falou sobre disciplina e limites.
O foco eram as crianças com Síndrome de Down, por isso pais e mães de crianças com a síndrome participaram para ouvir conselhos e principalmente trocar experiência com outros pais na mesma situação.
Todas as mães merecem homenagens... a minha, a sua e principalmente essas mães guerreiras que instintivamente carregam com todo carinho essas crianças incríveis e carinhosas.
Abaixo o vídeo da palestra e que mostra um pouco do carinho dessas mães... e Feliz Dia das Mães!!!

sexta-feira, 11 de maio de 2012

ARQUEOLOGIA DIGITAL - ESCAVANDO O ORKUT

Amo fazer as coisas na madrugada porque ela me proporciona abrir mais a mente, sair um pouco da rota comum e conhecida e fazer coisas que não estava costumado a fazer. Anteontem, por exemplo, tive praticamente uma reunião de pauta quatro da manhã. 
Foi nesse momento que muitas coisas clarearam sobre um projeto que realizo junto com uma amiga. Isso não é a primeira vez que acontece. Acho que 80% dos posts aqui do blog foram escritos nesse período, minhas edições faço também por volta desse horário e por aí vai.
Ontem a madrugada me serviu como máquina do tempo. Durante a conversa com uma amiga começamos a falar sobre o Orkut até que resolvemos entrar nele para ver algumas fotos e comunidades. Eu (nem sei por qual razão) ainda divulgo meus posts lá. Faço isso de forma automática, sem entrar na rede social. 
Imediatamente fui remetido para 2005, me senti um arqueólogo fazendo uma escavação em terreno desconhecido. Fui tirando a poeira, fui relembrando de coisas, lendo depoimentos, vendo fotos que estão por lá. A cada poeira tirada uma lembrança surgia de uma época que foi muito divertida. Para exercitar um pouco me atrevi até a escrever um depoimento.
Foi com o Orkut que começamos a engatinhar nessa história de redes sociais. Cada amigo que encontrávamos, cada familiar, pessoas distantes, parece que todos estavam ali próximos novamente quando usávamos a rede. O Orkut me remete a uma época bem gostosa da minha vida pessoal e profissional.
Sei que ainda muita gente usa aqui no Brasil, da minha lista de amigos aparentemente bem poucos, mas é interessante ver como as coisas na era digital também já estão virando expedição para aqueles que querem relembrar um passado ainda recente, mas que muitas vezes já está sendo soterrado por tantos grãos ou bits...

quinta-feira, 10 de maio de 2012

FREE HUGS - ABRAÇOS GRÁTIS

Ontem estava no ápice do estresse, São Paulo é uma cidade incrível e que eu amo muito, mas as vezes ela consegue tirar a gente do sério. 
Voltava de uma gravação e tinha que ir até a Av. Paulista. Somando o trem mais o metrô eu precisaria andar 4 estações apenas. Na ida, indo da minha casa e andando muito mais levei apenas 15 minutos. Só que a volta aconteceu na hora do rush. Um inferno e demorei 1h20 pra chegar no meu destino. 
Isso tira a gente do eixo, já estava todo irritado, sem graça por atrasar em um compromisso quando me deparei com essas manifestações, era quase que um flash mob na frente da Cásper Líbero. 
Free Hugs (abraços grátis). Uma infinidade de pessoas, vestindo camisetas estilizadas e com faixas indicando que elas estavam dispostas a abraçarem quem quer que fosse na rua. 
Uma das moças veio na minha direção, abriu os braços e um sorriso e me ofereceu o abraço. Estava com pressa, mas ela pulou na minha frente. Então eu disse brincando: aceito o abraço e um beijo na boca. Ela riu  e eu também, então ela me deu o abraço e segui meu caminho. 
Por alguns instantes daquele abraço me acalmei. Então fiquei pensando sobre isso. A mesma cidade que te apunhala te carrega no colo depois. Ela nos consome e nos recarrega. Ela maltrata e nos faz carinho.
O abraço é algo tão bom mas não é algo tão fácil, simples e mecânico. É um gesto de se abrir para o outro e de se fundir momentaneamente. Durante aquele abraço que levou segundos houve uma troca de energia que me fez tirar o foco do nervoso que passei. 
Abraço é sempre bom. De graça é bem vindo, mas também tem aqueles conquistados com muita luta e cheios de sentimentos que são ainda melhores...

quarta-feira, 9 de maio de 2012

QUERENDO APARECER

Zezé di Camargo é cercado por fãs e imprensa
ao chegar para visitar o cantor Pedro
Toda vez que vou fazer uma grande cobertura fico reparando em tudo o que acontece ao meu redor, faz parte da sobrevivência jornalística no meio de tantos colegas de profissão (que muitas vezes são grandes amigos) porém são concorrentes também. 
Quando é algo relacionado a hospital, doença, acidente envolvendo pessoas famosas sempre surgem fãs, curiosos e obviamente gente que não faz a menor ideia do que está rolando mas quer aparecer. É natural, estamos acostumados e cada um tem sua forma de se livrar de quem quer aparecer ou atrapalhar.
Esse meu jeito simpático as vezes atrai alguns malas e depois fica difícil de se livrar. Outros jornalistas já são mais objetivos com tais pessoas e nem dão atenção, deixam as pessoas falando sozinhas. Confesso que com alguns dá muita vontade até de ser grosso.
A questão é o quanto as pessoas são atraídas por esse tipo de situação. Um famoso entre a vida e a morte, a imprensa em massa querendo algo diferente e pessoas pré-dispostas a aparecer ou criar histórias mirabolantes na cabeça.
Nesses dias de plantão no Sírio Libanês no caso do cantor Pedro (filho do Leonardo) teve muita coisa bizarra. Fãs que não queriam saber nada do Pedro e sim quais famosos iam chegar, outros que tentam se infiltrar no espaço dos jornalistas para conseguir algo, malucos que aparecem do nada e ficam horas e mais horas rodando de um ponto para o outro... Nessas coisas sempre aparece um que disse ter falado com o cantor em sonho, outro que faz previsões proféticas e por aí vai. 
Eu entendo os fãs e a agonia que devem passar por ver o ídolo num estado crítico. Eu não entendo pessoas que se aglomeram e tentam aproveitar a chance para aparecer. Não conhecem uma música do cara, não fazem ideia do quanto o momento é tenso para a família e para quem está trabalhando lá também. 

terça-feira, 8 de maio de 2012

INTIMIDADE REVELADA

Conversando com alguns amigos durante o plantão que fazia nesta segunda-feira um assunto logo se sobressaiu. As fotos da atriz Carolina Dieckmann que caíram na web nos últimos dias mostram o quanto a linha da intimidade está muito frágil.
Claro que ela não tirou as fotos para publicar (pelo menos acho que não, mas vai saber) porém hoje temos que ter a atenção redobrada com todos os nossos aparelhos. Eles não são mais algo isolado do mundo. Tudo está conectado, tudo está interligado com todos. Apertar um botão errado, perder a senha ou mesmo enviar para a manutenção pode ser a deflagração da sua intimidade para o mundo.
Muita gente faz isso por livre e espontânea vontade. Basta ficar minutos em qualquer rede social para perceber o quanto nós mesmo nos abrimos. E não me excluo disso. Aparecer faz parte do jogo em muitos casos. Aqui no blog por exemplo eu sempre abro muitas coisas pessoais e tal. Mas sempre fico atento para não exceder os limites da segurança.
Mas é difícil. Pessoas tiram fotos íntimas em aparelhos feitos para replicar isso para o mundo. Passam endereços, telefones, armazenam em máquinas que podem ser acessadas por invasores... Os riscos são cada vez mais altos. É um problema que deve ser bem analisado pelas pessoas. 
Num mundo onde a privacidade é cada vez mais difícil de ser mantida, cabe a cada um saber os limites e tomar os cuidados necessários para que algo particular não espalhe feito fogo na selva dos conectados. 

domingo, 6 de maio de 2012

PATATI PATATÁ

Quem tem criança pequena em casa, principalmente até a faixa dos 10 anos sabe o quanto essa dupla de palhaços faz sucesso com essa criançada.
Normalmente palhaços agradam bastante as crianças (algumas morrem de medo) mas no geral agradam mesmo. São coloridos, engraçados, acertam em cheio em coisas que a criançada curte.
No caso do Patati Patatá não há segredo. Aliás eles acertarem em cheio na fórmula que sempre enche os olhos da criançada. Músicas fáceis e animadas, situações engraçadas, bonecos, animações. 
O mercado audiovisual para o público infantil estava muito focado nas figuras da Xuxa e em desenhos animados que nem sempre agradam. A volta desse atrativo para as crianças menores na televisão e o sucesso na web também mostra o quanto os palhaços são fortes ainda.
Nesse final de semana pude comprovar bem isso. Gravei um evento com crianças com Síndrome de Down no sábado e elas só queriam Patati Patatá. Hoje é aniversário do meu sobrinho e tudo da festa é do Patati Patatá.
Fui comprar o presente e a linha de produtos da dupla é interminável. tem de tudo. Bonecos, boliche, eletrônicos, pintura, máscara, dvds, quebra-cabeça, mágica... 
Isso sim é visão de mercado. Palhaços inteligentes!!!

sexta-feira, 4 de maio de 2012

ESPREMIDOS

Foto que tirei pela manhã...
Esta quinta-feira foi apertada, espremida, cheia de becos e com aquela sensação de que tinha pouco tempo pra muita coisa, muita informação para pouco espaço, muito Antena pra pouca cidade...
Logo pela manhã uma imagem me chamou a atenção. No vão entre os prédios onde estava fazendo uma gravação surgia uma cidade apertada entre o concreto, um resumão de tudo que vivemos nessa megalópole. Prédios, natureza, espaço encaixotado no mesmo lugar.
No elevador, enquanto saíamos da primeira gravação tirei a foto abaixo. Mais um local onde normalmente ficamos espremidos. Elevador é terrível, apertado, alguns escuros, outros lerdos e quando compartilhamos com outras pessoas ele tem o dom de fazer o tempo se alongar. 

No elevador, depois da gravação, com Aline Aprielo e Patricia Almeida
Depois disso achei que estava com o dia livre para fazer minhas coisas, editar e tal. Porém um chamado da emissora me levou para a porta do Sírio Libanês, hospital onde está internado o cantor pedro, filho do também cantor Leonardo. Por lá aquela coisa de sempre, imprensa amontoada em um canto esperando as notícias. Mais uma vez espremidos...

No plantão no Hospital Sírio Libanês. Câmeras se espremem
para conseguir o melhor ângulo.
Contando tudo isso e sem levar em conta o transporte público, os locais onde moramos, os apertos diários que somos colocados podemos afirmar que mesmo nesse universo infinito, em um planeta tão grande estamos vivendo espremidos uns nos outros. 

quarta-feira, 2 de maio de 2012

INTENSIDADE

Alguns ingredientes na vida são fundamentais, transformam simples momentos em coisas grandes, fazem  pequenos gestos darem aquele colorido especial no dia a dia. Isso tudo depende da intensidade.
A intensidade é como um filtro que você usa para tirar uma foto. As vezes a imagem que está diante de nós nem é tão impressionante, mas com o filtro certo, com um olhar diferenciado tudo pode mudar. Tipo "ver o lado bom das coisas". 
A intensidade é um botão que muitas vezes é acionado involuntariamente, mas em outras podemos fazer tudo no modo manual. É ficar mais pré disposto aos acontecimentos e não criar barreiras psicológicas que ofuscam os fatos.
Eu vivo minha profissão intensamente, nesse caso é até involuntário. Tudo o que está ligado a minha profissão, ligado ao que faço acontece assim. Muitas vezes nem percebo e já estou mergulhado de cabeça em projetos, ideias, criando coisas... Claro que nem sempre tudo dá certo, não são todos os projetos que vingam, ideias que se concretizam, mas enquanto elas estão circulando a intensidade de tudo está em nível elevado.
Já em outros assuntos, principalmente os ligados ao coração, nos últimos tempos liguei o botão da intensidade no nível mínimo para evitar grandes sustos. Porém algumas situações muito inesperadas e curiosas de certa forma estão me forçando a elevar a carga de intensidade e me devolvendo uma certa segurança e vontade de me surpreender. 
Então vamos viver tudo de forma mais intensa oura vez!!!!!

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO