quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

DO XING LING AO IPHONE 4S

Eu já tive celular de tudo quanto é tipo. Do tijolão aos pequeninos. Dos mais simples aos mais modernos. Das marcas famosas aos famosos xing lings... Eu gosto, mas o IPhone era uma vontade maior. Era também uma necessidade, uma forma de integrar ferramentas de trabalho, de usar também como instrumento para as ideias de produção audiovisual. 
A primeira vez que comprei um xing ling foi por pura revolta. Tinha comprado um aparelho bom da Samsung em 2008 e na semana seguinte fui assaltado e meu investimento ido pelo ralo. Seria impossível gastar uma grana alta novamente em um novo aparelho, por isso fui até as famosas lojas chinesas. Lá comprei meu primeiro celular genérico, assim posso dizer. Tinha de tudo, dois chips, televisão, touch screen, era a cara da sensação Iphone que acabava de ver a sensação da Apple lançada aqui no Brasil. 
Juro que aquele celular que eu comprei era ótimo. Muito melhor do que qualquer celular das marcas tradicionais que estão no mercado. Durou bastante, aliás ele nunca quebrou, eu aposentei por tempo de uso mesmo. Enfim, depois dele comprei outro xing ling. Logo repassei para meu irmão e voltei a comprar os aparelhos de marcas tradicionais. Meu último, antes da aquisição do Iphone 4S foi um Nokia E5.
Não sou um iniciante no aparelho porque nesses anos todos muita gente que conheço utilizava. Eu também tenho um computador da Apple, o que facilita muito na hora de reconhecer ícones, formas de trabalhar, linguagem... Mesmo assim estou naquela fase do apanhando e falando. Até conhecer todos os cantinhos, até saber de todas as funções vai levar um tempo, cada dia é um aprendizado. 
Estou gostando bastante. O 4S é um bom modelo e atende minhas necessidades imediatas. Costumo ficar bastante tempo com um modelo e se tudo correr bem ele vai me acompanhar bastante por essas andanças e gravações por esse mundão. 

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

AS TRAGÉDIAS E A IMBECILIDADE HUMANA

Foto: Felipe Dana/AP
Mais um post da série "imbecilidade humana". Desta vez com base no que aconteceu lá em Santa Maria no Rio Grande do Sul. Não vou falar dos fogos em lugar fechado, do alvará, do extintor, da saída pequena, da super lotação... Vou falar de um outro aspecto dessa tragédia, que expõem claramente o quanto nós humanos temos exemplares desprezíveis entre nós.
Redes sociais. Estão aí para todos, a democratização da opinião, da troca de informação, conhecimento, entretenimento... Mas não tem só isso, por mais maquiagem que nós humanos colocamos ao nos expor nas redes, ainda sim não conseguimos disfarçar o que guardamos de verdade dentro de nós. Se somos bons isso acaba aparecendo, mas também se somos pessoas "estranhas" (para não usar um temo forte) isso também aparece. E aparece nessas horas onde nem sempre as pessoas param para pensar. Saem escrevendo e falando feito metralhadoras. Aparecem os imbecis. 
Não precisa ir longe. Abra o twitter, faça um passeio pelo facebook, leia os comentários em blogs, atente-se nos comentários também das notícias publicadas nos portais. Olhe com atenção. Veja quanta barbaridade é escrita. 
Estou acostumado a receber comentários duvidosos. Coisas que até parecem piada, mas não são. Tem um ser humano do outro lado na frente de uma máquina escrevendo insanidades. Insanidades como festejar a morte daquelas pessoas, dizer que elas foram culpadas, criar comunidades pejorativas, fazer piada em uma hora onde famílias choram seus mortos. Tem coisas que não dá, expõe o quanto tem gente podre nesse mundo.
Isso não é questão de liberdade de expressão, é apenas a expressão da imbecilidade que circula entre nós. 

domingo, 27 de janeiro de 2013

TRAGÉDIA EM SANTA MARIA - RS

Germano Roratto/Agência RBS
Acordo no domingo, olho o celular e vejo um monte de mensagens nas redes sociais falando sobre tragédia. Imediatamente ligo a televisão e procuro pelos canais. Nos abertos ainda não havia nada. Encontroa Globo News e de cara, ao ler os caracteres levei um susto. 245 mortos até agora.
A boate estava lotada, era um dia especial, de apresentação de bandas. Falam em mais de mil pessoas presentes. Muitos feridos e uma quase certeza de que o número de mortos deve ser maior.
Triste essa manhã de domingo. Durante a diversão centenas de pessoas perdem suas vidas. A boate não tinha saída de emergência. Portas estavam trancadas, Um show pirotécnico em um local fechado. Seguranças impedindo pessoas de sair sem pagar. Tudo me parece muito errado e custou vidas. Triste essa manhã de domingo.
A aflição das imagens logo após ao acidente, o desespero de bombeiros e pessoas ajudando no salvamento das pessoas. É difícil escrever e ver essas coisas. Imediatamente vem a mente imagens de outras tragédias, algumas que cobri. 
Triste essa manhã de domingo. Os telefones das vítimas não param de tocar...

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

SP - 459 ANOS

Eu já escrevi aqui um número grande de vezes o quanto amo essa cidade. Quando amamos sabemos entender os problemas e tentamos ajudar a melhorar as coisas. Quando amamos fazemos vistas grossas para alguns defeitos mas não podemos ignora-los. 
São Paulo é tão grande e ao mesmo tempo cabe em uma esquina. Esbarramos nas pessoas, trombamos com desconhecidos que ao mesmo tempo fazem parte dessa família, torcemos pelo frio quando esquenta muito, rezamos pelo calor quando faz frio. Se chove, e sempre pode chover, ficamos desesperados. Uma tropa de guarda-chuvas toma a cidade e encapa as calçadas tortas das nossas ruas.
Quando alguém que não conhece a cidade vem pra cá imediatamente levo para o alto do antigo prédio do Banespa. Nem de lá é possível ver todos os limites dessa megalópole. Depois é passar para comer o sanduíche de mortadela do Mercadão, uma volta pela Av. Paulista, uma caminhada no Pq. do Ibirapuera. Mesmo assim essa pessoa ainda não conheceu SP. 
Não conheceu o sotaque da Moóca, o formigueiro da 25 de março, a multi cultura existente no Bom Retiro, os postes japoneses da Liberdade, a cultura de rua da Brasilândia, as ruas labirinto da Vila Madalena, o Tietê e o Pinheiros fedidos mas mesmo assim parte de nós. 
Aqui tem de tudo. Aqui tem de tudo e a qualquer hora. São Paulo literalmente não para e nesta madrugada tem um olhar atento de uma Lua linda.
Parabéns para essa cidade que é sempre muito maltratada e mesmo assim não perde a classe. 

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

ANOTAÇÕES NOTURNAS

Lembro exatamente da primeira vez que pensei em um texto enquanto dormia. Na verdade eu nem dormia ainda, tinha me deitado, estava naquela fase intermediária antes de dormir profundamente. Tinha feito uma reportagem muito legal e ainda não tinha finalizado o texto. 
No dia seguinte ia para a redação da TV para concluir o roteiro da reportagem, ouvir as entrevistas e finalizar o texto. Porém durante esse período de sonolência simplesmente me veio todo o texto da reportagem. Era tão bom que me levantei na hora. Pulei da cama, busquei umas folhas de papel e escrevi aquilo que veio na minha cabeça. 
Quando cheguei na TV apenas fiz alguns ajustes por causa das entrevistas e estava lá a reportagem (que ficou muito legal por sinal). Desde então aderi a dica que escuto ocasionalmente de sempre ter um bloquinho de anotações ao lado da cama. 
Os anos passaram e acabei deixando essa prática de lado. Me arrependi. Dia desses uma ideia interessante surgiu, mas não levantei para anotar e estou tentando lembrar dessa ideia até hoje...
Nessa semana ocorreu outra vez. Não era uma ideia, mas sim um post aqui para o blog. Era algo que eu queria escrever e estava há algum tempo na minha cabeça. Durante o sono lá veio o texto me chamar com começo, meio e fim. Sem nada para anotar, apenas peguei o celular e escrevi uma mensagem de texto para meu outro celular com o título do post. 
Não consigo lembrar de tudo, mas pelo menos lembro do assunto!!! De qualquer forma é melhor voltar a separar o bloquinho de anotações e uma caneta para algum eventual sonho que me ajude nas coisas que preciso escrever...

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

QR CODE E O MOSAICO PORTUGUÊS

Vou tentar ser o mais objetivo possível nesse post. Vamos lá, acabei de assistir uma reportagem do jornal da Globo falando sobre a utilização do QR Code em pontos turísticos. O mais interessante é que estão fazendo esses códigos com os famosos mosaicos portugueses. Se não sabe o que é uma coisa e nem outra sugiro que clique nas palavras para ter uma ideia do que eu estou falando.
Não gosto do QR Code, acho até a ideia legal, não sei se realmente vai pegar um dia. Atualmente não acho muito prático. Outro dia vi uma pessoa no metro tentando fotografar o código e ver a informação. Foram inúmeras tentativas até ele desistir. Eu também já passei por isso. Hoje o aplicativo está no celular criando poeira...
Também não gosto de mosaico português. Acho bonito, acho charmosos, acho também que dá um certo ar nostálgico para as calcadas das cidades. Porém, aquelas pedras soltam e ao sair uma começa um processo sem fim até abrir uma cratera na calçada. Se chove, além de ficar escorregadio, começa a soltar terra e sujeira. É legal, é bonito mas não é prático. 
Quando estive em Londres anos atrás fiquei reparando nas calçadas e a grande maioria era simples, porém muito prática para limpeza e também evita buracos. Nem comentei aqui também a questão da acessibilidade. Uma cadeira de rodas nessas calçadas é como estar em um rali, frase de um cadeirante que entrevistei há alguns anos. 
Resumindo. Achei legal a ideia, mas não acho prático do ponto de vista do uso, de ambas as coisas, do Qr code e também do mosaico português. Aqui o site  com as informações turísticas do QR Code Rio. 

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O PÉSSIMO ATENDIMENTO

Estive no Rio de Janeiro neste final de semana para fazer uma gravação. Como cheguei mais cedo na cidade maravilhosa resolvi andar pela região do hotel onde fiquei hospedado.
Fiquei na Lapa, região que conheço pouco ali no Rio. Andei algumas quadras, entrei em uns mercados,  lojas e me lembrei que precisava comer porque depois a rotina de gravações seria pesada. 
Passei por alguns bares (coisa típica na Lapa) porém o horário não era convidativo para o cardápio e para o que eu ia realizar depois. Eis que surge um Bobs. 
De cara vem uma informação importante: nunca gostei de Bobs, falo do lanche e não da rede de fast food. Olhando então as opções resolvi me arriscar no hamburguer. 
Entrei na loja e percebi que a coisa estava em câmera lenta. Um cliente aguardava o lanche com cara de poucos amigos. Assim que chegou o alvo da espera dele logo reclamou sobre a demora. Fiz meu pedido e também fui aguardar.
Até que não demorou tanto, a menina colocou o refrigerante e as batatas na bandeja. Porém, na hora de trazer o lanche, ela segurou com tanta força a caixinha que maionese, hamburguer, pão, salada foram saindo por todos os cantos da caixa. Ela colocou na bandeja e me olhou com aquela cara de "pronto, seu lanche está aqui, vaza...".
Abri a caixa do lanche na frente dela e o que eu vi foi um esmagado sem definição. Reclamei e ela não gostou e ainda disse: "o senhor pode ajeitar na hora de comer que fica do mesmo jeito". Juro que a vontade que me deu foi de ajeitar o lanche todo na cara dela... Resultado, com muito custo a outra atendente pegou o lanche do outro cliente e me deu.
E assim vamos juntando essas histórias surreais de atendimento e respeito ao cliente...

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

2ª BIENAL INTERNACIONAL GRAFFITI FINE ART - VIDEORREPORTAGEM

Estive essa semana no MuBE (Museu Brasileiro de Escultura) para conferir os bastidores e preparativos da 2ª Bienal Internacional Graffiti Fine Art. Evento que traz a arte do grafite para dentro dos museus. 
Foi bem interessante ver surgir de paredes completamente brancas formas, cores, desenhos... O grafite é uma arte muito forte e com linguagem próxima e direta já que normalmente os muros servem de painel para essa expressão. 
Vale sempre destacar aqui a diferença do grafite e da pichação, apesar de ser evidente muita gente confunde e dessa forma olha de forma "estranha"para esses artistas das ruas. 
A Bienal acontece no MuBE do dia 22 de janeiro até o dia 17 de fevereiro e a entrada é gratuita. 
Abaixo segue a videorreportagem que gravei por lá, conversei com alguns grafiteiros e também com o curador da Bienal. 

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

O QUE VOCÊ QUER FAZER?

Estava escrevendo um outro post aqui para o blog quando parei para ver quem me chamava no facebook (nem posso reclamar, se não quero ser incomodado não devo ficar online, mas mesmo assim a gente reclama hahahahaa). 
Enfim, quando entrei no face uma amiga tinha divulgado um vídeo motivacional bem interessante que tem como título "E se o dinheiro não existisse?". Muito bom o vídeo, que é curto e você pode conferir no final do post. 
Imediatamente me fez lembrar de uma situação que passei em uma palestra que fiz no começo do ano passado. Uma das pessoas que assistia minha palestra questionou sobre ganhar dinheiro na profissão. Eu respondi que preferia em primeiro lugar fazer aquilo que eu gostava, aquilo que eu amava e me sentia bem que certamente o dinheiro seria uma consequência. 
Uma das pessoas na sala não gostou do que eu disse. Afirmou que eu não podia dar falsas esperanças, que eu não deveria dizer que era possível conseguir êxito na nossa profissão sendo que era muito complexo, que o mercado era fechado e que não bastava amar o que fazia.
É claro que dinheiro não caí do céu, que o mercado de trabalho não é fácil. Mas ao mesmo tempo me pergunto. Não seria mais fácil ter êxito fazendo aquilo que gostamos, que estamos de coração aberto para fazer? Sucesso profissional é só ver a conta bancária cheia? 
Como disse antes, o mercado não está fácil, mas se você acreditar naquilo que se propõe a fazer, se você fizer com gosto e com tesão certamente o sucesso chegará. 
Você faz aquilo que gosta?

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

SOLIDARIEDADE ANIMAL

Na madrugada anterior vi um link divulgado no facebook. Não tinha muita descrição, não tinha detalhes, apenas dizia que era emocionante.
Vi o vídeo e realmente me emocionei. Me emocionei não só pela história que o vídeo traz e você pode conferir no final do post, mas também por tudo que presenciamos diariamente nos noticiários. No mesmo dia que uma pessoa de idade é maltratada cruelmente por quem cuidava dela, no dia que li uma notícia onde a mãe forçava a filha de 14 anos fazer sexo com o padrasto entre outras tantas barbaridades... 
Vem de um animal a esperança de que nem tudo nesse mundo está perdido. Uma cadelinha, Lilica, que vive com sua dona em uma região de pobreza extrema encontrou uma forma de se alimentar e ainda é capaz de um ato de companheirismo, solidariedade e também leva comida para seus amigos. 
Uma história que foi contada no Globo Repórter e vale a pena ver esse trecho que fala da Lilica.



No ano passado tivemos a oportunidade de conhecer um morador de rua que dedica seu tempo para cuidar dos cachorros que ele recolhe e seguem ele pela rua. O Rogério fica no bairro do Jabaquara e vive com as doações de pessoas que circulam pela região. Contamos essa história no Personas.
Ele não tem dinheiro, mas como ele mesmo diz, o amor que ele tem pelos animais supera qualquer adversidade. Confira também essa história.

sábado, 12 de janeiro de 2013

SONIC REALISTA

Fãs de um dos jogos de vídeo game mais famosos do mundo criaram um curta bem realista com base no jogo. Sonic, um clássico, ganhou personagens reais, efeitos especiais e uma dose de realidade no curta que tem 18 minutos e você pode conferir na íntegra no final deste post.
O curta é assinado por Eddie Lebron e está chamando muita atenção. Eu achei interessante, tem alguns efeitos meio discutíveis, mas isso nem importa muito já que o cara foi lá e fez.
Eu sempre fui viciado em Sonic e agora podem me condenar fãs de vídeo games, nunca gostei de Mario Bros.
Acho que tenho essa ligação porque o vídeo game que eu mais desejava era o mega Drive. Eu tinha um atari com quase todos os jogos. Foi então que ganhei um mega de natal e o jogo que veio junto era o Sonic - The Hedgehog, o primeiro mesmo. Não sei quantas e quantas horas fiquei diante de um TV de 14 polegadas jogando esse jogo, depois vieram outros e também o restante da saga do velocista azul.
Foi bom lembrar um pouco dessa época. Abaixo o vídeo.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

A MORTE DO MSN MESSENGER

Seguindo aquela máxima de que tudo nessa vida tem um começo, meio e fim, não poderia ser diferente nesse mundo tecnológico, virtual e conectado.
Quantas dessas formas de interligação já vimos surgir e desaparecer como um passe de mágica. Umas duram mais e ficam mais evidentes, outras nem se quer desconfiamos que tenham existido, mas surgiram e sumiram sem deixar muitos rastros.
Nesse exato momento existem centenas, posso arriscar milhares de mecanismos para que esse contato entre nós, cada vez mais valorizados por redes invisíveis aconteça. 
Enfim, toda essa introdução pra dizer que mais um desses famosos mecanismos que nos ligam diariamente vai morrer. Tem data marcada e tudo: dia 15 de março. O serviço será substituído pelo Skype, que faz a mesma coisa, de forma melhor e mais rentável para a Microsoft. Detalhes aqui.
Agora vem a sessão "sim estou ficando velho". Meus primeiros passos na web foram com o bate papo do UOL e paralelamente o Instant Messenger da AOL. Era uma delícia e quase que uma emoção conseguir conectar, falar com desconhecidos, fazer amizades... era praticamente o que interessava para quem ainda era um adolescente e não via muitas outras funções para a internet.

Então descobri o ICQ, outro que me conquistou e me fez abandonar a AOL (que também faliu por essas bandas),. O barulhinho característico, as funcionalidades e o momento em que ele fez parte da minha vida também fazem com que a lembrança fique mais evidente...
Bom, o Messenger MSN veio, arrebatou um monte de gente. Eu no começo não curtia muito (aquela coisa de preferir o outro), mas pela necessidade de uso a ferramenta se mostrou eficiente tanto para as questões de diversão quanto para o trabalho. 

Os números de usuários começaram a despencar. Não precisava ser um especialista ou fazer uma grande pesquisa. Ano passado até comentei no facebook que o chat, o in box da rede social estava lotado de pessoas online enquanto o MSN ficava as moscas, quase que um ambiente fantasma. Agora mesmo fui fazer um teste... No meu facebook estão online 48 pessoas, enquanto no MSN apenas 3 aparecem disponíveis. 
Agora vai ser uma luta para acostumar com o Skype. Apesar de saber do bom serviço nunca utilizei muito, apenas em momentos pontuais. Ao mesmo tempo vamos aguardando o que pode surgir e fazer com que todos caminhem para outra direção. 

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

O CANTO DA SEREIA

O mar parece tranquilo, um movimento leve de ondas que batem de forma harmoniosa em um pequeno rochedo que brota no meio do nada. 
Linda, quase que uma escultura esculpida na rocha, surge uma mulher fora do comum. Não poderia ser diferente. Da cintura para cima mulher, da cintura para baixo um peixe. Um cauda longa, bonita e reluzente, mas o que chama atenção mesmo é a parte de cima. Mulher, menina, doce, sedutora, envolvente...
É nesse momento que você escolhe seu destino. Uma fração de segundo vital para a sobrevivência ou para o sofrimento eterno à deriva. O problema é que na grande parte dos casos não é você que escolhe e sim a própria sereia. 
Sua principal arma é o canto. Uma melodia hipnotizante que te atraí, que te envolve, que te puxa de forma quase que irresistível. No começo você acha que pode se dar bem. O que perder diante de uma figura mitológica, lendária e que povoa a imaginação.
Se você não estiver com os ouvidos bem tapados certamente será levado até o rochedo e depois jogado sem piedade nas profundas águas do oceano. Isso sem antes ter sido abusado, explorado e sugado por ela. 
Quem resiste de longe até sente uma ponta de vontade de se deixar levar pelo canto. Dizem que aqueles que não resistiram e estão boiando pelo oceano não se arrependem de ter se entregado a tal maldição. 
Não se conhece ninguém que tenha conseguido ser atraído pela sereia e depois escapado de seu canto sem um destino trágico. 
Pode ser que alguém tenha escapado. Esse alguém certamente nunca contará tal fato, já que ninguém vai acreditar mesmo em um acontecimento mitológico como este. 

OBS: Muito boa a série que a Globo está exibindo baseada na obra de Nelson Motta e que tem o mesmo nome do título deste post. 
A Ísis Valverde é uma sereia e tanto!!! 

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

INICIANDO OS TRABALHOS NO ANO

Vamos lá. Chega de enrolação. Nunca antes na história deste blog ele ficou tanto tempo sem atualização. Foi cruel, foi doido, mas não teve jeito. Não me orgulho desta marca, mas infelizmente a internet em outras cidades é muito precária e conseguir um sinal decente e por algum tempo é quase que uma façanha. 
Por outro lado foi até bom. Consegui descansar um pouco. Eu já havia desistido de uns diazinhos de relaxamento mas até que foi possível esticar os pés na areia por quase uma semana. 
Não dá mais para prorrogar. Hora de esticar as mangas e colocar a mão na massa. pela frente muitas possibilidades bacanas se desenham.
Vai sair do papel a reformulação visual deste blog. Vamos ampliar e contar novas histórias no Personas e ainda ampliar as produções para parceiros. O trabalho na TV aberta deve continuar, mas muitas mudanças estão previstas, por isso aguardo esperançoso por melhorias. 
Quero aproveitar a agradecer a você que não deixa de visitar o blog. O número de acessos caiu muito pouco nesses dias que fiquei longe. Pelo andar das coisas o blog deve atingir uma marca muito alta neste ano. 
Vamos que vamos!!!

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

O PRIMEIRO DIA ÚTIL

O primeiro dia útil começou bem inútil aqui em casa. Levantei até que cedo, sem a obrigação de ter que trabalhar, mas ao mesmo tempo com muitas coisas para resolver. Se quero começar 2013 a todo vapor não dá para esperar muito.
Liguei o computador, ainda que meio sonolento, fui pra cozinha, tomei algo, olhei a geladeira e vi aquele monte de comida de fim de ano. Chega a dar desespero saber que durante alguns dias elas vão ser as protagonistas da mesa ainda.
Tem champagne gelada que sobrou, mas é estranho beber champagne sem ter o que comemorar. De manhã também não pega bem. Liguei a TV também e ai percebi que algo estava errado. Nada de sinal. Olho na janela e vejo um amontoado de caras pendurados no poste em frente ao meu prédio. Um reparo, um problema, manutenção. Sabe-se lá o que estavam fazendo. 
Não precisei ser vidente para adivinhar que também não tinha internet. O primeiro dia útil já estava se mostrando pra lá de preguiçoso. Sem TV, internet e telefone o negócio foi jogar um pouco de vídeo game. 
O tempo também não ajuda. Aquele céu nublado, com vento indicando que vem chuva dá mais vontade ainda de se manter no sofá e deixar o primeiro dia de trabalho para lá.
A sessão preguiça durou algumas horas. Depois do almoço tudo voltou ao normal. TV ligada, internet ok e o telefone tocando. A única coisa que teima em não voltar é a vontade de levantar e encarar o primeiro dia útil do ano.

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO