sexta-feira, 29 de junho de 2012

DISCURSOS

Passei boa parte da madrugada escrevendo um texto que vou ler hoje a noite na formatura da pós-graduação lá na Cásper. Confesso que achei que seria mais difícil por causa da situação, mas depois que engrenei a coisa até que saiu sem grandes problemas. 
Não gosto de discursos, mas sempre sou obrigado a fazer. Gosto mesmo é de falar de improviso, ter apenas a ideia na cabeça e sair falando, mas muitas vezes é prudente ter tudo escrito e é o caso de hoje. 
Essa é a terceira vez que passo por isso na minha vida de estudante. No colégio também fui o orador da turma quando concluímos o ensino médio. Na faculdade a mesma coisa. Lá estava eu escrevendo sobre a jornada até virar jornalista. Agora veio a pós.
Como fiz a pós no período máximo possível, uma matéria por semestre e as turmas não são as mesmas, cada matéria são colegas diferentes. Por isso fica difícil personalizar a coisa, ser mais direto com cada um. 
Porém, ao mesmo tempo que fica difícil de personalizar, são das pessoas que conheci lá que lembrei enquanto  escrevi o texto. Muita gente legal com quem fiz amizade e claro, foi lá também que conheci uma pessoa bem especial que se transformou numa grande amiga e parceira de projetos. 
Tenho saudades da pós... Foram momentos bem legais e de crescimento profissional. Com certeza hoje será bem interessante poder ler para as pessoas que estarão por lá aquilo que escrevi para o momento. 

quinta-feira, 28 de junho de 2012

A SURPRESA DO INESPERADO

Esses dias ando meio afastado do blog. Era algo que eu já esperava com certa dor no coração. Fico inquieto quando não escrevo nada por aqui, mesmo que seja um simples texto. Com relação as videorreportagens eu estou desesperado porque infelizmente não tem sobrado tempo nenhum, mas eu esperava por isso.
Estou envolvido com alguns projetos e gravações que estão tomando grande parte do meu tempo e era evidente que com todas essas coisas eu não teria cabeça o suficiente para ficar escrevendo. Tudo meio que dentro do programado. 
Mas nada como coisas para nos surpreenderem diante de tantas atividades, gravações e trabalho. Sempre surge o inesperado, aquela situação que abre um buraco no meio de tudo e te faz por algumas horas esquecer do mundo. 
É bom ser surpreendido, é bom ficar atordoado diante de uma situação inesperada e depois que tudo acontece você olhar e pensar: "nossa, aconteceu tudo isso mesmo?". 
Agora é voltar ao trilho, continuar o caminho que escolhemos percorrer e quem sabe uma nova surpresa, um desvio temporário não surja mais a frente em nosso destino. 

terça-feira, 26 de junho de 2012

ENCONTRO COM A FÁTIMA BERNARDES

Eu não me encontrei com ela na estreia, tinha gravação cedo e não assiti o programa. Hoje, enquanto escrevo esse post, estou acompanhando um pouco. 
Li muita coisa ontem, penerei algumas já que alguns colunistas gostam de exagerar e tal, mas foi meio que um consenso entre todos: o programa é chato. Até agora, pelo que vi também achei. 
Quase 11 horas da manhã, a galera na rua, já correndo no trabalho, as donas de casa também começando a preparar o almoço, casa bagunçada e tudo mais e a Globo me apresenta um programa sonolento. Sim, sonolento, lerdo, parado, sem surpresas...
Já não entendi essa grade que me trás 3 programas semelhantes na sequência, apenas mudando um pouco o formato. A chance de um esvaziar o outro futuramente é enorme e pelo que tenho lido já existem brigas entre as produções por causa dos assuntos. Natural. Por falar em assuntos os temas escolhidos para essa primeira semana são muito sem sal, apesar de importante. 
O cenário então é muito legal, porém completamente inadequado para o horário. Escuro, movimentos leves, sem brilho e isso tudo dá sono, dá tédio... 
A Fátima Bernardes me parece segura, tranquila e tenho certeza que ela vai segurar bem essa bronca. Ela é competente e tem carisma, as pessoas gostam dela, o que vai ajudar muito o programa não ser um fracasso. A Globo é inteligente e em doses pequenas vai fazer os ajustes necessários. Ainda não há nada pra se desesperar, enquanto for novidade terá audiência. O problema será quando deixar de ser novidade e virar mais um produto nas manhãs...
Ontem a audiência foi boa, não seria diferente mesmo já que havia uma grande expectativa, 10 pontos de média. Quem gostou foi o SBT que viu sua audiência crescer para 7 pontos já que agora é praticamente a única que tem atração infantil no horário. A Record ficou com 5 pontos com o "Hoje em Dia". 

segunda-feira, 25 de junho de 2012

SONG POP

Não sou muito fã de aplicativos no Facebook. Na verdade não tenho nada contra os aplicativos e sim contra aqueles que insistem diariamente, de forma atordoante te convidar para inúmeros joguinhos, calendários, amizades, sorrisos e o diabo a quatro. 
Acho que peguei essa birra com os aplicativos pelos convites mesmo. Mas alguns são bem interessantes e ajudam a gente a perder tempo. Nem sempre perder tempo é ruim, fazer a cabeça pensar em coisas mais simples, distrair a mente faz bem também, mesmo que tenhamos uma pilha de coisas pra fazer. 
Um dos joguinhos que tenho gostado bastante é o Song Pop. Basicamente um jogo de qual é a música onde você compete contra um amigo (ou vários). E claro, como um monte de coisas nessa vida ele é VICIANTE. 
Outra coisa que esse jogo tem me mostrado, algo que eu obviamente já sabia e apenas estou confirmando, é o quanto eu sou ruim de música. Perdi vários desafios e percebi que estou bem desatualizado musicalmente. 
A dica sempre é: quer convidar um amigo pra jogar? Ao invés de enviar as solicitações insistentes, mande uma mensagem pra ele explicando como é o jogo ou o aplicativo e se ele se interessar certamente irá aceitar o seu convite.

sábado, 23 de junho de 2012

OFENSAS GRATUITAS

Não é a primeira vez e nem será a última, mas a diferença é que já faz algum tempo que modero os comentários aqui do blog e pelo menos consigo filtrar alguma coisa. 
As pessoas, e infelizmente nem posso dizer que seja uma minoria, não estão prontas para o diálogo, para a troca de informação, para aprender e para ensinar. O motivo eu não sei qual é, se é falta de educação, se é imbecilidade gratuita ou falta do que fazer, mas é bem verdade que muita gente não sabe aproveitar as oportunidades que se colocam diante delas.
Viver em sociedade não é fácil porque lidar com as diferenças, lidar com aquilo que possa ser contrário a nós é um exercício diário de tolerância e principalmente de aprendizado. Porém existem pessoas que preferem ignorar isso e simplesmente ligar a metralhadora de ofensas.
É incrível receber um comentário em um post porque além de um estímulo é também uma forma de abrir um debate sobre determinado assunto e aprender, conhecer experiência, pontos de vista etc, etc... 
Mas tem gente que prefere perder o próprio tempo entrando nos comentários e simplesmente agredir você e as pessoas que te cercam. Se escondem no anonimato para simplesmente despejarem um monte de bobagens. 
Em alguns casos percebemos que são pessoas próximas até, o que me deixa ainda mais triste. Quando será que vamos crescer e parar de achar que tudo é uma tremenda bobagem e realmente utilizarmos o nosso tempo para coisas mais úteis. 

quinta-feira, 21 de junho de 2012

CORINTHIANS NA FINAL DA LIBERTADORES

Uma noite para ficar gravada na memória de todo torcedor corinthiano, assim como eu. Nervosismo, jogo truncado e a maldita nuvem negra que sempre ronda o time nessa competição. 
Tínhamos que passar, ir para a final. Afinal agora temos a oportunidade clara de ganhar esse título e poder tirar essa nhaca de vez das nossas costas. 
Quem quiser zoar zoe, quem quer fazer piada faça. Todos nós temos telhados de vidro e pontos fracos. Vem pedrada de um lado mandamos outra de volta e assim serão as provocações pra sempre, mesmo que o Corinthians vença a libertadores, o mundial etc...
Mas foi uma delícia. Foi bom ver um time que todo mundo costuma temer não conseguir furar esse bloqueio tático do Tite. Foi bonito ver o desengonçado Danilo marcando sem jeito o gol da classificação. Cássio seguro, Jorge Henrique marrento e por aí vai... Um time brilhante? Não, mas um time unido e que sabe ser eficiente.
Agora é aguardar a final para fazer o possível e aproveitar essa chance. Condições o time tem. 
#vaicorinthians

Atualização: Fomos campeões no jogo contra o Boca!! Para ler o post sobre a vitória do timão clique aqui.

OBS: Galera, piadas são bem vinda, tirar sarro também porque tenho espírito esportivo. Mas por favor, educação e bom senso é sempre bom lembrar que não faz mal pra ninguém... 

quarta-feira, 20 de junho de 2012

LABUTARIA

Mary Help, personagem de Luque no Labutaria
São com 5 tipos bem comuns do nosso dia-a-dia que o ator e comediante Marco Luque arranca boas risadas de quem vai até o teatro Procópio Ferreira, em São Paulo. 
Eu já conhecia alguns dos personagens da televisão e do rádio, mas ver ao vivo e com um texto brilhante foi uma experiência muito legal. 
Luque dá um show a parte. Cada tipo apresentado e da forma como eles são criativamente introduzidos no palco nos dão a sensação de serem realmente pessoas diferentes. 
Os personagens são: Betonera, um produtor de show, gordo, meio inocente e que é responsável por abrir o show. O Mustafary é o vegetariano, meio hippie e que canta, dança e literalmente viaja...
Quem costuma pegar taxi em São Paulo já deve ter cruzado com algum taxista figura. Silas, mais um personagem, é uma dessas figuras. Com seus múltiplos idiomas e seu taxi personalizado ele arranca grandes risadas. Assim como taxista figura, você já deve ter vivido a experiência de uma diarista em casa. Mary Help representa muito bem essa classe...
Por fim, talvez o mais famoso dos personagens, o motoboy Jackson Five também nos faz rir muito lembrando das situações corriqueiras no trânsito e com seu tipo bem característico desses profissionais da moto.
Faz bem rir e nada melhor do que num princípio de semana poder largar um pouco o trabalho, esquecer dos problemas, dos sustos que passamos... Recomendo muito para quem quer dar boas risadas, ver tipos curiosos e que se olharmos bem convivemos quase que todos os dias com eles. 

SERVIÇO: 
Labutaria
Teatro Procópio Ferreira - Rua Augusta, 2823. 
Todas as terças, às 21h. 
Mais informações clique aqui.

terça-feira, 19 de junho de 2012

QUANDO VI A MORTE DE PERTO

Não fiz muito alarde porque também não tenho muito tempo para perder, mas é claro que eu tinha que escrever sobre minha experiência de quase morte. Sim, nesta segunda-feira eu quase parti dessa para uma melhor. 
Não vou ficar aqui detalhando o fato. Basicamente eu esperava na calçada para atravessar a rua, ao meu lado uma mulher também aguardava, quando um carro perdeu o controle e veio na nossa direção. Tudo ocorreu em uma piscar de olhos, quando ouvi o barulho do freio e o estrondo do carro com o poste eu fiquei meio que paralisado. 
Sim, um poste, que estava bem ao meu lado foi o que segurou o carro e evitou que ele passasse por cima de mim e da mulher ao meu lado. Seria fatal pela velocidade e também pelo fato que o carro nos acertaria em cheio. As pessoas em volta ficaram pasmas com nossa sorte, proteção ou seja lá o que for. 
Não tive tempo de ficar por lá vendo uma cena que poderia ter sido trágica pra mim. Ia até tirar uma foto, mas resolvi deixar a cena para minha própria memória. 
Não foi dessa vez, mas voltado para casa fiquei pensando em algumas coisas. Pensei principalmente na palavra intensidade. Juro que tive vontade de sair sem rumo, dar um mergulho no mar, dar boas risadas sobre nada e me empenhar ainda mais no que faço. 
Poucas horas depois, já refeito do susto estava fazendo o que gosto ao lado de uma pessoa que me faz um bem incrível. 
A morte bem que chegou perto, flertou, disse um olá e resolveu que não era a hora.
Sinceramente eu ficaria muito bravo se ela me levasse. Nunca vivi experiências tão intensas na minha vida, seria uma sacanagem me tirar do jogo antes do final da partida. Ainda bem que não tirou, o dia estava apenas começando...

segunda-feira, 18 de junho de 2012

CONHECENDO OS BASTIDORES

As pessoas normalmente são curiosas. A curiosidade é uma engrenagem complexa e que mexe com todas as pessoas, alguns em maior grau e outros em menor. Claro que para determinadas pessoas a curiosidade sobre algum tema é maior sobre outro e por aí vai. 
A televisão, por exemplo, desperta o interesse de muita gente e quando os bastidores são mostrados, quando as histórias por de trás das câmeras surgem, muita gente tende a se interessar para que aquele mistério seja revelado. 
Assim como a televisão tudo é uma vitrine onde exibimos o que é mais interessante, o que chama mais atenção e nos deixa melhor perante quem assiste ou nos vê. Muita gente cria uma imagem irreal para expor. Quase que uma necessidade de agradar quem vê mais do que fazer aquilo que gosta ou que deveria fazer. Isso nas redes sociais então é quase que uma regra. 
Vi uma foto de um casal que conheço e sei o quanto aquela foto não retrata a realidade. Conheço os bastidores da história, dos problemas, do que passa na cabeça de cada um. O nome do álbum já é pura ficção. 
Então me lembrei de uma pessoa que dizia que odiava conhecer os bastidores das coisas, a profundidade das histórias, a privacidade de certas pessoas porque tinha certeza que ficaria decepcionada em saber que muito daquilo que é visto não passa de ilusão. Ela tem razão em certo ponto.
Sabe aquela história de que de perto todo mundo é louco. Então, as vezes nem deixamos as pessoas se aproximarem muito e descobrirem o quanto somos imperfeitos. Em alguns casos isso não é possível, as pessoas entram com tudo e entramos com tudo na vida delas. As vezes descobrimos pessoas realmente piradas e em outra acabamos nos encantando diante de tanta loucura. É o risco. 

sábado, 16 de junho de 2012

QUE BRUXARIA É ESSA?


Já de imediato eu posso dizer: bruxaria do bem. Nesta sexta-feira estive com uma bruxa. Isso mesmo, uma bruxa. 
Não, não teve nada de anormal, nada de amedrontador ou de clima pesado e coisa e tal. Muito pelo contrário. Marcia Sanção, bruxa por vocação, é um defensora do bem, das coisas naturais e do bem estar comum. 
Fui até o templo dela hoje junto com minha amiga e parceira de projetos Milla Linhares. Fomos entrevistá-la, saber detalhes da vida de uma bruxa, de alguém que saiba poções mágicas, fórmulas secretas e um jeito de fazer magia. 
O papo foi ótimo e muito em breve poderá ser visto quando estiver no ar esse projeto que estou realizando. Mas vale dizer aqui que é muito legal conhecer tantas realidades diferentes, conversar com pessoas das mais distintas culturas sem nenhum preconceito, apenas compreendendo a verdade que existe dentro de cada um. 
A imagem que formamos na cabeça acaba sendo embaçada por anos e mais anos de informações erradas. O caldeirão existe, a vassoura também. O gato preto circulava por lá, assim como a varinha mágica estava pronta para o uso, mas o estereótipo de uma pessoa má, ranzinza, cheia de rugas e com vontade de fazer o mal, isso não passou nem perto do lugar. 
Foi uma experiência bem interessante hoje. Abaixo algumas fotos.

Atualização: O Projeto personas, site para o qual a entrevista foi realizada, já está no ar. Para assistir a entrevista da bruxa e conhecer outras histórias é só clicar aqui.




A entrevista!!

quinta-feira, 14 de junho de 2012

ESCREVER SOBRE O QUE?

É muito comum me perguntarem em e-mails ou palestras se existe algum assunto que eu goste mais de escrever. Eu sempre respondo que por ter liberdade total aqui no blog, normalmente escrevo sobre aquilo que gosto. Não é mentira, mas estava pensando sobre isso.
Tem alguns assuntos, de certa forma, que surgem diante de nós e mesmo que não estejamos acostumados ou familiarizados com ele aceitamos o desafio. Portanto não necessariamente sobre um assunto que gosto eu escrevo. 
Assim como as reportagens da TV, apesar de gostar de fazer tudo, tem temas e situações que eu me sinto mais satisfeito em fazer. Nessa vida jornalística acho que já escrevi e gravei sobre uma infinidade de assuntos e ainda há uma outra infinidade para ser descoberta. 
O feedback sobre os textos ou reportagens também ajudam a determinado assunto ou forma de escrever  caírem no nosso gosto. Quando chega um elogio, quando você levanta um debate interessante aciona um alerta na cabeça que instintivamente nos faz querer escrever mais sobre aquilo.
Mas as coisas são engraçadas. Recentemente escrevi um texto, não publiquei porque era de característica muito pessoal. Escrevi para jogar no papel uma situação que precisava ficar registrada. O texto ficou ótimo, não sendo nada modesto. Apenas uma pessoa leu e gostou bastante, agora estou tentado a escrever mais sobre o assunto. 
Continuando nesse certame da escrita, recebi um convite que me deixou bem feliz e ao mesmo tempo desafiado. Serei o orador da turma na colação de grau na pós-graduação da Cásper. Esta será minha terceira experiência como orador. 
No colégio também escrevi minhas linhas sobre a turma e o período. Na faculdade não foi diferente e lá estava eu lendo as palavras que dediquei ao momento. Confesso que dessa vez o desafio é maior porque as pessoas que estarão lá não necessariamente estudaram comigo. Já começo a pensar em algo que seja criativo, curto e que possa tocar cada um que, assim como eu, estará passando por mais uma etapa importante da vida.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

O DESTINO TROLL

Acho que essa é uma pergunta que normalmente vamos fazendo no decorrer da vida. Nossa vida é regida por um destino pré elaborado? Tudo tem uma razão de ser?
Confesso que não tenho uma opinião formada sobre isso, as vezes as pistas me mostram que essa história de destino é bobagem, que estamos livres neste mudo para tomarmos a direção que bem entendermos. 
Porém tem momentos que te empurram para determinada situação, a conhecer certas pessoas e fazer com que você se envolva de tal forma, tão diferente de tudo aquilo que você planejava no tal do seu mundo livre...
O que vem depois? O que nos espera a cada andar dos ponteiros, a cada decisão tomada. Somos marionetes de um enorme jogo de xadrez onde as casas que podemos andar já estão pré determinadas ou sou o rei do meu próprio jogo e faço o xeque mate da forma que eu bem entender. 
Não, isso não é um papo religioso... Longe disso, mas ao mesmo tempo, se o destino está escrito, seja nas estrelas, nos nossos corações ou no DNA, como fazer para evitar bobagens? Porque colocar coisas tão boas e ao mesmo tempo outras que te fazem ficar em conflito? Se essas bobagens fazem parte do nosso "sistema", ele tem sido um grande troll. 

terça-feira, 12 de junho de 2012

BREVE TEXTO SOBRE O DIA DOS NAMORADOS

Esse blog, apesar de ter nascido de um namoro, nunca comemorou o Dia dos Namorados. Todas as datas desde então eu não estava namorando e na primeira delas, em 2009, eu estava bem abalado pelo fim de um relacionamento. 
Muita água passou por debaixo da ponte. Algumas tentativas que não deram certo, mas acho que perto de um namoro sério eu nem cheguei. No começo estava até relutante com a possibilidade, fugia de algo sério como o diabo foge da cruz. 
Estava bem solteiro, sozinho, me dedicando quase que exclusivamente para a efervescência profissional que surgiu na minha carreira entre 2009 e 2010. Era tanta correria, tanta novidade, tantas coisas me deixando feliz que convivi bem com a ausência de alguém ao meu lado. 
Convivi, hoje não convivo mais. Não porque arrumei alguém, ao contrário, pela falta dessa companhia tenho ficado bem irritado. Agora que tudo parece estar encaminhado, que a grande agitação passou novamente aquele espaço vazio começou a fazer um silêncio ensurdecedor. 
Nesse último ano estive mais aberto para encontrar uma namorada bacana. Não apareceu ainda. O importante agora é estar receptivo a mergulhar numa relação mais séria, com comprometimentos, com atenção e dedicação que uma pessoa que esteja ao meu lado mereça. 
Os comprometidos que aproveitem bem essa oportunidade de usar uma data comercial para esquentar o relacionamento e mostrar o quanto a pessoa que está com você é importante. 

segunda-feira, 11 de junho de 2012

AMOR, SEXO E FANTASIAS

O texto não é sobre o programa de TV da Fernanda Lima, nem sobre o livro do Arnaldo Jabor ou a música da Rita Lee. Apesar de que foi ouvindo a música e me recordando das páginas lidas que o assunto me veio em mente. 
Obviamente com a proximidade do Dia dos Namorados que comemoramos amanhã (bom eu não irei comemorar) os assuntos vão ter uma certa relação. É tanta gente falando tanta coisa que a cabeça nem consegue fugir muito de certos temas. Mas exatamente sobre a data escreverei amanhã. Hoje vou falar sobre essas duas coisas importantes no relacionamento. Amor e sexo.
Claro que é muito bom quando as duas coisas estão relacionadas e uma terceira, a fantasia, entra em jogo para apimentar o relacionamento. Amar só não basta, ter tesão apenas também não e são as fantasias que podem ajudar a fazer com que as duas coisas ganhem uma liga, grudem de forma interessante. 
Todos nós temos fantasias, das mais simples até as mais malucas. Quando falamos em fantasia não necessariamente estamos nos referindo a pessoa vestir algo diferente ou fazer coisas nem tão comuns na cama. 
A fantasia pode acontecer em coisas simples, em pequenos gestos que muitas vezes fazem a diferença. Um jantar inusitado, um presente mais criativo, alterar a rotina e o previsível é sempre interessante. 
Claro que acho bem interessante as fantasias mais tradicionais, porém muita gente tem medo de se entregar nessas horas, seja por vergonha ou até mesmo por falta de entendimento do parceiro. As mulheres tem um potencial incrível para surpreender o homem nessas horas mais íntimas. As vezes só mudar a cor da lingerie já faz toda a diferença, um perfume mais marcante... 
Isso tudo é bom. Cria uma atmosfera indescritível e que sempre ficará marcada na cabeça do casal. Faz descobrir novas sensações e desperta ainda mais o interesse no outro.
Porém nada disso tem graça quando falta o olhar, o toque, a respiração, a sensação de que o desejo entre ambos está nas alturas. O Amor é incrível, o sexo é sensacional e as fantasias podem ajudar essas duas coisas entrarem em ebulição...
E segue a música da Rita Lee que é ótima!!!

sábado, 9 de junho de 2012

O IMPUBLICÁVEL

Falar sobre textos ou assuntos impublicáveis em um post do blog é meio que um paradoxo. Se não posso publicar, falar neles, então este post seria impublicável, porém estou publicando... Nossa que viagem...
Mas a língua coça, a cabeça pede e mesmo assim não podemos. Tem coisas que precisam ficar de molho, ficar guardadas porque fazem parte de nossas intimidades.
Um projeto, por exemplo, deve ser maturado, deve ser bem concebido antes que se leve a público. Não é nem questão de inveja ou problemas com aqueles que adoram copiar, é uma questão de trazer uma ideia já amadurecida e bacana.
Porém a vida nos coloca em cada situação que é bem provável que se escrevermos sobre elas nem acreditem em nós. Não vai adiantar e dizer: "Sim, é verdade!!!!". Talvez pelas circunstâncias que envolvem as coisas, talvez até pelo fato de você mesmo esfregar os olhos e dizer internamente: "Espere um pouco, eu to aqui mesmo??????"
Fazer o que né? São histórias que vamos acumulando com o passar dos anos e quem sabe um dia poderão ser reveladas. Enquanto isso não acontece a nossa única testemunha é a memória...

sexta-feira, 8 de junho de 2012

MOMENTO ANTROPOFÁGICO

Em certos momentos nós nos devoramos. É quase que uma necessidade de autodestruição interna que pode ser benéfica em alguns momentos. Sabe quando precisamos nos livrar daquilo que não serve mais? Uma limpeza. 
É nesse processo de dilaceração interna que vamos nos deparando com nossas entranhas, com nossos medos, com o que há de sangrento em nós. Assim descobrimos quem somos, o que queremos e tentamos entender o porque nos flagelamos de tal forma. 
A dor é quase que uma extensão do prazer. Prazer em nos conhecer a cada mordida. Mordemos, dói, reagimos e nos conhecemos. Se voltaremos a morder nesse mesmo pedaço, mesmo sabendo dos efeitos, já é uma outra questão. Verdade seja dita que normalmente voltamos a morder nos mesmos lugares.
Por mais que seja uma atividade bruta, intensa e dolorida, nós gostamos dela até porque se faz necessária. Sem a nossa auto-alimentação não temos como nos conhecer. 
Dessa forma, como canibais do autoconhecimento, vamos nos tornando mais aptos a nos conectar com o outro. Vamos nos unindo como já dizia Oswald de Andrade no seu Manifesto Antropófago - "Só a Antropofagia nos une". 

quarta-feira, 6 de junho de 2012

ENQUANTO VÊNUS PASSEIA...

Pequena diante do Sol, mesmo na sombra do astro rei encantou
com sua beleza. Foto: NASA
Meio que do nada Vênus vagarosamente ofuscou o gigante e incandescente Sol enquanto passeava entre ele e nós. 
Mesmo que pequena diante do grande circulo quente ela cruzou o céu de forma tranquila, como se não tomasse conhecimento do senhor da luz. Passou e fez muitos daqui olharem atentos já que não é todo dia que ela toma essa liberdade e afronta o astro rei.
Aproveitamos para estudar, fazer previsões, calibrar telescópios, medidas astronômicas e principalmente perceber o quanto esse universo é infinito, o quanto somos pequenos e nada sabemos...
Ela só vai nos dar essa honra novamente daqui a 105 anos, muito tempo para esperar. Mas Vênus é assim... Seja no espaço, seja na mitologia, são bem raras mesmo, daquelas que demoram para passar, mas quando chegam (mesmo ficando pouco) deixam seu rastro de beleza para sempre. 

Foto: NASA

terça-feira, 5 de junho de 2012

GOD SAVE THE QUEEN

Foto: Reuters
Deus salve a Rainha. Elisabeth II completa o jubileu de diamante no "comando" de uma das tradições mais respeitadas no globo terrestre. São 60 anos no trono britânico. Nada que passe perto de alguma tradição que tenhamos do lado de cá do Oceano, aliás, temos tradições e respeitamos coisas desse tipo? Creio que não. Ok, uma pena.
Não defendo aqui a rainha inglesa. Sei que nem são tantos assim que engolem toda pompa real ainda mais diante de uma crise brava que passa a Europa, mas a tradição é mantida e em momentos de festa como esse os frios ingleses se enchem de alegria e pompas. 
É bonito, é praticamente um show que atrai gente do mundo todo. Todo esse glamour, as cerimônias, os protocolos, é uma sensação de enxergar um passado bem diante dos nossos olhos. Quando estive em Londres fiquei besta diante dessas coisas, das referências reais, dos parques e suas regras relacionadas aos nobres, dos monumentos e suas ligações com períodos históricos. 
Lembro com exatidão da troca da guarda real. Outro show que acontece duas vezes por dia todos os dias. Bonito, perfeito, cronometrado, milimetricamente ensaiado diante de um castelo ornado com muito ouro e imponência. Ficamos pequenos diante da realeza e é um barato se sentir um pouco súdito de toda aquela encenação histórica. 
Enfim, lembro de tanta coisa que esse post está demorando muito mais do que o normal para que eu termine de escrever porque estou viajando pelas minhas memórias. Só para concluir esse clima de festa vários eventos estão marcando a data real. Entre eles um show que aconteceu ontem e reuniu milhares de pessoas diante do Palácio de Buckinghan, além de toda realeza (menos o príncipe Philp que foi hospitalizado) e grandes nomes da música. Um mega evento mesmo. 

Festa diante do Palácio.
Foto: Reuters

segunda-feira, 4 de junho de 2012

A MORTE DO TROLOLO

Um dos vídeos mais acessados, comentados, imitados da web sem dúvidas é o do Eduardo Khil, muito mais conhecido como Mr. Trololo. Ele mesmo, com aquela música estranha, um ritmo esquisito, uma dancinha de tiozão, um terno brega e num cenário tosco.
O vídeo original já teve mais de 14 milhões de visitas. Existe mais uma infinidade de outros derivados dele. Um vídeo que viralizou, ganhou proporções que deixou até os mais céticos russos de cabelo em pé.
Meu sobrinho de 3 anos adora a música e imita toda hora. Eu já me peguei muitas vezes cantarolando o tal de trololo...
Infelizmente o Eduardo morreu. Acho que ele nunca imaginaria que aquela performance do passado pudesse fazer tanto sucesso agora. Virou uma celebridade mundial do dia para a noite. Deve ter morrido feliz...

NUNCA PERCA O TESÃO

Não, este não é um post sobre sexo. Até poderia ser porque se você perde o tesão não rola, mas não é o caso deste post.
Venho falar sobre o trabalho, a profissão que escolhemos. É preciso ter tesão naquilo que fazemos. Claro que tem muita gente que faz o que não gosta e principalmente não tem vocação para aquilo. Isso é um grande problema porque vemos uma infinidade de pessoas infelizes, que vão trabalhar como se estivessem indo para um abatedouro. Infelizmente nem todo mundo consegue fazer aquilo que ama ou tem o dom.
Estava vendo a entrevista do Roberto Cabrini agora há pouco no "De frente com Gabi". Já tive o prazer de entrevista-lo algumas vezes (nos bastidores do Teleton) e é sempre muito forte isso nele. Você percebe que ele faz o que ama, tem vocação para aquilo.
Eu também me sinto um privilegiado. Faço o que amo, o jornalismo é uma paixão, a televisão é uma paixão e no decorrer dos anos, com os avanços, as transformações fui ganhando outras paixões. Sou um cara feliz porque faço tudo o que gosto e gosto de tudo o que faço. As vezes reclamamos, é natural, mas com tudo na vida é assim. 
Já recebi propostas financeiras muito tentadoras para que eu trocasse de área, fosse trabalhar em coisas mais burocráticas. Obviamente neguei e não me arrependo em nada. Não tem preço nesse mundo que pague a adrenalina de encontrar uma boa história, de reportar um fato marcante, de conseguir aquela entrevista complexa, de ver que seu trabalho de alguma forma tem uma função importante. 
Vendo o Cabrini falando com tanto tesão depois de anos e mais anos de profissão e perceber que (apesar de muito menos tempo de carreira que ele, mas com um bom caminho percorrido) vale muito a pena seguir em frente e acreditar naquilo que faz o nosso coração pulsar de forma diferente. 

sexta-feira, 1 de junho de 2012

CORTANDO NO MEIO

Eu não sei se caiu a ficha de todo mundo, mas estava organizando minha agenda para a próxima semana e me dei conta de que chegamos no meio de 2012. Uma imoralidade do tempo passar assim de forma tão ligeira.
Assim que me caiu a ficha fui dar uma olhada nas promessas de início de ano, que desta vez deixei registrada de forma concreta, e percebi que ainda fiz pouco daquilo que queria e vejo que metade do prazo já foi embora.
É comum reclamar da falta de tempo, da correria, da rotina (ou falta dela) agitada, mas quando olho para o calendário e vejo a rapidez com que os dias estão indo embora me dá um certo desconforto. Desconforto pela sensação de impotência que tenho diante dos ponteiros que não nos esperam e muito menos olham para trás para saber se estamos conseguindo acompanha-los.
A sensação é de quanto mais aceleramos para alcançar o tempo, mas ele se distância de nós. De qualquer forma vamos tentado fazer com que o planejado seja realizado antes que o contador zere novamente. 
O importante é se movimentar para que os planos, as vontades, alguns sonhos saíam do papel e se concretizem para que toda essa correria seja compensadora.   

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO