terça-feira, 30 de julho de 2013

UM PASSO PARA TRÁS, VÁRIOS PARA FRENTE

Em muitos casos é bom saber recuar. Nem sempre você ficar meio calado, observando, voltando alguns passos é sinal de problemas ou de que não há impulso para seguir a diante.

Os recuos são necessários muitas vezes, voltar pode significar rever alguns passos que podem ter saído do objetivo ou então não estão tão adequados e podem ser melhorados. 

Eu mesmo, durante minha carreira já dei vários passos para trás, para depois dar vários melhores para frente. Faz parte do jogo e temos que ser humildes e inteligentes para entender esses movimentos em direção aparentemente oposta para onde queremos ir. 

Estou escrevendo sobre isso por algo que ficou na minha cabeça um dia desses. Uma amiga me perguntou o que eu achava sobre uma determinada situação e eu indiquei o caminho que eu achava que ela deveria seguir. Então comentei que gostaria de fazer alguns cursos sobre determinados assuntos e ela me disse: Antena, você não precisa fazer isso, você já tem nome no mercado. Fiquei pensando...

Nome no mercado é bom, mas não diz muita coisa. O mercado está mudando, as pessoas estão mudando todos nós estamos em constantes mudanças. 

Aprender nunca é demais, mesmo quando a gente presume que sabe bastante sobre a coisa. Sempre considero uma troca de experiência. 

Então disse que o que poderia parecer um passo para trás na verdade era um pulo de várias pernas para frente, já que eu ia me aperfeiçoar e assim seria um profissional melhor. 

Lembrei também na época que comecei a fazer videorreportagem e um colega me disse: Antena, você é um grande repórter, não merece ficar segurando a câmera. 

Eu respondi que segurar a câmera me deixava um repórter, um jornalista mais completo, já que estaria participando plenamente de todo processo de elaboração daquilo que eu entendo como uma reportagem. Na minha carreira nunca torci o nariz para fazer qualquer coisa no trabalho. De etiquetar fita a fazer câmera no estúdio, de entrevistar até segurar o sungun, de editar até arrumar o estúdio... 

Acho que tudo faz parte, tudo soma e por mais que pareça um passo atrás, um recuo, na verdade é uma evolução... 

sábado, 27 de julho de 2013

UMA VISITA MUITO LEGAL

Começo de 2001, fui escalado pra fazer uma grande reportagem (um programa estilo Globo Repórter) no Canal Universitário. O tema foi "Beijo", um programa longo falando sobre as muitas vertentes do beijo. 

Ficou bem legal, apesar de que hoje morro de vergonha pois eu ainda era um jovem e inexperiente jornalista. Porém foi uma experiência ótima. Depois disso vários outro programas vieram. Mas o que me marcou mesmo nesse programa foi um e-mail que chegou para a redação (lembro do nome da pessoa). Ela elogiava o programa. 

Dias depois desse e-mail ela me mandou outro e-mail para o meu direto e me adicionou no MSN. Ficava impressionado e emocionado com os elogios a minha primeira grande aventura na grande reportagem. Tive a real impressão do que o meu trabalho despertava em pessoas que eu nem fazia ideia que existiam. 

Muitos anos se passaram e muitos e-mail, elogios, críticas, contatos aconteceram sobre milhares de reportagens. cada mensagem é sempre muito especial e fico sempre emocionado. 

Com o blog não foi diferente e esse contato ficou muito mais próximo do que na televisão. Essa semana mesmo recebemos um elogio muito gostoso lá no Personas. 

Algumas histórias chamam mais atenção e ficam mais próximas de nós, assim como a moça do primeiro e-mail que recebi. Uma dessas histórias é a da Tatiana Dezen. Uma menina batalhadora, que luta contra as adversidades físicas com muita alegria, força de vontade e esperança. Ela teve durante o parto falta de oxigenação no cérebro, o que causou espasticidade nos membros afetando a coordenação motora. 

Conheci virtualmente a Tatiana quando gravei a videorreportagem com a Ana Paula Padrão aqui para o Mural, em 2009. Ela veio falar sobre a matéria, sempre falou bem aqui do blog, conversamos bastante nesses anos todos e mesmo a distância (ela é de Piracicaba) acompanhava a batalha dela. 

Ela fez cirurgias lá na AACD e está com uma evolução bem interessante. Há algumas semanas ela comentou comigo se eu poderia ir visitá-la em uma das vindas dela até a unidade da AACD para uma consulta com o médico. 

Aceitei de imediato, vimos as datas e marcamos para essa sexta-feira. estive pela manhã lá na sede da AACD no Ibirapuera. Tenho uma ligação bem forte com a Associação. Quem acompanha o Mural sabe da minha integração e apoio ao Teleton todos os anos. 

Encontrei a Tatiana e conversamos bastante. Uma moça tímida, inteligente e que vai em busca dos seus sonhos... Nem preciso dizer o quanto fiquei feliz de ter conhecido pessoalmente essa moça que sempre foi tão carinhosa comigo e com meu trabalho. 

Um beijo Tatiana, pra você e para sua mãe também!!!

sexta-feira, 26 de julho de 2013

A IMPORTÂNCIA DE UM BOM LÍDER

Discutir religião é sempre muito desgastante, mas não deveria ser. Infelizmente acho que a grande maioria dos seres humanos não está aberta a opiniões contrárias ou a compreender e respeitar o ponto de vista do outro. 

Todas as religiões tem seus lados positivos e negativos. Acho que se eu pudesse elencar o pior do negativo seria o fanatismo. O fanatismo leva a cegueira, leva a falta de discernimento e portanto a fácil manipulação. O lado positivo eu elencaria a esperança na bondade, naquilo que eleva o espírito a algo bom. 

Eu gosto muito de várias religiões, diria que sou predominantemente católico, mas creio e gosto de várias coisas em outras religiões. Uma vantagem da minha profissão foi poder entrevistar e conhecer de perto líderes das principais religiões. Já entrevistei Monja, Lama, Bispo, Pastor, Sheikh, Ateu, Rabino.. de tudo mesmo e sempre extraio algo de muito bom de todas essas experiências. 

O Papa está no Brasil, não, eu não vou entrevistar ele, mas adoraria, daria um belo Personas. Bom, não era isso que eu queria dizer. É notável a crise que o catolicismo enfrenta, ou melhor, que a Igreja Católica enfrenta. O avanço de outras religiões, os problemas administrativos dentro do Vaticano, as denuncias fortes de pedofilia entre outras coisas abalaram tanto a estrutura da Igreja que o último Papa pediu pra sair. 

O que poderia agravar ainda mais esse cenário acabou se tornando um fôlego tremendo com a eleição do argentino. Carisma, pulso firme, ligação direta com as pessoas, humildade, proximidade, são algumas das características que transformaram em menos de 100 dias o Papa em um fenômeno de adoração. 

O Papa Francisco realmente é o líder que a Igreja Católica precisava para retomar a credibilidade diante dos fiéis e o respeito daqueles que crêem em outras religiões. Esses dias dele aqui na Jornada Mundial da Juventude são um grande exemplo. Avesso aos protocolos, querendo tocar o povo, falando de forma simples e bem humorada, pegando até um engarrafamento com sorriso no rosto ele cativou a todos. 

Confesso que fico feliz em ver que esse novo Papa está trazendo a religiosidade para o centro da igreja. Isso é importante para todos, católicos ou não. 

Ele se mostra um excelente líder e creio que vai ter a sabedoria para mudar os rumos perigosos que a igreja estava tomando. 

Sem contar que ele é uma figura, com certeza seria uma ótima experiência entrevistá-lo. 

quarta-feira, 24 de julho de 2013

FLOCO DE NEVE

É até obvio o motivo de escrever algo sobre neve. Que frio é esse? Fazia tempo que não sentia frio desse jeito. Ouso em dizer que aqui em São Paulo foi uma das maiores sensações de frio que já senti. 

Não gosto de frio. Não é por isso que vou ficar reclamando nas redes sociais. Até tento gostar. Acho as pessoas mais elegantes, gosto das comidas e bebidas apropriadas para essa época do ano, mesmo assim não rola uma química. 

Sair de casa foi um sofrimento. Fazer academia então nem se fale. Para trabalhar é um incomodo ter que me movimentar estando com milhões de camadas de blusas. Mas já que o frio está ai vamos tentar aproveitar o que de bom ele oferece, mas rezando para o verão chegar logo.

Pior do que o frio, propriamente dito, é essa chuva e tempo encoberto. Tudo fica ainda mais melancólico. Se vai fazer frio, que fique pelo menos com o tempo aberto. 

Apesar dessa minha barreira com o tempo gelado, morro de vontade de ver neve. Sim, adoraria esquiar, fazer brincadeiras na neve... deve ser divertido (por pouco tempo). Você já viu a imagem de um floco de neve aumentada por um microscópio? É impressionante a perfeição da natureza.

Assim como as várias ramificações do floco de neve, vou levando esse tempo frio e com cara triste da forma mais alegre possível. Agora vou parar por aqui porque os dedos estão praticamente congelando ao digitar. 

Se agasalhe!!

terça-feira, 23 de julho de 2013

O QUE O OBAMA SABE SOBRE MIM?

Política a parte, fiquei pensando aqui sobre o que os outros sabem sobre nós que nós não imaginamos que saibam (gente, espera, que frase confusa). Acho que você entendeu.

Esse papo todo da espionagem norte-americana a nossa mais remota intimidade gerou polêmica, muito debate, gente irritada e no fim das contas alguém duvidava que isso acontecia?

Nem precisamos ir longe, nós mesmos já divulgamos grande parte das coisas, nem precisa ser um bom espião pra descobrir as coisas. Por mais que a gente imagine ter um certo controle, em determinado momento muita coisa escapa.

Fiquei imaginando aqui se o Obama tivesse acesso aos meus e-mails privados, as minhas mensagens particulares, aos meus documentos no computador, e-mail, mensagens de texto. Acho que ele ia rir bastante e ao mesmo tempo ficar impressionado com certas coisas. Imagine se um dia o Facebook resolve revelar para todos os seus amigos suas conversas no inbox?  

Fiz um exercício e fui buscar mensagens antigas, e-mails velhos e tentei olhar como alguém de fora. Por mais que a gente se exponha, tem muita coisa que as pessoas não sabem.

Uma vez estava conversando com um colega jornalista e nós falávamos sobre essa questão difícil que nós temos. Ao mesmo tempo que precisamos resguardar nossa privacidade, temos que nos expor, pois a exposição faz parte do negócio. É uma linha bem difícil de se equilibrar. 

Porém tem uma coisa que não há espião nesse mundo que possa invadir, seu sonho. É algo que você deve sempre manter na sua privacidade. Não saia revelando, expondo aquilo que serve como mola para a sua sobrevivência, sua esperança, seus horizontes... Nesse caso, quando é revelado, o Obama pode chegar e dificultar as coisas... 

Por falar nisso, o Obama já deve saber do conteúdo desse post antes dele ser publicado, fiz alguns rascunhos... Curtiu Obama?

sexta-feira, 19 de julho de 2013

1 ANO DE PERSONAS

O Personas chega no seu primeiro ano. Primeiro ano dele no ar, já que alguns meses antes eu e a Camilla de Castro já estávamos gravando alguns depoimentos, fazendo pilotos, ajustes, tendo mais ideias...

Tudo começou na sala de aula na pós-graduação. Lembro que comentei com a Camilla sobre uma ideia, ela logo gostou, deu mais ideias e pouco tempo depois já tínhamos no papel o que queríamos. As primeiras gravações a Camilla fez no sacrifício, já que estava com o pé quebrado e com dificuldade para andar. Mesmo assim ela não deu espaço para o problema e fizemos ótimas entrevistas.

Foram 27 entrevistas até agora, praticamente duas por mês. Vamos começar na semana que vem a terceira temporada com mais uma série de depoimentos bem interessantes. Nesta sexta-feira vamos gravar duas histórias ótimas!

A sensação é de que estamos no caminho certo. Estamos felizes com os resultados técnicos, de conteúdo e também de acessos. O número é crescente, a repercussão muito interessante e os desdobramentos nos deixam bem orgulhosos.

O Personas foi a semente que fez nascer a nossa produtora de vídeo, a Amistie e por lá estamos realizando muitas coisas também.

Muito obrigado a vocês que sempre me acompanharam aqui no Mural e também prestigiam o nosso trabalho no Personas. Obrigado as pessoas e empresas que apoiam nosso trabalho como a Clínica Fluyr Saudável. Obrigado também a minha amiga, parceira e sócia Camilla de Castro que  é de um talento e competência inenarráveis.

Abaixo vou colocar um dos depoimentos. Resolvi escolher a Ana Paula Padrão para fazer o embeed aqui já que ela sempre foi uma incentivadora desse espaço e do meu trabalho, não foi diferente com o nosso projeto.

Que venham mais e mais depoimentos.

terça-feira, 16 de julho de 2013

A BOSTA DO MERCHAN

Tá rolando nas redes sociais o link do vídeo de um merchan (aquelas propagandas testemoniais onde apresentadores ou pessoas falam de determinado produto dentro de um programa) que não deu certo, literalmente deu bosta.

O pior de tudo foi que o fato ocorreu numa rede católica e a moça do comercial soltou um palavrão ao errar o texto.

Vale fazer uma defesa da moça. Aquela propaganda era gravada por todas características do vídeo. A postura dela ao falar o palavrão também denotava uma certa tranquilidade, coisa comum (quem nunca soltou um palavrão ao errar uma passagem, texto, off que atire a primeira pedra), ela fez isso na certeza que todos nós temos nos colegas de profissão em usar a gravação que valeu.

Pode ter sido de sacanagem que usaram essa para ela se ferrar ou então usaram na pressa, sabe aquela coisa de usa a primeira que tá bom.

Vale a dica, na dúvida é sempre melhor evitar esse tipo de coisa. Se fosse ao vivo bastaria um pedido rápido e discreto de desculpas e simplesmente seguiria com o texto sem grandes problemas. 
Em televisão qualquer vacilada pode dar bosta.

domingo, 14 de julho de 2013

TIRANDO O ATRASO

É até contraditório, trabalho com audiovisual e meu mundo gira em torno desse mundo de noticiar, gravar, contar histórias, sejam elas no mundo real ou na ficção. 

Porém, no meio dessa correria, tenho encontrado pouco tempo pra assistir toda produção da TV e do cinema. Tenho ficado mais atento as produções mais específicas na minha área, vendo mais documentários, reportagens, produções para organizações.

Mas chega um momento que a gente vai sentindo falta. Já sinto falta de ir ao cinema e escrever uma breve crítica aqui sobre determinado filme, também sinto falta de seguir minhas séries favoritas. Neste final de semana tentei tirar um pouco do atraso. 

Cinema eu nem lembro qual foi o último filme que vi nas telonas. Apesar de ter muitos filmes que eu queria ver não to conseguindo encaixar a ida ao cinema para me atualizar. Quando encontro o tempo nem sempre a vontade está lá no alto. Por isso prefiro ver em casa mesmo em alguns casos. No sábado, por exemplo, assisti depois de muito tempo 007 - Skyfall. Uma vergonha para quem é fã da saga do agente secreto. Vi e gostei, diga-se de passagem. Uma pena a morte da M (depois de tanto tempo isso nem é mais spoiler).

Outra paixão, as séries de TV também estão criando teia de aranha. Estou com uma lista de séries paradas em temporadas diferentes. Fringe, Supernatural, Two and a half man, Mentalista, Criminal Minds... Vou vendo tudo picadinho... Hoje resolvi criar vergonha na cara e finalizei The Walking Dead. 

Foi um alivio poder encerrar a terceira temporada, mas ao mesmo tempo vem aquela sensação de "começa logo" a próxima... Lembro dos tempos de Lost quando ficava esperando disponibilizar na web pra baixar o episódio na madrugada. 

Quando faço isso, me dá um ânimo e então vou colocando tudo em dia. Já programo minha ida ao cinema esta semana pra conferir dois filmes. Estava de olho no NOW (serviço de "aluguel" de filmes da NET) e tem vários por lá que também preciso ver. 

É sempre bom, no meio de um trabalho, poder respirar e rechear o dia com um pouco de ficção... 

quinta-feira, 11 de julho de 2013

OS JOGOS VICIANTES DO FACEBOOK

O Facebook tem muitas utilidades, desde as mais banais até questões mais sociais e engajadas como vimos recentemente. 

Entre essas tantas coisas possíveis de se fazer na rede social está jogar. Sim, os incontáveis e proliferantes joguinhos do facebook. São muitos mesmo, cada hora vejo um novo sendo lançado e a galera te enchendo com as solicitações.

É essa é a parte ruim da coisa, já vou falar dela antes de me ater nos jogos que estão me deixando maluco. Sim, eu jogo dois deles e não fico por aí mandando solicitação para aqueles que não fazem ideia do que se tratam esses jogos.

Esse é o erro de muitos jogadores. Você pode ficar lá quietinho no seu canto jogando, assim como aquele funkeiro do ônibus poderia ouvir seu som com fones de ouvido, porém você resolve enfiar todo mundo da sua lista na brincadeira e acaba se tornando um chato, assim como o som alto do cara no busão. 

Dito isso, os jogos são legais. O Candy Crush é quase uma febre entre as pessoas, que jogam no facebook em várias plataformas, desde os computadores até os celulares. É muito viciante e nada de muito diferente dos jogos de sequência que estamos acostumados desde o Atari. Eu estava só nesse jogo até que me convenceram a jogar o Criminal Case.

O Criminal Case é um jogo de investigação de crimes. Até um pouco bobo pela descoberta dos assassinos em si, mas tem missões muito legais de achar objetos perdidos em cena e tal. Viciei também, vamos ver até quando.

Assim como esses jogos viciam rápido, eles também enjoam rápido se não tiverem melhorias ou novos desafios. Foi assim com o Song Pop (que também mereceu um post aqui no blog).

Ficamos aguardando qual será o próximo. Só não vale ficar enchendo o saco de quem não joga pedindo vidas, pontos, ajudas...

terça-feira, 9 de julho de 2013

UMA ENTREVISTA DIFÍCIL

Fiz uma palestra no final do ano passado e uma das pessoas que estava no auditório me mandou um e-mail hoje, tanto tempo depois. Um e-mail muito simpático e entre tantas coisas me pediu uma coisa: contar algumas experiências que tive (curiosas, engraçadas, dramáticas) que tive durante toda essa minha jornada de repórter. 

Algumas coisas já contei aqui, mas ela me fez buscar na memória muitos momentos e pelo menos uma vez por semana vou contar aqui. 

Uma das primeiras coisas que vieram na minha memória foi uma das entrevistas mais difíceis que realizei. Difícil por vários motivos, ela foi desafiadora, foi tensa, foi complexa e que até hoje lembro do quanto transpirei.

Fazíamos um programa no Cana Universitário chamado "Vozes". Um formato bem parecido com o programa "Ensaio" da TV Cultura. Cenário todo negro, a luz só no entrevistado que ficava sozinho em cena. Eram 3 câmeras, uma na geral, outras duas fazendo detalhes. O programa tinha 1 hora de duração, mais ou menos uns 50 minutos de arte. 

Recebíamos grandes nomes da música, televisão, política, teatro... Um belo dia a produção me avisou, vamos entrevistar o diretor teatral Antunes Filho. Sabia quem ele era, mas não tinha informações aprofundadas. Fui pesquisar, a produção colaborou também e logo percebemos que ele era um daqueles entrevistados complexos. 

O programa era um retrato da biografia da pessoa, falávamos da infância, vida pessoal e claro da produção atual do entrevistado. Quando ele topou gravar achamos um pouco estranho, já que ele é meio avesso as entrevistas. Porém ele veio, e lá estava ele na redação.

Ele entrou e fui apresentado a ele. Eu fazia as entrevistas, ficava dentro do estúdio comandando o papo.  Conversamos rapidamente e comecei a explicar novamente como funcionava o programa. De imediato ele me disse: "não vou falar sobre minha vida, apenas vou falar da minha peça recente". Gelei na hora. Olhei para a produtora. Chamei ela de canto e ficamos lá meio sem saber o que fazer. 

Fomos para o estúdio e fiquei tentando criar alguma estratégia na minha cabeça para conseguir falar sobre o que planejamos e também não desagradar o convidado. 

Entramos no estúdio e foi a 1 hora que mais demorou pra passar na minha vida. Por mais perguntas que eu fizesse ela era muito objetivo (o que não é um defeito, mas para o programa acabava sendo ruim), até que encontrei um ponto sobre uma das peças dele que então ele começou a falar. Me senti seguro para no meio soltar algo mais pessoal. Ele fez cara feia mas respondeu, então respondeu outra, até que conseguimos fechar o tempo do programa e ainda falar sobre mais coisas do que ele planejava. 

Não foi fácil... Valeu a pena a experiência e ter entrevistado esse grande nome do teatro brasileiro. 

sexta-feira, 5 de julho de 2013

BOOK PARA GESTANTES


Entre nossos trabalhos produzidos pela Amistie Vídeos e Produções estão os books para gestantes. Sempre que fotografamos uma grávida, ficamos felizes porque o momento representa algo muito marcante na vida dessas pessoas e,  na nossa também.

A procura por esse serviço tem sido bem interessante e estamos muito satisfeitos com os resultados. 

Fazemos todos os tipos de fotos que os futuros pais desejam. Em estúdio, em locais abertos e na própria residência. Sempre com muita criatividade e bom gosto, as fotos podem ser utilizadas como recordação, como divulgação do momento para amigos e parentes ou para postar nas redes sociais. 

Nós também oferecemos um videobook com essas fotos. Muitas mães têm utilizado o vídeo no chá de bebê, em festas e comemorações em geral. O resultado fica bem legal! 


terça-feira, 2 de julho de 2013

QUANTO VALE OU É POR QUILO?

Não sei se já escrevi um post sobre esse filme aqui no blog. Sei que logo quando comecei a escrever no início de 2009 queria ter feito um post sobre ele, se fiz não me recordo, se não fiz também não será hoje que vou fazer...

Me apropriei do título desse filme brasileiro (que recomendo muito) para falar sobre uma coisa que sempre vem para as mesas de discussão quando encontro colegas que tem produtora ou que trabalham como freelancer: como cobrar pelo seu serviço.

Num primeiro momento você pode dizer: isso é bem simples, basta colocar no papel seus gastos, mais a sua margem de lucro e pronto. Porém não é simples assim.

A dinâmica do mercado acaba colocando muitas vezes uma faca na sua barriga quase que obrigando você apertar o orçamento. A oferta está grande, o valor de muitas coisas caiu e a entrada de muitos aventureiros também complica um pouco.

Muita gente as vezes questiona: mas nossa, porque tal coisa custa tanto? É até compreensível nos dias de hoje, principalmente na minha área, que as pessoas imaginem que fazer um vídeo é simples, basta ter uma boa câmera; que fazer uma reportagem não é tão complexo, basta você falar bem e interagir com as pessoas; que fazer fotos para determinada coisa é bem fácil, as câmeras fazem praticamente tudo sozinha...

Ledo engano (sempre quis usar esse termo). Sei por experiência própria de pessoas que preferiram apostar no mais barato, naquilo feito por alguém que resolveu se aventurar na área porque teve a felicidade de comprar um ótimo equipamento, o resultado final é certeiro, um produto fraco e de qualidade duvidosa. 

Um chef de cozinha com quem eu gravava há muitos anos dizia: "Você pode fazer um prato ruim com bons ingredientes, mas nunca fará um prato bom com ingredientes ruins". É basicamente isso.
Não adianta só ter a boa câmera, tem que saber o que fazer com ela; não adianta saber tecnicamente o que fazer com ela se você não tem o preparo para oferecer o conteúdo. Não é uma equação fácil de resolver. 

Na dúvida opte sempre por quem conhece aquilo que faz. Pode até ser um pouco mais caro, mas vai evitar muita dor de cabeça e muitos outros gastos no futuro. 

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO