quinta-feira, 31 de julho de 2014

A PRIMEIRA FATIA DO PÃO DE FORMA

Quando se tem criança pequena em casa, no meu caso um sobrinho de 5 anos, vamos ficando mais familiarizados com a programação infantil do que com qualquer outra. 

Galinha Pintadinha, Patati Patata, Peppa e uma infinidade de outros programas como Gabby Estrela, Tem criança na cozinha etc etc etc. A lista é quase infinita. Conforme eles vão crescendo vamos também acompanhando a mudança de gostos pelos desenhos e programas. 

Eu sempre gostei de desenho animado e vez por outra me vejo assistindo clássicos como Caverna do Dragão, Popeye, Papaléguas entre outros. Coloco nessa conta o sempre clássico Chaves, que não é desenho mas faz parte.

Toda essa gigantesca introdução é pra falar que existem coisas novas bem legais sendo produzidas. Uma delas brasileira. "Osmar, a primeira fatia do pão de forma". Uma ideia muito legal, com argumento ótimo, personagens divertidos e que prende a atenção, tanto minha quanto do meu sobrinho. 

O desenho passa no Gloob e é uma ótima opção de distração. 

quarta-feira, 23 de julho de 2014

VOLUME MORTO

Essa coisa que o tempo está passando rápido demais já é mais do que batido, porém, além dessa sensação de tempo pra lá de fugaz o que tem me deixado espantado e a velocidade com que as coisas chegam e vão embora.

O prazo de validade é quase zero. Tudo é tão instantâneo que vou me afogando no mar de informação que chega. Isso me deixa angustiado, agoniado e paralisado. Tão paralisado que não dou conta de atualizar esse blog. Quando penso em escrever sobre algo esse algo já não tem mais importância, já passou, já era, virou noticia velha. 
Mal entendemos o que aconteceu com o avião que foi abatido e somos soterrados por destroços de outro que caiu hoje. Morre um grande nome da literatura e em seguida outros dois morrem e deixam aquela sensação de vazio.

É muita informação pra pouca capacidade de processamento. Não adianta fazer upgrade de memória, de comprar mais hd, sempre vai ser pouco, nunca é o bastante.

O comportamento de todos nós mudou e as coisas são mais instantâneas do que o miojo. Vivemos só de machetes, não nos interessamos mais pelo conteúdo todo. Julgamos por uma frase, por uma imagem, por uns poucos segundos. Muitas vezes isso desanima. Desanima em escrever, em gravar, em tentar aprofundar.

Esse texto mesmo, certeza que dos muito que curtiram nem a metade abriu o link. Não culpo ninguém, mas também não absolvo. Não me coloco fora desse bolo, também sou um pouco assim.

As vezes me sinto operando no volume morto das informações. Consumindo aquela parte que não é tão boa para o consumo e que precisaria de muitas filtragens para se tornar potável.

Os meus reservatórios, antes cheios de ideias, parecem que vão secando com essa velocidade desenfreada. A minha esperança é a chuva. chuva de novas ideias, de novos acontecimentos e de uma solução milagrosa para colocar um slow no mundo para que a gente possa acompanhar ele. 

domingo, 13 de julho de 2014

A COPA DO MUNDO

Foto: Folhapress
Acabou a Copa do Mundo. Que sensacional foi esse mundial aqui no Brasil. Um evento visto pelo mundo inteiro e que sagrou a seleção da Alemanha como vencedora.

Ganhou aquele time que não tinha um jogador fora de série, mas tinha um time muito bem treinado, comprometido e que o coletivo tinha mais importância do que o individual.

Acrescente a isso um projeto de muitos anos e uma consciência de que para vencer é preciso investir, ter paciência e humildade. Construíram o próprio centro de treinamento por aqui, se divertiram, interagiram, fizeram boas ações, cativaram as pessoas e foram cativados por cada lugar que passaram. No final o coroação de um trabalho sensacional.

Quanto ao nosso futebol é momento de reconstruir e usar os campeões como exemplo. Muita coisa tem que mudar, principalmente nas estruturas e comando do nosso esporte. Vamos ver se essa sacudida que tomamos serve para isso.

Já a Copa como um todo mostrou que fizemos um bom trabalho, mesmo com as muitas ressalvas internas que precisam ainda sim serem discutidas, observadas, cobradas e melhoradas. O evento deu certo, as coisas correram bem, mas muita coisa ficou no improviso, na boa vontade ou só na promessa.

O que posso dizer é que essa Copa foi incrível. Golaços, jogos sensacionais, grandes surpresas, zebras, alegrias e tristezas, imagens incríveis, pessoas felizes... Não tem como não concordar que essa foi a Copa das Copas!

quarta-feira, 9 de julho de 2014

AS DERROTAS DA VIDA

Perder e ganhar faz parte do jogo. Faz parte da vida. Não podemos ganhar tudo que queremos porque assim haveria uma pane no mundo. Todo mundo quer ganhar, mas para haver um vencedor é necessário um perdedor (na maioria dos casos).

Perder é chato, ruim, angustiante? É. 

Dá raiva, nos deixa tristes, irritados? Deixa. 

Mas faz parte e é sempre uma oportunidade de seguir em frente e evoluir. Lembro de inúmeras derrotas pessoais, coisas que tentei e não deram certo, projetos que não saíram do papel, amores que se foram ou muitas vezes nem chegaram... Perder é uma constante, assim como ganhar. 

Ao mesmo tempo que muitas dessas coisas não deram certo, outras tantas deram, me fizeram feliz, me fizeram vibrar, me emocionar, apaixonar, viver momentos interessantes e únicos. 

Assim vamos caminhando. Aprendi muito com várias derrotas. Elas me fizeram amadurecer como homem, como profissional... Aprendi também com as vitórias, mas elas são perigosas também, porque muitas vezes elas nos cegam e escondem algumas falhas, pontos que podem ser melhorados. 

Ontem a seleção brasileira teve uma grande derrota, creio que a pior. Foi horrível, doloroso e cruel da forma que aconteceu. Por todo clima, por todo entorno, pelas condições colocadas, pelo evento ser aqui... Algumas vitórias acabaram cegando a realidade desse time que é muito limitado perto de Alemanha, Holanda e até outros que já foram eliminados. 

Chegamos até onde a limitação nos deixava. Poderíamos ter ido para final? Sim. Até ganhado. Mas não fomos capazes de aprender e de ver que não éramos os melhores e precisávamos melhorar. 

Agora essa derrota é a oportunidade de chacoalhar o futebol brasileiro. A Alemanha pode ter feito um grande favor para o Brasil. 

Outra coisa: a revolta emocional é compreensivel, eu também fiquei puto da vida. Porém partir para a ignorância, destruir as coisas, queimar ônibus, agredir as pessoas é a derrota mais humilhante do que levar de 7. 

O Mural está aqui

Prêmios

Contadores

free counters

Visitantes

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO