quarta-feira, 5 de junho de 2013

O QUE ME MOTIVA?

Em determinados momentos costumo me autoquestionar sobre muitas coisas que faço. Não são dúvidas, porque acredito em tudo que faço, mas sempre me coloco como um interlocutor chato de mim mesmo para tentar encontrar pontos frágeis para estancar possíveis problemas.

Não há lugar melhor que o banho pra isso. Enquanto a água cai nos cabelos (os meus poucos), o barulho contínuo e hipnotizador da água vai me levando para uma outra dimensão onde acabo ali tentando resolver as coisas, várias delas.

Eu sou muito motivado, é muito fácil que uma simples fagulha já me faça querer acender o fogo, mas de onde vem essa motivação? Ouvi essa pergunta várias vezes já, principalmente diante de momentos onde muitas coisas pareciam não caminhar. Comigo não tem tempo ruim, mesmo se estamos no meio da tempestade tento encarar tudo de forma positiva e bem humorada. Obvio que tem casos e casos, mas na grande maioria das vezes é isso.

Muito veio a calhar um dos textos que estava lendo no livro "Não se desespere", do filósofo Mario Sergio Cortella. O título é "Me dê motivo?". Lá ele discorre um pouco sobre a motivação e suas bases. Ninguém motiva ninguém, você encoraja, você estimula... Acabaram meio que se tornando sinônimos as palavras, mas a motivação é algo muito interno, muito íntimo. Se você não encontra dentro de você as razões para se mover, para sair da inércia, não vai ser outro que vai conseguir isso.

Em determinado momento ele fala sobre a questão do trabalho e do emprego. "Emprego é fonte de renda, e trabalho é fonte de vida. Emprego é onde eu faço algo que me leva a ter uma remuneração. Trabalho é aquilo que eu faço até de graça, e faço como sentido de vida". 

Eu acho que esse é o ponto importante quando vejo o quanto sou feliz com aquilo que faço. Eu gosto, me motiva. Vou em busca dos meus sonhos, vou buscar minha utopia. 

É nesse ponto que volto ao livro do Cortella para citar outro trecho que achei ótimo. Ele fala sobre o uso da expressão "utopia" pelo escritor uruguaio Eduardo Galeano que diz: "A minha utopia é meu horizonte". Quanto mais nos aproximamos dela, mais ela se afasta. Ele disse: "Eu já entendi para que serve minha utopia. A minha utopia não serve para que eu chegue até ela, mas para me impedir de parar de caminhar". 

É isso!!!!

2 Comentários:

Daniela Lima disse...

Sem duvida vc e uma pessoa que inspira e e inspirado!! Super motivo e feliz sempreeee... Isso sim e da sentido a vida!!! Sucesso voce!!

Flávia disse...

Muito bom esse texto...

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante e será liberado após moderação do autor deste blog.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO