domingo, 30 de março de 2014

MINHA HISTÓRIA COM A KOMBI

Meu inicio profissional e boa parte da minha trajetória jornalística foi marcada por muitas pessoas, lugares e momentos. Me recordo de vários.
Durante os 7 anos que trabalhei na TV Uniban no Canal Universitário, grande parte das histórias, o que acontecia nas externas tinha um personagem em comum: a Kombi.
Sim, ela era um personagem. Muitas vezes a gente ficava irritado com ela, mas a verdade era que a gente se sentia em casa dentro dela. Numa cidade como São Paulo, onde passamos mais tempo no trânsito do que nos compromissos ou em casa, a Kombi era uma festa.
Risadas, brigas, momentos alegres, outros tristes, fechando matéria, verificando imagens, batendo papo... A equipe se sentia em casa dentro da viatura de externa e ela sempre foi nossa companheira. 
Por incrível que pareça ela gostava de nos pregar peças, assim como nossa equipe adorava fazer. Certa vez, no estacionamento da Anhembi, durante o Salão do Automóvel, nossa Kombi resolveu quebrar. A vergonha era enorme e para poder chegar na redação tivemos que fazer uma ligação direta e quebrar a trava do volante. Resultado, o volante bobo em plena marginal Tietê. Foi uma aventura...
Eram tantas aventuras que cheguei a rabiscar algumas páginas de um livro chamado "Histórias da Kombi". Infelizmente perdi o material no problema que tive com o computador. 
Bom, lembrei da Kombi depois que vi o vídeo feito pela Volkswagen na despedida do carro que não é mais fabricado. O vídeo é de um bom gosto incrível e vale a pena assistir. No site da VW tem todas as histórias. Ficou show e você confere abaixo. Abaixo também uma foto onde a famosa kombi que durante muitos anos serviu de parceira nas reportagens que realizei. 

Olha a Kombi aparecendo um pouquinho nessa foto de 2004. 

sexta-feira, 28 de março de 2014

IMÃ DE GENTE ESTRANHA

Você que é meu amigo este post não é para você, ou é, quem sabe, depende de quem é você que lê agora. Meio complexo isso, nem sei se consegui me fazer entender. 

Quero dizer que não se sinta ofendido caso ache que esteja escrevendo para você em particular, não é, mas se você acha que é, então pode ser que seja. Nossa que rolo. 

A vida me deu um dom, o da paciência. Quem me conhece sabe o quanto eu sou uma pessoa tranquila e não tem tempo ruim comigo. Arrumar confusão com o Antena tem que ser muito persistente, me deixar nervoso também. 

Esse dom traz muitas coisas boas, mas também tem o seu revés. Com essa paciência, educação, tranquilidade, acabo atraindo um número bem grande de gente estranha. Sim, entranha. Não sei definir bem, acho que estranha engloba um pouco. Mas o pior não é atrair, o problema é não conseguir me livrar delas.

Isso desde muito tempo acontece. As vezes me sinto um para-raio no meio do oceano em tempestade. Sou atingido de todos os lados. Eu confesso que mesmo sabendo dessa minha disposição eu não consigo afastar, mesmo identificando com certa antecedência a pessoa estranha que se aproxima. 

Tenho tantas histórias hilárias que amigos mais próximos conhecem e sabem que daria um belo livro. Obviamente não vou expor ninguém e nem as situações pra pessoas não se zangarem. Apesar de estranha, tem gente que não merece passar por isso. Estranho não quer dizer que a pessoa seja ruim, má ou coisa do tipo, só é meio louca e tal. Estou falando no singular, mas entenda como várias e não uma. 

Sabe aquela história que de perto ninguém é normal. Acredito muito nisso. Quando você conhece alguém mais profundamente acaba descobrindo coisas inusitadas. 

Por isso termino esse post desabafo fazendo também um mea culpa. Se sou rodeado por alguns estranhos, certamente também devo parecer assim para alguns...

domingo, 23 de março de 2014

PERSONAS É FINALISTA DO TOPBLOG

Tem muitas coisas que me deixam feliz, mas uma delas, sem dúvida alguma, é o reconhecimento daquilo que faço. Reconhecimento esse que chega de diversas formas.

Palestras para estudantes, convites para entrevistas, meu trabalho ser utilizado como referência e claro, prêmios. O prêmio é mais uma expressão do quanto aquilo que estamos fazendo tem agradado as pessoas.

O Mural do Antena sempre me foi uma grata surpresa e responsável por uma guinada muito significante na minha carreira. Tive a felicidade de concorrer e ganhar alguns prêmios com ele. Hoje, por causa do próprio blog, muitas outras atividades acabam ganhando uma certa prioridade, o que não significa que ele tenha perdido importância pra mim.

Dito isso fico muito feliz que um outro projeto meu, o Personas, em parceria com minha amiga e sócia Camilla de Castro, tenha sido classificado para a grande final do TopBlog. Não é fácil, são muitos blogs concorrendo até chegarem aos 3 finalistas, e lá estamos nós. 

É uma alegria fazer o Personas, poder encontrar pessoas tão legais com histórias que chamam nossa atenção. Claro que queremos ganhar, mas o fato de estar na final já nos enche de orgulho.

Por isso passo aqui para agradecer você leitor do Mural do Antena, que acima de tudo admira meu trabalho e também ajudou votando no Personas. Sou eternamente grato por tudo que sempre me proporcionam.

Aproveito para agradecer também a todos que votaram, aos entrevistados que toparam falar com a gente e aos amigos e familiares que sempre nos apoiaram. 

O Personas é mais um exemplo de sucesso da produtora que criamos, na verdade ele é o embrião dessa produtora, a Amistie.

Agora é aguardar a festa de premiação no mês que vem!!! 

sexta-feira, 21 de março de 2014

REDES SOCIAIS E A FALTA DE SOCIABILIDADE

É engraçado mas a cada dia que passa eu fica cada vez mais assustado quando entro nas redes sociais. Me assusto porque um local que deveria servir de ponto comum, quase que uma praça virtual onde pessoas com interesses comuns, que se conheçam consigam se "encontrar".

Óbvio que as redes sociais não são só isso, muito pelo contrário, elas tem ganhado cada vez mais utilidade, valores, atribuições... Porém ela está perdendo o principal, ser social. 

Não sei o que acontece, mas o ser humano, diante de tais locais, tira a roupa da sociabilidade e vira uma guerreiro medieval com o intuito de atacar, vencer batalhas, dizimar o oposto.

Muitas vezes entro no facebook e me sinto num octógono de MMA. Amigos, pessoas que se conhecem travando verdadeiras batalhas para defender seu ponto de vista e principalmente destruir o ponto de vista contrário. O debate é válido, mas degladiar não. 

São tantos casos recentes que dá até medo. ninguém parece disposto a argumentar, chamar a visão oposta para uma troca de ideias. Não, todos querem a morte do contrário, a aniquilação daquele que não pensa como nós. 

O mundo está me parecendo um grande lugar dualista. Só existe o dia e a noite, o certo e o errado, o bem e o mal, o que eu penso e o que você pensa. Mas a vida não é assim, as coisas não são assim. 

Tome por exemplo quando o sol se põe e durante bons momentos a noite e o dia dividem o céu com imagens lindas e diferentes. É nesse momento de convivência que nós paramos e admiramos. Poderia ser assim com tudo. Achar um meio termo bom para todos, encontrar caminhos que ainda não foram explorados. Chamar o adversário não para destruir o que ele pensa e sim encontrar coisas positivas em todos os argumentos. 

Infelizmente vejo pouco disso, vejo mesmo as pessoas jogando uma granada no primeiro que lhe parece diferente, contrário e que não pensa como você. O pior é que quando essa granada explode ela atinge todo mundo e entre mortos e feridos não se salva ninguém...

Sempre me recordo dessa frase dita na pós-graduação. "Todo ponto de vista é a vista de um ponto" - Leonardo Boff

quinta-feira, 13 de março de 2014

ONDE FOI PARAR O AVIÃO?

Amo viajar de avião. Não sei se ainda pelo glamour que envolve a aviação, se pelo clima de expectativa da viagem, mas certamente é algo diferente. 

Tenho ligação forte com essa área, costumo voar bastante, tenho como cliente da Amistie uma empresa aérea e também grandes histórias ligadas a esse universo. 

Sempre quando acontece uma tragédia nesse ramo é algo impactante. Porém o caso do avião da Malaysia Airlines sempre deixa a gente meio confuso. Com toda tecnologia, monitoramento, radares, satélites e o que mais se tem por ai, como???? eu repito: como?? um avião desaparece do planeta sem deixar rastro, sinal, destroço, vestígio, nada.. nada...

Nessas horas começam a pipocar as mais malucas e confusas teorias. De alienígenas a terrorismo... Claro que esse é um momento de muita aflição para os parentes dos passageiros desaparecidos. Tudo indica que o pior possa ter acontecido, mas mesmo assim grande parte nutre a esperança desse voo ter sido sequestrado e o avião ter sido levado para algum lugar remoto. 

Sempre que acontece algo nesse sentido lembro de um livro que li e se trata de uma história real. "O Diário da morte", livro que narra a história de um brasileiro que caiu com seu pequeno avião na selva e ficou por lá desaparecido por muitos dias. Ele escreveu um diário enquanto estava lá esperando socorro. Uma história real que é bem forte e emocionante. Vale a pena ler.

Mas a web também nos proporciona vários momentos de humor diante de tais fatos. Abaixo reproduzo uma imagem que vi essa semana relacionadas ao caso do avião. 


sábado, 8 de março de 2014

PARA AS MULHERES

                                      Feliz dia internacional das mulheres!!

   

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO